Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada

482 visualizações

Publicada em

Estudo do Evangelho à Luz da Doutrina Espírita

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
482
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada

  1. 1. Lucas XI – 24 a 26 Ou Mateus XII- 43 a 45
  2. 2. Quando o espírito imundo, tendo saído do homem, anda por lugares secos, buscando repouso; e, não o achando, diz: Tornarei para minha casa, de onde saí. E, chegando, acha-a varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o último estado desse homem é pior do que o primeiro.
  3. 3. “Os espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações?” L E 459 R : “A esse respeito sua influência é maior do que credes, porque, frequentemente, são eles que vos dirigem".
  4. 4. "A obsessão é a ação persistente que um mau Espírito causa sobre Obsessão doença moral um indivíduo" O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap.28, item 81.
  5. 5. Livro dos Médiuns Das obsessões cap. XXIII  Obsessão simples  Espírito_inferior incomoda o indivíduo, mas não domina em profundidade seu psiquismo. Comum em quase todas as criaturas.  desconfianças,  estados de insegurança pessoal,  enfermidades de pequena monta,  insucessos em torno do obsidiado provocan do angústias.
  6. 6. Livro dos Médiuns Das obsessões cap XXIII  Fascinação  Tem consequências mais graves por se tratar de uma ilusão criada diretamente pelo Espírito no pensamento chegando a “paralisar” a sua capacidade de discernimento. Subjugação  Etapa grave no curso das obsessões, caracterizada pela perda do discernimento e da emoção. O estágio da subjugação representa o clímax do processo que o adversário desencarnado impõe à sua vítima, em torpe tentativa de aniquilar-lhe a existência física.
  7. 7. 1-Quando o espírito imundo  Adjetivo encontrado na época para designar aqueles que viviam mentalmente nas trevas e nas zonas sombrias, que acolhem os que escolhem viver afastados das boas atitudes, sentindo a necessidade de se alimentarem do fluido animal que exala dos encarnados com as mesmas vibrações psíquicas.
  8. 8. 2-tendo saído do homem  Afastado da criatura encarnada, através da oração e do passe.
  9. 9. 3-anda por lugares secos, buscando repouso; e, não o achando  fica à mercê, percorrendo terrenos espirituais aos quais não identificam com ele, por isto o versículo descreve como terreno seco, por se tratar de infrutífero, ou desagradável, sem o conforto ideal, para tal entidade.
  10. 10. 4-diz: Tornarei para minha casa, de onde saí.  importante que se tenha consciência que os maus espíritos não nos chegam de chofre. De nossa parte houve o interesse, dando oportunidade de retorno ao ser que o abrigou surge (lembrando que não é o espírito que decide sozinho, mas o encarnado que facilita). Através das atitudes mentais que ele já havia superado volta para as proximidades da criatura de quem foi afastado.
  11. 11. 5-E, chegando, acha-a varrida e adornada.  Ali chegando, notou com surpresa, que o antigo perseguido não havia se moralizado, não havia tomado nova diretriz e permanecia distanciado do Bem, deixando, como decorrência, a porta aberta para a volta do perseguidor
  12. 12. 6- Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o último  estado desse homem é pior do que o primeiro por já conhecer as facilidades da aproximação, convida outros da mesma estirpe ou ainda piores, para com ele retomar a antiga moradia, na qual lhe faz sentir o que deseja, pois ao retomá-la volta a se alimentar da forma anterior. Deste modo, outros tantos também terão a mesma facilidade pois, desta vez já tem um guia lhes sugerindo a forma da abordagem e do domínio. Este, por sua vez, não contentou em voltar sozinho; foi e arranjou sete espíritos piores do que ele. Sob a influência dessa legião do mal, o estado do antigo perseguido se agravou, tornando-se muito pior do que antes.
  13. 13. Se o antigo perseguido decide-se a persistir na senda do erro, mergulhando-se na imoralidade, estará abrindo de par em par, as portas para a volta do obsessor, que retorna com fúria desdobrada, trazendo em sua companhia outros espíritos inferiores que passam a formar uma "legião", cuja ação nefasta faz com que a situação do obsediado se torne muito pior do que antes.
  14. 14. A casa a que se refere Jesus é a mente humana, habitada por nossos pensamentos.  A estrutura, organização e disposição dependem do morador ---- a vontade.
  15. 15. Por que Espíritos desajustados nos envolvem e influenciam facilmente? Está desocupada ---- vazia de ideais superiores, de motivação existencial. Está varrida e adornada ---- atraente para os invasores, receptiva às suas sugestões.
  16. 16. Casa limpa e adornada Significa que a pessoa só mostra-se exteriormente modificada. Espiritualmente, continua com os mesmos desejos e imperfeições, desocupada de ideias úteis e fraternas. Pior, não se esforça em nada para melhorar-se. É o que acontece com muitos que só buscam a Deus no momento do sofrimento.
  17. 17. A Gênese  Obsessões item 46  Nos casos de obsessão grave, o obsidiado fica como que envolto e impregnado de um fluido pernicioso, que neutraliza a ação dos fluidos salutares e os repele..."
  18. 18. Gênese cap. 14 item 18 )  Qualidade dos fluidos "Sendo o perispírito dos encarnados de natureza idêntica à dos fluidos espirituais, ele os assimila com facilidade, como uma esponja se embebe de um líquido. Esses fluidos exercem sobre o perispírito uma ação tanto mais direta quando, por sua extensão e irradiação, o perispírito com eles se confunde. Atuando esses fluidos sobre o perispírito, este, a seu turno, reage sobre o organismo material com quem se acha em contato molecular. Se os eflúvios são de boa natureza, o corpo ressente uma impressão salutar; se são maus, a impressão é penosa. Se os eflúvios maus são permanentes e enérgicos, podem ocasionar desordens físicas; não é outra a causa de certas enfermidades".
  19. 19. O que fazer?  Passes  Àgua Fluidificada  Leitura de bom nível  Assistir a palestras  Prece
  20. 20. Na questão 469, de ‘‘O Livro dos Espíritos’’, Kardec pergunta: Porque meio podemos neutralizar a influência dos maus Espíritos? ---- Praticando o bem e pondo em Deus toda a vossa confiança repelireis a influencia dos Espíritos inferiores e aniquilareis o império que desejam ter sobre vós. Guardai-vos de atender às sugestões dos Espíritos que vos suscitam maus pensamentos, que sopram a discórdia entre vós outros e que vos insuflam as paixões más.
  21. 21. Que tipo de pensamentos recebemos em nossa casa mental?  Talvez seja preciso despejar hóspedes indesejáveis e convidar outros mais recomendáveis, em favor de nossa paz. Assim sendo, se desejamos retomar o caminho na direção do bem torna se imprescindível, modificar nossa casa mental para que tais hóspedes deixem de ser nossos inquilinos. .
  22. 22. 467 - Podemos nos libertar da influência dos Espíritos que nos solicitam para o mal? R.: Sim, porque eles só se ligam às pessoas que os solicitam por seus desejos e os atraem por seus pensamentos“ (O Livro dos Espíritos).
  23. 23. Você cuida bem da sua casa?  Uma casa escura ---- morador deprimido. Uma casa abafada ---- morador pessimista. Uma casa em desordem ---- morador confuso. Uma casa iluminada ---- morador feliz. Uma casa arejada ---- morador animado. Uma casa bem arrumada ---- morador organizado

×