ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS
GOVERNANÇA CORPORATIVA
PROFESSOR: JULIO BACCHI
NATHAN AGOSTINHO FELIPE
GOVERNANÇA CORPORATIVA E ...
Governança Corporativa e Sustentabilidade
Sustentabilidade e governança corporativa são uns dos temas mais
importantes deb...
A Sustentabilidade empresarial é um conjunto de ações que uma empresa
toma, visando o respeito ao meio ambiente e o desenv...
Vantagens das práticas empresariais sustentáveis
Melhoria da imagem da empresa junto aos consumidores e comunidade em
gera...
Não utilização de formas de discriminação (raça, cor, religião, opção sexual e
etc.) nos processos de seleção de funcionár...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sustentabilidade e governança corporativa

266 visualizações

Publicada em

Sustentabilidade e governança corporativa

Publicada em: Governo e ONGs
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sustentabilidade e governança corporativa

  1. 1. ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GOVERNANÇA CORPORATIVA PROFESSOR: JULIO BACCHI NATHAN AGOSTINHO FELIPE GOVERNANÇA CORPORATIVA E SUSTENTABILIDADE MARANGUAPE-CE 2014
  2. 2. Governança Corporativa e Sustentabilidade Sustentabilidade e governança corporativa são uns dos temas mais importantes debatidos no mundo corporativo hoje em dia. Enquanto a sustentabilidade se refere à preocupação com o meio ambiente e aspectos sociais da criação de riqueza e para o debate em torno do papel das empresas no desenvolvimento sustentável, seu aspecto de longo prazo encontra-se alinhado com a essência da proposta de governança corporativa, que é o de garantir a longevidade e sucesso contínuo da empresa. Governança Corporativa é o conjunto de processos, padrões, políticas e instituições que afetam a maneira como uma corporação é dirigida, administrada ou controlada. Engloba, também, as relações entre todos os envolvidos na atividade (stakeholders) e os objetivos para os quais a corporação é governada. Os principais envolvidos são os acionistas, a alta gerência e o conselho de administração. Outros stakeholders são os empregados, fornecedores, clientes, bancos e as outras instituições financeiras de captação de recursos, os órgãos reguladores e principalmente o meio socioambiental. Atrelado à disseminação do conceito de Governança Corporativa, surgiu outro importante elemento: a Responsabilidade Social. Os dois conceitos se entrelaçam e se refletem na maneira responsável, na ética e na seriedade de propósitos e de informações que a sociedade necessita como organismo e que os acionistas de todo o mundo exigem como requisito básico. Essa foi uma importante contribuição da Governança Corporativa para as empresas de dimensão menos cosmopolita e que são o berço do empreendedorismo em países como o Brasil. Trata-se de assegurar a existência de uma sociedade viável, e não apenas lucrativa. Um ambiente em que a palavra-chave é sustentabilidade, onde predominam informações confiáveis, dirigentes coerentes com suas visões inspiradoras, processos e prioridades transparentes. Nas últimas duas décadas, a governança corporativa ganhou inquestionável importância com os diferentes aspectos do conceito aplicados ao mercado. No sentido estrito do termo, governança corporativa responde aos potenciais conflitos de interesse entre os acionistas - os proprietários - e os agentes diretamente envolvidos nas operações das empresas – os gerentes ou controladores (TRICKER, 2000; CARLSSON, 2001), e, em um sentido mais amplo, inclui um conjunto mais abrangente de relações de uma sociedade comercial com todos os agentes direta ou indiretamente afetados pelas ações da empresa (TRICKER, 2000). O assunto envolve questões como as funções e responsabilidades do conselho de diretores da empresa e de seus altos executivos, os conflitos de interesse, o tratamento dos acionistas minoritários, transparência, responsabilização, alinhamento estratégico, entre outras questões.
  3. 3. A Sustentabilidade empresarial é um conjunto de ações que uma empresa toma, visando o respeito ao meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da sociedade. Logo, para que uma empresa seja considerada sustentável ambientalmente e socialmente, ela deve adotar atitudes éticas, práticas que visem seu crescimento econômico (sem isso ela não sobrevive) sem agredir o meio ambiente e também colaborar para o desenvolvimento da sociedade. Quando um conjunto mais amplo de partes interessadas é analisado do ponto de vista da redução de risco, através de demandas dos investidores, poderia haver a subordinação dos interesses da primeira para as desse último. Isso pode até mesmo trazer uma distorção na percepção de risco da empresa, levando, por sua vez, a um atraso na tomada de decisão, que poderia antecipar ações e evitar os riscos potenciais. O que tem sido necessário é um sistema de gestão que possa antecipar não só riscos, mas mudanças no ambiente de negócios, e estar preparado para responder a isso. O desafio é a transição de um modelo de administração tradicional, centrado no acionista, para um modelo focado no equilíbrio com todos os participantes afetados pelas atividades das empresas – as partes interessadas ou stakeholders -, tendo a sustentabilidade como seu epicentro. A partir da análise geral dos principais tópicos a serem abordados para tornar a governança corporativa mais compatível com a sustentabilidade, podemos encontrar algumas questões de particular relevância para a sua capacidade de afetar outros componentes proporcionando um salto qualitativo, transformando todo o sistema de governança corporativa: adaptações dos perfis, educação, avaliação, recompensas e responsabilidades do Conselho de Administração (CA), CEO e Diretoria Executiva. A definição das formas e profundidade das mudanças dependerá, em primeiro lugar, da maneira como a empresa vê o papel da sustentabilidade no negócio – principalmente como a empresa quer se posicionar no futuro, o que requer uma reflexão sobre o papel do negócio para a sustentabilidade –, da condição atual da empresa e da forma como percebe a governança como uma ferramenta de apoio na transição para a gestão da sustentabilidade. Tudo isso para assegurar compromisso e alinhamento interno (de visão, valores, princípios e estratégia), o alinhamento entre visão e gestão (papéis, responsabilidades), e entre as diversas atividades e operações da empresa.
  4. 4. Vantagens das práticas empresariais sustentáveis Melhoria da imagem da empresa junto aos consumidores e comunidade em geral. Economia, com redução dos custos de produção. Isto é obtido, por exemplo, através da reciclagem, reutilização da água, reaproveitamento de sobras de matéria-prima e medidas de economia de energia elétrica. Melhoria nas condições ambientais do planeta. Afinal de contas, os empresários possuem filhos e netos que viverão num mundo futuro melhor ou pior, dependendo do que for feito na atualidade. Satisfação dos funcionários e colaboradores. Em função da consciência ambiental, muitas pessoas têm satisfação em trabalhar em empresas sustentáveis. Valorização das ações em bolsas de valores. Cada vez mais, investidores tem procurado dar mais atenção para a compra de ações de empresas sustentáveis socialmente e ambientalmente. Práticas sustentáveis nas empresas (exemplos): Uso de sistemas de tratamento e reaproveitamento da água. Uso racional da água e da energia elétrica. Reciclagem do lixo sólido. Reutilização de sobras de matéria-prima. Criação de projetos educacionais voltados para a preservação do meio ambiente. Adoção de projetos que visem o desenvolvimento educacional e cultural da comunidade em que a empresa está inserida. Uso de materiais recicláveis para a confecção de embalagens dos produtos. Uso de sacolas biodegradáveis (caso de supermercados, por exemplo). Uso de filtros que retém os poluentes emitidos em determinadas fases da produção industrial. Não descartar esgoto ou resíduos químicos em rios, córregos ou lagos. Não poluir o solo com produtos químicos ou qualquer outro material poluente. Não utilização, em hipótese alguma, de trabalho infantil, forçado ou escravo. Respeito total as leis ambientais do país. Não adotar práticas que visem tirar vantagens em concorrências públicas. A empresa sustentável não deve aderir, em hipótese alguma, aos esquemas de corrupção. Vale lembrar que recursos públicos desviados por corruptos significa menos investimentos em áreas essenciais para a população (saúde, educação, transportes, lazer e etc.). Uso nos processos de produção, quando possível, de fontes de energia limpa e renovável.
  5. 5. Não utilização de formas de discriminação (raça, cor, religião, opção sexual e etc.) nos processos de seleção de funcionários. Uso de formas justas, respeitando os princípios de igualdade de direitos no processo seletivo. Respeito às leis trabalhistas do país, fazendo o pagamento de forma justa e garantindo todos os direitos dos trabalhadores. Uso de práticas de produção que garantam a total segurança dos funcionários no ambiente de trabalho. Produção de mercadorias e prestação de serviços que não coloquem em risco a saúde e a segurança física ou psicológica dos consumidores. Uso de contratos com consumidores e outras empresas que sejam claros, objetivos e justos. Fornecimento de um sistema de atendimento ao consumidor (SAC) eficiente. Informar de forma adequada os consumidores a respeito das características dos produtos que vendem ou dos serviços que prestam. Além disso, é importante que a empresa oriente seus consumidores a respeito do descarte das embalagens, produtos com validade vencida ou que não serão mais utilizados por qualquer outro motivo. Adoção, quando for o caso, do sistema de logística reversa. Este visa evitar que determinados produtos sejam descartados no meio ambiente. Empresas fabricantes de pneus, pilhas, baterias, medicamente e outros produtos que possam poluir o meio ambiente devem utilizar este processo. Vale apena ressaltar que, sustentabilidade empresarial não são atitudes superficiais que visem o marketing, aproveitando a chamada “onda ambiental”. As práticas adotadas por uma empresa devem apresentar resultados práticos e significativos para o meio ambiente e a sociedade como um todo. Além de respeitar o meio ambiente, a sustentabilidade empresarial tem a capacidade de mudar de forma positiva a imagem de uma empresa junto aos consumidores. Com o aumento dos problemas ambientais gerados pelo crescimento desordenado nas últimas décadas, os consumidores ficaram mais conscientes da importância da defesa do meio ambiente. Cada vez mais os consumidores vão buscar produtos e serviços de empresas sustentáveis.

×