Percursos e permanência na maquetaria                   Projeto de Paisagismo I
1)   Escolha do localSumário          2)   Levantamento físico          3)   Percepção visual          4)   Evolução proje...
1) Escolha do local
1) Escolha do local   Câmpus da Unesp – FCT – Presidente Prudente                           Foto: Google Earth. Data das i...
1) Escolha do local   Câmpus da Unesp – FCT – Presidente Prudente                           Foto: Google Earth. Data das i...
1) Escolha do local                                     maquetaria                                                      ca...
1) Escolha do local   Medição intuitiva do local
c. Área total: x metros quadradosLevantamento físico                                 Aproximadamente 3180m²
Justificativa                         – Extensa área verde caracterizando um pequeno1) Escolha do local                   ...
2) Levantamento físico
a. Relevo fortemente acidentado: 11 curvas de nível2) Levantamento físico
a. Relevo fortemente acidentado: 11 curvas de nível2) Levantamento físico
b. Área com densa vegetação: diferentes espécies                            ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e                            frutíferas2) Levantamento físico           ...
3) Percepção visual
a. Área a céu aberto rica em vegetação;3) Percepção visual
a. Área a céu aberto rica em vegetação;3) Percepção visual
a. Área a céu aberto rica em vegetação;3) Percepção visual
b. Contato intenso com a natureza: sensação de                         entrada em um bosque;3) Percepção visual
b. Contato intenso com a natureza: sensação de                         entrada em um bosque;3) Percepção visual
b. Contato intenso com a natureza: sensação de                         entrada em um bosque;3) Percepção visual
b. Contato intenso com a natureza: sensação de                         entrada em um bosque;3) Percepção visual
c. Grade lateral, delimitando o espaço de                         circulação do espaço do pomar;3) Percepção visual
c. Grade lateral, delimitando o espaço de                         circulação do espaço do pomar;3) Percepção visual       ...
c. Grade lateral, delimitando o espaço de                         circulação do espaço do pomar;3) Percepção visual       ...
d. Cores;3) Percepção visual                                  Cores mais frequentes                                    Cor...
e. Texturas;3) Percepção visual                                             xzzz                                          ...
f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar                         o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção...
f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar                         o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção...
f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar                         o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção...
f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar                         o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção...
Outras características...3) Percepção visual                      g Isolamento;                      h. Silêncio;         ...
4) Evolução projetual
4) Evolução projetual
4) Evolução projetual
4) Evolução projetual
4) Evolução projetual
4) Evolução projetual
5) Diagnóstico
Partido4) Diagnóstico                 O diagnóstico para a área tira partido dos percursos e caminhos                 cons...
Partido4) Diagnóstico                      ... pode ser redesenhado a fim de favorecer                   o espaço e a circ...
Partido4) Diagnóstico                      Caminho do desejo                 “praça da Geo – maquetaria”
Caminho do desejo                      “praça da Geo – maquetaria”                 • Sentido rua/praça da geo       maquet...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                 • O traçado se suaviza com...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                 • A proximidade com o poma...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                 O aspecto ornamental e saz...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico                 • Ambas as á...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                 • Os bancos em pedra refor...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                     Cores predominantes no...
Partido4) Diagnóstico                 Caminho pavimentado                  “rua– maquetaria”
Caminho pavimentado                             “rua – maquetaria”                 • Sentido rua       maquetaria4) Diagnó...
Proposta para o Caminho pavimentado                          “Rua – maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho pavimentado                          “Rua – maquetaria”                 • O traçado se suaviza com...
Proposta para o Caminho pavimentado                          “Rua – maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho pavimentado                          “Rua – maquetaria”                  • Pavimento: pedra-mineir...
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                     Cores predominantes no...
Partido4) Diagnóstico                   Caminho de desejo                 “maquetaria – cantina”
Caminho de desejo                          “maquetaria – cantina”                 • Sentido maquetaria       cantina4) Dia...
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”                  • Caminho de acesso a um e...
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”                 Amendoim-acácia ou Tipuana,...
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”                 • Volumes e delimitações al...
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”                 • Pavimento: pedra-mineira ...
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”                 • Uma abertura de um novo c...
Proposta para o Caminho do desejo                       “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
Proposta para o Caminho do desejo                   “praça da Geo – maquetaria”                     Cores predominantes no...
Partido4) Diagnóstico                 Estufa abandonada
Estufa abandonada                 • Área antigamente destinada a um pomar e a uma                   estufa                ...
Proposta para a estufa abandonada:                       “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para a estufa abandonada:                       “Praça da maquetaria”                 • Criação de alternativas:4...
Proposta para a estufa abandonada:                       “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para a estufa abandonada:                       “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
Proposta para a estufa abandonada:                        “Praça da maquetaria”                 Pavimento em pedra-mineira...
Proposta para a estufa abandonada:                        “Praça da maquetaria”                 Citronela enquanto repelen...
Proposta para a estufa abandonada:                        “Praça da maquetaria”                 Equipamentos:4) Diagnóstic...
Proposta para a estufa abandonada:                        “Praça da maquetaria”                 Mobiliário:4) Diagnóstico ...
Proposta para a estufa abandonada:                       “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
Contantes do projeto                       A pedra-mineira representa a continuidade,                       cria níveis, b...
Conclusão
Conclusão
Conclusão
R 6) Referências bibliográficas• Cosalez, Lorenzo. Maquetes. 2001.• 1000x landscape architecture. 2010.• Lorenzi, Harri. P...
Percursos e permanência na maquetaria                                           Projeto de Paisagismo IFaculdade de Ciênci...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação projeto paisagismo i -percursos e permanência na maquetaria

1.789 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.789
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
72
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação projeto paisagismo i -percursos e permanência na maquetaria

  1. 1. Percursos e permanência na maquetaria Projeto de Paisagismo I
  2. 2. 1) Escolha do localSumário 2) Levantamento físico 3) Percepção visual 4) Evolução projetual 5) Diagnóstico 6) Referências Bibliográficas Percursos e permanência na maquetaria
  3. 3. 1) Escolha do local
  4. 4. 1) Escolha do local Câmpus da Unesp – FCT – Presidente Prudente Foto: Google Earth. Data das imagens: 31/07/2010. Altitude do ponto de visão: 2km
  5. 5. 1) Escolha do local Câmpus da Unesp – FCT – Presidente Prudente Foto: Google Earth. Data das imagens: 31/07/2010. Altitude do ponto de visão: 2km
  6. 6. 1) Escolha do local maquetaria caminho dos eucaliptos discente IV cantina praça da Geografia Foto: Google Earth. Data das imagens: 31/07/2010. Altitude do ponto de visão: 2km
  7. 7. 1) Escolha do local Medição intuitiva do local
  8. 8. c. Área total: x metros quadradosLevantamento físico Aproximadamente 3180m²
  9. 9. Justificativa – Extensa área verde caracterizando um pequeno1) Escolha do local bosque; – Área livre cuja passagem se destina ao acesso à maquetaria; – Maquetaria enquanto equipamento usufruído principalmente por discentes de A&U; – Intensa área de circulação dos mesmos; – Localização privilegiada, mas não valorizada; – Falta de identidade visual e reconhecimento do espaço por parte de alunos de outros cursos.
  10. 10. 2) Levantamento físico
  11. 11. a. Relevo fortemente acidentado: 11 curvas de nível2) Levantamento físico
  12. 12. a. Relevo fortemente acidentado: 11 curvas de nível2) Levantamento físico
  13. 13. b. Área com densa vegetação: diferentes espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico
  14. 14. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Flamboyants
  15. 15. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Bambus
  16. 16. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Farinha seca
  17. 17. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Goiabeira
  18. 18. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Abacateiro
  19. 19. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Mangueira
  20. 20. b. Área com densa vegetação: espécies ornamentais e frutíferas2) Levantamento físico Jabuticabeira
  21. 21. 3) Percepção visual
  22. 22. a. Área a céu aberto rica em vegetação;3) Percepção visual
  23. 23. a. Área a céu aberto rica em vegetação;3) Percepção visual
  24. 24. a. Área a céu aberto rica em vegetação;3) Percepção visual
  25. 25. b. Contato intenso com a natureza: sensação de entrada em um bosque;3) Percepção visual
  26. 26. b. Contato intenso com a natureza: sensação de entrada em um bosque;3) Percepção visual
  27. 27. b. Contato intenso com a natureza: sensação de entrada em um bosque;3) Percepção visual
  28. 28. b. Contato intenso com a natureza: sensação de entrada em um bosque;3) Percepção visual
  29. 29. c. Grade lateral, delimitando o espaço de circulação do espaço do pomar;3) Percepção visual
  30. 30. c. Grade lateral, delimitando o espaço de circulação do espaço do pomar;3) Percepção visual Área de livre acesso Pomar, acesso restrito
  31. 31. c. Grade lateral, delimitando o espaço de circulação do espaço do pomar;3) Percepção visual Área de livre acesso Pomar, acesso restrito
  32. 32. d. Cores;3) Percepção visual Cores mais frequentes Cores sazonais
  33. 33. e. Texturas;3) Percepção visual xzzz Bambuzal Emaranhado de árvores no céu Troncos das árvores Terra Batida Orvalho
  34. 34. f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção visual
  35. 35. f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção visual
  36. 36. f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção visual
  37. 37. f. Caminhos de desejo: necessidade de encurtar o caminho, ser objetivo, “chegar logo”;3) Percepção visual
  38. 38. Outras características...3) Percepção visual g Isolamento; h. Silêncio; i. Tranquilidade; j. Pouca iluminação, principalmente à noite.
  39. 39. 4) Evolução projetual
  40. 40. 4) Evolução projetual
  41. 41. 4) Evolução projetual
  42. 42. 4) Evolução projetual
  43. 43. 4) Evolução projetual
  44. 44. 4) Evolução projetual
  45. 45. 5) Diagnóstico
  46. 46. Partido4) Diagnóstico O diagnóstico para a área tira partido dos percursos e caminhos consolidados intuitivamente pelos frequentadores da área - os caminhos de desejo. O fluxo de circulação deve ser mantido, mas...
  47. 47. Partido4) Diagnóstico ... pode ser redesenhado a fim de favorecer o espaço e a circulação. Também pode instigar o fortalecimento da identidade dos percursos e novos comportamentos como a contemplação e a permanência.
  48. 48. Partido4) Diagnóstico Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria”
  49. 49. Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” • Sentido rua/praça da geo maquetaria4) Diagnóstico • É o caminho mais utilizado • Pressa, exigência de rapidez, necessidade de “cortar o caminho” • O contínuo pisotear caracteriza o percurso levemente rebaixado
  50. 50. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico
  51. 51. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” • O traçado se suaviza com ligeiras curvas, mas mantém sua característica objetiva: o caminho é um4) Diagnóstico facilitador para o acesso à maquetaria; • Pavimento: pedra-mineira ligeiramente espaçada - a grama cresce contínua à pedra, lembrando-nos do antigo caminho de terra batida.
  52. 52. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico
  53. 53. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” • A proximidade com o pomar e a pré-existência de árvores frutíferas é reforçada com amoreiras;4) Diagnóstico
  54. 54. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico
  55. 55. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” O aspecto ornamental e sazonal se dá com a Acácia “chuva-de-ouro”4) Diagnóstico
  56. 56. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria”4) Diagnóstico • Ambas as árvores, de médio porte, estão no nível de visão do pedestre que ali se depara com diferentes cores, texturas e odores. • O volume das árvores é intercalado por visões parciais da maquetaria: mistério e expectativa
  57. 57. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” • Os bancos em pedra reforçam a ideia de4) Diagnóstico continuidade enquanto se utilizam da mesmo material do pavimento • A vegetação cresce espontaneamente entre os frisos dos bancos
  58. 58. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” Cores predominantes no percurso4) Diagnóstico
  59. 59. Partido4) Diagnóstico Caminho pavimentado “rua– maquetaria”
  60. 60. Caminho pavimentado “rua – maquetaria” • Sentido rua maquetaria4) Diagnóstico • Apesar de pavimentado em concreto e “oficial”, não é largamente utilizado, se comparado ao caminho de desejo anterior • Utilizado principalmente por transeuntes ou usuários que chegam à maquetaria em automóveis.
  61. 61. Proposta para o Caminho pavimentado “Rua – maquetaria”4) Diagnóstico
  62. 62. Proposta para o Caminho pavimentado “Rua – maquetaria” • O traçado se suaviza com ligeiras curvas e privilegia a passagem por árvores ornamentais altas, o4) Diagnóstico flamboyant e a farinha-seca • As copas altas do flamboyant emolduram e exaltam o volume da maquetaria ao fundo
  63. 63. Proposta para o Caminho pavimentado “Rua – maquetaria”4) Diagnóstico
  64. 64. Proposta para o Caminho pavimentado “Rua – maquetaria” • Pavimento: pedra-mineira alinhada e polida, de4) Diagnóstico encaixe ciclópico (ou intercalada em argamassa) de modo a propiciar sem problemas o acesso à usuários cadeirantes
  65. 65. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” Cores predominantes no percurso4) Diagnóstico
  66. 66. Partido4) Diagnóstico Caminho de desejo “maquetaria – cantina”
  67. 67. Caminho de desejo “maquetaria – cantina” • Sentido maquetaria cantina4) Diagnóstico • Caminho de desejo ainda em formação • Utilizado principalmente por alunos de A&U • Permite um acesso direto à cantina, sem a necessidade de “contornar espaços” • O desenho do percurso segue a topografia: muito acidentado • Intensa mistura de espécies
  68. 68. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina” • Caminho de acesso a um espaço de convivência informal. Ao final do percurso, uma pequena praça4) Diagnóstico diante à cantina prolonga o espaço de relaxamento e alimentação • Pausa entre atividades • O caminho, visto da cantina, é convidativo para que mesmo os que necessariamente não usufruam da maquetaria, venham a conhecer o lugar. • Os bancos e mesas ao final do caminho mantêm a linguagem das pedras do pavimento
  69. 69. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
  70. 70. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
  71. 71. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
  72. 72. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina” Amendoim-acácia ou Tipuana, nativa da região4) Diagnóstico Árvores de médio porte, com floração sazonal e sementes aladas
  73. 73. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina” • Volumes e delimitações alcançadas na praça com arbusto de médio porte: mussaenda phillipica (branca)4) Diagnóstico
  74. 74. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
  75. 75. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina” • Pavimento: pedra-mineira ligeiramente espaçada -4) Diagnóstico a grama cresce contínua à pedra, lembrando-nos do antigo caminho de terra batida desejado • Ligeiros desníveis: respeito à topografia local, visão e ocultamento dos lugares a serem alcançados
  76. 76. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina” • Uma abertura de um novo caminho gera uma nova4) Diagnóstico possibilidade de conhecer o bambuzal • Convite a conhecer o espaço já existente: espaço de quietude, tranquilidade, sombra • Sons, pisotear das folhas secas, vento
  77. 77. Proposta para o Caminho do desejo “maquetaria – cantina”4) Diagnóstico
  78. 78. Proposta para o Caminho do desejo “praça da Geo – maquetaria” Cores predominantes no percurso4) Diagnóstico
  79. 79. Partido4) Diagnóstico Estufa abandonada
  80. 80. Estufa abandonada • Área antigamente destinada a um pomar e a uma estufa • Lembranças dessa ocupação em árvores frutíferas4) Diagnóstico ainda existentes • Fruição destas frutas por parte dos usuários da maquetaria
  81. 81. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
  82. 82. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria” • Criação de alternativas:4) Diagnóstico 1) Espaço de relaxamento e pausa dos trabalhos da maquetaria 2) Abertura para a convivência, discussão, troca de ideias
  83. 83. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
  84. 84. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
  85. 85. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria” Pavimento em pedra-mineira polida e encaixada: mantém a continuide em todos os ambientes ligados à maquetaria.4) Diagnóstico Escadas também pedra. Convidativas, de linhas suaves, favorecem o descanso, a informalidade, além de dar continuidade ao relevo pré-existente, respeitando-o. A vegetação cresce livremente por ela
  86. 86. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria” Citronela enquanto repelente ecológico (dada a proximidade do laguinho, a presença de mosquitos é frequente)4) Diagnóstico As citronelas rodeiam a maquetaria
  87. 87. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria” Equipamentos:4) Diagnóstico - Lousa para anotações em momentos de criação emoldurada por uma trepadeira (jibóia): a natureza faz parte do construído, e vice e versa.
  88. 88. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria” Mobiliário:4) Diagnóstico - Mesas e bancos para apoio a trabalhos ou conversas a serem realizados sob as árvores - Bancos em pedra com diferentes alturas - Balanço na antiga mangueira
  89. 89. Proposta para a estufa abandonada: “Praça da maquetaria”4) Diagnóstico
  90. 90. Contantes do projeto A pedra-mineira representa a continuidade, cria níveis, bancos, muros, canteiros e os próprios percursos Linhas suaves, mas diretas
  91. 91. Conclusão
  92. 92. Conclusão
  93. 93. Conclusão
  94. 94. R 6) Referências bibliográficas• Cosalez, Lorenzo. Maquetes. 2001.• 1000x landscape architecture. 2010.• Lorenzi, Harri. Plantas ornamentais no Brasil. 2001.• Siqueira, Vera Beatri. Burle Marx. 2009.• Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras. 2002.• Abbud, Benedito, Criando paisagens. 2010.
  95. 95. Percursos e permanência na maquetaria Projeto de Paisagismo IFaculdade de Ciências e Tecnologia – UNESP – Presidente PrudenteCurso de Arquitetura e Urbanismo – II anoDiscentes: Emanuella Komatsu, Renata Ninello, Tatiane GarciaDocentes: Prof. Dr. Hélio Hirao e Prof. Ms. Maria Alessandra Boscoli

×