Documento 1

203 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Documento 1

  1. 1. Recapitulação oral da escola do ministério teocratico29.08.20121. A apostasia é espiritualmente nociva. “Pela boca é que o apóstata arruína seupróximo.” (Provérbios 11:9) Seremos sábios se rejeitarmos até mesmo a idéia dedar ouvidos aos apóstatas.A idolatria da cristandade foi prefigurada pelas coisas detestáveis que Ezequielobservou em visão. Por exemplo, ele disse: “Eis que havia do lado do norte doportão do altar este símbolo de ciúme na entrada! E [Jeová] prosseguiu, dizendo-me: ‘Filho do homem, estás vendo que grandes coisas detestáveis estão fazendo,as coisas que a casa de Israel está fazendo aqui para eu ficar longe do meusantuário?’” — Ezequiel 8:1-6.No pátio interno do templo, Ezequiel viu a seguir 25 israelitas apóstatas adorandoo Sol — em violação da ordem de Jeová contra tal idolatria. (Deuteronômio 4:15-19) Esses idólatras também ‘estendiam ao nariz de Deus um rebento obsceno’,que talvez representasse o órgão genital masculino. Não é de admirar que Deusnão respondesse às orações deles, assim como também a cristandade procuraráa ajuda de Deus na “grande tribulação”, mas em vão. (Mateus 24:21) Assim comoaqueles israelitas apóstatas adoravam o Sol, a fonte de luz, com as costas viradaspara o templo de Jeová, também a cristandade vira as costas para a luz de Deus,ensina doutrinas falsas, idolatra a sabedoria do mundo e fecha os olhos àimoralidade. — Ezequiel 8:15-18.2. Durante o sétimo século AEC, Jeremias e Ezequiel, profetas de Deus,transmitiram mensagens divinas de julgamento contra Jerusalém, devido aoproceder obstinado dela em desobediência a Deus. A destruição que predisseramocorreu em 607 AEC, embora os mensageiros de Deus tivessem sido refutadospor líderes religiosos destacados e influentes. Estes últimos mostraram ser‘profetas estúpidos que desencaminhavam o povo de Deus, dizendo: “Há paz!”quando não havia paz’. — Ezequiel 13:1-16; Jeremias 6:14, 15; 8:8-12.
  2. 2. Igual aos “profetas estúpidos” daquele tempo, a maioria dos líderes religiososatualmente também deixa de avisar o povo a respeito do vindouro dia dejulgamento da parte de Deus. Em vez disso, pintam um quadro otimista de quegrupos políticos por fim conseguirão paz e segurança. Estando mais ansiosos deagradar aos humanos do que a Deus, dizem aos seus paroquianos o que estesquerem ouvir, em vez de explicar que o Reino de Deus já está estabelecido e queo Rei messiânico em breve completará a sua conquista. (Daniel 2:44; 2 Timóteo4:3, 4; Revelação 6:2) Como falsos profetas, eles também falam de “paz, quandonão há paz”. Mas a convicção deles em breve se transformará em repentinohorror, quando se virem confrontados com o furor Daquele a quem difamaram esobre cujo nome lançaram indizíveis vitupérios. Os líderes do império mundial dareligião falsa, o qual é descrito na Bíblia como mulher imoral, ficarão sufocadospelos seus próprios desencaminhantes clamores de paz. — Revelação 18:7, 8.3. As duas águias representavam os governantes de Babilônia e do Egito. Aprimeira águia foi ao topo do cedro, isto é, ao governante que pertencia àlinhagem real de Davi. Essa águia arrancou o topo dos noveleiros, ou brotos, portrocar o Rei Joaquim, de Judá, por Zedequias. Apesar de ter feito um juramento delealdade, Zedequias buscou a ajuda da outra águia, o governante do Egito, massem sucesso. Ele teria de ser levado cativo e morrer em Babilônia.Jeová também arrancou “um tenro”, o Rei Messiânico. Esse foi transplantadosobre “um monte alto e elevado”, no monte Sião celestial, onde se tornará “umcedro majestoso”, uma fonte de verdadeiras bênçãos para a Terra. — Revelação(Apocalipse) 14:1.4. Se havemos de nos beneficiar do cumprimento de profecias messiânicas,contudo, precisamos manter uma boa relação com Jeová. Os co-exilados deEzequiel aparentemente achavam que tinham uma boa posição diante de Deus eculpavam seus antepassados por seus sofrimentos. Mas, o profeta destacou quecada pessoa é responsável pelas conseqüências de sua própria conduta.(Ezequiel 18:1-29; compare com Jeremias 31:28-30.) A seguir, um apelo. (LeiaEzequiel 18:30-32.) Sim, Jeová é misericordioso para com os arrependidos e não seagrada da morte de ninguém. Por conseguinte, Deus diz: ‘Recuai e continuaivivos.’ — Compare com 2 Pedro 3:9.
  3. 3. 5. Apesar de Nabucodonosor ter feito uso de adivinhação, foi Jeová que fez que ogovernante pagão marchasse contra Jerusalém. Isso mostra que nem mesmo osdemônios podem impedir que Jeová use seus agentes executores para cumprirseu propósito.6. Sob sítio, Jerusalém foi retratada como uma panela de boca larga. A ferrugemrepresentava a sujeira moral da cidade — impureza, conduta desenfreada ederramamento de sangue, pelos quais ela era responsável. Sua impureza era tãogrande que, mesmo colocando a panela vazia sobre brasas até ficar bem quente,não se conseguia remover a ferrugem.7. Por exemplo, Ezequiel profetizou que Tiro seria devastada, e isso se cumpriuem parte quando Nabucodonosor tomou a cidade depois de um sítio de 13 anos.(Eze. 26:2-21) Este conflito não significou o fim completo de Tiro. Contudo, ojulgamento de Jeová era que Tiro fosse totalmente destruída. Ele predissera porintermédio de Ezequiel: “Vou raspar dela o seu pó e fazer dela a lustrosasuperfície escalvada dum rochedo. . . . As tuas pedras, e o teu madeiramento, e oteu pó colocarão no próprio meio da água.” (26:4, 12)Tudo isto se cumpriu mais de 250 anos mais tarde, quando Alexandre Magnoinvestiu contra a cidade-ilha de Tiro. Os soldados de Alexandre recolheram todosos entulhos da cidade continental reduzida a ruínas e os lançaram no mar,construindo assim um caminho de acesso à cidade-ilha, de 800 metros. Daí,mediante uma intricada operação de cerco, escalaram as muralhas de 46 metrosde altura para tomar a cidade, em 332 AEC. Milhares foram mortos e muitos foramvendidos como escravos. Segundo Ezequiel também predissera, Tiro se tornou a‘superfície escalvada dum rochedo e um enxugadouro de redes de arrasto’.(26:14)8. Jeová inspirou seu profeta Ezequiel a expor e condenar a dinastia dos reis deTiro. Na mensagem ao “rei de Tiro” há expressões que valem tanto para a dinastiade Tiro como para o traidor original, Satanás, que “não permaneceu firme naverdade”. (Ezequiel 28:12; João 8:44) Houve tempo em que Satanás era uma lealcriatura espiritual na organização de Jeová composta de filhos celestiais. Por meiode Ezequiel, Jeová indicou a causa básica da rebelião tanto da dinastia de Tirocomo de Satanás:
  4. 4. (Ezequiel 28:13-17) Portanto, a soberba induziu os reis de Tiro à violência contrao povo de Jeová. Como centro comercial, Tiro tornou-se muito rico e famoso porseus belos produtos. (Isaías 23:8, 9) Os reis de Tiro tornaram-se arrogantes epassaram a oprimir o povo de Deus. De modo similar, a criatura espiritual que se tornou Satanás tinha antes asabedoria necessária para cumprir qualquer tarefa que Deus lhe confiasse. Mas,em vez de ser grato, ficou ‘enfunado de orgulho’ e passou a desprezar o modo deDeus governar. (1 Timóteo 3:6) Satanás julgava-se tão importante que começou aquerer ser adorado por Adão e Eva. Esse mau desejo ‘tornou-se fértil e deu à luz opecado’. (Tiago 1:14, 15) Satanás seduziu Eva a comer do fruto da única árvoreda qual Deus havia proibido de comer. Depois, Satanás usou Eva para induzirAdão a comer do fruto proibido. (Gênesis 3:1-6) Com isso, o primeiro casalhumano rejeitou o direito de Deus de governá-los e, com efeito, tornaram-seadoradores de Satanás, cuja soberba é sem limites. Ele tem tentado seduzir todasas criaturas inteligentes no céu e na Terra, incluindo Jesus Cristo, a adorá-lo,rejeitando assim a soberania de Jeová. — Mateus 4:8-10; Revelação (Apocalipse)12:3, 4, 9. O primeiro pecador e o rei de Tiro. O pecado e a imperfeição humanos,naturalmente, foram precedidos pelo pecado e pela imperfeição no domínio espiritual, conformerevelam as palavras de Jesus em João 8:44 e o relato no capítulo 3 de Gênesis. A endecharegistrada em Ezequiel 28:12-19, embora dirigida ao humano “rei de Tiro”, evidentemente equipara-seao proceder adotado por aquele filho espiritual de Deus que pecou primeiro. O orgulho do “rei deTiro”, ao constituir-se em ‘deus’, ser ele chamado de “querubim”, e a referência a “Éden, jardim deDeus”, certamente correspondem às informações bíblicas sobre Satanás, o Diabo, que se enfunou deorgulho, é ligado à serpente no Éden e é chamado de “o deus deste sistema de coisas”. — 1Ti 3:6; Gên3:1-5, 14, 15; Re 12:9; 2Co 4:4.O anônimo rei de Tiro, morando na cidade que afirmava ser “perfeita em lindeza”, era ele mesmo“cheio de sabedoria e perfeito [adjetivo aparentado com o hebr. ka·lál] em beleza”, e “sem defeito[hebr.: ta·mím]” nos seus caminhos, desde a sua criação até que se achou nele injustiça. (Ez 27:3;28k:12, 15) A primeira ou direta aplicação da endecha em Ezequiel talvez seja à linhagem degovernantes tírios, em vez de a um rei específico. (Veja a profecia dirigida contra o anônimo “rei deBabilônia” em Is 14:4-20.) Neste caso, talvez se refira a um anterior proceder de amizade e decooperação adotado pela governança tíria durante os reinados dos reis Davi e Salomão, quando Tiroaté mesmo contribuiu para a construção do templo de Jeová no monte Moriá. De início, portanto,não se achava falta na atitude tíria, oficial, para com Israel, o povo de Jeová. (1Rs 5:1-18; 9:10, 11, 14;2Cr 2:3-16) Reis posteriores, porém, afastaram-se deste proceder “sem defeito”, e Tiro foi condenadapelos profetas de Deus, Joel e Amós, bem como por Ezequiel. (Jl 3:4-8; Am 1:9, 10) Além daevidente similaridade entre o proceder do “rei de Tiro” e o do principal Adversário de Deus, a
  5. 5. profecia ilustra de novo como as expressões “perfeição” e “sem defeito” podem ser usadas em sentidoslimitados.9. Depois da destruição de Jerusalém em 607 AEC, o restante de Judá fugiu parao Egito apesar dos avisos do profeta Jeremias. (Jeremias 24:1, 8-10; 42:7-22) Issonão os livrou dos babilônios, pois Nabucodonosor atacou e conquistou o Egito.Pode ser que o período de 40 anos de desolação do Egito tenha acontecido emseguida. Embora registros históricos fora da Bíblia não forneçam nenhum indíciodessa desolação, podemos confiar que ela aconteceu, pois Jeová é o Cumpridorde profecias. — Isaías 55:11.10. Ezequiel deu também bom exemplo por ser obediente e não se deixardissuadir pela indiferença ou zombaria. Similarmente, mantendo-nos em dia com odesenvolvimento da língua pura, estaremos sintonizados com o rumo que toma orégio Condutor do Carro. Estaremos assim preparados para atender às suasordens, fortalecidos para sermos imperturbáveis diante da indiferença ou dazombaria da parte dos a quem falamos a mensagem de julgamento de Jeová.Como no caso de Ezequiel, Deus nos preveniu de que alguns se oporiamativamente, sendo duros de cabeça e de coração. Outros não ouviriam por nãodesejarem escutar a Jeová. (Ezequiel 3:7-9) Ainda outros seriam hipócritas, comoEzequiel 33:31, 32 declara: “Eles entrarão chegando a ti, como a entrada do povo,e se assentarão diante de ti como o meu povo; e certamente ouvirão as tuaspalavras , mas não as porão em prática, porque com a sua boca expressamdesejos sensuais e seu coração vai atrás de seu lucro injusto. E eis que tu és paraeles como uma canção de amores sensuais, como alguém com voz bonita e quetoca bem um instrumento de cordas. E certamente ouvirão as tuas palavras, masnão há quem as ponha em prática.”Qual seria o desfecho? O versículo 33 acrescenta: “E quando isso se cumprir —eis que tem de se cumprir — então terão de saber que foi um profeta que veio aestar no meio deles.” Estas palavras revelam que Ezequiel não desistiu por faltade boa receptividade. A apatia de outros não o tornou apático. Quer as pessoasouvissem, quer não, ele obedeceu a Deus e cumpriu a sua missão.

×