Sharing Economy & UBER - Economia Compartilhada

804 visualizações

Publicada em

Será que empresas como Uber, Spotify e Airbnb
chegaram para ficar? O consumo colaborativo, ou
economia compartilhada, é uma prática comercial
recente que busca aumentar o acesso a bens e
serviços sem a necessidade da aquisição desses. Nos
últimos anos, cada vez mais startups são criadas com
o intuito de eliminar intermédios, fornecendo produtos
de forma direta e colaborativa. A ideia por trás dessas
empresas está alinhada com as expectativas de um
futuro mais preocupado com o meio ambiente e com
hábitos mais sustentáveis junto ao relacionamento
social decorrente da era da internet.
Em seu seminário, Rhuan irá mostrar como essa
prática nos afeta, e quais são suas perspectivas,
estudando também o caso do Uber, atualmente em
discussão para ser regulamentado no Brasil.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
804
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
70
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Eu gostaria de começar esse seminário perguntando o que vocês veem em comum entre as seguintes empresas:
  • Eu gostaria de começar esse seminário perguntando o que vocês veem em comum entre as seguintes empresas:
  • Bem, uma coisa que há em comum entre essas ideias é a utilização de bens e serviços sem a necessidade de comprá-los, além da utilização de novas tecnologias - smartphone. Essa ideia é ainda muito pouco discutida no Brasil, porem muitos países desenvolvidos já são adeptos, e as possibilidades vão muito longe.
  • Existe uma grande diferença entre esses serviços e os alugueis que estamos acostumados.
    Eu poderia muito bem ter alugado um saxofone de você a 10 anos atras, e você pode colocar um anuncio no jornal para alugar um quarto da sua casa.
  • Existe uma grande diferença entre esses serviços e os alugueis que estamos acostumados.
    Eu poderia muito bem ter alugado um saxofone de você a 10 anos atras, e você pode colocar um anuncio no jornal para alugar um quarto da sua casa.
  • Mas a maior diferença é a mudança tecnológica (internet, smartphones) que possibilita fazermos isso com maior facilidade, rapidez e sem várias empresas intermediárias.
  • Hoje irei falar sobre a economia compartilhada, um conceito ainda muito novo dentro do Brasil, mas que aos poucos vai engatinhando, e trazer o caso do Uber cuja experiência eu pude ter de perto. Analisando quais os ganhos e perdas que teremos com uma nova atividade como essa.
  • Diferenças entre compartilhamento entre conhecidos e sem lucro e acesso a bens e serviços sem ser dono, porém pagando uma taxa.
  • Exemplos de empresas desse tipo em outros serviços são os mais diversos, em uma gama enorme que está crescendo cada vez mais.
  • Exemplos de empresas desse tipo em outros serviços são os mercados: de agronegocios, imobiliario, alimenticio, financeiro, de transporte, entre outros
  • Exemplo do LandShare, onde vc pode alugar um pedaço de terra, um jardim, ou até um canto na casa de um vizinho para plantar.
  • Kickstarter uma das plataformas de financiamento de novas ideias mais populares hoje - Crowdfunding que também é mediado pela internet, que cresceu fora dos sistemas clássicos de financiamento, gerando acesso ao dinheiro de pessoas que apostam nas suas ideias, sem a necessidade de criar contratos e outras burocracias.
  • Explicar Airbnb alugar casas/quartos por tempos de dias a meses em qualquer lugar do mundo, com segurança. Isso faz com que você possa utilizar bens imobiliários, sem a necessidade de comprá-los. Muitas pessoas alugam parte da casa em que moram sozinhas. Há alguns casos de pessoas em SF que largaram o trabalho para sobreviver com o dinheiro do aluguel, viajando e morando em outros lugares.
  • No caso do GrubHub, você pode pedir comida dos mais diversos restaurantes, mesmo que não tenham entrega, tudo por um preço muito barato. Tornando o delivery mais simples. O mesmo ocorre com outras empresas que fazem o transporte de qualquer produto, como eletrônicos, mercado, etc.
  • No ramo do transporte, temos vários modelos de negócio, mesmo além do Uber, que funcionam muito bem. Há o exemplo do ZipCar, que sem motorista, disponibiliza carros ao lado da sua casa, para que você aluga por horas ou dias, sem o estresse das locatárias antigas. Você passa um cartão na janela e o carro abre com a chave dentro. Além de mais barato é mais pratico. Eles estão presentes em várias cidades dos EUA hoje. (lembrando que é necessário retornar o carro ao seu local anterior)
  • Drive now que é para carros eletricos da BMW, presente em menos cidades, centros globais, ele é bem parecido com o ZipCar, exceto pelo combustível e por poder retornar o carro em outras estações.
  • Sabemos que esse tipo de comercio se intensificou em uma sociedade pós crise por volta dos anos 2008, como forma de diminuir os gastos comuns, que valoriza mais a experiência de ter um produto ou um serviço do que possuí-lo.
  • Serviços como alugueis já existiam a muito tempo, a diferença está na tecnologia impulsionando/alavancando essa atividade, ligando pessoas desconhecidas, em uma escala maior, trazendo segurança por meio de sistemas de verificação e confiança que utilizam ferramentas que todo smartphone tem (e.g. GPS, redes sociais, dados cadastrais, reviews)
  • A confiança nos serviços disponíveis é chave para que as pessoas utilizem os produtos oferecidos, emprestem ou aluguem os seus, deixem outras pessoas usarem seus pertences, seu carro, seu espaço, seu tempo. Para isso, as empresas precisam validar a confiança nas relações dos seus stakeholders. servidores, clientes, usuarios, fornecedores, etc. Reviews fazem esse link e dão mais confiança, muitas pessoas só se sentem bem após ver o review de um conhecido.
  • Possibilidades são enormes, nos EUA, existem pistas exclusivas para pessoas que não estão dirigindo sozinhas, uma forma de incentivar a pratica num pais em que 76.4% dos carros tem apenas uma pessoa. Aplicativos de sharing economy procuram melhorar isso.
  • Nesse grafico do US census bureau, podemos ver que a situação só piorou nos últimos anos de pessoas indo ao trabalho, sendo que a maioria delas vai sozinha.
  • Alguns serviços na economia compartilhava possibilitam o trabalho na forma de Freelancer, o que tem algumas vantagens
  • Aqui podemos ver a distribuição das idades das pessoas nesse ramo, onde a maioria é de pessoas mais jovens
  • Além disso, também observamos benefícios ambientais com alguns dos serviços da sharing economy, como:
  • Agora não precisamos mais pagar caro em uma roupa para um festa, por exemplo. Existem apps que fazem que você ache a roupa certa, inclusive peças de marca que saem por um preço bem inferior ou podem ser alugadas.
  • O aluguel do sótom ou porão da sua casa, por exemplo, pode trazer aquela renda a mais, de uma atividade comercial que não existia antes
  • Até mesmo, em empresas que parecem diminuir a rentabilidade de alguns produtos, pode ser criado novas formas de renda que antes eram inutilizadas.
    Não necessariamente temos o fim das vendas de musica, mas pode-se ampliar o mercado.
  • Embora a pirataria diminuiu, os valores são relativamente os mesmos (?) valor por musica do spotify
    O mercado cresce a medida que menos pessoas pirateiam e começam a fazer stream de musicas.
  • Podemos ver que o retorno é ainda bem alto em musicas quando comparado com a as receitas de sites tipo youtube e serviços de radio.
  • Existem dois lados, empresas podem fechar porque outras estão usando um atalho para ganhar dinheiro com menos custo. Isso pode ser bom, mas é desleal. Existe a necessidade de pagar impostos pra União. Porém os impostos dessas novas empresas também não podem ser tão pesados, inibindo seu crescimento.
  • Agora passando para o Uber então, pra quem não conhece, ele é um app para transporte que utiliza smartphones para conectar pessoas precisando se locomover com pessoas com carro dispostos a leva-las ao destino. O Uber criou uma proposta similar aos taxis que todos conhecemos, incluindo algumas “features” que o deixam a principio mais seguro, mais otimizado e mais barato.
  • Não, existem outros bem similares, com menos popularidade e pequenas modificações
  • Com o lema: everyones private driver, o aplicativa busca otimizar o transporte de pessoas utilizando smartphones para conectá-las aos motoristas. Ao se cadastrar, cada pessoa ganha uma corrida de valor limitado para gastar. Esse é o passo mais difícil para conseguir novos usuários, pois é necessário inserir o cartão de crédito onde serão debitadas as próximas corridas.
  • após o primeiro passo, basta clicar somente uma vez e o uber mais proximo já será acionado. Dependendo da disponibilidade, podem haver diferentes tipos de serviços. Aqui vemos a mensagem para os gauchos que aparece na corrente semana, que o uber acabou de chegar lá
  • Mas então, como o Uber consegue garantir a segurança dos seus clientes?
  • mesmo antes de embarcar em um Uber. Você verá o nome do motorista, o número da placa, a foto e a avaliação quando sua solicitação for confirmada — assim, você saberá antecipadamente quem vai pegá-lo. Contato do motorista caso esqueceu alguma coisa
  • E como o uber faz dinheiro? simplesmente com uma taxa de 20% no valor da corrida, sendo que todo o resto fica para o motorista.
  • Salarios são muito altos, eles inclusive usam isso como marketing como esse outdoor em NY próximo ao JFK
  • Por isso, chamado de empresas disruptivas
  • Houve um tiroteio em Sidney e os preços do Uber foram lá em cima. A empresa depois pediu desculpas e deu carona de graça. CBD=central of business district
  • No Brasil, existe a Lei 12.587, o Plano de Mobilidade Nacional, que diz que existem duas modalidades de transporte: o transporte público individual, uma exclusividade do taxista e regulado pelos municípios, e o transporte privado individual.
  • Porém o descontentamento dos taxistas é enorme, e muitas manifestações estão sendo feitas por todo o país.
  • WhatsApp não é sharing economy, mas é uma tecnologia disruptiva que foi muito temida pelas operadoras, assim como iMessenger da Apple. Hoje todo o Brasil usa esse app.
  • Então para finalizar, eu gostaria de voltar para uma pergunta inicial. Será a …
    O que podemos analisar é que das muitas empresas que surgiram nesse sentido, várias delas estão dando muito certo, mudando o rumo do mercado e se firmando cada vez mais. Considerando vários ganhos que elas podem trazer, a minha opinião é que elas podem sim chegar para ficar de vez, dependendo do quão gentil forem as leis para regulamentar esses novos negócios. Como vimos, países em desenvolvimento não são muito amigáveis com mudanças desse tipo, mas nada que o tempo não possa mudar.
  • Sharing Economy & UBER - Economia Compartilhada

    1. 1. ECONOMIA COMPARTILHADA RHUAN CARLOS BOOS
    2. 2. O que essas três empresas têm em comum?
    3. 3. O que essas três empresas têm em comum?
    4. 4. O que essas três empresas têm em comum?
    5. 5. O que essas três empresas têm em comum?
    6. 6. O que essas três empresas têm em comum?
    7. 7. O que essas três empresas tem em comum? Utilização de bens e serviços sem a necessidade de comprá-los
    8. 8. MUDANÇA TECNOLÓGICA
    9. 9. Economia Compartilhada
    10. 10. O que é Economia Compartilhada? História Benefícios Conhecendo o Uber
    11. 11. O que é Economia Compartilhada? História Benefícios Conhecendo o Uber
    12. 12. Economia compartilhada Também chamada de consumo colaborativo Palavra derivada do inglês: Sharing Economy Definição: Prática comercial que permite o acesso a bens e serviços em rede (peer-to-peer) sem a necessidade de compra ou posse individual
    13. 13. Economia do Acesso (Access Economy), como proposto pela Harvard Business Review em janeiro de 2015 Compartilhamento nem sempre está presente Importante para definir o foco das empresas: Redução de custos e conveniência ao invés de relações sociais
    14. 14. DIFERENTES MERCADOS
    15. 15. DIFERENTES MERCADOS
    16. 16. Agricultura
    17. 17. Finanças Crowdfunding
    18. 18. Imóveis
    19. 19. Alimentos
    20. 20. Transporte
    21. 21. Transporte - Drive now da BMW
    22. 22. O que é Economia Compartilhada? História Benefícios Conhecendo o Uber
    23. 23. Intensificação pós crise (2008) ✤ Diminuição de gastos ✤ Experiência do produto X posse
    24. 24. RÁPIDO CRESCIMENTO MERCADO DE $26B EM 2013 ESTÁ PARA ULTRAPASSAR O MERCADO DAS REDES DE RESTAURANTES DOS EUA NOS PRÓXIMOS ANOS Fonte: Harvard Business Review, Outubro de 2014
    25. 25. Diferenças pra os serviços antigos Como a tecnologia impulsiona essa pratica!
    26. 26. Confiança
    27. 27. INCENTIVOS E BARREIRAS • Incentivos governamentais e empresas de economia compartilhada estão geralmente alinhados, mas as regulamentações podem se tornar as barreiras mais significante para serem vencidas • Novas leis podem ser pesadas para adequar esses novos modelos de negócio, e podem acabar inibindo a criação de novas empresas Fonte: Harvard Business Review, Outubro de 2014
    28. 28. 76.4% das pessoas indo ao trabalho dirigem sozinhas nos EUA em 2013 Fonte: US Census Bereau
    29. 29. O que é Economia Compartilhada? História Benefícios Conhecendo o Uber
    30. 30. Ganhos ✤ Autonomia ✤ Carga horária flexível ✤ Possibilidade de monetizar o que antes era impossível
    31. 31. Salários de autônomos trabalhando em empresas de economia compartilhada são iguais ou maiores que os de outros trabalhos Fonte: Fortune, julho de 2015 MESMA RENTABILIDADE
    32. 32. 7% dos empregos dos Estados Unidos hoje provem de empresas plataformas de economia compartilhada. Metade desses tem idade entre 25 e 44 anos. Fonte: The Wall Street Journal, maio de 2015 CRIAÇÃO DE NOVOS EMPREGOS
    33. 33. Fonte: The Wall Street Journal, maio de 2015
    34. 34. Benefícios ambientais ✤Redução da emissão de carbono ✤Empréstimo, doação e reciclagem de produtos ✤Aumento do “consumismo sustentável”
    35. 35. Novas possibilidades de mercado
    36. 36. Novas possibilidades de mercado
    37. 37. Novas possibilidades de mercado Fim das vendas de música?
    38. 38. Pirataria nos últimos 5 anos nos erritórios em que o Spotify atua
    39. 39. Isso é ruim para o mercado de músicas?
    40. 40. O outro lado: Falta de regulamentação ✤Vantagens competitivas contra outras empresas ✤Não taxação ✤Impostos não devem ser os mesmos
    41. 41. Falta de Proteção e Benefícios para empresas de período integral ✤ Plano de Saúde ✤ Fundo de garantia ✤ Benefícios da CLT (Consolidação das leis do trabalho)
    42. 42. O que é Economia Compartilhada? História Benefícios Conhecendo o Uber
    43. 43. Empresa de transporte privado que utiliza uma tecnologia disruptiva
    44. 44. E o Uber é o único serviço de caronas?
    45. 45. Diferentes formas de pegar um Uber
    46. 46. uberPOOL A opção mais barata! Compartilhe sua carona com outra pessoa em troca de uma tarifa fixa VIDEO
    47. 47. COMO FUNCIONA? VIDEO
    48. 48. Como garantir a segurança do serviço?
    49. 49. CLIENTE EM PRIMEIRO LUGAR ✤ O usuário embarca na sua posição atual do GPS ✤ Feedbacks são anônimos ✤ Transação online - sem a necessidade de dinheiro
    50. 50. ✤ Verificação de antecedentes para motoristas ✤ Examinação do registro dos veículos ✤ Motoristas também dão feedback
    51. 51. MOTIVOS PARA DESLIGAMENTO DO MOTORISTA ✤ Aviso para motoristas com nota abaixo de 4.6/5 ✤ Aceitando poucas caronas quando trabalhando ✤ Cancelando muitas caronas ✤ Reclamação grave pelo cliente
    52. 52. E como o Uber faz dinheiro? 20% do pagamento
    53. 53. RÁPIDO CRESCIMENTO ✤ Avaliado em $50B, Uber vale mais que a Enterprise Holdings, maior locadora de automóveis do mundo, com valor de mercado de $19.4B ✤ Enterprise Holdings tinha mais de um milhão de carros em 2012, Uber não tem nenhum Fonte: Forbes, Outubro de 2015
    54. 54. Alguns problemas…
    55. 55. Algoritmo de alta nos preços usou confusão em Sydney após tiroteio
    56. 56. E no Brasil?
    57. 57. OUTROS SERVIÇOS
    58. 58. REGULAMENTAÇÕES Fonte: G1, Outubro de 2015 ✤ No Brasil existe a Lei Federal 12.587, o Plano de Mobilidade Nacional, que diz que existem duas modalidades de transporte: o transporte público individual, uma exclusividade do taxista e regulado pelos municípios, e o transporte privado individual. Basta agora os municípios criarem legislações específicas ✤ Em outubro, o uso do Uber em SP foi finalmente autorizado, o que estava proibido por mais de um mês
    59. 59. MANIFESTAÇÕESManifestações e Agressões Mais de 33 mil taxistas apenas na cidade de São Paulo
    60. 60. “Usam os nossos números [de telefone] para mandar mensagens grátis” “Pirataria pura” –Amos Genish (CEO da Vivo) em relação ao WhatsApp
    61. 61. Será a economia compartilhada o futuro das práticas comerciais?
    62. 62. Obrigado!
    63. 63. –Johnny Appleseed “Type a quote here.” Rhuan Carlos Boos rcb@neo.ufsc.br

    ×