SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
A fábula do Tigre

   (relatada por Zimmer em Filosofias da Índia, a partir de The Gospel of Sri Ramakrishna)



Um filhote de tigre fora criado entre cabras. Prenhe e balofa, sua mãe passara vários
dias à procura de uma presa sem nada conseguir, até que deparou com um rebanho de
cabras selvagens. Estava faminta, o que explica a violência de sua investida. O esforço
do ataque precipitou o parto e ela acabou morrendo de esgotamento. As cabras, que
haviam se dispersado, retornaram ao lugar e lá encontraram um filhote de tigre
choramingando ao lado de sua mãe. Levadas pela compaixão maternal adotaram a
débil criatura; amamentaram-na junto com suas próprias crias e dela cuidaram
ternamente. O animal cresceu e sobreveio a recompensa pelos cuidados dispensados,
pois o pequeno companheiro aprendeu a linguagem das cabras, adaptou sua voz
àquele som suave e mostrou tanto afeto quanto qualquer cabrito. A princípio teve
alguma dificuldade para mastigar com seus dentes pontiagudos as tenras folhas do
pasto, mas logo se acostumou. A dieta vegetariana o mantinha enfraquecido,
conferindo ao seu temperamento uma notável doçura.

Certa noite - quando o órfão, crescido entre as cabras, já havia alcançado a idade da
razão - o rebanho foi atacado, desta vez por um velho e feroz tigre. As cabras se
dispersaram, porém o jovem permaneceu onde estava, sem medo ainda que surpreso.
Achando-se face a face com a terrível criatura da selva, fitou-o estupefato. Passado o
primeiro impacto, começa a tomar consciência de si. Desamparado, berra, arranca
folhas de pasto e se põe a mastigar, ante o olhar perplexo do outro.
De repente, o poderoso intruso pergunta:
_ Que fazes aqui entre as cabras?! Que estás mastigando?!
A resposta foi um berro. O outro, indignado, disse num rugido:
_ Por que emites este som estúpido?!
E antes que o pequeno pudesse responder, apanhou-o pelo cangote e o sacudiu como
se quisesse fazê-lo recobrar a lucidez. O tigre da selva carregou o assustado animal até
um lago próximo, soltando-o na margem e obrigando-o a olhar para a superfície
espelhada da água, então iluminada pela lua.
_ Vê estas duas imagens! Não são semelhantes? Tens a cara típica de um tigre, é
como a minha. Por que te iludes pensando seres um cabrito? Por que berras? Por que
mastigas pasto?!
O tigrezinho, incapaz de responder, continuava a olhar espantado comparando as duas
imagens refletidas. Inquieto, apoiou-se numa e logo noutra pata, e lançou um grito de
aflitiva incerteza. A velha fera novamente o carregou porém agora até seu covil, onde
lhe ofereceu um pedaço de carne crua e sangrenta, sobra de uma refeição anterior.
Ante a inusitada visão, o jovem tremeu de repugnância mas o velho, ignorando o fraco
gesto de protesto, ordenou rudemente:
_ Come! Engole!
O outro resistiu, porém a horripilante carne foi forçada a passar entre seus dentes; o
tigre vigiava atentamente seu aprendiz que tentava mastigar e preparava-se para
engolir. Sua não-familiaridade com a consistência da carne causava-lhe certa
dificuldade, e estava prestes a emitir outro débil berro quando começou a
experimentar o gosto do sangue. Excitado, devorou o restante com avidez, sentindo
um prazer incomum à medida que o novo alimento descia-lhe pela garganta e atingia o
estômago. Uma força estranha e quente irradiava de suas entranhas trazendo-lhe uma
sensação eufórica e embriagadora. Estalou a língua, lambeu o focinho satisfeito e,
erguendo-se, deu um largo bocejo como se estivesse despertando de uma longa noite
de sono - uma noite que o manteve sob feitiço por anos e anos. Espreguiçando-se,
arqueou as costas, estendeu e abriu as garras. Sua cauda fustigava o solo e, de súbito,
irrompeu de sua garganta o triunfal e aterrorizente rugido de um tigre.
O inflexível mestre, que estivera observando de perto, sentia-se recompensado. A
transformação, de fato, acontecera. Ao cessar o rugido, perguntou severamente:
_ Agora sabes quem realmente és?
E para completar a iniciação de seu jovem discípulo no saber secreto de sua própria e
verdadeira natureza, acrescentou:
_ Vem! Vamos caçar juntos pela selva.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Gost 30474 96
 Gost 30474 96 Gost 30474 96
Gost 30474 96
vpiv26
 
13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft
13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft
13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft
Lokalrundfunktage
 
Investigación maestria
Investigación  maestriaInvestigación  maestria
Investigación maestria
hidlago
 
Programa do curso divulgação
Programa do curso   divulgaçãoPrograma do curso   divulgação
Programa do curso divulgação
João Lima
 
Rsu poste risposta slc a unindustria(1)
Rsu poste risposta slc a unindustria(1)Rsu poste risposta slc a unindustria(1)
Rsu poste risposta slc a unindustria(1)
Fabio Bolo
 
Зүрхний гурван хавхлаг
Зүрхний гурван хавхлагЗүрхний гурван хавхлаг
Зүрхний гурван хавхлаг
Batzaya Enkhtuvshin
 
pyewipe planting final
pyewipe planting finalpyewipe planting final
pyewipe planting final
Phil Clarke
 
Gost 18937 73
 Gost 18937 73 Gost 18937 73
Gost 18937 73
Kinlay89
 
Gost 30478 96
 Gost 30478 96 Gost 30478 96
Gost 30478 96
vpiv26
 
15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk
15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk
15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk
Lokalrundfunktage
 
Mi vida en la escuela secundaria
Mi vida en la escuela secundariaMi vida en la escuela secundaria
Mi vida en la escuela secundaria
damarisram
 
Trabalho priscila biomas tundra
Trabalho priscila  biomas tundraTrabalho priscila  biomas tundra
Trabalho priscila biomas tundra
Silenezé Souza
 

Destaque (20)

Gost 30474 96
 Gost 30474 96 Gost 30474 96
Gost 30474 96
 
13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft
13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft
13 30 bis 14 30 istanbul mit neuen ideen erfolgreich in die zukunft
 
Investigación maestria
Investigación  maestriaInvestigación  maestria
Investigación maestria
 
Programa do curso divulgação
Programa do curso   divulgaçãoPrograma do curso   divulgação
Programa do curso divulgação
 
Kelly 10 b
Kelly 10 bKelly 10 b
Kelly 10 b
 
Rsu poste risposta slc a unindustria(1)
Rsu poste risposta slc a unindustria(1)Rsu poste risposta slc a unindustria(1)
Rsu poste risposta slc a unindustria(1)
 
Kule vinc insaat santiye yuk kalip bims briket blok tugla malzeme tasima kald...
Kule vinc insaat santiye yuk kalip bims briket blok tugla malzeme tasima kald...Kule vinc insaat santiye yuk kalip bims briket blok tugla malzeme tasima kald...
Kule vinc insaat santiye yuk kalip bims briket blok tugla malzeme tasima kald...
 
Зүрхний гурван хавхлаг
Зүрхний гурван хавхлагЗүрхний гурван хавхлаг
Зүрхний гурван хавхлаг
 
pyewipe planting final
pyewipe planting finalpyewipe planting final
pyewipe planting final
 
Synergy Systems is....
Synergy Systems is....Synergy Systems is....
Synergy Systems is....
 
Gost 18937 73
 Gost 18937 73 Gost 18937 73
Gost 18937 73
 
Proposta grupo
Proposta grupoProposta grupo
Proposta grupo
 
CV Francois Ferreira
CV Francois FerreiraCV Francois Ferreira
CV Francois Ferreira
 
Gost 30478 96
 Gost 30478 96 Gost 30478 96
Gost 30478 96
 
Tema 5 Esquema
Tema 5 EsquemaTema 5 Esquema
Tema 5 Esquema
 
15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk
15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk
15 00 bis 15 30 seoul digitalisierung des werbemarktes im hörfunk
 
Duas novas vacinas combinadas, a pentavalente e a heptavalente, estão em prep...
Duas novas vacinas combinadas, a pentavalente e a heptavalente, estão em prep...Duas novas vacinas combinadas, a pentavalente e a heptavalente, estão em prep...
Duas novas vacinas combinadas, a pentavalente e a heptavalente, estão em prep...
 
Día Internacional de la Danza 2012
Día Internacional de la Danza 2012Día Internacional de la Danza 2012
Día Internacional de la Danza 2012
 
Mi vida en la escuela secundaria
Mi vida en la escuela secundariaMi vida en la escuela secundaria
Mi vida en la escuela secundaria
 
Trabalho priscila biomas tundra
Trabalho priscila  biomas tundraTrabalho priscila  biomas tundra
Trabalho priscila biomas tundra
 

Semelhante a A fábula do tigre (indiana) (9)

Recontando em português as fábulas de la fontaine
Recontando em português as fábulas de la fontaineRecontando em português as fábulas de la fontaine
Recontando em português as fábulas de la fontaine
 
Lendas da Amazônia: Cobra Grande e Uirapuru
Lendas da Amazônia: Cobra Grande e UirapuruLendas da Amazônia: Cobra Grande e Uirapuru
Lendas da Amazônia: Cobra Grande e Uirapuru
 
Projeto Amazônia
Projeto AmazôniaProjeto Amazônia
Projeto Amazônia
 
Fábulas - Alunos do 5º ano GECPS
Fábulas - Alunos do 5º ano GECPSFábulas - Alunos do 5º ano GECPS
Fábulas - Alunos do 5º ano GECPS
 
Aprendendo
 Aprendendo Aprendendo
Aprendendo
 
FáBulas
FáBulasFáBulas
FáBulas
 
Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio
Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaioLivro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio
Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio
 
Livro fábulas
Livro fábulasLivro fábulas
Livro fábulas
 
O passarinho de sariã
O passarinho de sariãO passarinho de sariã
O passarinho de sariã
 

Mais de Citnes Nimbus

Tirinhas com piadas de louras
Tirinhas com piadas de lourasTirinhas com piadas de louras
Tirinhas com piadas de louras
Citnes Nimbus
 
O presente de insultos
O presente de insultosO presente de insultos
O presente de insultos
Citnes Nimbus
 
O guardião do mosteiro
O guardião do mosteiroO guardião do mosteiro
O guardião do mosteiro
Citnes Nimbus
 
O guardião do castelo
O guardião do casteloO guardião do castelo
O guardião do castelo
Citnes Nimbus
 
Medo do desconhecido
Medo do desconhecidoMedo do desconhecido
Medo do desconhecido
Citnes Nimbus
 
Lenda hindu sobre a criação da mulher
Lenda hindu sobre a criação da mulherLenda hindu sobre a criação da mulher
Lenda hindu sobre a criação da mulher
Citnes Nimbus
 
Fátima, a fiandeira
Fátima, a fiandeiraFátima, a fiandeira
Fátima, a fiandeira
Citnes Nimbus
 
Almas grandes (hindu)
Almas grandes (hindu)Almas grandes (hindu)
Almas grandes (hindu)
Citnes Nimbus
 
A oração que deus entendia (conto russo)
A oração que deus entendia (conto russo)A oração que deus entendia (conto russo)
A oração que deus entendia (conto russo)
Citnes Nimbus
 
A verdadeira alquimia
A verdadeira alquimiaA verdadeira alquimia
A verdadeira alquimia
Citnes Nimbus
 
O samurai e o mestre zen
O samurai e o mestre zenO samurai e o mestre zen
O samurai e o mestre zen
Citnes Nimbus
 

Mais de Citnes Nimbus (19)

Um conto zen
Um conto zenUm conto zen
Um conto zen
 
Coleção de piadas
Coleção de piadasColeção de piadas
Coleção de piadas
 
Tirinhas com piadas de louras
Tirinhas com piadas de lourasTirinhas com piadas de louras
Tirinhas com piadas de louras
 
O rabino
O rabinoO rabino
O rabino
 
O presente de insultos
O presente de insultosO presente de insultos
O presente de insultos
 
O julgamento
O julgamentoO julgamento
O julgamento
 
O jardim de valhala
O jardim de valhalaO jardim de valhala
O jardim de valhala
 
O guardião do mosteiro
O guardião do mosteiroO guardião do mosteiro
O guardião do mosteiro
 
O guardião do castelo
O guardião do casteloO guardião do castelo
O guardião do castelo
 
O enigma
O enigmaO enigma
O enigma
 
O anel
O anelO anel
O anel
 
Medo do desconhecido
Medo do desconhecidoMedo do desconhecido
Medo do desconhecido
 
Lenda hindu sobre a criação da mulher
Lenda hindu sobre a criação da mulherLenda hindu sobre a criação da mulher
Lenda hindu sobre a criação da mulher
 
Fátima, a fiandeira
Fátima, a fiandeiraFátima, a fiandeira
Fátima, a fiandeira
 
Almas grandes (hindu)
Almas grandes (hindu)Almas grandes (hindu)
Almas grandes (hindu)
 
A oração que deus entendia (conto russo)
A oração que deus entendia (conto russo)A oração que deus entendia (conto russo)
A oração que deus entendia (conto russo)
 
A verdadeira alquimia
A verdadeira alquimiaA verdadeira alquimia
A verdadeira alquimia
 
A colher e o oceano
A colher e o oceanoA colher e o oceano
A colher e o oceano
 
O samurai e o mestre zen
O samurai e o mestre zenO samurai e o mestre zen
O samurai e o mestre zen
 

A fábula do tigre (indiana)

  • 1. A fábula do Tigre (relatada por Zimmer em Filosofias da Índia, a partir de The Gospel of Sri Ramakrishna) Um filhote de tigre fora criado entre cabras. Prenhe e balofa, sua mãe passara vários dias à procura de uma presa sem nada conseguir, até que deparou com um rebanho de cabras selvagens. Estava faminta, o que explica a violência de sua investida. O esforço do ataque precipitou o parto e ela acabou morrendo de esgotamento. As cabras, que haviam se dispersado, retornaram ao lugar e lá encontraram um filhote de tigre choramingando ao lado de sua mãe. Levadas pela compaixão maternal adotaram a débil criatura; amamentaram-na junto com suas próprias crias e dela cuidaram ternamente. O animal cresceu e sobreveio a recompensa pelos cuidados dispensados, pois o pequeno companheiro aprendeu a linguagem das cabras, adaptou sua voz àquele som suave e mostrou tanto afeto quanto qualquer cabrito. A princípio teve alguma dificuldade para mastigar com seus dentes pontiagudos as tenras folhas do pasto, mas logo se acostumou. A dieta vegetariana o mantinha enfraquecido, conferindo ao seu temperamento uma notável doçura. Certa noite - quando o órfão, crescido entre as cabras, já havia alcançado a idade da razão - o rebanho foi atacado, desta vez por um velho e feroz tigre. As cabras se dispersaram, porém o jovem permaneceu onde estava, sem medo ainda que surpreso. Achando-se face a face com a terrível criatura da selva, fitou-o estupefato. Passado o primeiro impacto, começa a tomar consciência de si. Desamparado, berra, arranca folhas de pasto e se põe a mastigar, ante o olhar perplexo do outro. De repente, o poderoso intruso pergunta: _ Que fazes aqui entre as cabras?! Que estás mastigando?! A resposta foi um berro. O outro, indignado, disse num rugido: _ Por que emites este som estúpido?! E antes que o pequeno pudesse responder, apanhou-o pelo cangote e o sacudiu como se quisesse fazê-lo recobrar a lucidez. O tigre da selva carregou o assustado animal até um lago próximo, soltando-o na margem e obrigando-o a olhar para a superfície espelhada da água, então iluminada pela lua. _ Vê estas duas imagens! Não são semelhantes? Tens a cara típica de um tigre, é como a minha. Por que te iludes pensando seres um cabrito? Por que berras? Por que mastigas pasto?! O tigrezinho, incapaz de responder, continuava a olhar espantado comparando as duas imagens refletidas. Inquieto, apoiou-se numa e logo noutra pata, e lançou um grito de aflitiva incerteza. A velha fera novamente o carregou porém agora até seu covil, onde lhe ofereceu um pedaço de carne crua e sangrenta, sobra de uma refeição anterior. Ante a inusitada visão, o jovem tremeu de repugnância mas o velho, ignorando o fraco gesto de protesto, ordenou rudemente: _ Come! Engole!
  • 2. O outro resistiu, porém a horripilante carne foi forçada a passar entre seus dentes; o tigre vigiava atentamente seu aprendiz que tentava mastigar e preparava-se para engolir. Sua não-familiaridade com a consistência da carne causava-lhe certa dificuldade, e estava prestes a emitir outro débil berro quando começou a experimentar o gosto do sangue. Excitado, devorou o restante com avidez, sentindo um prazer incomum à medida que o novo alimento descia-lhe pela garganta e atingia o estômago. Uma força estranha e quente irradiava de suas entranhas trazendo-lhe uma sensação eufórica e embriagadora. Estalou a língua, lambeu o focinho satisfeito e, erguendo-se, deu um largo bocejo como se estivesse despertando de uma longa noite de sono - uma noite que o manteve sob feitiço por anos e anos. Espreguiçando-se, arqueou as costas, estendeu e abriu as garras. Sua cauda fustigava o solo e, de súbito, irrompeu de sua garganta o triunfal e aterrorizente rugido de um tigre. O inflexível mestre, que estivera observando de perto, sentia-se recompensado. A transformação, de fato, acontecera. Ao cessar o rugido, perguntou severamente: _ Agora sabes quem realmente és? E para completar a iniciação de seu jovem discípulo no saber secreto de sua própria e verdadeira natureza, acrescentou: _ Vem! Vamos caçar juntos pela selva.