Sistema motor ii

1.562 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.562
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
299
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema motor ii

  1. 1. Sistema Motor II • Movimento voluntário • Núcleos da base • Cerebelo
  2. 2. Representação motora cortical
  3. 3. Conexões intra-corticais
  4. 4. Conexões motoras corticais-subcorticais
  5. 5. Planejamento motor • A informação sensitiva influencia o planejamento e a execução do movimento. • O córtex parieto-têmporo-occipital recebe projeções de áreas somáticas superiores visuais e auditivas, processando a informação sensitiva envolvida com a percepção e a linguagem. • O córtex límbico recebe projeções de áreas sensitivas superiores e projeta para outras regiões corticais, dentre elas o córtex pré-frontal. • A informação emocional afeta o planejamento e a execução do movimento.
  6. 6. O QUE FAZ INICIARMOS O MOVIMENTO?
  7. 7. Várias funções do comportamento evocadas pelo hipotálamo e outras estruturas límbicas são mediadas pelos núcleos reticulares Estimulação da área excitatória da formação reticular causa  excitabilidade do córtex
  8. 8. Sistema reticular • vias descendentes - medula espinhal • vias ascendentes - tálamo-córtex Controle da excitabilidade do encéfalo
  9. 9. Estágios na produção do movimento voluntário Idéia Planejamento motor Execução de programas motores Movimento
  10. 10. Sistema límbico hipotálamo amígdala hipocampo outras regiões antigas do córtex funcionam para motivar a maioria das atividades motoras
  11. 11. HIPOTÁLAMO regulação cardiovascular regulação temp corporal regulação água corporal regulação gastrointestinal regulação alimentar Amígdala - emoção Hipocampo - memória e aprendizado estimulação de estruturas límbicas punição raiva medo fuga impulso sexual Sistema Límbico
  12. 12. Recuperação funcional
  13. 13. Núcleos da base • Os núcleos da base parecem ter pouca ou nenhuma participação no início de movimentos desencadeados por estímulos (como tarefas de acompanhamento orientadas visualmente ou apanhar um objeto lançado inesperadamente em direção ao indivíduo) • Desempenham um papel importante no início dos movimentos gerados internamente.
  14. 14. Núcleos da base
  15. 15. Córtex cerebral Tálamo Tronco encefálico Subst. Negra (GABA) (GABA) (dopamina) (glut) + - + Via direta: desinibe o tálamo - facilita os movimentos iniciados pelo comando cortical Via indireta: inibe o tálamo - + -
  16. 16. Núcleos da base • A via direta constitui um feedback positivo sobre os movimentos iniciados no córtex cerebral A via direta aumenta os movimentos desejados • A via indireta constitui um feedback negativo sobre tais movimentos A via indireta inibe os movimentos indesejados
  17. 17. Conexões dos N.B.
  18. 18. Núcleos da Base • ENTRADAS N.B. CAUDADO PUTÂMEM • SAÍDAS N.B. GLOBO PÁLIDO SUBST. NEGRA
  19. 19. Núcleos da Base • A atividade neuronal nos sistemas motores descendentes é intimamente correlacionada, no tempo, com o ato motor executado • A maior parte da atividade neuronal dos N.B. ocorre antes do início de qualquer movimento
  20. 20. Núcleos da Base • Distúrbios da função dos sistemas motores descendentes e da medula espinhal resultam em paresia ou paralisia • Lesões nos N.B. causam distúrbios de inicio ou término do ato motor
  21. 21. DIFERENÇAS ENTRE CONEXÕES DO N.B. E CEREBELO • N.B. - recebe entradas de todo o córtex cerebral • Cerebelo – recebe entradas somente da parte do córtex cerebral relacionado com a função sensório-motora
  22. 22. DIFERENÇAS ENTRE CONEXÕES DO N.B. E CEREBELO • A saída do cerebelo é direcionada de volta para o córtex motor e premotor • A saída dos N.B. é direcionada não somente para o córtex motor e premotor mas também para o córtex de associação pré-frontal
  23. 23. DIFERENÇAS ENTRE CONEXÕES DO N.B. E CEREBELO • Cerebelo recebe informação somato-sensorial diretamente da medula espinal • N.B. não recebe informação somato-sensorial da medula espinal
  24. 24. Patologias associadas aos núcleos da base
  25. 25. Parkinson: distúrbio hipocinético:- Acinesia – dificuldade em iniciar o movimento Redução da amplitude Bradicinesia – lentificação do movimento Tremor de repouso Face inexpressiva Huntington e hemibalismo: distúrbio hipercinético:- Discinesia – atividade motora excessiva e involun- tária Hipotonia – redução do tônus Movimentos involuntários: •Lentos •Distônicos de extremidade (atetose) •Espasmos •Aleatórios (coréia) •Amplos e violentos na extremidade (balismo) •Postura anormal e distonia
  26. 26. Cerebelo
  27. 27. Núcleo fastigialNúcleo interpósito Núcleo denteado P/ nc vestibular Equilíbrio e Movimentos oculares P/ medula espinal Execução motora P/ córtex motor e pré-motor Planejamento motor
  28. 28. Vias aferentes cerebelares 4 feixes: 2 ventrais e 2 dorsais • Espino-cerebelares dorsais – entram pelo pedúnculo cerebelar inferior – provenientes dos fusos musc., O.T.G., receptores táteis e articulares • Espino-cerebelares ventrais – entram pelo pedúnculo cerebelar superior – dos sinais motores que chegam às pontas anteriores da medula espinhal, provenientes do encéfalo (feixes cortico-espinhais e rubro- espinhais)
  29. 29. Vestíbulo-cerebelo: recebe informações do sistema vestibular sobre o movimento da cabeça e sua relação com a gravidade As células de Purkinje inibem os neurônios dos núcleos vestibulares laterais e mediais = controle da musculatura axial e músculos extensores dos membros: Equilíbrio durante a postura e deambulação Espino-cerebelo: aferências SS (tratos espino-cerebelares) Núcleo fastigial – formação reticular e ncs vestibulares laterais = controle da cabeça, pescoço e músculos proximais: Regulação dos movimentos da face, boca e pescoço e controle postural ao movimento Núcleo interpósito – núcleo rubro e VPL tálamo CMI = controle dos membros: Controle musculatura axial Cérebro-cerebelo: aferências exclusivas do córtex cerebral Núcleo denteado – tálamo áreas motoras e pré-motoras do córtex
  30. 30. Vias do vermis cerebelar
  31. 31. Vias da zona intermediária do cerebelo
  32. 32. Vias da zona lateral do cerebelo
  33. 33. Representação somática cerebelar
  34. 34. Fibras musgosas: origem em núcleos da ME e TE Conduzem informações da periferia e do córtex Fibras trepadeiras: origem núcleo olivar inferior Conduzem informações SS, visuais e córtex Têm intenso poder sináptico: espícula complexa
  35. 35. O cerebelo participa do aprendizado motor

×