III PROPESQPP

190 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
190
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

III PROPESQPP

  1. 1. DIALOGISMO, PRODUÇÃOE CIRCULAÇÃO DE SENTIDOSNA LINGUAGEM PUBLICITÁRIACONTEMPORÂNEA:EDUARDO E MÔNICA – O FILMEProfª. Drª.Vanessa Cardozo BRANDÃOe Nayelle OSÉLASPUC MINASBelo Horizonte/MG
  2. 2. Cultura e estética “pós-hiper-moderna” • Investigação sobre tendências da linguagem publicitária contemporânea : perspectiva estética - parâmetros de criação, a partir de conceitos do campo das Artes e Comunicação • Mapeamento de algumas estratégias enunciativas que constituem o "criativo" não mais pelo parâmetro da originalidade (invenção e vanguarda), mas pela releitura (bricolagem, ponto de vista) • Visões diferentes do campo teórico apontando para convergência entre a Cultura e as Mídias – arte e estética contemporânea alimentadas pelo sistema de consumo, usando dispositivos midiáticos e construindo-se no contexto da produção cultural - Heartney, Calabrese (neobarroco), Lipovetsky (hipermodernidade), Hutcheon (poética do pós-modernismo) Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  3. 3. Cultura e estética “pós-hiper-moderna” • Cultura como totalidade da experiência social – mais que produtos culturais • Aproximações entre Cultura e Comunicação (problema da generalização dos termos) – Sodré • Cultura como cadeia de sentido, rede de significantes do indivíduo para apreensão dos acontecimentos dentro do sistema social, modo de vida, valores e costumes => sobretudo pela via estética • Parâmetros de criação e estética do nosso tempo: multiculturalismo, ponto de vista relativo criando noção de várias estéticas de sub-grupos • Para a Publicidade – estratégia enunciativa: terreno fértil em possibilidades de novos discursos, o engendramento de elementos do sistema cultural para facilitar a persuasão • Consumo como ato cultural (Lívia Barbosa) Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  4. 4. Cultura e estética “pós-hiper-moderna” • Lipovetsky “Sedução, Publicidade e Pós-modernidade” (2000): publicidade, não mais limitada a racionalidade argumentativa, passa a atuar no imaginário dos indivíduos. • Rede de significantes na Publicidade – jogo de apresentação do signo enquanto matéria, para além da representação de uma ideia (metalinguagem, autoreferencialidade – paródia e ironia) • Jameson (1985): pastiche como característica da linguagem publicitária, "retrô" que designa vazio de uma sociedade sem novidade • Conceito de paródia e ironia como centrais na poética do pós-modernismo – Hutcheon. Outro critério estético: não é mais o da vanguarda e ruptura com sistema vigente => Inovação na multiplicidade, na releitura crítica a partir de um novo ponto de vista Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  5. 5. Cultura e estética “pós-hiper-moderna” • Carrascoza (2003): questão do plágio na criação publicitária. • Relação com o tempo: Condição pós-moderna - Jameson (1985) - dificuldade de relacionamento com o tempo na construção de uma história. Indivíduo pós-moderno e sua dificuldade de se relacionar com o presente. • Lipovetsky - tradições como fonte de inspiração para o presente: “Celebrando até o menor objeto do passado, (...) a hipermodernidade não é estruturada por um presente absoluto; ela o é por um presente paradoxal, um presente que não pára de exumar e ‘redescobrir’ o passado.” (2004, p.14) • Bakhtin - dialogismo - formas de convocar outros discursos para uma multiplicidade de vozes discursivas precedentes, recompostas em uma estética que produz novos efeitos de sentido Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  6. 6. Criatividade na linguagem: inovação publicitária • Originalidade e ousadia, no contexto contemporâneo • Criação => repertório => dialogismo e polifonia • Nova perspectiva que se utiliza do “velho” como matéria-prima No mundo em que a inovação estilística não é mais possível, tudo o que restou é imitar estilos mortos, falar através de máscaras e com as vozes dos estilos do museu imaginário. Mas isto significa que a arte pós-moderna ou contemporânea deverá ser arte sobre a arte de um novo modo; mais ainda, isto significa que uma de suas mensagens essenciais implicará necessariamente a falência da estética e da arte, a falência do novo, o encarceramento no passado. (JAMESON, 1985. p. 20). • Lipovetsky (2000): pós-modernidade alcança a saturação criativa, não há possibilidades matemáticas de criar como no período moderno. • Parâmetro estético virou um jogo em que a busca é eterna, e tudo é passageiro. Metáfora da linha do horizonte Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  7. 7. Criatividade na linguagem: inovação publicitária • Processo de toda a linguagem, não só publicitária, é sujeito às transformações: plano tecnológico, capacidade dialógica, abertura para busca de mais campos de sentido. • Carrascoza (2004) – descoberta de novas formas de comunicação e interação com o público, diversos recursos linguísticos e formas de diferenciação • Alteração de eixo – do apolíneo ao dionisíaco: mensagem mais implícita, sutil e subjetiva. Publicidade narrativa: storytelling e a arte de contar histórias. • Lugar da propaganda pós-moderna: retomada de estéticas e textos do passado, referências anteriores sob nova ótica – novo como releitura, pastiche e estilização de textos, em dialogismo com a cultura. • Mobilização de histórias do passado: a narrativa recontada Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  8. 8. “Eduardo e Mônica – O filme”: publicidade disfarçada de narrativa fílmica para WEB • Elementos da linguagem narrativa, com técnicas de storytelling • Escolha da música de Renato Russo: retomada de um objeto da cultura musical brasileira • Justaposição de planos – enunciação visual e enunciação textual da letra da canção • Releitura no tempo atual – contextualização do produto/serviço ofertado pela marca • Pastiche – preservação conservadora da história contada • Novo – formato híbrido, desde a estruturação do vídeo até a sua disseminação • Estética: Comercial – Videoclipe – Filme • Distribuição: viral na internet + salas de cinema Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  9. 9. “Eduardo e Mônica – O filme”: publicidade disfarçada de narrativa fílmica para WEB Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  10. 10. “Eduardo e Mônica – O filme”: publicidade disfarçada de narrativa fílmica para WEB Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  11. 11. “Eduardo e Mônica – O filme”: publicidade disfarçada de narrativa fílmica para WEB Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  12. 12. “Eduardo e Mônica – O filme”: publicidade disfarçada de narrativa fílmica para WEB • Discurso narrativo, história da música, ficção de um filme que não houve, videoclipe enfim realizado, homenagem, campanha publicitária? Jogo, “trapaça” com o público • História de anos atrás re-apresentada, emprega passado de forma recontextualizada (conservadora em linguagem fílmica, inovadora em aspectos de viralização) • Música, vídeo, imagens, cartazes – transmídia e formas rizomáticas de inserção e disseminação. • Intertextualidade e Polifonia – elementos de outras estéticas recompostos em uma ordem discursiva da marca: híbrido de várias linguagens de produtos culturais (música, videoclipe, filme), atualizados para atrair o olhar do público. Criativo: nada de novo em si, mas na releitura, no modo de contextualização. • Nova forma de distribuição, em que o público que gera a circulação da peça Profª. Drª. Vanessa Cardozo BRANDÃO e Nayelle OSÉLASDIALOGISMO, PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA CONTEMPORÂNEA: EDUARDO E MÔNICA – O FILME
  13. 13. VANESSA CARDOZO BRANDÃOvcbrandao@gmail.comNAYELLE OSÉLASnayelleoselas@gmail.com

×