SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 58
[object Object],[object Object],[object Object],Modelagem de Negócios
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Modelagem de Negócios Agenda:
“ É uma descrição de como uma organização funciona, um padrão geral que descreve suas atividades principais.” (Henry Lucas) Definição  Modelo de negócio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Fornece informações sobre:
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Vantagens Modelo de negócio
Modelo Varejista
Modelo B2B
Metodologias para desenvolvimento de sistemas “ É um conjunto de regras e padrões que orientam a abordagem utilizada em todas as tarefas associadas com o  ciclo de vida  do desenvolvimento de sistemas.” (Profª. Inamarcia de Moraes Sousa Gonzalez – Notas de Aula) Fac. Santissímo Sacramento (www.sied.com.br/sys/prof_arquivos/Aps_i.ppt) Definição  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Algumas indagações... Metodologias para desenvolvimento de sistemas
[object Object],[object Object],[object Object],Aspectos Relevantes à  Metodologia
SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
“ Um sistema de gerenciamento de banco de dados consiste em uma coleção de programas para prover o acesso a esses dados.”(H. Korth) “ O objetivo principal de um sistema de banco de dados é prover um ambiente que seja  adequado  e  eficiente  para uso na recuperação e armazenamento de dados.” (H. Korth) Definição  Objetivos  SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
[object Object],[object Object],Abstração de dados SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
Abstração de dados SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Visão 1 Visão 2 Visão 3 Nível conceitual Nível físico
Abstração de dados (Exemplo-Banco) SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Dep. RH Dep.Finanças Internet Banking Nome: string Rua: string Cidade: string  Cliente Funcionário
SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Modelos de dados: Diagrama Entidade – Relacionamento (Exemplo) nome rua cidade número saldo cliente conta Conta-cliente
SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Modelo de Dados Orientado a Objeto (Exemplo) gerente funcionário secretário caixa pessoa cliente
SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Chave Primária e Estrangeira ,[object Object],[object Object]
SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Chave Primária e Estrangeira (Exemplo) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CMM - Capability Maturity Model   O “CMM” descreve os estágios de maturidade por que passam as organizações enquanto evoluem no seu ciclo de desenvolvimento de software, através de avaliação contínua, identificação de problemas e ações corretivas, dentro de uma estratégia de melhoria dos processos. Este caminho de melhoria é definido por cinco níveis de maturidade. O CMM fornece às organizações orientação sobre como ganhar controle do processo de desenvolvimento de software e como evoluir para uma cultura de excelência na gestão de software.  O objetivo principal nas transições através desses níveis de maturidade é a realização de um processo controlado e mensurado que tem como fundamento a melhoria contínua.  A cada nível de maturidade corresponde um conjunto de práticas de software e de gestão específicas, denominadas áreas-chave do processo (KPAs - Key Process Areas). Estas devem ser implantadas para que a organização possa atingir o nível de maturidade desejado. Não é uma  metodologia !
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CMM - Capability Maturity Model
[object Object],CMM - Capability Maturity Model   Hierarquia:  É importante respeitar a hierarquia dos níveis, pois sem base elas poderão ser facilmente abandonadas. Por isso há a ordenação de níveis do CMM, pois práticas dos níveis inferiores servem de base e fundamento para os superiores Visibilidade:  Um dos objetivos e benefícios principais do modelo CMM é proporcionar a visibilidade apropriada do processo de desenvolvimento, tanto para o corpo técnico quanto para o corpo gerencial. Sem o apoio de modelos como CMM é muito difícil manter controle do projeto.
[object Object],CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CMM - Capability Maturity Model   ,[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CMM - Capability Maturity Model   Exemplos  KPAs  e  Rank
SOA – Service Oriented Architecture   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],SOA Aplicativos Serviços Repositório de  Serviços Barramento de Serviços
SOA – Service Oriented Architecture   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SOA – Service Oriented Architecture   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],http://www.salesforce.com/br Exemplos SOA
Evolução dos modelos de negócio da economia digital “ O boom da Internet da última metade da década de 1990 pareceu anunciar a chegada de uma "Nova Economia” (Economia Digital), e, após a estagnação do início dos anos 1990 (crise do Petróleo), a inovação em informação e comunicação regeneraram a prosperidade econômica.” Fonte: "Internet and Digital Economics", Cambridge University Press, 2007.
Internet and Digital Economics Economia Digital e Internet ,[object Object],[object Object],[object Object],Eric Brousseau et Nicolas Curien (ed.), Cambridge University Press, 2007.
Internet and Digital Economics Capítulo II:   Evolução do modelo de negócios da nova economia  Old Economy Business Model – OEBM (Economia Industrial) Melhor descrito com base no homem da organização New Economy Business Model - NEBM  (Economia Digital) Melhor descrito como o final do homem da organização  Fonte: "Internet and Digital Economics", Cambridge University Press, 2007. Este trabalho documenta e analisa a evolução da Economia Digital ao longo do último meio século, fazendo-se a análise dos impactos na economia e nas indústrias de tecnologia de informação e comunicação dos Estados Unidos.
Internet and Digital Economics Segundo CASTELLS (1999, p.87), sociólogo espanhol, o  que difere a “Nova Economia” (Economia Digital) da Economia Industrial é a capacidade tecnológica de processar informação, gerando novo conhecimentos.  Segundo TAPSCOTT (1995),  consultor especializado em estratégia corporativa, a nova economia pode ser caracterizada como uma economia do conhecimento, uma vez que as idéias, informações dos consumidores e as tecnologias passam a integrar aos produtos.
Evolução dos modelos de negócio da economia digital Essa nova economia é caracterizada por ser global, intensamente interconectada e informacional. Informacional:  porque a produtividade e a competitividade dependem de sua capacidade de gerar a informação baseada em conhecimentos. Global:  porque as atividades produtivas, o consumo e a circulação estão organizados em escala global mediante uma rede de conexões. As novas tecnologias possibilitam a circulação rápida do capital entre as várias economias e as redes de informação ligam os vários mercados financeiros globalmente integrados.
Modelos de Negócio na Internet Modelos de negócio são as diversas formatações que os empreendimentos adquirem ao utilizar a Internet como canal de comercialização.
Modelos de Negócio na Internet Três Regras para Modelos de Negócio Emergentes   1 - Aposte no 'Made by' Especifique as opções de que o consumidor dispõe e enfatize o marketing. Seja excelente na gestão da cadeia de abastecimentos Crie algo que se pega como um vírus (benigno), que os outros adotarão e difundirão naturalmente. 2 - Crie uma marca-solução, mais do que uma marca-produto A marca tem de ser vista pelos clientes como um chapéu de soluções para problemas reais. 3 - Monte na Web uma ferramenta de navegação Ela servirá para apoiar os seus clientes. Saiba otimizar a rede que domina e torne-a transparente para o cliente Fonte: http://www.janelanaweb.com/digitais
Modelos de Negócio na Internet Um plano de negócios bem feito aumentará muito as chances de sucesso.  Qualquer serviço ou produto existente pode ser comercializado via Internet, sistematizados em três grandes grupos:  Comerciante ,  Corretagem  e  Publicidade
Comerciante: Modelos de negócios que envolvem a comercialização de serviços ou produtos tangíveis/digitais para pessoas físicas (e-tailers) ou jurídicas.  Pode ser um negócio totalmente baseado na Internet ou com reforço de uma loja tradicional. Modelos de Negócio na Internet
www.e-commerce.org.br
Corretagem: Modelos de negócios dos chamados facilitadores de negócios na Internet. São sites que facilitam e estimulam a realização de transações, através da manutenção de um ambiente virtual, que coloca em contato e aproxima os fornecedores e os potenciais compradores. Modelos de Negócio na Internet
www.e-commerce.org.br
Publicidade: Modelos de negócios que utilizam o conceito das emissoras de TV e Radio, o chamado “Broadcasting”. Oferecem produtos e serviços, gratuitamente, como informação ou entretenimento, geram um grande volume de tráfego e obtém receita através de anunciantes que desejam atingir esse público. Modelos de Negócio na Internet
www.e-commerce.org.br
Who uses the Net, and how? Quem usa a Internet, e Como? What’s the buzz, tell me what’s happening.  Qual é o zumbido? Diga-me o que está acontecendo
Who uses the Net, and how? Buzz marketing  significa uma forma de realizar um marketing por meio de idéias que se espalham pelos segmentos interessados espontaneamente sem gastar enormes quantias de dinheiro em publicidade em massa. Cases de Sucesso Puma, Nike, Post-it, Red Bull, Google, Hotmail, Pulseiras Lance Armstrong, Sandálias Havaianas, Cerveja Brahma, Nokia, Apple, 3M, dentre muitas outras. É a idéia certa, no momento certo, no lugar certo e com as pessoas corretas !!!
Who uses the Net, and how? Artigo:  Business Life Por:  Bong R. Osório (publicado em  www.philstar.com ) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Who uses the Net, and how? ,[object Object],[object Object],[object Object]
Who uses the Net, and how? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Who uses the Net, and how? Como os vírus reais, estas estratégias aproveitam o fenômeno da rápida multiplicação para levar uma mensagem a milhares e até milhões de pessoas.
Who uses the Net, and how? Google ataca redes sociais com Buzz A Google lançou em Fevereiro 2010 o Google Buzz, um novo produto que pretende ajudar os utilizadores a organizarem as suas interacções sociais on-line e permitir conversações a partir da caixa de entrada do Gmail ou de telemóveis. http://www.google.com/buzz O que é o Yahoo Buzz? É o lugar onde você pode recomendar e falar sobre as melhores notícias que as pessoas estão lendo agora. http://br.buzz.yahoo.com/
Who uses the Net, and how? Diga-nos o que está buzzando... Influencie as pessoas através de notícias e imagens.  O que está “buzzando" no seu mundo?
The Census Bureau OnLine Retailing Statistics, com relatórios completos e detalhados, assim como amostras e metodologia de estimação anuais podem ser encontradas em: www.census.gov/econ/estats ANEXO 2
Referências www.sied.com.br/sys/prof_arquivos/Aps_i. ppt   -   http://www.luis.blog.br/chave%20primaria-chave-estrangeira-e-candidata.aspx Tecnologia da Informação; Henry C. Lucas, Jr.; Ed. LTC; 2006 Sistema de banco de dados; Korth, Henry F.; Silberschatz, A.; Mardron Books; 1995 http ://www.sei. cmu . edu  -  http ://www. efagundes .com/artigos/CMM. htm Implementing the Capability Maturity Model; James R. Persse; Ed. Wiley; 1 edition  Managing the software process; Humphrey, Watts S; Ed. Addison Wesley; 1989. www.service-architecture.com   Understanding Enterprise SOA; Eric Puler; Ed. Manning, 2005. Eric Brousseau et Nicolas Curien (ed.), "Internet and Digital Economics", Cambridge University Press, 2007. Kevin Kelly, “New Rules for the New Economy”, 1999 www.e-commerce.org. br /  -  www.census. gov /econ/ estats  -  www. philstar .com
D ú v i d a s

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...Diogo Rocha Ferreira de Menezes
 
IntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para Desenvolvimento
IntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para DesenvolvimentoIntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para Desenvolvimento
IntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para DesenvolvimentoMariana Assis
 
Modelagem de Processo CMMI N3
Modelagem de Processo CMMI N3Modelagem de Processo CMMI N3
Modelagem de Processo CMMI N3Jaguaraci Silva
 
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique GabrielVisão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique GabrielHenrique Gabriel
 
Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR
Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR
Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR Devmedia
 
Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3
Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3
Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3Mario Jorge
 
CMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º EdiçãoCMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º EdiçãoAlessandro Almeida
 
Mps-br gerencia de decisões
Mps-br gerencia de  decisõesMps-br gerencia de  decisões
Mps-br gerencia de decisõesdionilson lemos
 
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...CADWARE-TECHNOLOGY
 
Visão geral do CMMI - Henrique
Visão geral do CMMI - HenriqueVisão geral do CMMI - Henrique
Visão geral do CMMI - HenriqueHenrique Gabriel
 
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL GPROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL Gjrnavarro
 
Apresentação CMMi
Apresentação CMMiApresentação CMMi
Apresentação CMMiFabio Barnes
 
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
Metodologia  de desenvolvimento de sistemasMetodologia  de desenvolvimento de sistemas
Metodologia de desenvolvimento de sistemasPriscila Stuani
 

Mais procurados (20)

GT5 - CMMI
GT5 - CMMIGT5 - CMMI
GT5 - CMMI
 
Cmmi e mps.Br
Cmmi e mps.BrCmmi e mps.Br
Cmmi e mps.Br
 
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
DESENVOLVIMENTO DE PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CMMI NIVEL DOIS DE MATURIDADE ...
 
IntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para Desenvolvimento
IntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para DesenvolvimentoIntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para Desenvolvimento
IntegraçãO De Cmmi & Six Sigma Para Desenvolvimento
 
Modelagem de Processo CMMI N3
Modelagem de Processo CMMI N3Modelagem de Processo CMMI N3
Modelagem de Processo CMMI N3
 
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique GabrielVisão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
Visão Geral do CMMI - Por Henrique Gabriel
 
Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR
Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR
Maturidade no desenvolvimento de software: CMMI e MPS-BR
 
Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3
Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3
Engenharia de Software - CMMI DEV 1.3
 
CMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º EdiçãoCMMI for Services, 4º Edição
CMMI for Services, 4º Edição
 
Mps-br gerencia de decisões
Mps-br gerencia de  decisõesMps-br gerencia de  decisões
Mps-br gerencia de decisões
 
Trabalho de CMMI
Trabalho de CMMITrabalho de CMMI
Trabalho de CMMI
 
Cmmi apresentação
Cmmi apresentaçãoCmmi apresentação
Cmmi apresentação
 
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 07/14 | Evandro Gama | Cadware-Tec...
 
Padrão de Qualidade CMMI
Padrão de Qualidade CMMIPadrão de Qualidade CMMI
Padrão de Qualidade CMMI
 
Scampi
ScampiScampi
Scampi
 
Visão geral do CMMI - Henrique
Visão geral do CMMI - HenriqueVisão geral do CMMI - Henrique
Visão geral do CMMI - Henrique
 
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL GPROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
 
CMMI e MPS.BR - Introdução
CMMI e MPS.BR - IntroduçãoCMMI e MPS.BR - Introdução
CMMI e MPS.BR - Introdução
 
Apresentação CMMi
Apresentação CMMiApresentação CMMi
Apresentação CMMi
 
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
Metodologia  de desenvolvimento de sistemasMetodologia  de desenvolvimento de sistemas
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
 

Destaque

102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授
102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授
102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授翔霖 詹
 
Presentatie Waldo Swijnenburg MARE
Presentatie Waldo Swijnenburg MAREPresentatie Waldo Swijnenburg MARE
Presentatie Waldo Swijnenburg MAREMartin Verdult
 
專業精神與自我管理 實踐大學-D3-1-詹翔霖教授
專業精神與自我管理  實踐大學-D3-1-詹翔霖教授專業精神與自我管理  實踐大學-D3-1-詹翔霖教授
專業精神與自我管理 實踐大學-D3-1-詹翔霖教授翔霖 詹
 
BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide. AllthingsFac...
BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide.  AllthingsFac...BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide.  AllthingsFac...
BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide. AllthingsFac...BaaS
 
Installation Jobstriker 12 Schritte
Installation Jobstriker 12 SchritteInstallation Jobstriker 12 Schritte
Installation Jobstriker 12 SchritteDalibor Gavric
 
How SunCell Changed the Game
How SunCell Changed the GameHow SunCell Changed the Game
How SunCell Changed the GameWenxster
 
SEO - April 2011
SEO - April 2011SEO - April 2011
SEO - April 2011zcamusio
 
สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์
สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์
สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์thaitrl
 
20 year marketing plan by rgwenceslao
20 year marketing plan by rgwenceslao20 year marketing plan by rgwenceslao
20 year marketing plan by rgwenceslaoWenxster
 
高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授
高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授
高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授翔霖 詹
 
群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授
群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授
群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授翔霖 詹
 
20 Wacky Tax Deductions
20 Wacky Tax Deductions20 Wacky Tax Deductions
20 Wacky Tax DeductionsIntuit Inc.
 
頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?
頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?
頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?翔霖 詹
 
專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授
專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授
專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授翔霖 詹
 
Was Blogger von Firmen erwarten
Was Blogger von Firmen erwartenWas Blogger von Firmen erwarten
Was Blogger von Firmen erwartenMySign AG
 
Declaração de rendimentos irpj
Declaração de rendimentos   irpjDeclaração de rendimentos   irpj
Declaração de rendimentos irpjrazonetecontabil
 
Newsletter Mayo
Newsletter MayoNewsletter Mayo
Newsletter MayoSalutaria
 

Destaque (20)

102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授
102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授
102.11.30 時間管理-自強基金會-詹翔霖教授
 
Presentatie Waldo Swijnenburg MARE
Presentatie Waldo Swijnenburg MAREPresentatie Waldo Swijnenburg MARE
Presentatie Waldo Swijnenburg MARE
 
專業精神與自我管理 實踐大學-D3-1-詹翔霖教授
專業精神與自我管理  實踐大學-D3-1-詹翔霖教授專業精神與自我管理  實踐大學-D3-1-詹翔霖教授
專業精神與自我管理 實踐大學-D3-1-詹翔霖教授
 
BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide. AllthingsFac...
BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide.  AllthingsFac...BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide.  AllthingsFac...
BaaS: Creating the No1 Child Nutrition Facebook Page Worldwide. AllthingsFac...
 
Installation Jobstriker 12 Schritte
Installation Jobstriker 12 SchritteInstallation Jobstriker 12 Schritte
Installation Jobstriker 12 Schritte
 
How SunCell Changed the Game
How SunCell Changed the GameHow SunCell Changed the Game
How SunCell Changed the Game
 
Enfermedades de origen hidrica
Enfermedades de origen hidrica Enfermedades de origen hidrica
Enfermedades de origen hidrica
 
SEO - April 2011
SEO - April 2011SEO - April 2011
SEO - April 2011
 
สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์
สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์
สรุปผลสำรวจประชาพิจารณ์
 
20 year marketing plan by rgwenceslao
20 year marketing plan by rgwenceslao20 year marketing plan by rgwenceslao
20 year marketing plan by rgwenceslao
 
Winterthur 20120507
Winterthur 20120507Winterthur 20120507
Winterthur 20120507
 
高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授
高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授
高雄工總 授課人員如何排解課堂狀況與問題處理-講師訓練班-詹翔霖教授
 
群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授
群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授
群我倫理與績效表現方法 實踐大學-D2-1詹翔霖教授
 
20 Wacky Tax Deductions
20 Wacky Tax Deductions20 Wacky Tax Deductions
20 Wacky Tax Deductions
 
頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?
頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?
頠????刻?撠?賜?蝧?靽桃 閰寧?????憭扯?憭批飛-閮蝑???€?
 
專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授
專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授
專業精神與自我管理-102.05.00-健椿工業股份有限公司-詹翔霖教授
 
Was Blogger von Firmen erwarten
Was Blogger von Firmen erwartenWas Blogger von Firmen erwarten
Was Blogger von Firmen erwarten
 
Boletim7
Boletim7Boletim7
Boletim7
 
Declaração de rendimentos irpj
Declaração de rendimentos   irpjDeclaração de rendimentos   irpj
Declaração de rendimentos irpj
 
Newsletter Mayo
Newsletter MayoNewsletter Mayo
Newsletter Mayo
 

Semelhante a FEI - Modelagem de negocios - 2° semestre 2010

Modelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentação
Modelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentaçãoModelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentação
Modelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentaçãokkrotto737
 
Gerencia de Decisões
Gerencia de DecisõesGerencia de Decisões
Gerencia de Decisõesmarviowesley
 
CMM – Capability Maturity Model
CMM – Capability Maturity Model CMM – Capability Maturity Model
CMM – Capability Maturity Model alef menezes
 
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paraleloIndicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paraleloRoberto de Pinho
 
Lumine SafeChain - Método de Desenvolvimento
Lumine SafeChain - Método de DesenvolvimentoLumine SafeChain - Método de Desenvolvimento
Lumine SafeChain - Método de DesenvolvimentoEdson Aguilera-Fernandes
 
Gerenciamento PDS
Gerenciamento PDSGerenciamento PDS
Gerenciamento PDSFatec Jales
 
Engenharia de software apostila analise de requisitos ii
Engenharia de software   apostila analise de requisitos iiEngenharia de software   apostila analise de requisitos ii
Engenharia de software apostila analise de requisitos iirobinhoct
 
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdfPedro Alcantara
 
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
Isa Show 2009   Cr 259.09   Francisco SalvadorIsa Show 2009   Cr 259.09   Francisco Salvador
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco SalvadorFrancisco Salvador
 
ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)
ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)
ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)Sergio Grisa
 
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcaseBpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcasePATH ITTS - DATA GOVERNANCE INNOVATION
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Fernando Vargas
 
Melhoria de processos do software brasileiro
Melhoria de processos do software brasileiroMelhoria de processos do software brasileiro
Melhoria de processos do software brasileiroingrid_fatec
 
Apostila Comparativo Entre Itil E Cobit
Apostila Comparativo Entre Itil E CobitApostila Comparativo Entre Itil E Cobit
Apostila Comparativo Entre Itil E CobitFernando Palma
 
Modelagem De Processos
Modelagem De ProcessosModelagem De Processos
Modelagem De ProcessosOsmar Calado
 

Semelhante a FEI - Modelagem de negocios - 2° semestre 2010 (20)

Modelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentação
Modelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentaçãoModelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentação
Modelos de maturidade CMMI e MPS.BR apresentação
 
Gerencia de Decisões
Gerencia de DecisõesGerencia de Decisões
Gerencia de Decisões
 
Mpsbr
MpsbrMpsbr
Mpsbr
 
CMM – Capability Maturity Model
CMM – Capability Maturity Model CMM – Capability Maturity Model
CMM – Capability Maturity Model
 
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paraleloIndicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
 
Lumine SafeChain - Método de Desenvolvimento
Lumine SafeChain - Método de DesenvolvimentoLumine SafeChain - Método de Desenvolvimento
Lumine SafeChain - Método de Desenvolvimento
 
Gerenciamento PDS
Gerenciamento PDSGerenciamento PDS
Gerenciamento PDS
 
Engenharia de software apostila analise de requisitos ii
Engenharia de software   apostila analise de requisitos iiEngenharia de software   apostila analise de requisitos ii
Engenharia de software apostila analise de requisitos ii
 
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
 
CMMI 7
CMMI 7CMMI 7
CMMI 7
 
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
Isa Show 2009   Cr 259.09   Francisco SalvadorIsa Show 2009   Cr 259.09   Francisco Salvador
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
 
Gestão processo BMP
Gestão processo BMPGestão processo BMP
Gestão processo BMP
 
ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)
ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)
ScModelo SCOR (Supply Chain Operations Reference – model)
 
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcaseBpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcase
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
 
Melhoria de processos do software brasileiro
Melhoria de processos do software brasileiroMelhoria de processos do software brasileiro
Melhoria de processos do software brasileiro
 
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
 
Apostila Comparativo Entre Itil E Cobit
Apostila Comparativo Entre Itil E CobitApostila Comparativo Entre Itil E Cobit
Apostila Comparativo Entre Itil E Cobit
 
Modelagem De Processos
Modelagem De ProcessosModelagem De Processos
Modelagem De Processos
 
CMMI
CMMI CMMI
CMMI
 

Último

Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................mariagrave
 
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptElifabio Sobreira Pereira
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 

Último (20)

Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 

FEI - Modelagem de negocios - 2° semestre 2010

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
  • 11. “ Um sistema de gerenciamento de banco de dados consiste em uma coleção de programas para prover o acesso a esses dados.”(H. Korth) “ O objetivo principal de um sistema de banco de dados é prover um ambiente que seja adequado e eficiente para uso na recuperação e armazenamento de dados.” (H. Korth) Definição Objetivos SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
  • 12.
  • 13. Abstração de dados SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Visão 1 Visão 2 Visão 3 Nível conceitual Nível físico
  • 14. Abstração de dados (Exemplo-Banco) SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Dep. RH Dep.Finanças Internet Banking Nome: string Rua: string Cidade: string Cliente Funcionário
  • 15. SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Modelos de dados: Diagrama Entidade – Relacionamento (Exemplo) nome rua cidade número saldo cliente conta Conta-cliente
  • 16. SGBD – Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Modelo de Dados Orientado a Objeto (Exemplo) gerente funcionário secretário caixa pessoa cliente
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. CMM - Capability Maturity Model O “CMM” descreve os estágios de maturidade por que passam as organizações enquanto evoluem no seu ciclo de desenvolvimento de software, através de avaliação contínua, identificação de problemas e ações corretivas, dentro de uma estratégia de melhoria dos processos. Este caminho de melhoria é definido por cinco níveis de maturidade. O CMM fornece às organizações orientação sobre como ganhar controle do processo de desenvolvimento de software e como evoluir para uma cultura de excelência na gestão de software. O objetivo principal nas transições através desses níveis de maturidade é a realização de um processo controlado e mensurado que tem como fundamento a melhoria contínua. A cada nível de maturidade corresponde um conjunto de práticas de software e de gestão específicas, denominadas áreas-chave do processo (KPAs - Key Process Areas). Estas devem ser implantadas para que a organização possa atingir o nível de maturidade desejado. Não é uma metodologia !
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34. Evolução dos modelos de negócio da economia digital “ O boom da Internet da última metade da década de 1990 pareceu anunciar a chegada de uma "Nova Economia” (Economia Digital), e, após a estagnação do início dos anos 1990 (crise do Petróleo), a inovação em informação e comunicação regeneraram a prosperidade econômica.” Fonte: "Internet and Digital Economics", Cambridge University Press, 2007.
  • 35.
  • 36. Internet and Digital Economics Capítulo II: Evolução do modelo de negócios da nova economia Old Economy Business Model – OEBM (Economia Industrial) Melhor descrito com base no homem da organização New Economy Business Model - NEBM (Economia Digital) Melhor descrito como o final do homem da organização Fonte: "Internet and Digital Economics", Cambridge University Press, 2007. Este trabalho documenta e analisa a evolução da Economia Digital ao longo do último meio século, fazendo-se a análise dos impactos na economia e nas indústrias de tecnologia de informação e comunicação dos Estados Unidos.
  • 37. Internet and Digital Economics Segundo CASTELLS (1999, p.87), sociólogo espanhol, o que difere a “Nova Economia” (Economia Digital) da Economia Industrial é a capacidade tecnológica de processar informação, gerando novo conhecimentos. Segundo TAPSCOTT (1995), consultor especializado em estratégia corporativa, a nova economia pode ser caracterizada como uma economia do conhecimento, uma vez que as idéias, informações dos consumidores e as tecnologias passam a integrar aos produtos.
  • 38. Evolução dos modelos de negócio da economia digital Essa nova economia é caracterizada por ser global, intensamente interconectada e informacional. Informacional: porque a produtividade e a competitividade dependem de sua capacidade de gerar a informação baseada em conhecimentos. Global: porque as atividades produtivas, o consumo e a circulação estão organizados em escala global mediante uma rede de conexões. As novas tecnologias possibilitam a circulação rápida do capital entre as várias economias e as redes de informação ligam os vários mercados financeiros globalmente integrados.
  • 39. Modelos de Negócio na Internet Modelos de negócio são as diversas formatações que os empreendimentos adquirem ao utilizar a Internet como canal de comercialização.
  • 40. Modelos de Negócio na Internet Três Regras para Modelos de Negócio Emergentes 1 - Aposte no 'Made by' Especifique as opções de que o consumidor dispõe e enfatize o marketing. Seja excelente na gestão da cadeia de abastecimentos Crie algo que se pega como um vírus (benigno), que os outros adotarão e difundirão naturalmente. 2 - Crie uma marca-solução, mais do que uma marca-produto A marca tem de ser vista pelos clientes como um chapéu de soluções para problemas reais. 3 - Monte na Web uma ferramenta de navegação Ela servirá para apoiar os seus clientes. Saiba otimizar a rede que domina e torne-a transparente para o cliente Fonte: http://www.janelanaweb.com/digitais
  • 41. Modelos de Negócio na Internet Um plano de negócios bem feito aumentará muito as chances de sucesso. Qualquer serviço ou produto existente pode ser comercializado via Internet, sistematizados em três grandes grupos: Comerciante , Corretagem e Publicidade
  • 42. Comerciante: Modelos de negócios que envolvem a comercialização de serviços ou produtos tangíveis/digitais para pessoas físicas (e-tailers) ou jurídicas. Pode ser um negócio totalmente baseado na Internet ou com reforço de uma loja tradicional. Modelos de Negócio na Internet
  • 44. Corretagem: Modelos de negócios dos chamados facilitadores de negócios na Internet. São sites que facilitam e estimulam a realização de transações, através da manutenção de um ambiente virtual, que coloca em contato e aproxima os fornecedores e os potenciais compradores. Modelos de Negócio na Internet
  • 46. Publicidade: Modelos de negócios que utilizam o conceito das emissoras de TV e Radio, o chamado “Broadcasting”. Oferecem produtos e serviços, gratuitamente, como informação ou entretenimento, geram um grande volume de tráfego e obtém receita através de anunciantes que desejam atingir esse público. Modelos de Negócio na Internet
  • 48. Who uses the Net, and how? Quem usa a Internet, e Como? What’s the buzz, tell me what’s happening. Qual é o zumbido? Diga-me o que está acontecendo
  • 49. Who uses the Net, and how? Buzz marketing significa uma forma de realizar um marketing por meio de idéias que se espalham pelos segmentos interessados espontaneamente sem gastar enormes quantias de dinheiro em publicidade em massa. Cases de Sucesso Puma, Nike, Post-it, Red Bull, Google, Hotmail, Pulseiras Lance Armstrong, Sandálias Havaianas, Cerveja Brahma, Nokia, Apple, 3M, dentre muitas outras. É a idéia certa, no momento certo, no lugar certo e com as pessoas corretas !!!
  • 50.
  • 51.
  • 52.
  • 53. Who uses the Net, and how? Como os vírus reais, estas estratégias aproveitam o fenômeno da rápida multiplicação para levar uma mensagem a milhares e até milhões de pessoas.
  • 54. Who uses the Net, and how? Google ataca redes sociais com Buzz A Google lançou em Fevereiro 2010 o Google Buzz, um novo produto que pretende ajudar os utilizadores a organizarem as suas interacções sociais on-line e permitir conversações a partir da caixa de entrada do Gmail ou de telemóveis. http://www.google.com/buzz O que é o Yahoo Buzz? É o lugar onde você pode recomendar e falar sobre as melhores notícias que as pessoas estão lendo agora. http://br.buzz.yahoo.com/
  • 55. Who uses the Net, and how? Diga-nos o que está buzzando... Influencie as pessoas através de notícias e imagens. O que está “buzzando" no seu mundo?
  • 56. The Census Bureau OnLine Retailing Statistics, com relatórios completos e detalhados, assim como amostras e metodologia de estimação anuais podem ser encontradas em: www.census.gov/econ/estats ANEXO 2
  • 57. Referências www.sied.com.br/sys/prof_arquivos/Aps_i. ppt - http://www.luis.blog.br/chave%20primaria-chave-estrangeira-e-candidata.aspx Tecnologia da Informação; Henry C. Lucas, Jr.; Ed. LTC; 2006 Sistema de banco de dados; Korth, Henry F.; Silberschatz, A.; Mardron Books; 1995 http ://www.sei. cmu . edu - http ://www. efagundes .com/artigos/CMM. htm Implementing the Capability Maturity Model; James R. Persse; Ed. Wiley; 1 edition Managing the software process; Humphrey, Watts S; Ed. Addison Wesley; 1989. www.service-architecture.com Understanding Enterprise SOA; Eric Puler; Ed. Manning, 2005. Eric Brousseau et Nicolas Curien (ed.), "Internet and Digital Economics", Cambridge University Press, 2007. Kevin Kelly, “New Rules for the New Economy”, 1999 www.e-commerce.org. br / - www.census. gov /econ/ estats - www. philstar .com
  • 58. D ú v i d a s