SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
Baixar para ler offline
Objetivos de Ensino Numa
perspectiva da Didática
Crítica
PERGUNTAS FREQUENTES
O que são objetivos?
Por que tenho que elaborar objetivos?
Quais são os tipos de objetivos?
Como elaborá-los?
DIÁLOGO ENTRE ALICE E O GATO
Alice: Você poderia me dizer, por favor, qual o caminho
para sair daqui?“
Gato: Depende muito de onde você quer chegar
Alice: Não me importa muito onde...
Gato: Nesse caso não faz diferença por qual caminho
você vá...
NESSA ABORDAGEM
Compreende objetivos como visão
integrada e interativa, unida aos conteúdos
a serem construídos para que eles se
tornem o ponto de convergência entre o
político e o técnico, entre a teoria e a
prática e entre o ensino e a aprendizagem
(LIBANEO, 1994, p. 120).
OS OBJETIVOS...
São o ponto de partida, as premissas
gerais do processo pedagógico;
Refletem as opções políticas e
pedagógicas dos agentes educativos
(LIBANEO, 1994).
Os objetivos antecipam resultados e
processos esperados do trabalho
conjunto do professor e dos alunos,
expressando conhecimentos, habilidades
e hábitos (conteúdos) a serem
assimilados de acordo com as exigências
metodológicas (pag. 119).
A importância de
elaborar objetivos
educacionais
POR QUE ELABORAR OBJETIVOS?
Eles servem como uma bússola orientadora dos
nossos passos e caminhos para chegar onde se
pretende;
Estabelecer objetivos é imprimir sistematização e
intencionalidade no ato educativo.
OS OBJETIVOS NÃO SÃO SOLTOS
Os objetivos de ensino estão contidos
em planos de curso, planos de unidades
programáticas e planos de aula;
Obedecem às categorias de diversas
naturezas e classificação.
A prática educacional
se orienta para
alcançar
determinados
objetivos, por meio de
uma ação intencional
e sistemática.
LIBÂNEO (1994)
Os objetivos
educacionais
expressam propósitos
definidos explícitos
quanto ao
desenvolvimento das
qualidades humanas
que todos os indivíduos
precisam adquirir para
se capacitarem para as
lutas sociais de
transformação da
sociedade.
NESTE SENTIDO,
Não há
prática
educativa
sem
Objetivos
.
PORTANTO,
TRÊS REFERÊNCIAS PARA
FORMULAÇÃO
Ler e grifar na página 120 e 121.
As três referências não podem ser
tomadas isoladamente. As mesmas
estão interligadas e sujeitas a
contradições.
EXEMPLO CONTRADIÇÕES
Ideais dominantes; condições de
aprendizagem dos alunos.
• Avaliar em que medida
atendem as exigências
de democratização
política e social;
• Saber compatibilizar
os conteúdos com
necessidades,
aspirações, expectativas
da clientela escolar e
torná-los exequíveis.
PROFESSOR DEVE:
Professor tem papel
politico na
definição dos
objetivos para
garantir os
interesses
majoritários da
população
brasileira.
CLASSIFICAÇÃO DOS OBJETIVOS
1- Quanto ao nível de abrangência (LIBÂNEO,
1994);
GERAL
ESPECÍFICO
S
OBJETIVO GERAL
Os objetivos gerais são objetivos
chamados de mediatos, por que só se
consegue alcançá-los em longo prazo.
Eles podem ser explicitados no nível de
Sistema Educacional, Escolar e Docente.
OBJETIVO GERAL
Sempre são formulados visando o que se
espera que seja aprendido ao término de
um Curso, uma unidade didática
programática ou um conteúdo.
Exemplo: Reconhecer as aprendizagens em
Didática como imprescindíveis na atuação
profissional docente.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Os objetivos Específicos são chamados de
imediatos ou em curto prazo porque
permitem ao término de cada aula ou
assunto identificar se foi alcançado o
que foi estipulado para ser aprendido.
Exemplo: Diferenciar objetivos geral e
específico.
O futuro
professor pode
assustar-se
com tantos
objetivos;
Conscientemente
ou não sempre
trabalhamos
com objetivos.
PREOCUPAÇÃO
Sistema escolar;
Objetivos da Escola;
Plano de Ensino;
Plano de aula.
Professor conhecer as
finalidades sociais,
politicas e pedagógicas do
trabalho docente (p. 122)
NÍVEIS DE OBJETIVOS
OS OBJETIVOS GERAIS
São explicitados em três níveis de abrangência, do
mais amplo ao mais específico.
A- Pelo sistema escolar;
B- Pela Escola;
C- Pelo professor.
Ler página 123
1- Porque deve
conhecer os
objetivos
estabelecidos no
plano mais amplo;
2-Porque seu trabalho
está vinculado a
diretrizes
nacionais,
estaduais e
municipais de
ensino;
POR QUE O PROFESSOR DEVE
CONSIDERAR OS OBJETIVOS GERAIS?
3 - Porque deve
conhecer que
concepções de
homem e sociedade
caracterizam os
documentos oficiais.
Ler página 123: Na
sociedade...
E AINDA...
É preciso reavaliar os
objetivos a partir
da função social da
educação, das
condições
concretas da
escola, da
problemática social
vivida pelos
alunos, da cultura...
NADA DE COPIAR...
Primeiro: Colocar a
escola no conjunto
das lutas pela
democratização da
sociedade;
Conhecimentos que
instrumentalizam
culturalmente os
alunos.
ALGUNS OBJETIVOS GERAIS PARA A SELEÇÃO DE
OBJETIVOS ESPECÍFICOS E CONTEÚDOS DE ENSINO
Segundo: Garantir a
todas as crianças
uma sólida
preparação cultural e
científica, através do
ensino das áreas de
conhecimento;
Ensino sólido e evitar
as reprovações.
SEGUNDO
Assegurar a todas as
crianças o máximo
de desenvolvimento
de suas
potencialidades,
tendo em vista a
superações de
desvantagens em
função da sua
condição social e
econômica.
TERCEIRO
Formar nos alunos a
capacidade crítica e
criativa em relação às
matérias de ensino e
à aplicação dos
conhecimentos e
habilidades em
tarefas teóricas e
práticas;
Não só memorizar
conteúdos.
QUARTO
Só
aponta
r
defeito
s....
SER CRÍTICO NÃO É...
Formar convicções
para a vida
coletiva;
Formar para
qualidades
humanas. Modos
de agir em
relação ao
trabalho, ao
estudo, à
natureza, em
concordância
com os princípios
éticos.
QUINTO
Honradez;
Dignidade;
Respeito aos
outros;
Lealdade;
Disciplina;
Verdade;
Urbanidade;
cortesia.
AJUDAR OS ALUNOS A DESENVOLVEREM
Ler a página 125,
último
parágrafo.
A EDUCAÇÃO FÍSICA E ESTÉTICA
Refere-se à instituição
de processos
participativos,
envolvendo todas as
pessoas que direta e
indiretamente se
relacionam com a
escola: diretor,
coordenador de ensino,
professores,
funcionários, alunos e
pais.
SEXTO OBJETIVO
É imprescindível o
vínculo entre escola e
família.
Portanto, esses
objetivos não
esgotam ou limitam a
riqueza da ação
pedagógica em
relação à formação
individual e social
dos alunos.
CONSELHO DE ESCOLA
Eles particularizam a
compreensão das
relações entre
escola e sociedade
e especialmente do
papel da matéria de
ensino;
Tem caráter
pedagógico e
expressam o que o
professor deseja
alcançar.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
A CADA ÁREA DE ENSINO...
Correspondem objetivos que expressam
resultados a obter: Conhecimentos, habilidades
e hábitos, atitudes, convicções, através dos
quais se busca o desenvolvimento das
capacidades cognitivas dos alunos.
Há uma estreita relação entre objetivos,
conteúdos e métodos.
VINCULAR OBJETIVOS ESPECÍFICOS AOS GERAIS
Não se deve perder de vista a situação
concreta da escola, matéria, dos alunos em
que serão aplicados. Deve seguir as
seguintes recomendações:
Especificar
conhecimentos,
habilidades,
capacidades que
sejam
fundamentais
para serem
assimiladas e
aplicadas em
situações
futuras, na
escola e na vida
prática.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Observar uma
sequencia
lógica, de forma
que os
conceitos e
habilidades
estejam inter-
relacionados,
possibilitando
aos alunos a
compreensão de
conjunto;
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Expressar os
objetivos com
clareza, de modo
que sejam
compreensíveis
aos alunos e
permitam, assim,
que estes
introjetem os
objetivos de
ensino como
objetivos seus;
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Dosar o grau de
dificuldades,
de modo que
expressem
desafios,
problemas,
questões
estimulantes e
também
viáveis;
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Sempre que
possível, formular
os objetivos como
resultados a
atingir, facilitando
o processo de
avaliação
diagnóstica e de
controle;
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Como norma geral,
indicar os
resultados do
trabalho dos
alunos, o que
devem
compreender,
saber,
memorizar,
fazer, etc.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
COMO FORMULAR OBJETIVOS?
Formular objetivos parece ser simples, mas
não é.
Requer uma série de critérios para que eles
sejam verdadeiros orientadores da
aprendizagem e do conhecimento que o
docente pensa construir com seus alunos.
IMPORTANTE NA ELABORAÇÃO
É preciso considerar os sujeitos do
processo e suas demandas, que
por sua vez estão articuladas às
demandas da escola, do sistema
educacional e da sociedade.
COMO ELABORAR OBJETIVOS?
Considera-se o tipo de Planejamento;
Considera-se a dimensão temporal do
alcance dos objetivos;
Considera-se a natureza das demandas
formativas.
QUE VERBOS DEVO USAR?
Objetivos são ações previstas para serem
alcançadas e por isso sua escrita tem
início com um verbo;
Os verbos estão relacionados à tipologia de
objetivos.
ALGUNS EXEMPLOS NA TAXONOMIA DE BLOOM
Quando meu objetivo é que os alunos
Conheçam:
Apontar, citar, classificar, conhecer, definir,
descrever, identificar, reconhecer,
relatar.
EXEMPLOS
Quando meu objetivo é que os alunos
Compreendam:
Compreender, concluir, deduzir,
demonstrar, determinar, diferenciar,
discutir, interpretar, localizar, reafirmar.
EXEMPLOS
Quando meu objetivo é que os alunos
apliquem:
Desenvolver, empregar, estruturar, operar,
organizar, praticar, selecionar, traçar,
otimizar, melhorar.
EXEMPLOS
Quando meu objetivo é que os alunos
Analisem:
Comparar, criticar, debater, diferenciar,
discriminar, examinar, investigar, provar,
ensaiar, medir, testar, monitorar,
experimentar.
EXEMPLOS
Quando meu objetivo é que os alunos
sintetizem:
Compor, construir, documentar,
especificar, esquematizar, formular,
produzir, propor, reunir, sintetizar.
EXEMPLOS
Quando meu objetivo é que os alunos
Avaliem:
Argumentar, avaliar, contrastar, decidir,
escolher, estimar, julgar, medir,
selecionar.
POR FIM...
Elaborar objetivos é um processo reflexivo
que demanda compreensão de suas
diferentes dimensões, seja para um
plano de aula, de ensino, Projeto Politico
Pedagógico da Escola ou no âmbito do
Sistema Educacional.
ATIVIDADE
Elaborar Um objetivo Geral e três
específicos para um determinado
conteúdo, de uma determinada
disciplina em uma determinada turma
dos anos iniciais do Ensino
Fundamental.
REFERÊNCIAS
BLOOM, Benjamin S. Taxionomia de objetivos educacionais. Porto Alegre/RS:
Globo, 1999.
LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública. 18ª Ed, São Paulo:
Loyola, 2005.
___________________ Didática. São Paulo: Cortez, 2004.
MARTINS, José do Prado. Didática Geral. São Paulo: ATLAS S. A, 1999.
NERECI, Imideo G. Didática Geral Dinâmica. São Paulo: Fundo de cultura, 1999.
PILETTI, Claudino. Didática geral. São Paulo: Ática, 2005.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 
Saberes Docentes final
Saberes Docentes finalSaberes Docentes final
Saberes Docentes final
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Teorias do Currículo
Teorias do CurrículoTeorias do Currículo
Teorias do Currículo
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Sequencia didatica
Sequencia didaticaSequencia didatica
Sequencia didatica
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Planejamento do ensino e sequências didáticas
Planejamento do ensino e sequências didáticasPlanejamento do ensino e sequências didáticas
Planejamento do ensino e sequências didáticas
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Gestão escolar
Gestão escolarGestão escolar
Gestão escolar
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professores
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensino
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamento
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Apresentação planejamento e avaliação
Apresentação   planejamento e avaliaçãoApresentação   planejamento e avaliação
Apresentação planejamento e avaliação
 
Tipos de avaliacao
Tipos de avaliacaoTipos de avaliacao
Tipos de avaliacao
 

Destaque

Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoPoliana Silvesso
 
Slide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliaçãoSlide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliaçãoGisele Lopes
 
Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMekinho20
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2SimoneHelenDrumond
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOEdlauva Santos
 

Destaque (8)

Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Slide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliaçãoSlide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliação
 
Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensino
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2
 
Formas De Avaliação
Formas De AvaliaçãoFormas De Avaliação
Formas De Avaliação
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 

Semelhante a Objetivos de ensino na Didática Crítica

Planejamento e trabalho docente
Planejamento e  trabalho docentePlanejamento e  trabalho docente
Planejamento e trabalho docenteifbauab
 
Objetivos didáticos slides de didática
Objetivos didáticos  slides de didáticaObjetivos didáticos  slides de didática
Objetivos didáticos slides de didáticaWellinton Prestes
 
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Aula 2 didatica do ensino supeior   copiaAula 2 didatica do ensino supeior   copia
Aula 2 didatica do ensino supeior copiaMarluce Filipe
 
2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napneMary Andrioli
 
A importância da graduação
A importância da graduaçãoA importância da graduação
A importância da graduaçãoDayane Kajan
 
Segunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadoresSegunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadoresRosemary Batista
 
Objetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemObjetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemSara Filipe
 
Objetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemObjetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemSara Filipe
 
Objetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemObjetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemSara Filipe
 
Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexão
Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexãoAvaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexão
Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexãoIsabelle Louback
 
Aula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxAula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxManuelTalacuece
 
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptxAula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptxDenisedeAmorimRamos
 
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxPLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxMrciaAyala
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professorClaudio Lima
 

Semelhante a Objetivos de ensino na Didática Crítica (20)

Planejamento e trabalho docente
Planejamento e  trabalho docentePlanejamento e  trabalho docente
Planejamento e trabalho docente
 
Objetivos didáticos slides de didática
Objetivos didáticos  slides de didáticaObjetivos didáticos  slides de didática
Objetivos didáticos slides de didática
 
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
Aula 2 didatica do ensino supeior   copiaAula 2 didatica do ensino supeior   copia
Aula 2 didatica do ensino supeior copia
 
Progestão modulo 4
Progestão modulo 4Progestão modulo 4
Progestão modulo 4
 
Aula 09
Aula 09Aula 09
Aula 09
 
Didatica i u3
Didatica i u3Didatica i u3
Didatica i u3
 
2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne2019 07.25.plan avaliacao_napne
2019 07.25.plan avaliacao_napne
 
Didã¡tica iii
Didã¡tica iiiDidã¡tica iii
Didã¡tica iii
 
A importância da graduação
A importância da graduaçãoA importância da graduação
A importância da graduação
 
Segunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadoresSegunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadores
 
Objetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemObjetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagem
 
Objetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemObjetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagem
 
Objetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagemObjetivos da aprendizagem
Objetivos da aprendizagem
 
Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexão
Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexãoAvaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexão
Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexão
 
Aula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxAula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptx
 
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptxAula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
 
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxPLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
 
Arte apostila nova
Arte apostila novaArte apostila nova
Arte apostila nova
 
Slide eepp iv
Slide eepp ivSlide eepp iv
Slide eepp iv
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor
 

Mais de Naysa Taboada

1º encontro apresentação
1º encontro   apresentação1º encontro   apresentação
1º encontro apresentaçãoNaysa Taboada
 
1º encontro apresentação 28-11-17
1º encontro   apresentação 28-11-171º encontro   apresentação 28-11-17
1º encontro apresentação 28-11-17Naysa Taboada
 
Simulado tema específico
Simulado tema específicoSimulado tema específico
Simulado tema específicoNaysa Taboada
 
Alfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiAlfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiNaysa Taboada
 
Alfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgAlfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgNaysa Taboada
 
Alfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiAlfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiNaysa Taboada
 
Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Naysa Taboada
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadorasNaysa Taboada
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosNaysa Taboada
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosNaysa Taboada
 
Alinhamento 1 ao 5 ano
Alinhamento   1 ao 5 anoAlinhamento   1 ao 5 ano
Alinhamento 1 ao 5 anoNaysa Taboada
 
Abrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machadoAbrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machadoNaysa Taboada
 

Mais de Naysa Taboada (20)

Fc
FcFc
Fc
 
1º encontro apresentação
1º encontro   apresentação1º encontro   apresentação
1º encontro apresentação
 
1º encontro apresentação 28-11-17
1º encontro   apresentação 28-11-171º encontro   apresentação 28-11-17
1º encontro apresentação 28-11-17
 
Simulado tema específico
Simulado tema específicoSimulado tema específico
Simulado tema específico
 
Alfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadottiAlfab letramento 2005. gadotti
Alfab letramento 2005. gadotti
 
Alfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptgAlfabetização e letramento ptg
Alfabetização e letramento ptg
 
Alfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadottiAlfa e letramento 2005. gadotti
Alfa e letramento 2005. gadotti
 
Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?Alfa e Letra em busca de um método?
Alfa e Letra em busca de um método?
 
Associacionismo
AssociacionismoAssociacionismo
Associacionismo
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadoras
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
 
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhosAlfabetização e letramento caminhos e descaminhos
Alfabetização e letramento caminhos e descaminhos
 
24 de novembro
24 de novembro24 de novembro
24 de novembro
 
Alinhamento 1 ao 5 ano
Alinhamento   1 ao 5 anoAlinhamento   1 ao 5 ano
Alinhamento 1 ao 5 ano
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Pnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembroPnaic 17 novembro
Pnaic 17 novembro
 
Pnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubroPnaic 27 de outubro
Pnaic 27 de outubro
 
Pnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubroPnaic 26 de outubro
Pnaic 26 de outubro
 
Pnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontroPnaic 2º encontro
Pnaic 2º encontro
 
Abrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machadoAbrindo caminho-de-ana-maria-machado
Abrindo caminho-de-ana-maria-machado
 

Último

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 

Último (20)

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 

Objetivos de ensino na Didática Crítica

  • 1. Objetivos de Ensino Numa perspectiva da Didática Crítica
  • 2. PERGUNTAS FREQUENTES O que são objetivos? Por que tenho que elaborar objetivos? Quais são os tipos de objetivos? Como elaborá-los?
  • 3.
  • 4. DIÁLOGO ENTRE ALICE E O GATO Alice: Você poderia me dizer, por favor, qual o caminho para sair daqui?“ Gato: Depende muito de onde você quer chegar Alice: Não me importa muito onde... Gato: Nesse caso não faz diferença por qual caminho você vá...
  • 5. NESSA ABORDAGEM Compreende objetivos como visão integrada e interativa, unida aos conteúdos a serem construídos para que eles se tornem o ponto de convergência entre o político e o técnico, entre a teoria e a prática e entre o ensino e a aprendizagem (LIBANEO, 1994, p. 120).
  • 6. OS OBJETIVOS... São o ponto de partida, as premissas gerais do processo pedagógico; Refletem as opções políticas e pedagógicas dos agentes educativos (LIBANEO, 1994).
  • 7. Os objetivos antecipam resultados e processos esperados do trabalho conjunto do professor e dos alunos, expressando conhecimentos, habilidades e hábitos (conteúdos) a serem assimilados de acordo com as exigências metodológicas (pag. 119).
  • 8. A importância de elaborar objetivos educacionais
  • 9. POR QUE ELABORAR OBJETIVOS? Eles servem como uma bússola orientadora dos nossos passos e caminhos para chegar onde se pretende; Estabelecer objetivos é imprimir sistematização e intencionalidade no ato educativo.
  • 10. OS OBJETIVOS NÃO SÃO SOLTOS Os objetivos de ensino estão contidos em planos de curso, planos de unidades programáticas e planos de aula; Obedecem às categorias de diversas naturezas e classificação.
  • 11. A prática educacional se orienta para alcançar determinados objetivos, por meio de uma ação intencional e sistemática. LIBÂNEO (1994)
  • 12. Os objetivos educacionais expressam propósitos definidos explícitos quanto ao desenvolvimento das qualidades humanas que todos os indivíduos precisam adquirir para se capacitarem para as lutas sociais de transformação da sociedade. NESTE SENTIDO,
  • 14. TRÊS REFERÊNCIAS PARA FORMULAÇÃO Ler e grifar na página 120 e 121. As três referências não podem ser tomadas isoladamente. As mesmas estão interligadas e sujeitas a contradições.
  • 15. EXEMPLO CONTRADIÇÕES Ideais dominantes; condições de aprendizagem dos alunos.
  • 16. • Avaliar em que medida atendem as exigências de democratização política e social; • Saber compatibilizar os conteúdos com necessidades, aspirações, expectativas da clientela escolar e torná-los exequíveis. PROFESSOR DEVE:
  • 17. Professor tem papel politico na definição dos objetivos para garantir os interesses majoritários da população brasileira.
  • 18. CLASSIFICAÇÃO DOS OBJETIVOS 1- Quanto ao nível de abrangência (LIBÂNEO, 1994); GERAL ESPECÍFICO S
  • 19. OBJETIVO GERAL Os objetivos gerais são objetivos chamados de mediatos, por que só se consegue alcançá-los em longo prazo. Eles podem ser explicitados no nível de Sistema Educacional, Escolar e Docente.
  • 20. OBJETIVO GERAL Sempre são formulados visando o que se espera que seja aprendido ao término de um Curso, uma unidade didática programática ou um conteúdo. Exemplo: Reconhecer as aprendizagens em Didática como imprescindíveis na atuação profissional docente.
  • 21. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Os objetivos Específicos são chamados de imediatos ou em curto prazo porque permitem ao término de cada aula ou assunto identificar se foi alcançado o que foi estipulado para ser aprendido. Exemplo: Diferenciar objetivos geral e específico.
  • 22. O futuro professor pode assustar-se com tantos objetivos; Conscientemente ou não sempre trabalhamos com objetivos. PREOCUPAÇÃO
  • 23. Sistema escolar; Objetivos da Escola; Plano de Ensino; Plano de aula. Professor conhecer as finalidades sociais, politicas e pedagógicas do trabalho docente (p. 122) NÍVEIS DE OBJETIVOS
  • 24. OS OBJETIVOS GERAIS São explicitados em três níveis de abrangência, do mais amplo ao mais específico. A- Pelo sistema escolar; B- Pela Escola; C- Pelo professor. Ler página 123
  • 25. 1- Porque deve conhecer os objetivos estabelecidos no plano mais amplo; 2-Porque seu trabalho está vinculado a diretrizes nacionais, estaduais e municipais de ensino; POR QUE O PROFESSOR DEVE CONSIDERAR OS OBJETIVOS GERAIS?
  • 26. 3 - Porque deve conhecer que concepções de homem e sociedade caracterizam os documentos oficiais. Ler página 123: Na sociedade... E AINDA...
  • 27. É preciso reavaliar os objetivos a partir da função social da educação, das condições concretas da escola, da problemática social vivida pelos alunos, da cultura... NADA DE COPIAR...
  • 28. Primeiro: Colocar a escola no conjunto das lutas pela democratização da sociedade; Conhecimentos que instrumentalizam culturalmente os alunos. ALGUNS OBJETIVOS GERAIS PARA A SELEÇÃO DE OBJETIVOS ESPECÍFICOS E CONTEÚDOS DE ENSINO
  • 29. Segundo: Garantir a todas as crianças uma sólida preparação cultural e científica, através do ensino das áreas de conhecimento; Ensino sólido e evitar as reprovações. SEGUNDO
  • 30. Assegurar a todas as crianças o máximo de desenvolvimento de suas potencialidades, tendo em vista a superações de desvantagens em função da sua condição social e econômica. TERCEIRO
  • 31. Formar nos alunos a capacidade crítica e criativa em relação às matérias de ensino e à aplicação dos conhecimentos e habilidades em tarefas teóricas e práticas; Não só memorizar conteúdos. QUARTO
  • 33. Formar convicções para a vida coletiva; Formar para qualidades humanas. Modos de agir em relação ao trabalho, ao estudo, à natureza, em concordância com os princípios éticos. QUINTO
  • 35. Ler a página 125, último parágrafo. A EDUCAÇÃO FÍSICA E ESTÉTICA
  • 36. Refere-se à instituição de processos participativos, envolvendo todas as pessoas que direta e indiretamente se relacionam com a escola: diretor, coordenador de ensino, professores, funcionários, alunos e pais. SEXTO OBJETIVO
  • 37. É imprescindível o vínculo entre escola e família. Portanto, esses objetivos não esgotam ou limitam a riqueza da ação pedagógica em relação à formação individual e social dos alunos. CONSELHO DE ESCOLA
  • 38. Eles particularizam a compreensão das relações entre escola e sociedade e especialmente do papel da matéria de ensino; Tem caráter pedagógico e expressam o que o professor deseja alcançar. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 39. A CADA ÁREA DE ENSINO... Correspondem objetivos que expressam resultados a obter: Conhecimentos, habilidades e hábitos, atitudes, convicções, através dos quais se busca o desenvolvimento das capacidades cognitivas dos alunos. Há uma estreita relação entre objetivos, conteúdos e métodos.
  • 40. VINCULAR OBJETIVOS ESPECÍFICOS AOS GERAIS Não se deve perder de vista a situação concreta da escola, matéria, dos alunos em que serão aplicados. Deve seguir as seguintes recomendações:
  • 41. Especificar conhecimentos, habilidades, capacidades que sejam fundamentais para serem assimiladas e aplicadas em situações futuras, na escola e na vida prática. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 42. Observar uma sequencia lógica, de forma que os conceitos e habilidades estejam inter- relacionados, possibilitando aos alunos a compreensão de conjunto; OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 43. Expressar os objetivos com clareza, de modo que sejam compreensíveis aos alunos e permitam, assim, que estes introjetem os objetivos de ensino como objetivos seus; OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 44. Dosar o grau de dificuldades, de modo que expressem desafios, problemas, questões estimulantes e também viáveis; OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 45. Sempre que possível, formular os objetivos como resultados a atingir, facilitando o processo de avaliação diagnóstica e de controle; OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 46. Como norma geral, indicar os resultados do trabalho dos alunos, o que devem compreender, saber, memorizar, fazer, etc. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • 47. COMO FORMULAR OBJETIVOS? Formular objetivos parece ser simples, mas não é. Requer uma série de critérios para que eles sejam verdadeiros orientadores da aprendizagem e do conhecimento que o docente pensa construir com seus alunos.
  • 48. IMPORTANTE NA ELABORAÇÃO É preciso considerar os sujeitos do processo e suas demandas, que por sua vez estão articuladas às demandas da escola, do sistema educacional e da sociedade.
  • 49. COMO ELABORAR OBJETIVOS? Considera-se o tipo de Planejamento; Considera-se a dimensão temporal do alcance dos objetivos; Considera-se a natureza das demandas formativas.
  • 50. QUE VERBOS DEVO USAR? Objetivos são ações previstas para serem alcançadas e por isso sua escrita tem início com um verbo; Os verbos estão relacionados à tipologia de objetivos.
  • 51. ALGUNS EXEMPLOS NA TAXONOMIA DE BLOOM Quando meu objetivo é que os alunos Conheçam: Apontar, citar, classificar, conhecer, definir, descrever, identificar, reconhecer, relatar.
  • 52. EXEMPLOS Quando meu objetivo é que os alunos Compreendam: Compreender, concluir, deduzir, demonstrar, determinar, diferenciar, discutir, interpretar, localizar, reafirmar.
  • 53. EXEMPLOS Quando meu objetivo é que os alunos apliquem: Desenvolver, empregar, estruturar, operar, organizar, praticar, selecionar, traçar, otimizar, melhorar.
  • 54. EXEMPLOS Quando meu objetivo é que os alunos Analisem: Comparar, criticar, debater, diferenciar, discriminar, examinar, investigar, provar, ensaiar, medir, testar, monitorar, experimentar.
  • 55. EXEMPLOS Quando meu objetivo é que os alunos sintetizem: Compor, construir, documentar, especificar, esquematizar, formular, produzir, propor, reunir, sintetizar.
  • 56. EXEMPLOS Quando meu objetivo é que os alunos Avaliem: Argumentar, avaliar, contrastar, decidir, escolher, estimar, julgar, medir, selecionar.
  • 57. POR FIM... Elaborar objetivos é um processo reflexivo que demanda compreensão de suas diferentes dimensões, seja para um plano de aula, de ensino, Projeto Politico Pedagógico da Escola ou no âmbito do Sistema Educacional.
  • 58. ATIVIDADE Elaborar Um objetivo Geral e três específicos para um determinado conteúdo, de uma determinada disciplina em uma determinada turma dos anos iniciais do Ensino Fundamental.
  • 59. REFERÊNCIAS BLOOM, Benjamin S. Taxionomia de objetivos educacionais. Porto Alegre/RS: Globo, 1999. LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública. 18ª Ed, São Paulo: Loyola, 2005. ___________________ Didática. São Paulo: Cortez, 2004. MARTINS, José do Prado. Didática Geral. São Paulo: ATLAS S. A, 1999. NERECI, Imideo G. Didática Geral Dinâmica. São Paulo: Fundo de cultura, 1999. PILETTI, Claudino. Didática geral. São Paulo: Ática, 2005.