Sistema nervoso autonomo

7.652 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.652
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
270
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
272
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema nervoso autonomo

  1. 1. 11 SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMOSISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA)(SNA) Patos de MinasPatos de Minas 20092009 Disciplina de Neurologia
  2. 2. 2 SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMOSISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO Definição:Definição: • É a parte doÉ a parte do SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO que estáque está relacionada ao controle darelacionada ao controle da vida vegetativavida vegetativa, ou, ou seja, controla funções como aseja, controla funções como a respiração,respiração, circulação do sanguecirculação do sangue,, controle decontrole de temperatura etemperatura e digestão.digestão. Sistema Nervoso Autônomo
  3. 3. 3 DefiniçãoDefinição • Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo opera por reflexosopera por reflexos visceraisviscerais • Sinais sensitivosSinais sensitivos de partes do corpo enviam impulsos aode partes do corpo enviam impulsos ao centro medular, tronco encefálico, ou hipotálamocentro medular, tronco encefálico, ou hipotálamo queque transmitem respostas reflexas astransmitem respostas reflexas as víscerasvísceras para controlar suapara controlar sua atividadeatividade • OO SNASNA atua no músculoatua no músculo liso, cardíaco e glândulasliso, cardíaco e glândulas Sistema Nervoso Autônomo
  4. 4. 4 DefiniçãoDefinição • É também o principal responsável pelo controleÉ também o principal responsável pelo controle AUTOMÁTICOAUTOMÁTICO do corpo frente às modificações dodo corpo frente às modificações do ambienteambiente.. • HOMEOSTASIAHOMEOSTASIA: Mecanismo que permite ajustes: Mecanismo que permite ajustes corporais, mantendo assim o equilíbrio do corpo.corporais, mantendo assim o equilíbrio do corpo. Sistema Nervoso Autônomo
  5. 5. 5 HomeostasiaHomeostasia • Regulação térmica:Regulação térmica: – OsOs músculosmúsculos esqueléticos tremem para produziresqueléticos tremem para produzir calorcalor quando aquando a temperaturatemperatura corporal é muito baixa.corporal é muito baixa. – Outra forma de gerar calor envolve oOutra forma de gerar calor envolve o metabolismo de gordurametabolismo de gordura.. • Regulação química:Regulação química: – OO pâncreaspâncreas produzproduz insulinainsulina ee glucagonglucagon para regular a concentraçãopara regular a concentração dede açúcar no sangueaçúcar no sangue.. – Os pulmões absorvemOs pulmões absorvem oxigêniooxigênio e expelem dióxido de carbono.e expelem dióxido de carbono. Sistema Nervoso Autônomo
  6. 6. 6 • Apesar de se chamarApesar de se chamar Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo, ele, ele não é independente do restante do sistema nervoso.não é independente do restante do sistema nervoso. Na verdade, ele é interligado com oNa verdade, ele é interligado com o hipotálamohipotálamo, que, que coordena acoordena a RESPOSTA COMPORTAMENTALRESPOSTA COMPORTAMENTAL parapara garantir agarantir a HOMEOSTASIAHOMEOSTASIA.. Sistema Nervoso Autônomo
  7. 7. 7 AnatomiaAnatomia • OO SNASNA consiste num efluxo constituído de dois neurônios, em queconsiste num efluxo constituído de dois neurônios, em que osos axôniosaxônios pré-glanglionarespré-glanglionares que surgem dosque surgem dos Corpos CelularesCorpos Celulares nono eixo cerebroespinhal fazem sinapses comeixo cerebroespinhal fazem sinapses com fibras pós-ganglionaresfibras pós-ganglionares que se originam nosque se originam nos gânglios autônomosgânglios autônomos fora dofora do SNCSNC.. • OO SNASNA é dividido em duas partes.é dividido em duas partes. SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO SIMPÁTICOSIMPÁTICO e oe o SISTEMA NERVOSO PARASSIMPÁTICO.SISTEMA NERVOSO PARASSIMPÁTICO. Sistema Nervoso Autônomo
  8. 8. 8 Sistema Nervoso Simpático (SNS)Sistema Nervoso Simpático (SNS) • O SNS é o responsável por estimular ações que permitem aoO SNS é o responsável por estimular ações que permitem ao organismo responder a situações deorganismo responder a situações de estresseestresse, como a reação, como a reação dede LUTAR ou FUGIRLUTAR ou FUGIR.. • Essas ações são:Essas ações são: aceleração dos batimentos cardíacos,aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterialaumento da pressão arterial,, aumento da adrenalinaaumento da adrenalina,, aa concentração deconcentração de açúcar no sangueaçúcar no sangue e pela ativação doe pela ativação do metabolismometabolismo geral do corpo e processam-se de formageral do corpo e processam-se de forma automáticaautomática,, INDEPENDENTEMENTE DA NOSSA VONTADE.INDEPENDENTEMENTE DA NOSSA VONTADE. Sistema Nervoso Autônomo
  9. 9. 9 Sistema Nervoso SimpáticoSistema Nervoso Simpático • Anatomicamente ele é formado porAnatomicamente ele é formado por doisdois grupos degrupos de neurôniosneurônios PRÉ E PÓS-GANGLIONARESPRÉ E PÓS-GANGLIONARES.. • Seus neurôniosSeus neurônios PRÉ-GLANGLIONARESPRÉ-GLANGLIONARES se situam nase situam na Medula Espinhal, nos níveis deMedula Espinhal, nos níveis de T1 a L2T1 a L2. Já os seus. Já os seus neurôniosneurônios PÓS-GANGLIONARESPÓS-GANGLIONARES se situam próximo ase situam próximo a Coluna VertebralColuna Vertebral. Seu principal neurotransmissor nas. Seu principal neurotransmissor nas fibras pré-glanglionares é afibras pré-glanglionares é a ACETILCOLINAACETILCOLINA, já em, já em suas fibras pós-ganglionares é asuas fibras pós-ganglionares é a NORADRENALINANORADRENALINA.. Sistema Nervoso Autônomo
  10. 10. 10 Sistema Nervoso SimpáticoSistema Nervoso Simpático Descarga Simpático Adrenal:Descarga Simpático Adrenal: • DILATAÇÃO DA PUPILA;DILATAÇÃO DA PUPILA; • TAQUICARDIA;TAQUICARDIA; • AUMENTA PRESSÃO ARTERIAL;AUMENTA PRESSÃO ARTERIAL; • VASOCONSTRIÇÃO;VASOCONSTRIÇÃO; • INIBIÇÃO GASTRINTESTINAL;INIBIÇÃO GASTRINTESTINAL; • EFEITOS METABÓLICOS (ENERGIA).EFEITOS METABÓLICOS (ENERGIA). Sistema Nervoso Autônomo
  11. 11. 11 Sistema Nervoso ParassimpáticoSistema Nervoso Parassimpático • Chama-seChama-se Sistema Nervoso ParassimpáticoSistema Nervoso Parassimpático a parte do sistemaa parte do sistema nervoso autônomo cujos neurônios se localizam nonervoso autônomo cujos neurônios se localizam no TroncoTronco CerebralCerebral ou naou na Medula SacralMedula Sacral, segmentos, segmentos S2, S3S2, S3 ee S4S4.. • NoNo Tronco CerebralTronco Cerebral, o sistema nervoso parassimpático é formado, o sistema nervoso parassimpático é formado mais especificamente pelos seguintesmais especificamente pelos seguintes Núcleos de NervosNúcleos de Nervos CranianosCranianos, que por sua vez participam da formação dos seguintes, que por sua vez participam da formação dos seguintes Pares de Nervos Cranianos:Pares de Nervos Cranianos: Sistema Nervoso Autônomo
  12. 12. 12 Núcleos e Pares de Nervos CranianosNúcleos e Pares de Nervos Cranianos • Núcleo de Edinger-WestphalNúcleo de Edinger-Westphal -- Nervo Oculomotor (III);Nervo Oculomotor (III); • Núcleo Salivatório SuperiorNúcleo Salivatório Superior -- Nervo Facial (VII);Nervo Facial (VII); • Núcleo Salivatório InferiorNúcleo Salivatório Inferior -- Nervo Glossofaríngeo (IX);Nervo Glossofaríngeo (IX); • Núcleo Motor Dorsal do VagoNúcleo Motor Dorsal do Vago -- Nervo Vago (X);Nervo Vago (X); • Núcleo AmbíguoNúcleo Ambíguo -- Nervo Vago (X);Nervo Vago (X); Sistema Nervoso Autônomo
  13. 13. 13 Sistema Nervoso ParassimpáticoSistema Nervoso Parassimpático • Emerge dos 10 pares de nervos cranianos e S2 a S4Emerge dos 10 pares de nervos cranianos e S2 a S4;; • NÃO INERVANÃO INERVA: vasos, glândulas sudoríparas, pêlos: vasos, glândulas sudoríparas, pêlos,, baço e supra-renal;baço e supra-renal; • Atuação mais restrita;Atuação mais restrita; • Restauração e conservação de energia;Restauração e conservação de energia; • Poupador.Poupador. Sistema Nervoso Autônomo
  14. 14. 14 Sistema Nervoso ParassimpáticoSistema Nervoso Parassimpático • OO Sistema Nervoso ParassimpáticoSistema Nervoso Parassimpático também apresenta uma viatambém apresenta uma via com dois neurônios,com dois neurônios, pré-ganglionarpré-ganglionar, e o neurônio, e o neurônio pós-pós- ganglionarganglionar,. A localização dos gânglios pertencentes ao sistema,. A localização dos gânglios pertencentes ao sistema parassimpático, porém, é geralmente perto dos órgãos-alvo,parassimpático, porém, é geralmente perto dos órgãos-alvo, podendo chegar até a estarem dentro destes órgãos.podendo chegar até a estarem dentro destes órgãos. • OO NeurotransmissorNeurotransmissor tanto da fibra pré-ganglionar como da ptanto da fibra pré-ganglionar como da pós-ós- ganglionarganglionar é aé a AcetilcolinaAcetilcolina, e os receptores podem ser, e os receptores podem ser Nicotínicos ou MuscarínicosNicotínicos ou Muscarínicos.. Sistema Nervoso Autônomo
  15. 15. 15 SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMOSISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO TRONCO ENCEFÁLICO NERVOSTRONCO ENCEFÁLICO NERVOS CRANIANOSCRANIANOS (EX. NERVO VAGO)(EX. NERVO VAGO) REGIÃO TORÁCICAREGIÃO TORÁCICA REGIÃO LOMBARREGIÃO LOMBAR REGIÃOREGIÃO SACRALCONTROLASACRALCONTROLA ÓRGÃOSÓRGÃOS PÉLVICOSPÉLVICOS SIMPÁTICOSIMPÁTICO PP AA RR AA SS SS II MM PP ÁÁ TT II CC OO Sistema Nervoso Autônomo http://fc.units.it/ppb/NeuroBiol/Neuroscienze%20per%20tutti/sym1.gif
  16. 16. 16 Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo http://www.afh.bio.br/nervoso/img/SN%20aut%C3%B4nomo.gif
  17. 17. 17 SNA SIMPÁTICOSNA SIMPÁTICO ++ SNA PARASSIMPÁTICOSNA PARASSIMPÁTICO CONTROLE ANTAGONISTACONTROLE ANTAGONISTA (SISTEMA EXCITATÓRIO + SISTEMA INIBITÓRIO)(SISTEMA EXCITATÓRIO + SISTEMA INIBITÓRIO) • OCORRE NA MAIORIA DOS ÓRGÃOS INTERNOSOCORRE NA MAIORIA DOS ÓRGÃOS INTERNOS EX. FREQÜÊNCIA CARDÍACAEX. FREQÜÊNCIA CARDÍACA INTERAÇÃO SIMPÁTICO/INTERAÇÃO SIMPÁTICO/ PARASSIMPÁTICOPARASSIMPÁTICO = Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  18. 18. 18 APENAS SIMPÁTICOAPENAS SIMPÁTICO CONTROLE TÔNICOCONTROLE TÔNICO (AUMENTA OU DIMINUI)(AUMENTA OU DIMINUI) APENAS PARASSIMPÁTICOAPENAS PARASSIMPÁTICO GLÂNDULAS LACRIMAISGLÂNDULAS LACRIMAIS Sistema Nervoso Autônomo
  19. 19. 19 SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMOSISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO ÓRGÃO ALVOÓRGÃO ALVO SIMPÁTICOSIMPÁTICO PARASSIMPÁTICOPARASSIMPÁTICO MiocárdioMiocárdio ↑↑ FCFC ↓↓ FCFC CoraçãoCoração VasodilataçãoVasodilatação VasoconstriçãoVasoconstrição PulmãoPulmão BronquiodilataçãoBronquiodilatação BronquioconstriçãoBronquioconstrição FígadoFígado ↑↑ a Liberação de Glicosea Liberação de Glicose Nenhum efeitoNenhum efeito Sistema DigestivoSistema Digestivo ↓↓ Atividade das Glândulas eAtividade das Glândulas e dos Músculos Lisosdos Músculos Lisos ↑↑ Peristaltismo e SecreçãoPeristaltismo e Secreção GlandularGlandular PupilaPupila Midríase (dilataçãoMidríase (dilatação)) Miose (constriçãoMiose (constrição)) Vasos AbdominaisVasos Abdominais ConstriçãoConstrição DilataçãoDilatação Vasos muscularesVasos musculares Constrição (Adr)Constrição (Adr) Dilatação (Ach)Dilatação (Ach) Nenhum EfeitoNenhum Efeito Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  20. 20. 20 Diferenças entre o SNS e SNPDiferenças entre o SNS e SNP • São constituídos basicamente por uma via motora com doisSão constituídos basicamente por uma via motora com dois NeurôniosNeurônios, sendo um pré-ganglionar (cujo corpo se encontra, sendo um pré-ganglionar (cujo corpo se encontra nono Sistema Nervoso CentralSistema Nervoso Central) e outro pós-ganglionar) e outro pós-ganglionar (cujo(cujo corpo se encontra emcorpo se encontra em Gânglios AutônomosGânglios Autônomos).). • NoNo Sistema SimpáticoSistema Simpático, logo depois que o nervo espinhal, logo depois que o nervo espinhal deixa o canal espinal, as fibras pré-ganglionaresdeixa o canal espinal, as fibras pré-ganglionares abandonamabandonam o nervo e passam para um dos gânglios da cadeia simpática,o nervo e passam para um dos gânglios da cadeia simpática, onde farão sinapse com um neurônio pós-ganglionar.onde farão sinapse com um neurônio pós-ganglionar. Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  21. 21. 21 Diferenças entre o SNS e SNPDiferenças entre o SNS e SNP • NoNo Sistema ParassimpáticoSistema Parassimpático, as fibras pré-ganglionares, as fibras pré-ganglionares normalmente seguem, sem interrupção, até o órgão quenormalmente seguem, sem interrupção, até o órgão que será controlado, fazendo então sinapse com os neurôniosserá controlado, fazendo então sinapse com os neurônios pós-ganglionares. Dessa maneira, percebe-se que ospós-ganglionares. Dessa maneira, percebe-se que os neurônios pré-ganglionares do simpático sãoneurônios pré-ganglionares do simpático são curtoscurtos e ose os pós-ganglionares sãopós-ganglionares são longoslongos; no parassimpático ocorre o; no parassimpático ocorre o inverso.inverso. Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  22. 22. 22 Diferenças entre o SNS e SNPDiferenças entre o SNS e SNP • Os neurônios pré-ganglionares do sistemaOs neurônios pré-ganglionares do sistema SimpáticoSimpático emergem dosemergem dos segmentossegmentos tóraco-lombarestóraco-lombares, ao passo que os do sistema, ao passo que os do sistema ParassimpáticoParassimpático emergem dos segmentosemergem dos segmentos céfalo-sacraiscéfalo-sacrais.. • As fibras nervosas dos sistemasAs fibras nervosas dos sistemas SimpáticosSimpáticos ee ParassimpáticosParassimpáticos secretam dois neurotransmissores principais. As fibras que secretamsecretam dois neurotransmissores principais. As fibras que secretam noradrenalina ativamnoradrenalina ativam receptores adrenérgicosreceptores adrenérgicos, e as que secretam, e as que secretam acetilcolina ativamacetilcolina ativam receptores colinérgicosreceptores colinérgicos.. Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  23. 23. 23 Regulação Central e IntegraçãoRegulação Central e Integração • HIPOTÁLAMOHIPOTÁLAMO –– Balanço hídricoBalanço hídrico –– TemperaturaTemperatura –– FomeFome •• PONTEPONTE –– RespiraçãoRespiração –– Freqüência cardíacaFreqüência cardíaca –– Pressão ArterialPressão Arterial •• BULBOBULBO –– RespiraçãoRespiração Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/span ish/ency/images/ency/fullsize/19239.jpg
  24. 24. 24 CÓRTEX CEREBRALCÓRTEX CEREBRAL SISTEMA LÍMBICOSISTEMA LÍMBICO VIAS DESCENDENTES • RUBORIZARRUBORIZAR •• DESMAIAR (AO VER UMADESMAIAR (AO VER UMA AGULHA)AGULHA) •• ““FRIO NO ESTÔMAGO”FRIO NO ESTÔMAGO” Regulação Central e Integração:Regulação Central e Integração: Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  25. 25. 25 REFLEXOS MEDULARES PODEM OCORRER SEM ESTÍMULO ENCEFÁLICO - MICÇÃOMICÇÃO - DEFECAÇÃO- DEFECAÇÃO - EREÇÃO PENIANA- EREÇÃO PENIANA Funções corporaisFunções corporais normalmentenormalmente influenciadas pelasinfluenciadas pelas vias dovias do ENCÉFALO.ENCÉFALO. Sistema Nervoso AutônomoSistema Nervoso Autônomo
  26. 26. 2626 SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMOSISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA)(SNA) Prof. Esp. Fabrício Rocha de OliveiraProf. Esp. Fabrício Rocha de Oliveira Patos de MinasPatos de Minas 20092009 Disciplina de Neurologia

×