Kabat aula pratica

25.268 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Kabat aula pratica

  1. 1. 05/11/2012 1 KABAT Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva Aula prática INTRODUÇÃO O método de facilitação neuromuscular proprioceptiva ( FNP, PNF), foi desenvolvido no período de 1946 a 1951, no instituto Kabat-Kaiser. As técnicas de Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva confiam principalmente na estimulação dos proprioceptores para aumentar a demanda feita ao mecanismo neuromuscular, para obter e simplificar suas respostas. O tratamento através destas técnicas é muito compreensível e envolve a aplicação dos princípios de Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva em todos os aspectos e em todas as fases de reabilitação. OBJETIVO Estas Técnicas e o método de tratamento em que são usadas visam a obter a máxima quantidade de atividade que pode ser conseguida em cada esforço voluntário e o maior número possível de repetições desta atividade para facilitar a resposta. Resumindo: aumentar a habilidade funcional do indivíduo FILOSOFIA  Todo e qualquer indivíduo tem um potencial.  De acordo com o que o paciente apresenta, temos diversas técnicas para chegar ao movimento.  Enfocar o que o indivíduo pode fazer.  Utilizar sue ponto forte para influenciar suas fraquezas.  O movimento é específico e o objetivo direcionado.  Procurara por uma atividade de reação/resposta máxima  A repetição é uma exigência para o aprendizado. INDICAÇÃO Após uma avaliação minuciosa; Quando não houver fator de risco; Quando houver habilidade do terapeuta. CUIDADOS  Não deve provocar dor;  Não deve provocar instabilidade;  Não deve priorizar a atividade reflexa sobre a voluntária;  Os contatos manuais devem ser cuidadosamente observados;
  2. 2. 05/11/2012 2 METAS Movimentos transicionais; Posturas/posição; Estabilidade; Mobilidade nas posições ou posturas; Habilidade nas posições ou posturas; PRESSUPOSTOS  Treinamento de controle de cinturas escapular e pélvica através de utilização dos seus padrões;  Treinamento de controle de tronco através da utilização combinada de padrões de cintura escapular e pélvica;  Treinamento de diagonais de MMSS e MMII; PADRÕES DE MOVIMENTO  Em diagonais e espiral que englobam a facilitação mecânica e fisiológica.  Correspondem aos movimentos funcionais.  Podem ser usados segmentarmente nas combinações necessárias. Desta forma a partir de “padrões básicos” são montados os movimentos funcionais mais complexos. MECANISMOS NEURO- FISIOLÓGICOS ENVOLVIDOS NO KABAT Podemos utilizar mecanismos neurofisiológicos para aumentar o grau de excitação central sobre os motoneurônios com o objetivo de favorecer a atividade voluntária dos músculos “fracos” ou “paréticos” com técnicas de facilitação proprioceptiva.  A força de contração de um músculo depende do número de unidades motoras recrutadas.  O recrutamento de unidades motoras depende do grau de “excitação” medular e cerebral.  Recrutamento máximo de unidades motoras  resistência máxima  manual.  Atividade reflexa.  Irradiação.  Indução sucessiva.  Inervação recíproca. IRRADIAÇÃO  A irradiação é um processo automático (reflexo) mas que pode e deve ser orientado voluntariamente.  Progride a partir de músculos em ação para os músculos adjacentes, que compõe ou pertence a mesma sinergia  em função do aumento da estimulação ou da resistência oposta ao movimento.
  3. 3. 05/11/2012 3  É a propagação da excitação no SNC para os motoneurônios que controlam os músculos de ação sinérgica à que está sendo desempenhada, produzindo combinações específicas de movimento.  A irradiação nos reflexos, se obtêm por meio de estímulos fortes e no movimento voluntário, pela facilitação proprioceptiva resultante da irradiação ao movimento. INDUÇÃO SUCESSIVA  A excitação de uma via de condução no SNC, resulta na facilitação da transmissão de impulsos através da mesma.  Sua ação se deve à diminuição da “resistência sináptica” e constitui a base da aprendizagem.  É potencializada em função de repetição e ritmo. INERVAÇÃO RECÍPROCA É um contingência funcional, potencializada pelas manobras de facilitação proprioceptiva. ELEMENTOS DE TRABALHO DE FNP  Padrões de facilitação – o trajeto ótimo vai do máximo alongamento ao máximo encurtamento nos três planos. A diagonal dá a direção e o objetivo e a rotação (espiral) a força e contração.  Tração e aproximação: estímulos trabalham com os receptores de cápsulas e ligamentos.  Reflexo de estiramento: trabalham com os fusos neuromuscular e ONTG.  Estímulos de estiramento: intensificação do reflexo de estiramento.  Estímulo visual: integra com o estímulo verbal.  Contatomanual: guia de movimento, resiste movimento, estimula o início do movimento.  Comando verbal: explicativo, ordem, correção.  Resistência máxima: aumenta a propriocepção e consequentemente, o controle de movimento.  Tipo de contração muscular: isotônica concêntrica e excêntrica, isométrica.  Seqüência de movimento: padrão afasta-se da linha média e tem direção distal-proximal.

×