SlideShare uma empresa Scribd logo

Plano de aula

plano de aula

1 de 4
Baixar para ler offline
1
Atividade Orientada
Analisar o plano de aula a partir das seguintes questões:
• Os conteúdos selecionados vão ao encontro dos objetivos
propostos?
• A metodologiaconverge com o objetivado?
• Os recursos selecionadoscontribuem para o alcance dos
objetivos?
• O que você achou da quantidade de aulas destinadas a este
trabalho?
Fazer os registros no próprio caderno.
Plano de Aula
Estudo e produção de texto combase no gênero 'causo'
Fonte: Nova Escola
Disponível em : http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/estudo-e-producao-de-
texto-com-base-no-genero-causo
Objetivo(s)
 Estudar o gênero causo e suas características;
 Diferenciar a linguagem oral da escrita, reconhecendo o valor de ambas;
 Aprender a passar causo do oral para o escrito, conservando suas características.
Conteúdo(s)
 Retextualização.
 Gênero causo.
Ano(s)
4º
5º
Tempo estimado
20 aulas.
Material necessário
2
Cartolinas, livro Alexandre e Outros Heróis (Graciliano Ramos, 206 págs., Ed. Record, tel. 21/2585-
2000, 23,90 reais), computador com acesso à internet e gravador.
Desenvolvimento
1ª etapa
Pergunte aos alunos se eles já ouviram algum causo, conhecem pessoas que contam causos e
compartilhe a informação de que esse será o gênero estudado a partir de agora. Explique que se trata
de uma forma particular de contar histórias típicas do interior, que não são, necessariamente
verdadeiras. Se alguma criança se lembrar de algum causo, peça que conte aos colegas.
2ª etapa
Convide a turma para assistir um causo O Lenhador - contado por Rolando Boldrin. Disponível em
http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/estudo-e-producao-de-texto-com-base-no-genero-
causo. Discuta de que se trata o causo, como é a linguagem usada pelo contador e como seria o
causo se ele fosse contado com a norma culta da língua. O sentido seria o mesmo? Despertaria risos
e gargalhadas da plateia, como as mostradas no vídeo?
3ª etapa
Apresente o livro Alexandre e Outros Heróis para a criançada. Explique que os causos ali
apresentados, parte do folclore nordestino, foram escritos por Graciliano Ramos, um importante
escritor brasileiro. Leia o primeiro capítulo do livro - Primeira Aventura de Alexandre - em voz alta
para a turma. É interessante que as crianças tenham o texto em mãos para acompanharem a leitura.
Ao término da leitura converse sobre a escrita do causo, comparando-a com o vídeo assistido.
Levante as seguintes questões:
 Podemos escrever um causo da mesma maneira que falamos?
 O que é necessário conhecer, antes de escrever um causo?
 Que características o texto lido tem que ajudam o leitor entender melhor a história?
 Quais recursos o autor usa para deixar o texto com características de um causo?
Registre as descobertas em um cartaz que possa ser consultado posteriormente.
4ª etapa
Apresente aos alunos o causo A Mulher do Boticário, contado por Rolando Boldrin. Explique às
crianças que a tarefa agora é, coletivamente, passar o causo do oral para o escrito e que esse processo
tem o nome de retextualização. Para isso, em primeiro lugar, é necessário ter o causo de Boldrin
transcrito na íntegra. Para que os alunos conheçam como é feito o processo de transcrição e as
características do material, transcreva os primeiros minutos do vídeo no quadro, destacando a
importância de ser fiel à fala do narrador e também de indicar as pausas (com reticências), os
3
marcadores de fala (como né, olha e daí) e a entonação (com pontos de exclamação e interrogação).
Peça que a turma transcreva um pequeno trecho seguinte para conhecer como se dá o processo.
Depois, distribua cópias da transcrição completa e exponha o mesmo texto no quadro.
5ª etapa
Para prosseguir com o processo de retextualização, ensine aos estudantes o que fazer com o material
transcrito. Primeiro, é necessário analisá-lo. Existem muitos termos informais e marcadores de fala?
Há vários termos repetidos? Quais? As conjugações verbais são adequadas aos sujeitos das orações?
Peça que as crianças identifiquem essas características fazendo marcações na transcrição utilizando
canetas coloridas.
6ª etapa
Agora é hora de a garotada tomar algumas decisões com base nas marcações anteriores para
retextualizar, de fato, o causo. Os termos repetidos serão eliminados ou eles são importantes para
manter as características do causo em questão? É preciso reordenar os parágrafos para que a
produção fique coerente? Quais marcas de oralidade devem ser mantidas? O causo será escrito com
o mesmo narrador utilizado pelo contador do causo?
7ª etapa
Com base na transcrição exibida no quadro, comece a reescrita do causo. Você será o escriba: peça
que os alunos orientem o que você deve fazer. Esclareça que nesse processo, é importante consultar
o texto transcrito e as marcas feitas constantemente, ler e reler o material que está sendo escrito, ir e
vir várias vezes, reescrever o que for necessário, inserir e retirar palavras para garantir qualidade ao
material. Encerrada a tarefa, leia o causo em voz alta e peça que a turma analise o resultado,
comparando-o com o causo do vídeo.
8ª etapa
Organize a classe em trios ou quartetos e selecione um causo para cada um. Explique que a tarefa é
retextualizar outros causos. Para selecionar o material a distribuir, você deve buscar outros causos na
internet, contados por Boldrin ou por outros contadores, como Almir Sater, que narra A
Lenda em https://www.youtube.com/watch?v=jNJJZXodjtU.
Antes de distribuir o material para os alunos, assista aos vídeos previamente para garantir que o
conteúdo é adequado à idade da turma. Providencie cópias da transcrição completa para que os trios
ou quartetos não percam tempo com essa etapa. Durante a retextualização, é importante circular pela
sala, fazendo algumas intervenções diretas e anotando os aspectos que deverão ser retomados.
Encerrada a análise da transcrição e iniciada a revisão, interrompa o trabalho e recolha as produções.
9ª etapa
4
Analise as produções dos trios ou quartetos e escolha uma delas que apresente os erros mais comuns
cometidos pelos alunos para apresentá-lo no quadro e promover uma discussão com toda a turma.
Converse sobre a importância dos sinais de pontuação, o tempo verbal, as marcas da oralidade, as
repetições de palavras (oriente para as substituições pronominais e lexicais) e também sobre as
marcas de oralidade mantidas.
10ª etapa
Devolva as produções dos trios ou quartetos com bilhetes, trecho a trecho, se necessário, para que os
estudantes voltem a trabalhar no material, a fim de melhorá-lo. Lembre-se de fazer anotações que
instiguem e direcionem a turma. Evite deixar marcações diretivas ou correções explícitas.
11ª etapa
A próxima etapa de revisão de cada causo não será feita por nenhum integrante do trio ou do
quarteto e sim por colegas de outros grupos. Esse distanciamento do texto (e a consequente
proximidade com o texto de outra pessoa) é valioso para que as crianças pensem sobre diferentes
formas de escrever, conheçam novos recursos, se deparem com outros problemas e tenham de
resolvê-los. Encerrada essa etapa, providencie a devolução do material para os grupos e peça que
eles finalizem a retextualização. Recolha os causos e analise o material.
Avaliação
Como tarefa de casa, peça que as crianças procurem entre os familiares e conhecidos, alguém que
conheça um bom causo para contar para a turma e que possa ir até à escola narrar a história. A tarefa
da classe será retextualizar o causo coletivamente. Oriente a turma a organizar a gravação do causo e
discuta com a sala a importância desse procedimento e os perigos de confiar a tarefa à memória.
Características importantes podem ser perdidos, tal como a variação na entonação da fala do
narrador e detalhes sobre o causo. Encerrada a apresentação do causo, oriente todo o processo de
retextualização. Para que a garotada não perca tempo com o processo de transcrição, lembre-se de
entregá-la pronta ao grupo.
Durante o processo de retextualização, observe a linguagem utilizada no texto, os aspectos
discutidos nas revisões, os avanços que os alunos tiveram na escrita, estruturação e pontuação.
Analise também como a turma se apropriou dos elementos típicos do gênero causo e se lançou mão
deles com pertinência.

Recomendados

Projeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreProjeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreheliane
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textualLuis Carlos Santos
 
Guia para estudo dos pronomes pessoais 4º ano
Guia para estudo dos pronomes pessoais 4º anoGuia para estudo dos pronomes pessoais 4º ano
Guia para estudo dos pronomes pessoais 4º anoPaulo Alves de Araujo
 
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondModelos de relatórios de alunos simone helen drumond
Modelos de relatórios de alunos simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Planejamento 4º ano
Planejamento 4º anoPlanejamento 4º ano
Planejamento 4º anosilvinha331
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelMary Alvarenga
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Descritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º AnoDescritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º AnoProf Barbosa
 
Trem bala de Ana Vilela - Análise e entendimento da música
Trem bala de Ana Vilela  - Análise e entendimento da músicaTrem bala de Ana Vilela  - Análise e entendimento da música
Trem bala de Ana Vilela - Análise e entendimento da músicaMary Alvarenga
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Val Valença
 
Plano de aula crônica
Plano de aula crônicaPlano de aula crônica
Plano de aula crônicaLucianaProf
 
Atividade para iniciar o texto descritivo
Atividade para iniciar o texto descritivoAtividade para iniciar o texto descritivo
Atividade para iniciar o texto descritivoCláudia Santos
 
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalPaulo Alves de Araujo
 
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosAtividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosMary Alvarenga
 
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoPlano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoSHEILA MONTEIRO
 
Proposta curricular para o 2º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 2º ano do ensino fundamentalProposta curricular para o 2º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 2º ano do ensino fundamentalRosemary Batista
 
Cruzadinha - Gênero do substantivo
Cruzadinha  - Gênero do substantivo Cruzadinha  - Gênero do substantivo
Cruzadinha - Gênero do substantivo Mary Alvarenga
 
Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem Isa ...
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Mary Alvarenga
 
Plano de aula 1º ano
Plano de aula 1º anoPlano de aula 1º ano
Plano de aula 1º anoMarione Haack
 
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docxPlanejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docxJosenito Silva Santana
 
Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.
Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.
Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.João Medeiros
 
Ciencias - O ciclo da água na natureza -
Ciencias - O ciclo da água na natureza -Ciencias - O ciclo da água na natureza -
Ciencias - O ciclo da água na natureza -Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Descritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º AnoDescritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º Ano
 
Trem bala de Ana Vilela - Análise e entendimento da música
Trem bala de Ana Vilela  - Análise e entendimento da músicaTrem bala de Ana Vilela  - Análise e entendimento da música
Trem bala de Ana Vilela - Análise e entendimento da música
 
Parlendas: O MACACO FOI À FEIRA E MACACA SOFIA
Parlendas: O MACACO FOI À FEIRA E MACACA SOFIAParlendas: O MACACO FOI À FEIRA E MACACA SOFIA
Parlendas: O MACACO FOI À FEIRA E MACACA SOFIA
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
 
Plano de aula crônica
Plano de aula crônicaPlano de aula crônica
Plano de aula crônica
 
PDF: Atividade de português: Questões sobre verbos de ligação – 8º ano – Pron...
PDF: Atividade de português: Questões sobre verbos de ligação – 8º ano – Pron...PDF: Atividade de português: Questões sobre verbos de ligação – 8º ano – Pron...
PDF: Atividade de português: Questões sobre verbos de ligação – 8º ano – Pron...
 
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostasGabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
Gabarito: Atividade de Português – conto de aventura – 6º ano – Com respostas
 
Atividade para iniciar o texto descritivo
Atividade para iniciar o texto descritivoAtividade para iniciar o texto descritivo
Atividade para iniciar o texto descritivo
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
 
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
 
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosAtividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
 
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoPlano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
 
Proposta curricular para o 2º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 2º ano do ensino fundamentalProposta curricular para o 2º ano do ensino fundamental
Proposta curricular para o 2º ano do ensino fundamental
 
Cruzadinha - Gênero do substantivo
Cruzadinha  - Gênero do substantivo Cruzadinha  - Gênero do substantivo
Cruzadinha - Gênero do substantivo
 
Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio
 
Plano de aula 1º ano
Plano de aula 1º anoPlano de aula 1º ano
Plano de aula 1º ano
 
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docxPlanejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
 
Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.
Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.
Atividades de Português: Uso dos Porquês - Numeral - Interjeição.
 
Ciencias - O ciclo da água na natureza -
Ciencias - O ciclo da água na natureza -Ciencias - O ciclo da água na natureza -
Ciencias - O ciclo da água na natureza -
 

Destaque

Livros essenciais da literatura brasileira
Livros essenciais da literatura brasileiraLivros essenciais da literatura brasileira
Livros essenciais da literatura brasileiraThalita Dias
 
Cronista: Fernando Sabino 9º ano C
Cronista: Fernando Sabino  9º ano CCronista: Fernando Sabino  9º ano C
Cronista: Fernando Sabino 9º ano Cjosealvesferreira
 
Biografia de Fernando Sabino
Biografia de Fernando SabinoBiografia de Fernando Sabino
Biografia de Fernando SabinoFernandabiiiia
 
A piscina Fernando Sabino
A piscina Fernando SabinoA piscina Fernando Sabino
A piscina Fernando SabinoRosemeire Silva
 
Caracterização 2 anos
Caracterização 2 anosCaracterização 2 anos
Caracterização 2 anoscatarina leal
 
Identidade e autonomia com brincantigas e histórias - Projeto maternal - 1º ...
Identidade e autonomia com brincantigas e histórias -  Projeto maternal - 1º ...Identidade e autonomia com brincantigas e histórias -  Projeto maternal - 1º ...
Identidade e autonomia com brincantigas e histórias - Projeto maternal - 1º ...Claudinéia Barbosa
 
Atividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anos
Atividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anosAtividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anos
Atividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anosArlete Laenzlinger
 

Destaque (9)

Livros essenciais da literatura brasileira
Livros essenciais da literatura brasileiraLivros essenciais da literatura brasileira
Livros essenciais da literatura brasileira
 
Infância
InfânciaInfância
Infância
 
Cronista: Fernando Sabino 9º ano C
Cronista: Fernando Sabino  9º ano CCronista: Fernando Sabino  9º ano C
Cronista: Fernando Sabino 9º ano C
 
Biografia de Fernando Sabino
Biografia de Fernando SabinoBiografia de Fernando Sabino
Biografia de Fernando Sabino
 
A piscina Fernando Sabino
A piscina Fernando SabinoA piscina Fernando Sabino
A piscina Fernando Sabino
 
Caracterização 2 anos
Caracterização 2 anosCaracterização 2 anos
Caracterização 2 anos
 
Identidade e autonomia com brincantigas e histórias - Projeto maternal - 1º ...
Identidade e autonomia com brincantigas e histórias -  Projeto maternal - 1º ...Identidade e autonomia com brincantigas e histórias -  Projeto maternal - 1º ...
Identidade e autonomia com brincantigas e histórias - Projeto maternal - 1º ...
 
Atividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anos
Atividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anosAtividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anos
Atividades lúdicas com crianças de 2 a 4 anos
 
Projeto Dengue
Projeto Dengue Projeto Dengue
Projeto Dengue
 

Semelhante a Plano de aula

OT Mediação e Linguagem - II Encontro 13mar
OT Mediação e Linguagem - II Encontro 13marOT Mediação e Linguagem - II Encontro 13mar
OT Mediação e Linguagem - II Encontro 13marClaudia Elisabete Silva
 
Reconto de histórias conhecidass
Reconto de histórias conhecidassReconto de histórias conhecidass
Reconto de histórias conhecidassCláudia Cacal
 
Situacao aprendizagem
Situacao aprendizagemSituacao aprendizagem
Situacao aprendizagematletadafe
 
Atividades de leitura com parlendas e trava
Atividades de leitura com parlendas e travaAtividades de leitura com parlendas e trava
Atividades de leitura com parlendas e travaDebora Iarossi
 
Ortografia para o 3º bimestre 2012
Ortografia para o 3º bimestre 2012Ortografia para o 3º bimestre 2012
Ortografia para o 3º bimestre 2012Nana Alves
 
Slide1 modulo3
Slide1 modulo3Slide1 modulo3
Slide1 modulo3folilim
 
Atividade de trava lingua
Atividade de trava linguaAtividade de trava lingua
Atividade de trava linguaGi Olli
 
Ensinando a ler com compreensão nas aulas de História
Ensinando a ler com compreensão nas aulas de HistóriaEnsinando a ler com compreensão nas aulas de História
Ensinando a ler com compreensão nas aulas de HistóriaJana Bento
 
Sa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valqSa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valqMurilo Lopes
 
Sa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valqSa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valqMurilo Lopes
 
Situação de aprendizagem texto avestruz
Situação de aprendizagem texto   avestruzSituação de aprendizagem texto   avestruz
Situação de aprendizagem texto avestruzSUELI_MITIE
 
A sequência didática
A sequência didáticaA sequência didática
A sequência didáticaIara Araujo
 
Plano de aula de educação fundamental
Plano de aula de educação fundamentalPlano de aula de educação fundamental
Plano de aula de educação fundamentalMargareteOliveira
 
Projeto Medoliques
Projeto MedoliquesProjeto Medoliques
Projeto MedoliquesAurea Vieira
 

Semelhante a Plano de aula (20)

Reescrita de fabula
Reescrita de fabulaReescrita de fabula
Reescrita de fabula
 
OT Mediação e Linguagem - II Encontro 13mar
OT Mediação e Linguagem - II Encontro 13marOT Mediação e Linguagem - II Encontro 13mar
OT Mediação e Linguagem - II Encontro 13mar
 
Reconto de histórias conhecidass
Reconto de histórias conhecidassReconto de histórias conhecidass
Reconto de histórias conhecidass
 
Situacao aprendizagem
Situacao aprendizagemSituacao aprendizagem
Situacao aprendizagem
 
Situaodeaprendizagemtexto avestruz-
Situaodeaprendizagemtexto avestruz-Situaodeaprendizagemtexto avestruz-
Situaodeaprendizagemtexto avestruz-
 
Atividades de leitura com parlendas e trava
Atividades de leitura com parlendas e travaAtividades de leitura com parlendas e trava
Atividades de leitura com parlendas e trava
 
Ortografia para o 3º bimestre 2012
Ortografia para o 3º bimestre 2012Ortografia para o 3º bimestre 2012
Ortografia para o 3º bimestre 2012
 
Slide1 modulo3
Slide1 modulo3Slide1 modulo3
Slide1 modulo3
 
Atividade de trava lingua
Atividade de trava linguaAtividade de trava lingua
Atividade de trava lingua
 
Ensinando a ler com compreensão nas aulas de História
Ensinando a ler com compreensão nas aulas de HistóriaEnsinando a ler com compreensão nas aulas de História
Ensinando a ler com compreensão nas aulas de História
 
Plano de aula pronto
Plano de aula prontoPlano de aula pronto
Plano de aula pronto
 
Sa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valqSa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valq
 
Sa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valqSa curso presencial melhorada 3 valq
Sa curso presencial melhorada 3 valq
 
Situação de aprendizagem texto avestruz
Situação de aprendizagem texto   avestruzSituação de aprendizagem texto   avestruz
Situação de aprendizagem texto avestruz
 
Upgrade 1 curso regular
Upgrade 1 curso regularUpgrade 1 curso regular
Upgrade 1 curso regular
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Oficina alfabetizacao
Oficina alfabetizacaoOficina alfabetizacao
Oficina alfabetizacao
 
A sequência didática
A sequência didáticaA sequência didática
A sequência didática
 
Plano de aula de educação fundamental
Plano de aula de educação fundamentalPlano de aula de educação fundamental
Plano de aula de educação fundamental
 
Projeto Medoliques
Projeto MedoliquesProjeto Medoliques
Projeto Medoliques
 

Mais de Naysa Taboada

1º encontro apresentação
1º encontro   apresentação1º encontro   apresentação
1º encontro apresentaçãoNaysa Taboada
 
1º encontro apresentação 28-11-17
1º encontro   apresentação 28-11-171º encontro   apresentação 28-11-17
1º encontro apresentação 28-11-17Naysa Taboada
 
Simulado tema específico
Simulado tema específicoSimulado tema específico
Simulado tema específicoNaysa Taboada
 
Alfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiAlfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiNaysa Taboada
 
Alfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgAlfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgNaysa Taboada
 
Alfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiAlfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiNaysa Taboada
 
Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Naysa Taboada
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadorasNaysa Taboada
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosNaysa Taboada
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosNaysa Taboada
 
Alinhamento 1 ao 5 ano
Alinhamento   1 ao 5 anoAlinhamento   1 ao 5 ano
Alinhamento 1 ao 5 anoNaysa Taboada
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoNaysa Taboada
 
Abrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machadoAbrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machadoNaysa Taboada
 

Mais de Naysa Taboada (20)

Fc
FcFc
Fc
 
1º encontro apresentação
1º encontro   apresentação1º encontro   apresentação
1º encontro apresentação
 
1º encontro apresentação 28-11-17
1º encontro   apresentação 28-11-171º encontro   apresentação 28-11-17
1º encontro apresentação 28-11-17
 
Simulado tema específico
Simulado tema específicoSimulado tema específico
Simulado tema específico
 
Alfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiAlfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadotti
 
Alfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgAlfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptg
 
Alfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiAlfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadotti
 
Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?
 
Associacionismo
AssociacionismoAssociacionismo
Associacionismo
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadoras
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
 
24 de novembro
24 de novembro24 de novembro
24 de novembro
 
Alinhamento 1 ao 5 ano
Alinhamento   1 ao 5 anoAlinhamento   1 ao 5 ano
Alinhamento 1 ao 5 ano
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensino
 
Pnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembroPnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembro
 
Pnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubroPnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubro
 
Pnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubroPnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubro
 
Pnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontroPnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontro
 
Abrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machadoAbrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machado
 

Último

1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 

Último (20)

1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 

Plano de aula

  • 1. 1 Atividade Orientada Analisar o plano de aula a partir das seguintes questões: • Os conteúdos selecionados vão ao encontro dos objetivos propostos? • A metodologiaconverge com o objetivado? • Os recursos selecionadoscontribuem para o alcance dos objetivos? • O que você achou da quantidade de aulas destinadas a este trabalho? Fazer os registros no próprio caderno. Plano de Aula Estudo e produção de texto combase no gênero 'causo' Fonte: Nova Escola Disponível em : http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/estudo-e-producao-de- texto-com-base-no-genero-causo Objetivo(s)  Estudar o gênero causo e suas características;  Diferenciar a linguagem oral da escrita, reconhecendo o valor de ambas;  Aprender a passar causo do oral para o escrito, conservando suas características. Conteúdo(s)  Retextualização.  Gênero causo. Ano(s) 4º 5º Tempo estimado 20 aulas. Material necessário
  • 2. 2 Cartolinas, livro Alexandre e Outros Heróis (Graciliano Ramos, 206 págs., Ed. Record, tel. 21/2585- 2000, 23,90 reais), computador com acesso à internet e gravador. Desenvolvimento 1ª etapa Pergunte aos alunos se eles já ouviram algum causo, conhecem pessoas que contam causos e compartilhe a informação de que esse será o gênero estudado a partir de agora. Explique que se trata de uma forma particular de contar histórias típicas do interior, que não são, necessariamente verdadeiras. Se alguma criança se lembrar de algum causo, peça que conte aos colegas. 2ª etapa Convide a turma para assistir um causo O Lenhador - contado por Rolando Boldrin. Disponível em http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/estudo-e-producao-de-texto-com-base-no-genero- causo. Discuta de que se trata o causo, como é a linguagem usada pelo contador e como seria o causo se ele fosse contado com a norma culta da língua. O sentido seria o mesmo? Despertaria risos e gargalhadas da plateia, como as mostradas no vídeo? 3ª etapa Apresente o livro Alexandre e Outros Heróis para a criançada. Explique que os causos ali apresentados, parte do folclore nordestino, foram escritos por Graciliano Ramos, um importante escritor brasileiro. Leia o primeiro capítulo do livro - Primeira Aventura de Alexandre - em voz alta para a turma. É interessante que as crianças tenham o texto em mãos para acompanharem a leitura. Ao término da leitura converse sobre a escrita do causo, comparando-a com o vídeo assistido. Levante as seguintes questões:  Podemos escrever um causo da mesma maneira que falamos?  O que é necessário conhecer, antes de escrever um causo?  Que características o texto lido tem que ajudam o leitor entender melhor a história?  Quais recursos o autor usa para deixar o texto com características de um causo? Registre as descobertas em um cartaz que possa ser consultado posteriormente. 4ª etapa Apresente aos alunos o causo A Mulher do Boticário, contado por Rolando Boldrin. Explique às crianças que a tarefa agora é, coletivamente, passar o causo do oral para o escrito e que esse processo tem o nome de retextualização. Para isso, em primeiro lugar, é necessário ter o causo de Boldrin transcrito na íntegra. Para que os alunos conheçam como é feito o processo de transcrição e as características do material, transcreva os primeiros minutos do vídeo no quadro, destacando a importância de ser fiel à fala do narrador e também de indicar as pausas (com reticências), os
  • 3. 3 marcadores de fala (como né, olha e daí) e a entonação (com pontos de exclamação e interrogação). Peça que a turma transcreva um pequeno trecho seguinte para conhecer como se dá o processo. Depois, distribua cópias da transcrição completa e exponha o mesmo texto no quadro. 5ª etapa Para prosseguir com o processo de retextualização, ensine aos estudantes o que fazer com o material transcrito. Primeiro, é necessário analisá-lo. Existem muitos termos informais e marcadores de fala? Há vários termos repetidos? Quais? As conjugações verbais são adequadas aos sujeitos das orações? Peça que as crianças identifiquem essas características fazendo marcações na transcrição utilizando canetas coloridas. 6ª etapa Agora é hora de a garotada tomar algumas decisões com base nas marcações anteriores para retextualizar, de fato, o causo. Os termos repetidos serão eliminados ou eles são importantes para manter as características do causo em questão? É preciso reordenar os parágrafos para que a produção fique coerente? Quais marcas de oralidade devem ser mantidas? O causo será escrito com o mesmo narrador utilizado pelo contador do causo? 7ª etapa Com base na transcrição exibida no quadro, comece a reescrita do causo. Você será o escriba: peça que os alunos orientem o que você deve fazer. Esclareça que nesse processo, é importante consultar o texto transcrito e as marcas feitas constantemente, ler e reler o material que está sendo escrito, ir e vir várias vezes, reescrever o que for necessário, inserir e retirar palavras para garantir qualidade ao material. Encerrada a tarefa, leia o causo em voz alta e peça que a turma analise o resultado, comparando-o com o causo do vídeo. 8ª etapa Organize a classe em trios ou quartetos e selecione um causo para cada um. Explique que a tarefa é retextualizar outros causos. Para selecionar o material a distribuir, você deve buscar outros causos na internet, contados por Boldrin ou por outros contadores, como Almir Sater, que narra A Lenda em https://www.youtube.com/watch?v=jNJJZXodjtU. Antes de distribuir o material para os alunos, assista aos vídeos previamente para garantir que o conteúdo é adequado à idade da turma. Providencie cópias da transcrição completa para que os trios ou quartetos não percam tempo com essa etapa. Durante a retextualização, é importante circular pela sala, fazendo algumas intervenções diretas e anotando os aspectos que deverão ser retomados. Encerrada a análise da transcrição e iniciada a revisão, interrompa o trabalho e recolha as produções. 9ª etapa
  • 4. 4 Analise as produções dos trios ou quartetos e escolha uma delas que apresente os erros mais comuns cometidos pelos alunos para apresentá-lo no quadro e promover uma discussão com toda a turma. Converse sobre a importância dos sinais de pontuação, o tempo verbal, as marcas da oralidade, as repetições de palavras (oriente para as substituições pronominais e lexicais) e também sobre as marcas de oralidade mantidas. 10ª etapa Devolva as produções dos trios ou quartetos com bilhetes, trecho a trecho, se necessário, para que os estudantes voltem a trabalhar no material, a fim de melhorá-lo. Lembre-se de fazer anotações que instiguem e direcionem a turma. Evite deixar marcações diretivas ou correções explícitas. 11ª etapa A próxima etapa de revisão de cada causo não será feita por nenhum integrante do trio ou do quarteto e sim por colegas de outros grupos. Esse distanciamento do texto (e a consequente proximidade com o texto de outra pessoa) é valioso para que as crianças pensem sobre diferentes formas de escrever, conheçam novos recursos, se deparem com outros problemas e tenham de resolvê-los. Encerrada essa etapa, providencie a devolução do material para os grupos e peça que eles finalizem a retextualização. Recolha os causos e analise o material. Avaliação Como tarefa de casa, peça que as crianças procurem entre os familiares e conhecidos, alguém que conheça um bom causo para contar para a turma e que possa ir até à escola narrar a história. A tarefa da classe será retextualizar o causo coletivamente. Oriente a turma a organizar a gravação do causo e discuta com a sala a importância desse procedimento e os perigos de confiar a tarefa à memória. Características importantes podem ser perdidos, tal como a variação na entonação da fala do narrador e detalhes sobre o causo. Encerrada a apresentação do causo, oriente todo o processo de retextualização. Para que a garotada não perca tempo com o processo de transcrição, lembre-se de entregá-la pronta ao grupo. Durante o processo de retextualização, observe a linguagem utilizada no texto, os aspectos discutidos nas revisões, os avanços que os alunos tiveram na escrita, estruturação e pontuação. Analise também como a turma se apropriou dos elementos típicos do gênero causo e se lançou mão deles com pertinência.