D I S C I P L I N A : C O M P O R T A M E N T O E B E M - E S T A R A N I M A L
D O C E N T E : D AV I D R O C H A
D I S C...
COMPORTAMENTO PARENTAL DO GATO DOMÉSTICO
(FELIS CATUS)
O GATO
• A convivência do felino com o ser humano, não modificou significativamente
o comportamento primário do gato.
COMPORTAMENTO PARENTAL
• É todo esforço (com gasto de energia e de tempo) que o pai ou a mãe, ou
ambos dedicam aos descend...
COMPORTAMENTO PARENTAL DE GATOS
• Comportamentos:
 Gestacional
 parto
 Pós-parto
 Cuidados com: neonato, jovem, adulto...
GESTACIONAL
• No início da gestação, a gata tem comportamento natural (caça, repousa)
• Influência da progesterona e peso ...
GESTACIONAL
• Alimentação da fêmea, principalmente nas últimas 3 semanas de gestação
(desenvolvimento do neonato e acúmulo...
PARTO
• Uma semana antes do parto a gata procura um lugar escuro, protegido e
silencioso
• Compartilhamento de ninhos com ...
PARTO
• No período pré-parto a concentração de prolactina aumenta
• Durante o período de parto a gata recusa-se a comer e ...
ESTÁGIOS DO PARTO
1. Caracterizado pela organização do ninho, inquietação, tremores e anorexia.
Nesse período a cérvix dil...
INTERAÇÃO MÃE-FILHOTE (PÓS-PARTO)
• Lambedura exagerada de si mesma e de seu filhote
• Cuidado com os filhotes: lambedura ...
PÓS-PARTO
• Se o filhote se encontrar em outro local, ela o carrega de volta ao ninho pela
parte dorsal do pescoço
• A int...
PÓS-PARTO
• Ato de comer a placenta além de ser para a manutenção de um local limpo
para os filhotes, também serve para nã...
O NEONATO
• Nasce com o canal auditivo, e o olho fechados
• Tato, olfato e paladar são funcionais desde o nascimento
• Fun...
CUIDADOS COM O NEONATO
• Após o nascimento a gata reanima o filhote liberando-os das membranas fetais
sobre a boca e nariz...
CUIDADOS COM O NEONATO
• Os filhotes apegam-se a uma mama em particular por costume
• Diferentes colostros são produzidos ...
CUIDADOS COM O FILHOTE
• Crescimento até maturidade sexual
• Em aproximadamente 8 semanas, a mãe trará presas para as cria...
DESMAME
• Com o nascimento dos primeiros dentes, os incisivos (2ª ou 3ª
semana)gerando desconforto para a fêmea que para d...
FALHA NO INSTINTO MATERNO
• Rejeições
• Canibalismo: Ainda não totalmente elucidado- subnutrição da mãe, problema
de saúde...
ADOÇÃO
• Quando duas ou mais fêmeas tem filhotes na mesma época, elas podem
revezar a amamentação dos seus filhotes
• Uma ...
CUIDADO PATERNAL
• O macho não exerce importância no desenvolvimento da cria
• Pode comê-los por territorialismo.
CASO GATA SCARLETT
•
OBRIGADA!
Comportamento Parental de gatos domésticos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Comportamento Parental de gatos domésticos

1.131 visualizações

Publicada em

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.131
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comportamento Parental de gatos domésticos

  1. 1. D I S C I P L I N A : C O M P O R T A M E N T O E B E M - E S T A R A N I M A L D O C E N T E : D AV I D R O C H A D I S C E N T E S : N AY L L A M AY A N A UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COMPORTAMENTO ANIMAL
  2. 2. COMPORTAMENTO PARENTAL DO GATO DOMÉSTICO (FELIS CATUS)
  3. 3. O GATO • A convivência do felino com o ser humano, não modificou significativamente o comportamento primário do gato.
  4. 4. COMPORTAMENTO PARENTAL • É todo esforço (com gasto de energia e de tempo) que o pai ou a mãe, ou ambos dedicam aos descendentes resultando em chances aumentadas de sobrevivência e reprodução.
  5. 5. COMPORTAMENTO PARENTAL DE GATOS • Comportamentos:  Gestacional  parto  Pós-parto  Cuidados com: neonato, jovem, adulto (ensino de comport. Ex.: caçar)  Adoção  Rejeições
  6. 6. GESTACIONAL • No início da gestação, a gata tem comportamento natural (caça, repousa) • Influência da progesterona e peso do abdome a faz repousar mais • Copia a maturidade emocional que viveu com a progenitora • Na gata, o período de gestação varia de 60 a 68 dias, sendo a média 65 dias. sendo que o nascimento antes do dia 60 é considerado prematuro
  7. 7. GESTACIONAL • Alimentação da fêmea, principalmente nas últimas 3 semanas de gestação (desenvolvimento do neonato e acúmulo de gordura) • Precisa estar imunizada e com controle parasitário • Ninhada tem progenitores múltiplos
  8. 8. PARTO • Uma semana antes do parto a gata procura um lugar escuro, protegido e silencioso • Compartilhamento de ninhos com outras fêmeas é normal • Mais irritável e agressiva
  9. 9. PARTO • No período pré-parto a concentração de prolactina aumenta • Durante o período de parto a gata recusa-se a comer e fica inquieta, lambendo a região reprodutiva • A gata expulsa os gatinhos da ninhada anterior durante a última semana • Com a iminência do parto a gata fica inquieta, e simula posição de defecação, sem defecar
  10. 10. ESTÁGIOS DO PARTO 1. Caracterizado pela organização do ninho, inquietação, tremores e anorexia. Nesse período a cérvix dilata-se e a contração uterina aumenta em frequência, duração e força. 2. Caracterizado por evidente contração abdominal, passagem de fluido amniótico e parição de um filhote. 3. Saída da placenta de 5 a 15 minutos. Espera para o nascimento dos outros filhotes (que em média pode ir de 10 min até 2h)
  11. 11. INTERAÇÃO MÃE-FILHOTE (PÓS-PARTO) • Lambedura exagerada de si mesma e de seu filhote • Cuidado com os filhotes: lambedura dos genitais do neonato para limpar e estimular micção e defecação (come os dejetos) • Estimula os filhotes a mamar • Nunca os deixam sozinhos por mais de duas horas (sai apenas para alimentar-se e exercitar)
  12. 12. PÓS-PARTO • Se o filhote se encontrar em outro local, ela o carrega de volta ao ninho pela parte dorsal do pescoço • A interação entre mãe-filhote muda à medida que ele se desenvolve • Ao passo que crescem a mãe pode bater no nariz dos gatinhos, arrastá-los para longe ou ir embora para evitar mordida dos mamilos
  13. 13. PÓS-PARTO • Ato de comer a placenta além de ser para a manutenção de um local limpo para os filhotes, também serve para não atrair predadores. • O peso do neonato aumenta significativamente em torno de 14-15 dias • Mudança de local: impedir que predadores encontrem os filhotes, evitar acúmulo de ectoparasitas, restos de alimentos
  14. 14. O NEONATO • Nasce com o canal auditivo, e o olho fechados • Tato, olfato e paladar são funcionais desde o nascimento • Função hepática e renal imatura • Não controla termorregulação • Funções cardiopulmonar, gastrintestinal e imunológica ainda imaturas
  15. 15. CUIDADOS COM O NEONATO • Após o nascimento a gata reanima o filhote liberando-os das membranas fetais sobre a boca e nariz, lambendo para estimular a respiração, secagem e manutenção da temperatura corporal, secção do cordão umbilical e estímulo à amamentação (colostro). • A mãe deve alimentá-los de hora em hora, e periodicamente os lamber para estimular reflexos de micção e defecação (reflexo anogenital) • Passa muito tempo com o filhote que depende do seu calor e alimento(não se deve separar todos os filhotes da mãe, a gata fica desesperada procurando-os)
  16. 16. CUIDADOS COM O NEONATO • Os filhotes apegam-se a uma mama em particular por costume • Diferentes colostros são produzidos de 24 a 72 h após o nascimento, e depois torna-se leite (que sempre muda em decorrer do desenvolvimento do filhote) Composição do leite -GATA PROTEÍNA TOTAL 9,50% LACTOSE 100% GORDURA TRANS 6,80% SÓDIOS TOTAIS 23% ENERGIA 142%
  17. 17. CUIDADOS COM O FILHOTE • Crescimento até maturidade sexual • Em aproximadamente 8 semanas, a mãe trará presas para as crias, e as vezes até viva ensinando-os caçar e matar • Durante as fases finais do contato com a cria ela o ensina por observação: habilidades de caça e outras atitudes básicas necessária para a independência da cria.
  18. 18. DESMAME • Com o nascimento dos primeiros dentes, os incisivos (2ª ou 3ª semana)gerando desconforto para a fêmea que para de amamenta-los • Baixa do instinto maternal • Habilidade dos filhotes em caçar • A partir da 6ª semana, onde gradativamente os intervalos entre as mamadas irão aumentar
  19. 19. FALHA NO INSTINTO MATERNO • Rejeições • Canibalismo: Ainda não totalmente elucidado- subnutrição da mãe, problema de saúde com algum dos filhotes, ao comer o cordão umbilical pode comer partes do filhote(raro)
  20. 20. ADOÇÃO • Quando duas ou mais fêmeas tem filhotes na mesma época, elas podem revezar a amamentação dos seus filhotes • Uma fêmea pode “roubar” o filhote da outra gata, mais tímida • Durante a primeira semana após o parto, a gata pode aceitar filhotes de outras espécies
  21. 21. CUIDADO PATERNAL • O macho não exerce importância no desenvolvimento da cria • Pode comê-los por territorialismo.
  22. 22. CASO GATA SCARLETT
  23. 23. • OBRIGADA!

×