SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
NÚCLEOS DA
BASE
INTRODUÇÃO
Os núcleos da base, são um conjunto de corpos de
neurônios, situados em áreas subcorticais ( abaixo do
córtex).
Participam no controle do movimento. No
planejamento do movimento e não na execução do
mesmo.
Estão envolvidos em comportamentos motores e
cognitivos
Não conecta-se diretamente com a medula.
Recebe aferências do córtex motor e
eferências do mesmo via tálamo.
INPUTS córtex cerebral → Tálamo→ NB
↓
tálamo
↓
OUTPUTS NB ← tálamo ← córtex
O Tálamo é um rele sensitivo-motor!!!!
PATOLOGIAS DOS NB
Quando tenho uma alteração nos núcleos da base, vou apresentar 3
tipos característicos de distúrbios motores:
♣ Hipertonia plástica (+ comum) ou hipotonia em alguns casos;
♣ Flutuação de tônus;
♣ Movimentos incordenados → coreicos
→ atáxicos
→ distônicos
Outras características: tremor de repouso, e ascinesia.
SISTEMA PIRAMIDAL X SISTEMA EXTRAPIRAMIDAL
Sistema piramidal: tudo o que está ligado ao trato
córtico-espinal.
Uma lesão nessa área leva a uma síndrome
piramidal: paralisia ou plegia, paresia, hipertonia
elástica, hiperrreflexia (hiperatividade reflexa medular),
sinal de Babinski, clônus, sinal de Hoffman.
Sinal de Hoffman: quando faço pinçamento do 3º
dedo, tenho um pinçamento dos outros dedos
Sistema Extrapiramidal: tudo que está fora do trato
córtico-espinal.
Uma lesão nessa área pode ocasionar: alteração na
regulação do movimento, alteração no tônus (hipertonia
plástica = ParKinson) ou hipotonia, alteração na postura,
alteração no gatilho do ato motor, alteração no controle e
cessação de movimentos automáticos.
Principais acometimentos: discinesias (presença de
movimentos incordenados) e ascinesias (lentidão no ato
motor).
Hipercinesias + hipotonia;
Ascinesias + hipertonia plástica;
SISTEMAS QUE AGEM NO ATO MOTOR
♣ Córtex cerebral: áreas 4, 6, 8, 3, 1, 2;
♣ Cerebelo;
♣ Núcleos basais motores;
♣ Tronco medular;
♣ Tálamo;
Organização do ato motor:
♣ Preparação ou identificação;
♣ Elaboração do programa motor;
♣ Execução (exige mecanismos de ajustes e correções pelo cerebelo)
ATO MOTOR
Quando queremos executar um ato motor →
a área 6 e 8 pensa como deve ser → manda
informação para o cerebelo e núcleos da base,
para elaborar e planejar a seqüência do ato
motor → a informação volta para a área 6 e 8
(dá o gatilho para a execução do ato motor) →
manda a informação para a área 4 , onde tem-
se a execução do movimento.
Com o córtex, eu penso no ato motor e realizo. Mas entre o
pensar e reagir, tenho a ação dos núcleos da base e
cerebelo.
A cada segundo, há informação da posição do sistema somático
(sistema muscular) para o cerebelo através das vias espino-
cerebelares anterior e posterior.
A partir das áreas 6 e 8 do córtex passam vias eferentes (fibras
córtico-cerebelares) para que o córtex pergunte: “ como está
o meu músculo para executar o ato motor?” Assim o cerebelo
vai comparar como estão os músculos e corrigir alguns
desequilíbrios.
Antes de enviar a informação de volta para o córtex ele
compara a execução com o planejamento.
O planejamento ou sequenciamento do ato motor é por
conta dos núcleos da base.
Depois que o ato motor foi ajustado pelo cerebelo,e
comparado com o dos núcleos basais, a informação volta
para a área 6 e 8, e depois passa para a área 4 e assim
tenho a execução do ato motor.
NÚCLEOS BASAIS MOTORES
Localizados no telencéfalo:
♣ Núcleo caudado (próximo a parede do ventrículo lateral);
♣ Núcleo Puttamen (+ caudado = neoestriatum);
♣ Núcleo globo pálido (+ interno);
Localizados no diencéfalo:
♣ Núcleos subtalâmico de Luys;
Localizados no tronco-encefálico:
♣substância negra
Existe um comando excitatório do córtex para os
núcleos basais motores. O ponto de entrada é a região
do núcleo neoestriatum. A área de saída das
informações é a região do globo pálido + substância
negra (parte reticular) = CIRCUITO BÁSICO
O tálamo é uma ponte que se interpões entre o
córtex e os núcleos basais motores.
CIRCUITO SUBSIDIÁRIO: substância negra (parte
compacta) + núcleo subtalâmico de Luys.
A substância negra tem uma função modulatória sobre o
núcleo caudado e putamen (neoestriatum).
A substância negra através da dopamina consegue
modular a ativação do núcleo neoestriatum.
CORTÉX ← ← (+) ← TÁLAMO
↓ ↑ GABA (-)
↓ GABA (-) ↑
ACH( +) neoestriatum → → → Globo Pálido
↑ + subst.negra
↑ (reticular)
DOPAMINA (-) ↑ ÁCIDO GLUTÂMICO(+) ↓ ↑ GABA (-)
subst. negra N. subtalâmico
(compacta) de Luys
CONEXÕES DOS NÚCLEOS DA
BASE
Conexões aferentes:
Tem dois caminhos para a informação partir do córtex aos
núcleos da base: diretamente ou indiretamente
Córtex cerebral → núcleos da base
Córtex cerebral → tálamo → núcleos da base
Do córtex partem aferências motoras, sensoriais (fase da
identificação motora), associativas (áreas
temporoparietocipatal), áreas límbicas.
♣ N. putamen: recebe aferências do controle motor;
♣ N. caudado: do movimento dos olhos e funções cognitivas;
♣ N. striatum ventral: funções límbicas;
Conexões internucleares:
n. Neoestriatum → globo pálido
↓
SN parte reticular
Globo pálido externo
↓
N. Subtalâmico → globo pálido
↓
SN. Parte reticular
Conexões eferentes:
N. Eferente (globo pálido e SN. parte reticular);
↓
Núcleos talâmicos: ventroanterior (VA), ventrolateral (VL) e
dorsomedial (DM);
↓
Córtex cerebral: pré-frontal ( área pré-motora, córtex cerebral, área
motora suplementar)
Através dessas eferências influenciam-se outros sistemas
descendentes: córtico-espinal e córtico-bulbar.
Além de influenciar movimentos do corpo e membros,
influencia movimentos oculares – via projeções da SN parte
reticular para os colículos superiores.
CIRCUITOS ADJACENTES
Além do circuito motor dos NB, existem 3 outros circuitos
conectados aos NB, que vão do tálamo e córtex e não
estão relacionados ao movimento:
♣ Circuito oculomotor: controle dos movimentos oculares (SN
parte reticular);
♣ Circuito pré-frontal dorsolateral: aspectos da memória
relacionados com a orientação espacial;
♣ Circuito órbito-fronto lateral: habilidade de mudança de
posição comportamental.
NEUROTRANSMISSORES
As conexões dos NB são mediadas por
neurotransmissores e existem 2 circuitos: direto e indireto;
♣ Direto: movimentos ocorrem quando as células talâmicas estão
livres da inibição. Não há a excitação do Gaba inibindo a
ativação dos núcleos talâmicos;
♣ Indireta: Há a excitação do Gaba, pela diminuição do ácido
glutamânico nos n. subtalâmicos. Consequentemente há a
diminuição da excitação na porta de saída do circuito básico e
assim diminuição da ação do tálamo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Vascularização do encéfalo
Vascularização do encéfaloVascularização do encéfalo
Vascularização do encéfalo
 
Distúrbios do movimento
Distúrbios do movimentoDistúrbios do movimento
Distúrbios do movimento
 
Sensibilidade 14
Sensibilidade 14Sensibilidade 14
Sensibilidade 14
 
Anatomia do telencéfalo
Anatomia do telencéfaloAnatomia do telencéfalo
Anatomia do telencéfalo
 
Anatomia do Sistema Nervoso
Anatomia do Sistema NervosoAnatomia do Sistema Nervoso
Anatomia do Sistema Nervoso
 
Sistema motor ii
Sistema motor iiSistema motor ii
Sistema motor ii
 
Medresumos 2016 neuroanatomia 15 - núcleos da base e centro branco medular
Medresumos 2016   neuroanatomia 15 - núcleos da base e centro branco medularMedresumos 2016   neuroanatomia 15 - núcleos da base e centro branco medular
Medresumos 2016 neuroanatomia 15 - núcleos da base e centro branco medular
 
Síndromes medulares
Síndromes medularesSíndromes medulares
Síndromes medulares
 
Anatomia do sistema nervoso periférico
Anatomia do sistema nervoso periféricoAnatomia do sistema nervoso periférico
Anatomia do sistema nervoso periférico
 
Neurotransmissores e receptores sensitivos
Neurotransmissores e receptores sensitivos Neurotransmissores e receptores sensitivos
Neurotransmissores e receptores sensitivos
 
Neurofisiologia 1
Neurofisiologia 1Neurofisiologia 1
Neurofisiologia 1
 
Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
 
Mecanismo de sinapses
Mecanismo de sinapsesMecanismo de sinapses
Mecanismo de sinapses
 
Bobath
BobathBobath
Bobath
 
Funções corticais
Funções corticaisFunções corticais
Funções corticais
 
Cortex cerebral
Cortex cerebralCortex cerebral
Cortex cerebral
 
Aula 08 sistema nervoso
Aula 08   sistema nervosoAula 08   sistema nervoso
Aula 08 sistema nervoso
 
Revisão neuroanatomia
Revisão neuroanatomia Revisão neuroanatomia
Revisão neuroanatomia
 
Medresumos 2016 neuroanatomia 08 - nervos cranianos
Medresumos 2016   neuroanatomia 08 - nervos cranianosMedresumos 2016   neuroanatomia 08 - nervos cranianos
Medresumos 2016 neuroanatomia 08 - nervos cranianos
 
Sistema nervoso periférico
Sistema nervoso periféricoSistema nervoso periférico
Sistema nervoso periférico
 

Semelhante a Nucleos da base

Semelhante a Nucleos da base (20)

Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
#Sistema Nervoso Central - Dr. Eduardo.pdf
#Sistema Nervoso Central - Dr. Eduardo.pdf#Sistema Nervoso Central - Dr. Eduardo.pdf
#Sistema Nervoso Central - Dr. Eduardo.pdf
 
Vias motoras
Vias motorasVias motoras
Vias motoras
 
rmacao Aula de formação reticular
rmacao Aula de formação reticularrmacao Aula de formação reticular
rmacao Aula de formação reticular
 
T4 formacao reticular
T4 formacao reticularT4 formacao reticular
T4 formacao reticular
 
Sistema nervoso 2010
Sistema nervoso 2010Sistema nervoso 2010
Sistema nervoso 2010
 
Sistema nervoso 2011
Sistema nervoso 2011Sistema nervoso 2011
Sistema nervoso 2011
 
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
 
CóPia De Sn Central MóDulo 8
CóPia De Sn Central  MóDulo 8CóPia De Sn Central  MóDulo 8
CóPia De Sn Central MóDulo 8
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Organização Anatomica do Telencéfalo_ Usp
Organização Anatomica do Telencéfalo_ UspOrganização Anatomica do Telencéfalo_ Usp
Organização Anatomica do Telencéfalo_ Usp
 
Tronco cerebral
Tronco cerebralTronco cerebral
Tronco cerebral
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
APG 11 - Parkinson e Alzheimer.pdf
APG 11 - Parkinson e Alzheimer.pdfAPG 11 - Parkinson e Alzheimer.pdf
APG 11 - Parkinson e Alzheimer.pdf
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
 
Medula espinal.pdf
Medula espinal.pdfMedula espinal.pdf
Medula espinal.pdf
 
11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
 
693153
693153693153
693153
 
Introdução à neuroanatomia
Introdução à neuroanatomiaIntrodução à neuroanatomia
Introdução à neuroanatomia
 
Anatomia do sistema nervoso slides completos
Anatomia do sistema nervoso slides completosAnatomia do sistema nervoso slides completos
Anatomia do sistema nervoso slides completos
 

Mais de Natha Fisioterapia (20)

Semiologia ortopedica 0
Semiologia ortopedica 0Semiologia ortopedica 0
Semiologia ortopedica 0
 
Semiologia ortopedica exame
Semiologia ortopedica   exameSemiologia ortopedica   exame
Semiologia ortopedica exame
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
 
Manuseios
ManuseiosManuseios
Manuseios
 
Fisio pediatria enfermidades-infano_juvenis
Fisio pediatria   enfermidades-infano_juvenisFisio pediatria   enfermidades-infano_juvenis
Fisio pediatria enfermidades-infano_juvenis
 
Dnpm
DnpmDnpm
Dnpm
 
Avaliaçao neo
Avaliaçao neoAvaliaçao neo
Avaliaçao neo
 
Avaliacao fisica completa do neonato
Avaliacao fisica completa do neonatoAvaliacao fisica completa do neonato
Avaliacao fisica completa do neonato
 
Aprendizado motor
Aprendizado motorAprendizado motor
Aprendizado motor
 
Shantala
ShantalaShantala
Shantala
 
Quebra de padroes
Quebra de padroesQuebra de padroes
Quebra de padroes
 
Internação
InternaçãoInternação
Internação
 
Exercicios de fortalecimento em idosos
Exercicios de fortalecimento em idososExercicios de fortalecimento em idosos
Exercicios de fortalecimento em idosos
 
Estatudo do idoso
Estatudo do idosoEstatudo do idoso
Estatudo do idoso
 
Dor no idoso
Dor no idosoDor no idoso
Dor no idoso
 
Atendimento domiciliar do idoso
Atendimento domiciliar do idosoAtendimento domiciliar do idoso
Atendimento domiciliar do idoso
 
Atendimento domiciliar ao idoso problema ou solucao
Atendimento domiciliar ao idoso  problema ou solucaoAtendimento domiciliar ao idoso  problema ou solucao
Atendimento domiciliar ao idoso problema ou solucao
 
A familia e seu ciclo vital
A familia e seu ciclo vitalA familia e seu ciclo vital
A familia e seu ciclo vital
 
Saude do idoso
Saude do idosoSaude do idoso
Saude do idoso
 
Sarcopenia
SarcopeniaSarcopenia
Sarcopenia
 

Nucleos da base

  • 2. INTRODUÇÃO Os núcleos da base, são um conjunto de corpos de neurônios, situados em áreas subcorticais ( abaixo do córtex). Participam no controle do movimento. No planejamento do movimento e não na execução do mesmo. Estão envolvidos em comportamentos motores e cognitivos Não conecta-se diretamente com a medula.
  • 3. Recebe aferências do córtex motor e eferências do mesmo via tálamo. INPUTS córtex cerebral → Tálamo→ NB ↓ tálamo ↓ OUTPUTS NB ← tálamo ← córtex O Tálamo é um rele sensitivo-motor!!!!
  • 4.
  • 5. PATOLOGIAS DOS NB Quando tenho uma alteração nos núcleos da base, vou apresentar 3 tipos característicos de distúrbios motores: ♣ Hipertonia plástica (+ comum) ou hipotonia em alguns casos; ♣ Flutuação de tônus; ♣ Movimentos incordenados → coreicos → atáxicos → distônicos Outras características: tremor de repouso, e ascinesia.
  • 6. SISTEMA PIRAMIDAL X SISTEMA EXTRAPIRAMIDAL Sistema piramidal: tudo o que está ligado ao trato córtico-espinal. Uma lesão nessa área leva a uma síndrome piramidal: paralisia ou plegia, paresia, hipertonia elástica, hiperrreflexia (hiperatividade reflexa medular), sinal de Babinski, clônus, sinal de Hoffman. Sinal de Hoffman: quando faço pinçamento do 3º dedo, tenho um pinçamento dos outros dedos
  • 7. Sistema Extrapiramidal: tudo que está fora do trato córtico-espinal. Uma lesão nessa área pode ocasionar: alteração na regulação do movimento, alteração no tônus (hipertonia plástica = ParKinson) ou hipotonia, alteração na postura, alteração no gatilho do ato motor, alteração no controle e cessação de movimentos automáticos. Principais acometimentos: discinesias (presença de movimentos incordenados) e ascinesias (lentidão no ato motor). Hipercinesias + hipotonia; Ascinesias + hipertonia plástica;
  • 8. SISTEMAS QUE AGEM NO ATO MOTOR ♣ Córtex cerebral: áreas 4, 6, 8, 3, 1, 2; ♣ Cerebelo; ♣ Núcleos basais motores; ♣ Tronco medular; ♣ Tálamo; Organização do ato motor: ♣ Preparação ou identificação; ♣ Elaboração do programa motor; ♣ Execução (exige mecanismos de ajustes e correções pelo cerebelo)
  • 9. ATO MOTOR Quando queremos executar um ato motor → a área 6 e 8 pensa como deve ser → manda informação para o cerebelo e núcleos da base, para elaborar e planejar a seqüência do ato motor → a informação volta para a área 6 e 8 (dá o gatilho para a execução do ato motor) → manda a informação para a área 4 , onde tem- se a execução do movimento.
  • 10. Com o córtex, eu penso no ato motor e realizo. Mas entre o pensar e reagir, tenho a ação dos núcleos da base e cerebelo. A cada segundo, há informação da posição do sistema somático (sistema muscular) para o cerebelo através das vias espino- cerebelares anterior e posterior. A partir das áreas 6 e 8 do córtex passam vias eferentes (fibras córtico-cerebelares) para que o córtex pergunte: “ como está o meu músculo para executar o ato motor?” Assim o cerebelo vai comparar como estão os músculos e corrigir alguns desequilíbrios.
  • 11. Antes de enviar a informação de volta para o córtex ele compara a execução com o planejamento. O planejamento ou sequenciamento do ato motor é por conta dos núcleos da base. Depois que o ato motor foi ajustado pelo cerebelo,e comparado com o dos núcleos basais, a informação volta para a área 6 e 8, e depois passa para a área 4 e assim tenho a execução do ato motor.
  • 12. NÚCLEOS BASAIS MOTORES Localizados no telencéfalo: ♣ Núcleo caudado (próximo a parede do ventrículo lateral); ♣ Núcleo Puttamen (+ caudado = neoestriatum); ♣ Núcleo globo pálido (+ interno); Localizados no diencéfalo: ♣ Núcleos subtalâmico de Luys; Localizados no tronco-encefálico: ♣substância negra
  • 13. Existe um comando excitatório do córtex para os núcleos basais motores. O ponto de entrada é a região do núcleo neoestriatum. A área de saída das informações é a região do globo pálido + substância negra (parte reticular) = CIRCUITO BÁSICO O tálamo é uma ponte que se interpões entre o córtex e os núcleos basais motores. CIRCUITO SUBSIDIÁRIO: substância negra (parte compacta) + núcleo subtalâmico de Luys. A substância negra tem uma função modulatória sobre o núcleo caudado e putamen (neoestriatum).
  • 14. A substância negra através da dopamina consegue modular a ativação do núcleo neoestriatum. CORTÉX ← ← (+) ← TÁLAMO ↓ ↑ GABA (-) ↓ GABA (-) ↑ ACH( +) neoestriatum → → → Globo Pálido ↑ + subst.negra ↑ (reticular) DOPAMINA (-) ↑ ÁCIDO GLUTÂMICO(+) ↓ ↑ GABA (-) subst. negra N. subtalâmico (compacta) de Luys
  • 15. CONEXÕES DOS NÚCLEOS DA BASE Conexões aferentes: Tem dois caminhos para a informação partir do córtex aos núcleos da base: diretamente ou indiretamente Córtex cerebral → núcleos da base Córtex cerebral → tálamo → núcleos da base Do córtex partem aferências motoras, sensoriais (fase da identificação motora), associativas (áreas temporoparietocipatal), áreas límbicas.
  • 16. ♣ N. putamen: recebe aferências do controle motor; ♣ N. caudado: do movimento dos olhos e funções cognitivas; ♣ N. striatum ventral: funções límbicas; Conexões internucleares: n. Neoestriatum → globo pálido ↓ SN parte reticular Globo pálido externo ↓ N. Subtalâmico → globo pálido ↓ SN. Parte reticular
  • 17. Conexões eferentes: N. Eferente (globo pálido e SN. parte reticular); ↓ Núcleos talâmicos: ventroanterior (VA), ventrolateral (VL) e dorsomedial (DM); ↓ Córtex cerebral: pré-frontal ( área pré-motora, córtex cerebral, área motora suplementar) Através dessas eferências influenciam-se outros sistemas descendentes: córtico-espinal e córtico-bulbar. Além de influenciar movimentos do corpo e membros, influencia movimentos oculares – via projeções da SN parte reticular para os colículos superiores.
  • 18. CIRCUITOS ADJACENTES Além do circuito motor dos NB, existem 3 outros circuitos conectados aos NB, que vão do tálamo e córtex e não estão relacionados ao movimento: ♣ Circuito oculomotor: controle dos movimentos oculares (SN parte reticular); ♣ Circuito pré-frontal dorsolateral: aspectos da memória relacionados com a orientação espacial; ♣ Circuito órbito-fronto lateral: habilidade de mudança de posição comportamental.
  • 19. NEUROTRANSMISSORES As conexões dos NB são mediadas por neurotransmissores e existem 2 circuitos: direto e indireto; ♣ Direto: movimentos ocorrem quando as células talâmicas estão livres da inibição. Não há a excitação do Gaba inibindo a ativação dos núcleos talâmicos; ♣ Indireta: Há a excitação do Gaba, pela diminuição do ácido glutamânico nos n. subtalâmicos. Consequentemente há a diminuição da excitação na porta de saída do circuito básico e assim diminuição da ação do tálamo.