C omo   E s c re ve r   p a ra We bC o n s t r u in d o a p ir â m id e
C it a ç õ e s“O jornalismo na web pode ser muito mais do que oatual jornalismo online. Com base na convergênciaentre text...
In t r o d u ç ã oA forma como o usuário navega nas páginas da Web e aexigência de ajustar os conteúdos a novos dispositiv...
O R G A N IZ A Ç Ã O  D O TE XTO N A        WE BAplicando a técnica da pirâmide
A t é c n ic a d a p ir â m id e                       A pirâmide invertida é uma metáfora utilizada paraAnálise e        ...
A P ir â m id e In v e r t id a Ve r t ic a l                Lead                 Dados             complementares        ...
E n t e n d e n d o a P ir â m id e                 In v e r t id aLeadNesta parte do texto estão as informações essenciai...
E n t e n d e n d o a P ir â m id e            In v e r t id a
E x e m p lo
A P ir â m id e H o r iz o n t a l                      A primeira frase do lead contém o maior poder de informação.      ...
A P ir â m id e H o r iz o n t a l        Nível de       Nível de        Nível deBase                                  exp...
E n t e n d e n d o a P ir â m id e                 H o r iz o n t a lUnidade base ou leadÉ indispensável na composição do...
E n t e n d e n d o a P ir â m id e           H o r iz o n t a l
E n t e n d e n d o a P ir â m id e           H o r iz o n t a l
P a d r ã o d e le it u r a F
P a d r ã o d e le it u r a E
P a d r ã o d e le it u r a L
C O N S T R U IN D O  A P IR Â M ID ETécnicas e dicas para tornar um      texto mais atrativo
C o n s t r u in d o a p ir â m id e Iniciar a frase em particular a do título (seja externo ou por  diferenciação tipogr...
M o d if ic a r a o r d e m d o s                e le m e n t o sTroca da Ordem dos elementos da frase de forma acomeçar c...
U s o d a v o z p a s s iv a s e m p r e         q u e n e c e s s á r ioSamuel Gili Gaya, destaca o que chama           d...
O u s o d e d o is p o n t o sEste recurso é válido para levar para o lado esquerdo as palavrasmais portadoras de informaç...
O u s o d e d o is p o n t o s
P a la v r a s q u e n ã o s e r v e m        p a r a in ic ia r t ít u lo sOs artigos estão na categoria de piores palavr...
ATE N Ç Ã O A O S   D E TA L H E STécnicas de pontuação e revisão
Ta m a n h o d o p e r í o d oEm edições digitais deve-se prezar por textos sintéticos.Frases longas são difíceis de ler e...
Ta m a n h o d o p e r í o d oSoluções para frases longas: Divida as frases longas em várias breves. Suprima ou desloque...
S ig la s , a c r ô n im o s e               a b r e v ia t u r a s•   Significado: no texto impresso é costume apresentar...
N ú m e r o s e G r if o sNúmeros Cifras simples: utilize números, pois facilitam a leitura e  reduzem o número de caract...
D ic a s g e r a is p a r a        c o ns truç ã o d e te xtoRecomendável Usar intertítulos Exprimir uma ideia por parág...
O utra s re c o me nd a ç õ e s O bom uso de frases longasSegundo Roy Peter Clark se o sujeito e o verbo forem   separado...
R e f e r ê n c ia s B ib lio g r á f ic a sCANAVILHAS, João Messias.Webjornalismo: Da pirâmide invertida à pirâmidedeitad...
O B R IG A D A !           Carlos Eduardocarlos.eduardo.silva@tvglobo.com.br       Nathalia Sandonato  nathalia.sandonato@...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Como escrever para Web: Construindo a Pirâmide Invertida

2.865 visualizações

Publicada em

Material multimídia produzidos pelos alunos carlo Eduardo Santos Silva, Nathalia Sandonato e Stephanie Sallandra, estudantes da disciplina Redação para Internet do curso Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, da Universidade Estácio de Sá, campus Madureira.

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.865
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
371
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
95
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como escrever para Web: Construindo a Pirâmide Invertida

  1. 1. C omo E s c re ve r p a ra We bC o n s t r u in d o a p ir â m id e
  2. 2. C it a ç õ e s“O jornalismo na web pode ser muito mais do que oatual jornalismo online. Com base na convergênciaentre texto, som e imagem em movimento, owebjornalismo pode explorar todas as potencialidadesque a internet oferece, oferecendo um produtocompletamente novo: a webnotícia.” João CanavilhasAdote a voz passiva; viole a ordem ‘lógica’ de sujeito,verbo, objeto direto e indireto; use os dois pontos denovas formas; elimine artigos; use siglas e números deforma diferente... Guilhermo Franco
  3. 3. In t r o d u ç ã oA forma como o usuário navega nas páginas da Web e aexigência de ajustar os conteúdos a novos dispositivos econtextos em que eles são apresentados obrigam umareavaliação da forma como se escrevem os textos, inclusivedesafiando o purismo da linguagem em termos de sintaxe enormas consagradas em manuais de redação jornalísticafeitos para o mundo impresso.Leva-se a uma apropriação da voz passiva; a propor aviolação da ordem “lógica” de sujeito, verbo, objeto direto,indireto e advérbio; a usar dois pontos de novas formas; aeliminar os artigos; a manejar siglas e números de formadiferente. O início de tudo isto é a oração, o bloco com que seconstrói a pirâmide.
  4. 4. O R G A N IZ A Ç Ã O D O TE XTO N A WE BAplicando a técnica da pirâmide
  5. 5. A t é c n ic a d a p ir â m id e A pirâmide invertida é uma metáfora utilizada paraAnálise e demonstrar como a informação deve ser arranjada ouconstrução do textoaplicando a técnica apresentada num texto, particularmente em técnicas dedas pirâmides redação.invertidas (verticale horizontal) “A Internet não apenas resgatou a importância da pirâmide invertida como a melhor estrutura para apresentar textos, como também abriu a possibilidade de que o próprio usuário a construa.”
  6. 6. A P ir â m id e In v e r t id a Ve r t ic a l Lead Dados complementares Final
  7. 7. E n t e n d e n d o a P ir â m id e In v e r t id aLeadNesta parte do texto estão as informações essenciais.Dados complementaresOutras informações que, conectadas ao tema principal,dão uma dimensão mais geral do fato.Trata-se daexplicação do texto.FinalNão significa, necessariamente, conclusão. Além disso,a internet propicia a expansão do texto e constanteatualização.
  8. 8. E n t e n d e n d o a P ir â m id e In v e r t id a
  9. 9. E x e m p lo
  10. 10. A P ir â m id e H o r iz o n t a l A primeira frase do lead contém o maior poder de informação. Este princípio se estende aos inícios do parágrafo, intertítulos quePara o jornalismo separam blocos temáticos (que se convertem em título se nãona internet, a enviados a páginas diferentes), itens dentro de uma enumeração,proposta é a legendas, sumários e links de hipertexto.pirâmide horizontal  Destaca a importância de colocar no lado esquerdo, os elementos que portem mais informação  Exercício de hierarquização: a busca visual dos conteúdos mais relevantes Uma conclusão óbvia é que, quando falamos de textos no ambiente da Web, a ordem dos fatores altera sim, o produto numa frase. Com a pirâmide horizontal, o leitor escolhe o caminho que percorrerá em sua leitura.
  11. 11. A P ir â m id e H o r iz o n t a l Nível de Nível de Nível deBase exploração explicação contextulização
  12. 12. E n t e n d e n d o a P ir â m id e H o r iz o n t a lUnidade base ou leadÉ indispensável na composição do texto noticioso.Responde às questões “O quê”, “Quando”, “Quem” e “Onde”.O Nível de ExplicaçãoResponde às questões “Por Quê” e “Como”, completando ainformação essencial sobre o fato.No Nível de ContextualizaçãoAgrega-se mais informação (em texto, vídeo, som ou infografiaanimada, sobre cada uma das questões)O Nível de ExploraçãoAqui entra a hipertextualidade, que liga uma notícia a outrasrelacionadas ou a materiais correspondentes.
  13. 13. E n t e n d e n d o a P ir â m id e H o r iz o n t a l
  14. 14. E n t e n d e n d o a P ir â m id e H o r iz o n t a l
  15. 15. P a d r ã o d e le it u r a F
  16. 16. P a d r ã o d e le it u r a E
  17. 17. P a d r ã o d e le it u r a L
  18. 18. C O N S T R U IN D O A P IR Â M ID ETécnicas e dicas para tornar um texto mais atrativo
  19. 19. C o n s t r u in d o a p ir â m id e Iniciar a frase em particular a do título (seja externo ou por diferenciação tipográfica da primeira frase do “lead”, com palavras portadoras de informação ou palavras-gancho, favorece a adoção da voz passiva; A proposta de violar a ordem “lógica” de sujeito, verbo,objetos direto e indireto, advérbio; Usar os dois pontos de novas maneiras;eliminar os artigos; Manejar siglas e números de forma diferente. O início de tudo isto é a oração, o tijolo com o qual se constrói a pirâmide.
  20. 20. M o d if ic a r a o r d e m d o s e le m e n t o sTroca da Ordem dos elementos da frase de forma acomeçar com a palavras-ganchoAlguns meios impressos, iniciam sistematicamente seus títuloscom os verbos. Porém, conforme a avaliação do autor/diretor, emoutras ocasiões pode ser o sujeito ou o complemento. Está éuma avaliação subjetiva.
  21. 21. U s o d a v o z p a s s iv a s e m p r e q u e n e c e s s á r ioSamuel Gili Gaya, destaca o que chama de “ marcadapreferência pela construção ativa no idioma espanhol” e até falada “repugnância geral ao uso da passiva”. No contexto daInternet, a voz passiva é uma forma de atrair para o ladoesquerdo da frase elementos que, na opinião do autor/editor,sejam mais relevantes. Obviamente, esta avaliação é subjetiva.“A voz passiva pode ser considerada (...) uma voz verbal quemodifica o conceito da ação. A relação lógica entre sujeito eobjeto não se modifica pelo fato de a oração em que se expressaser ativa ou passiva.“A voz passiva tem grande utilidade ao jornalista quando eledesconhece quem ou o que é o sujeito de sua informação”.
  22. 22. O u s o d e d o is p o n t o sEste recurso é válido para levar para o lado esquerdo as palavrasmais portadoras de informação. A utilização é tão ampla (e atévaga) que este novo uso bem poderia se justificar à luz de suasnormas: “ Os dois pontos precedem as citações textuais”.“Os dois pontos ( : ) detêm o discurso para chamar a atençãosobre o que vem a seguir”.“Emprega-se os dois pontos para conectar orações ouproposições relacionadas entre si sem a necessidade de utilizaroutro nexo”.Exemplos de relações que pode se expressar dessa forma são asde causa-efeito, conclusão ou resumo da proposição anterior,verificação ou explicação da proposição anterior.
  23. 23. O u s o d e d o is p o n t o s
  24. 24. P a la v r a s q u e n ã o s e r v e m p a r a in ic ia r t ít u lo sOs artigos estão na categoria de piores palavras para começarfrases, em especial títulos, intertítulos e itens em enumerações.Os artigos são as primeiras palavras descartáveis quando seprecisa ajustar o tamanho das frases em campos limitados porcaracteres.Em suas recomendações para escrever o que chama demicroconteúdo, Jakob Nielsen diz que, assim como as listas estãocom frequência organizadas alfabeticamente, ninguém quer queseu conteúdo seja incluído nas letras O, A e U ( o, a , os, as, um,um, unos, uma, unas ...) , no meio de muitas outras páginas quecomeçam com a mesmas letras.
  25. 25. ATE N Ç Ã O A O S D E TA L H E STécnicas de pontuação e revisão
  26. 26. Ta m a n h o d o p e r í o d oEm edições digitais deve-se prezar por textos sintéticos.Frases longas são difíceis de ler e entender por suacomplexidade.Problemas das frases longasVirgulite: frases longas precisam de separação que acabaresultando no uso excessivo ou inadequado de vírgulasQueísmo: frases longas exigem o uso de relativos,principalmente do “que”, gerando problemas estilísticos.Concordância: em frases longas há um distanciamentodos elementos da oração, ocasionando problemas naconcordância.
  27. 27. Ta m a n h o d o p e r í o d oSoluções para frases longas: Divida as frases longas em várias breves. Suprima ou desloque as frases secundárias (parentéticas) Evite o “efeito cebola” (frases explicativas sobre frases explicativas) Na dúvida opte pela simplicidade
  28. 28. S ig la s , a c r ô n im o s e a b r e v ia t u r a s• Significado: no texto impresso é costume apresentar o nome completo da entidade seguido sigla e depois somente a sigla, por conta da estrutura linear do texto. Porém, o leitor não segue essa estrutura.• Leitores internacionais: deve-se levar em conta que determinadas siglas que nos são familiares são completamente estranhas ao leitor estrangeiro• Uso de caixa alta: no texto impresso utiliza-se caixa alta em siglas com até 4 caracteres. Quando a quantia for excedida, apenas a primeira letra será maiúscula, a menos que a palavra seja impronunciável.
  29. 29. N ú m e r o s e G r if o sNúmeros Cifras simples: utilize números, pois facilitam a leitura e reduzem o número de caracteres, mesmo que estejam no início da frase. Cifras largas: escreve com numerais as que não são redondas e com letras as redondas, podendo misturar números e letras caso a complexidade do número exija.GrifosO grifo não é facilmente percebido em edições digitais devendo ser substituídos por aspas simples.Referências temporais: Como geralmente um texto permanece na web indefinidamente, expressões como “hoje”, “amanhã’, “acaba de” devem ser substituídas por informações precisas de data e hora.
  30. 30. D ic a s g e r a is p a r a c o ns truç ã o d e te xtoRecomendável Usar intertítulos Exprimir uma ideia por parágrafo Enumerardados Destacar palavras-chave através de hiperligações ou cores Ser conciso Utilizar moderadamente outras mídias para enriquecer o textoEvitar Textos longos e parágrafos enormes Exagerar no uso de links Exagerar no uso de fotos, vídeos, etc Formatar o texto como “justificado”
  31. 31. O utra s re c o me nd a ç õ e s O bom uso de frases longasSegundo Roy Peter Clark se o sujeito e o verbo forem separados sem relação de dependências entre as informações colocados sem colocar incisos explicativos ou incisos sobre incisos o que dificulta a leitura. Uso de verbos fortesSempre utilize verbos ativos Eliminar a repetição da informaçãoNão deixe o texto ficar redundante
  32. 32. R e f e r ê n c ia s B ib lio g r á f ic a sCANAVILHAS, João Messias.Webjornalismo: Da pirâmide invertida à pirâmidedeitada. Universidade da Beira Interior –Portugal,BOCC, 2006Webjornalismo: Considerações gerais sobrejornalismo na web. Universidade da Beira Interior,Portugal, BOCC, 2003FRANCO, Guillermo.Como escrever para a Web: Elementos para adiscussão e construção de manuais pararedações online. Tradução: Marcelo Soares(2009)
  33. 33. O B R IG A D A ! Carlos Eduardocarlos.eduardo.silva@tvglobo.com.br Nathalia Sandonato nathalia.sandonato@gmail.com Stephanie Salandra ssalandra@hotmail.com Seminário de Redação para Internet Profª. Gisele Barreto 2012.01

×