SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
“Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e
apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”
(Gn 2.24).
T E X T O D O D I A
Deus criou o sexo e os instintos, tanto no homem
como na mulher, para proporciona-lhes satisfação e
senso de realização, em um casamento sem mácula.
S Í N T E S E
Gênesis 2.21-25
21 - Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este
adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu
lugar.
22 - E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma
mulher; e trouxe-a a Adão.
23 - E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha
carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.
24 - Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua
mulher, e serão ambos uma carne.
25 - E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se
envergonhavam.
Leitura bíblica
• As próximas 4 lições – sobre sexo.
• Devido às limitações de espaço da revista compre
o livro de apoio.
• Nesta lição iremos estudar sobre a narrativa da
criação na perspectiva do sexo e será
interessante perceber como Deus planejou tudo.
• No segundo tópico iremos abordar sobre o
modelo bíblico para o casamento e como esse
modelo favorece a uma vida sexual prazerosa e
sem culpa.
INTRODUÇÃO
I – O SEXO E A
CRIAÇÃO DO SER
HUMANO
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
(41) 98409 8094
• A narrativa bíblica da criação traz uma
sequência lógica na ordem das coisas criadas.
• Na intenção de criar um local apropriado para
suas criaturas, de início Deus cria os céus e a
terra.
• Cria ambientes habitáveis e com possibilidades
de vida (luz, firmamento, terra firme e estrelas)
tanto nas águas (peixes), no céu (aves) e na
terra (animais, plantas).
1. O homem e a mulher
como obra prima de sua criação (Gn 1.1-2.22)
• Por último, a criação do ser humano, neste
momento o padrão da narrativa muda, surge um
tom mais solene e detalhado (Gn 1.27).
• Diferente dos demais relatos da criação do
oriente, em Gênesis ele é criado para reinar
sobre a criação.
• Portanto, o relacionamento entre o ser humano e
o restante da criação, de espécie diferente, é de
domínio e submissão. Domínio sobre:
a) a terra (Gn 1.28);
b) os vegetais (Gn 1.29); e
c) os animais em múltiplas relações: pastor, cavaleiro,
criador, caçador, entre outros.
1. O homem e a mulher
como obra prima de sua criação (Gn 1.1-2.22)
• Os seres humanos não foram criados para se
relacionarem com as demais criações em
condições de igualdade e para procriação.
• Animais - Gn 1.22: “Deus os abençoou,
dizendo” Vs ser humano - Gn 1.28: “E Deus os
abençoou e Deus lhes disse”.
• Deus se comunica direto com o ser humano,
demonstrando a relação especial, inclusive no
processo de fecundação.
• Para Israel, a fecundidade era precedida de uma
palavra de especial bênção divina.
2. Deus criou o homem e a mulher distintos
e com objetivos específicos
• Em Gn 2.24 (2º relato da criação humana: 1º
homem, depois a mulher) - é utilizada a
expressão hebraica “kenegdô” ao criá-la, que dá
sentido de algo distinto e que se ajusta
perfeitamente.
• Portanto, os dois sexos tem a mesma dignidade
de imagens de Deus, para se complementarem
e gerar filhos também à sua imagem e
semelhança (Gn 5.3).
• Criados para se relacionarem emocionalmente
e efetivamente entre si, diferente da relação com
as demais criaturas – (ex. niver, ... de animais)
2. Deus criou o homem e a mulher distintos
e com objetivos específicos
• O homem convive e domina os animais, mas uma
vida solitária. Falta de companhia da mesma
natureza e do sexo oposto como tinha os
animais.
• Gn 2.18 - “Esta é agora osso dos meus ossos e
carne da minha carne”. Agora, ele tem uma
companheira consanguínea, que o
complementa e pode se relacionar
afetivamente.
• Ambos foram criados com uma química no
corpo que estimula o interesse e o prazer no
ato sexual.
3. O sexo foi criado para a procriação
e a felicidade no casamento (Gn 2.21-24)
• A dopamina que atua em certa área do cérebro
e cria o senso de antecipação do prazer, que
acrescentada com uma boa dose de
testosterona, tanto no homem como na mulher,
estimula o desejo sexual.
• Aliado a isso, ainda foram criados com outras
substâncias químicas que após o ato sexual
criam o sentimento de ternura e ligação íntima.
• Este sentimento produz o prazer mútuo e a
necessidade de proximidade para uma vida
sexual sadia, se não fosse assim,
comprometeria a procriação humana.
3. O sexo foi criado para a procriação
e a felicidade no casamento (Gn 2.21-24)
• A interpretação equivocada do texto bíblico tem
tirado de muitos casais o direito de
participarem juntos do prazer sexual, além do
prazer de gerarem filhos.
3. O sexo foi criado para a procriação
e a felicidade no casamento (Gn 2.21-24)
Jovem, você já parou para pensar no cuidado de
Deus nos detalhes na criação do homem e da
mulher e na diferenciação com relação ao
restante da criação?
APLICAÇÃO PRÁTICA
II – SEXO, UMA DÁDIVA
DIVINA PARA SER
DESFRUTADA NO
CASAMENTO
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
(41) 98409 8094
• O casamento foi a primeira instituição criada
por Deus.
• Gn 2.24 demonstra que o casal não é um
elemento acidental, mas planejado.
• As famílias bem estruturadas trazem consigo o
papel forte dos pais na educação e formação
dos filhos, principalmente, no momento da
constituição de novas famílias.
• No modelo do primeiro casamento, vemos
Deus, que em muitos textos é relacionado com
a figura do pai, conduzir a Eva até o Adão.
1. O sexo no casamento (Gn 2.24)
• Ele os abençoou e deu a autorização para
serem fecundos. Esse é o modelo ideal bíblico
para a formação das famílias e a consumação do
sexo.
• Efésios aconselha a plena união entre os
casados, num clima de amor e de respeito. No
que tange aos filhos, exorta os à obediência.
Aos pais, ele recomenda-os a bem cuidar de
seus filhos (Ef 5.22-6.9).
• Sabe-se que nem sempre é possível o
envolvimento das famílias por vários motivos,
porém sempre deve prevalecer o bom senso.
1. O sexo no casamento (Gn 2.24)
• O modelo de casamento hetero e monogâmico
está implícito em Gn 2.24.
• O casamento entre um homem e uma mulher
(monogamia), macho e fêmea (hetero) com plena
competência para procriar e gerar novos seres
humanos (Gn 2.18-24; Mt 19.5; 1 Co 6.16).
• Se fosse criado outro homem para ser sua
companhia a humanidade não existiria.
• Portanto, esse é o padrão ideal a ser buscado
por aqueles que acreditam na Bíblia como
Palavra de Deus, regra de fé e conduta.
2. As Escrituras Sagradas prescrevem o casamento
hetero, monogâmico (Gn 2.24)
• “Deixar pai e mãe” - O termo “deixar”
pressupõe que ambos estejam em condições
de assumir tal compromisso, seja no aspecto
físico, econômico/financeiro e psicológico.
• Dentro de condições normais e ideais, o novo
casal deve se separar fisicamente de seus pais,
assim terão liberdade para conduzirem suas
vidas de forma independente e responsável.
• A expressão do verbo “apegar-se-á à sua
mulher” pressupõe aliança (Dt 11.22; Js 22.5);
afeição (Rt 1.14; Pr 18.24) e amor que une
homem e mulher (Gn 34.3; 1 Rs 11.2).
2. As Escrituras Sagradas prescrevem o casamento
hetero, monogâmico (Gn 2.24)
• O primeiro casal estava nu e não tinham
vergonha de sua nudez.
• O sentimento de culpa e perda da inocência
vem com a desobediência. A culpa não veio
com o ato sexual em si, mas pela desobediência
à Deus.
• Aqueles que no namoro, noivado e casamento
estiverem dentro do projeto ideal de Deus,
respeitando os limites de cada estágio, não
haverá sentimento de culpa.
3. O sexo sem culpa (Gn 2.25)
• O sentimento que deverá haver é de prazer e de
realização.
• Tanto o homem como a mulher foram criados
para ter prazer durante o ato sexual.
• Essa compreensão é fundamental que ocorra
enquanto solteiros, para que ao chegar ao
casamento desfrute de uma vida sexual sem
culpa.
3. O sexo sem culpa (Gn 2.25)
Você tem construído seu relacionamento de
forma que ao chegar ao casamento possa
desfrutar de um sexo sem culpa?
Para um casamento feliz e realizado, o jovem
precisa compreender antes de se casar, que
Deus criou a sexo para o prazer do homem e da
mulher!
APLICAÇÃO PRÁTICA
1. De acordo com a narrativa bíblica da criação,
Deus criou o homem e a mulher tanto para
procriarem como para terem prazer sexual;
2. O modelo ideal para o casamento é hetero e
monogâmico, com a participação das famílias
dos noivos e que os desvios devem ser
tratados com bom senso;
3. Para ter um casamento com relacionamento
sexual saudável é necessária uma correta
interpretação dos textos bíblicos que tratam do
assunto.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
natalino6612@gmail.com
Natalino.neves@ig.com.br
(41) 98409 8094 (WhatsApp/TIM)
Contatos:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12
O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12
O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12Natalino das Neves Neves
 
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominicalO divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominicalyosseph2013
 
Lição 13 - Sobre a Família e a Sua Natureza
Lição 13 - Sobre a Família e a Sua NaturezaLição 13 - Sobre a Família e a Sua Natureza
Lição 13 - Sobre a Família e a Sua NaturezaI.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
A Família Cristã e a Sexualidade
A Família Cristã e a Sexualidade A Família Cristã e a Sexualidade
A Família Cristã e a Sexualidade yosseph2013
 
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão   divórcio viúvez 2o casamentoO lar cristão   divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamentoEstudos Bíblicos
 
A família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominical
A família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominicalA família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominical
A família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominicalyosseph2013
 
A família e a sexualidade
A família e a sexualidadeA família e a sexualidade
A família e a sexualidadeMoisés Sampaio
 
Divorcio e novo casamento grupo cotia
Divorcio e novo casamento grupo cotiaDivorcio e novo casamento grupo cotia
Divorcio e novo casamento grupo cotiaEduardo Sousa Gomes
 
Lição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPAD
Lição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPADLição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPAD
Lição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPADJosé Pereira
 
Casamento biblico 2013
Casamento biblico 2013Casamento biblico 2013
Casamento biblico 2013Neide Santos
 
Falando sobre a graça em jesus
Falando sobre a graça em jesusFalando sobre a graça em jesus
Falando sobre a graça em jesusRafael Negrao
 
2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico
2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico
2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblicoNatalino das Neves Neves
 
A FamíLia Cristã
A FamíLia CristãA FamíLia Cristã
A FamíLia Cristãrenaapborges
 

Mais procurados (20)

A familia e a sexualidade
A familia e a sexualidadeA familia e a sexualidade
A familia e a sexualidade
 
O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12
O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12
O Governo da Igreja Local - 2019 LBJ 2 TRI Lição 12
 
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominicalO divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
 
Namoro e casamento
Namoro e casamentoNamoro e casamento
Namoro e casamento
 
Lição 13 - Sobre a Família e a Sua Natureza
Lição 13 - Sobre a Família e a Sua NaturezaLição 13 - Sobre a Família e a Sua Natureza
Lição 13 - Sobre a Família e a Sua Natureza
 
A Família Cristã e a Sexualidade
A Família Cristã e a Sexualidade A Família Cristã e a Sexualidade
A Família Cristã e a Sexualidade
 
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão   divórcio viúvez 2o casamentoO lar cristão   divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamento
 
O casamento bíblico
O casamento bíblicoO casamento bíblico
O casamento bíblico
 
A família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominical
A família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominicalA família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominical
A família e a sexualidade – lição 09 – para escola dominical
 
A família e a sexualidade
A família e a sexualidadeA família e a sexualidade
A família e a sexualidade
 
Divorcio e novo casamento grupo cotia
Divorcio e novo casamento grupo cotiaDivorcio e novo casamento grupo cotia
Divorcio e novo casamento grupo cotia
 
Lição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPAD
Lição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPADLição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPAD
Lição 13 - Sobre A Família E A Sua Natureza - CPAD
 
Lição 7
Lição 7Lição 7
Lição 7
 
Casamento biblico 2013
Casamento biblico 2013Casamento biblico 2013
Casamento biblico 2013
 
Lição 14 hebreus (Final)
Lição 14   hebreus (Final)Lição 14   hebreus (Final)
Lição 14 hebreus (Final)
 
Nao adulterarás b
Nao adulterarás bNao adulterarás b
Nao adulterarás b
 
Falando sobre a graça em jesus
Falando sobre a graça em jesusFalando sobre a graça em jesus
Falando sobre a graça em jesus
 
2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico
2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico
2013_2 tri - lição 2 - o casamento bíblico
 
Casamento e divorcio
Casamento e divorcioCasamento e divorcio
Casamento e divorcio
 
A FamíLia Cristã
A FamíLia CristãA FamíLia Cristã
A FamíLia Cristã
 

Semelhante a Sexo e casamento na Bíblia

Lição 6 - Sexo, uma dádiva divina
Lição 6 - Sexo, uma dádiva divinaLição 6 - Sexo, uma dádiva divina
Lição 6 - Sexo, uma dádiva divinaÉder Tomé
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua natureza
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua naturezaLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua natureza
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua naturezaNatalino das Neves Neves
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaÉder Tomé
 
Sobre a família e a sua natureza
Sobre a família e a sua naturezaSobre a família e a sua natureza
Sobre a família e a sua naturezaHamilton Souza
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Márcio Martins
 
lio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptx
lio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptxlio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptx
lio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptxTiago Silva
 
3 casamento sob a otica de deus
3   casamento sob a otica de deus3   casamento sob a otica de deus
3 casamento sob a otica de deusPIB Penha
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01Joel Silva
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01editorjovens
 
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua naturezaLição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua naturezaErberson Pinheiro
 
1 fundamentos bíblicos da família - 1ª aula
1   fundamentos bíblicos da família - 1ª aula1   fundamentos bíblicos da família - 1ª aula
1 fundamentos bíblicos da família - 1ª aulaPib Penha
 
EST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptx
EST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptxEST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptx
EST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptxAlfcioPaulinoFrancis
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01Autonoma
 
Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013
Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013
Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013Gerson G. Ramos
 
ocasamentobblico-130407155914-phpapp01.ppt
ocasamentobblico-130407155914-phpapp01.pptocasamentobblico-130407155914-phpapp01.ppt
ocasamentobblico-130407155914-phpapp01.pptMARCIO MARTINS SILVA
 
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textosCasamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textosGerson G. Ramos
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01Magaly Costa
 
2 noivado e casamento
2 noivado e casamento2 noivado e casamento
2 noivado e casamentomarcio lages
 

Semelhante a Sexo e casamento na Bíblia (20)

Lição 6 - Sexo, uma dádiva divina
Lição 6 - Sexo, uma dádiva divinaLição 6 - Sexo, uma dádiva divina
Lição 6 - Sexo, uma dádiva divina
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua natureza
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua naturezaLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua natureza
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - Sobre a família e sua natureza
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
 
Sobre a família e a sua natureza
Sobre a família e a sua naturezaSobre a família e a sua natureza
Sobre a família e a sua natureza
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
 
lio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptx
lio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptxlio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptx
lio13-sobreafamliaeasuanatureza-170920171312 (1).pptx
 
3 casamento sob a otica de deus
3   casamento sob a otica de deus3   casamento sob a otica de deus
3 casamento sob a otica de deus
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
 
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua naturezaLição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
 
2 casamento religioso
2 casamento religioso2 casamento religioso
2 casamento religioso
 
1 fundamentos bíblicos da família - 1ª aula
1   fundamentos bíblicos da família - 1ª aula1   fundamentos bíblicos da família - 1ª aula
1 fundamentos bíblicos da família - 1ª aula
 
EST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptx
EST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptxEST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptx
EST. PERSPECTIVA BÍBLICA DO MATRI. 2.pptx
 
Lição 02
Lição 02Lição 02
Lição 02
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
 
Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013
Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013
Casamento: um presente dado no Éden_Resumo_Lição_912013
 
ocasamentobblico-130407155914-phpapp01.ppt
ocasamentobblico-130407155914-phpapp01.pptocasamentobblico-130407155914-phpapp01.ppt
ocasamentobblico-130407155914-phpapp01.ppt
 
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textosCasamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
 
2 noivado e casamento
2 noivado e casamento2 noivado e casamento
2 noivado e casamento
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 

Sexo e casamento na Bíblia

  • 1.
  • 2.
  • 3. “Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gn 2.24). T E X T O D O D I A
  • 4. Deus criou o sexo e os instintos, tanto no homem como na mulher, para proporciona-lhes satisfação e senso de realização, em um casamento sem mácula. S Í N T E S E
  • 5. Gênesis 2.21-25 21 - Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar. 22 - E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão. 23 - E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada. 24 - Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. 25 - E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam. Leitura bíblica
  • 6. • As próximas 4 lições – sobre sexo. • Devido às limitações de espaço da revista compre o livro de apoio. • Nesta lição iremos estudar sobre a narrativa da criação na perspectiva do sexo e será interessante perceber como Deus planejou tudo. • No segundo tópico iremos abordar sobre o modelo bíblico para o casamento e como esse modelo favorece a uma vida sexual prazerosa e sem culpa. INTRODUÇÃO
  • 7. I – O SEXO E A CRIAÇÃO DO SER HUMANO Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br (41) 98409 8094
  • 8. • A narrativa bíblica da criação traz uma sequência lógica na ordem das coisas criadas. • Na intenção de criar um local apropriado para suas criaturas, de início Deus cria os céus e a terra. • Cria ambientes habitáveis e com possibilidades de vida (luz, firmamento, terra firme e estrelas) tanto nas águas (peixes), no céu (aves) e na terra (animais, plantas). 1. O homem e a mulher como obra prima de sua criação (Gn 1.1-2.22)
  • 9. • Por último, a criação do ser humano, neste momento o padrão da narrativa muda, surge um tom mais solene e detalhado (Gn 1.27). • Diferente dos demais relatos da criação do oriente, em Gênesis ele é criado para reinar sobre a criação. • Portanto, o relacionamento entre o ser humano e o restante da criação, de espécie diferente, é de domínio e submissão. Domínio sobre: a) a terra (Gn 1.28); b) os vegetais (Gn 1.29); e c) os animais em múltiplas relações: pastor, cavaleiro, criador, caçador, entre outros. 1. O homem e a mulher como obra prima de sua criação (Gn 1.1-2.22)
  • 10. • Os seres humanos não foram criados para se relacionarem com as demais criações em condições de igualdade e para procriação. • Animais - Gn 1.22: “Deus os abençoou, dizendo” Vs ser humano - Gn 1.28: “E Deus os abençoou e Deus lhes disse”. • Deus se comunica direto com o ser humano, demonstrando a relação especial, inclusive no processo de fecundação. • Para Israel, a fecundidade era precedida de uma palavra de especial bênção divina. 2. Deus criou o homem e a mulher distintos e com objetivos específicos
  • 11. • Em Gn 2.24 (2º relato da criação humana: 1º homem, depois a mulher) - é utilizada a expressão hebraica “kenegdô” ao criá-la, que dá sentido de algo distinto e que se ajusta perfeitamente. • Portanto, os dois sexos tem a mesma dignidade de imagens de Deus, para se complementarem e gerar filhos também à sua imagem e semelhança (Gn 5.3). • Criados para se relacionarem emocionalmente e efetivamente entre si, diferente da relação com as demais criaturas – (ex. niver, ... de animais) 2. Deus criou o homem e a mulher distintos e com objetivos específicos
  • 12. • O homem convive e domina os animais, mas uma vida solitária. Falta de companhia da mesma natureza e do sexo oposto como tinha os animais. • Gn 2.18 - “Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne”. Agora, ele tem uma companheira consanguínea, que o complementa e pode se relacionar afetivamente. • Ambos foram criados com uma química no corpo que estimula o interesse e o prazer no ato sexual. 3. O sexo foi criado para a procriação e a felicidade no casamento (Gn 2.21-24)
  • 13. • A dopamina que atua em certa área do cérebro e cria o senso de antecipação do prazer, que acrescentada com uma boa dose de testosterona, tanto no homem como na mulher, estimula o desejo sexual. • Aliado a isso, ainda foram criados com outras substâncias químicas que após o ato sexual criam o sentimento de ternura e ligação íntima. • Este sentimento produz o prazer mútuo e a necessidade de proximidade para uma vida sexual sadia, se não fosse assim, comprometeria a procriação humana. 3. O sexo foi criado para a procriação e a felicidade no casamento (Gn 2.21-24)
  • 14. • A interpretação equivocada do texto bíblico tem tirado de muitos casais o direito de participarem juntos do prazer sexual, além do prazer de gerarem filhos. 3. O sexo foi criado para a procriação e a felicidade no casamento (Gn 2.21-24)
  • 15. Jovem, você já parou para pensar no cuidado de Deus nos detalhes na criação do homem e da mulher e na diferenciação com relação ao restante da criação? APLICAÇÃO PRÁTICA
  • 16. II – SEXO, UMA DÁDIVA DIVINA PARA SER DESFRUTADA NO CASAMENTO Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br (41) 98409 8094
  • 17. • O casamento foi a primeira instituição criada por Deus. • Gn 2.24 demonstra que o casal não é um elemento acidental, mas planejado. • As famílias bem estruturadas trazem consigo o papel forte dos pais na educação e formação dos filhos, principalmente, no momento da constituição de novas famílias. • No modelo do primeiro casamento, vemos Deus, que em muitos textos é relacionado com a figura do pai, conduzir a Eva até o Adão. 1. O sexo no casamento (Gn 2.24)
  • 18. • Ele os abençoou e deu a autorização para serem fecundos. Esse é o modelo ideal bíblico para a formação das famílias e a consumação do sexo. • Efésios aconselha a plena união entre os casados, num clima de amor e de respeito. No que tange aos filhos, exorta os à obediência. Aos pais, ele recomenda-os a bem cuidar de seus filhos (Ef 5.22-6.9). • Sabe-se que nem sempre é possível o envolvimento das famílias por vários motivos, porém sempre deve prevalecer o bom senso. 1. O sexo no casamento (Gn 2.24)
  • 19. • O modelo de casamento hetero e monogâmico está implícito em Gn 2.24. • O casamento entre um homem e uma mulher (monogamia), macho e fêmea (hetero) com plena competência para procriar e gerar novos seres humanos (Gn 2.18-24; Mt 19.5; 1 Co 6.16). • Se fosse criado outro homem para ser sua companhia a humanidade não existiria. • Portanto, esse é o padrão ideal a ser buscado por aqueles que acreditam na Bíblia como Palavra de Deus, regra de fé e conduta. 2. As Escrituras Sagradas prescrevem o casamento hetero, monogâmico (Gn 2.24)
  • 20. • “Deixar pai e mãe” - O termo “deixar” pressupõe que ambos estejam em condições de assumir tal compromisso, seja no aspecto físico, econômico/financeiro e psicológico. • Dentro de condições normais e ideais, o novo casal deve se separar fisicamente de seus pais, assim terão liberdade para conduzirem suas vidas de forma independente e responsável. • A expressão do verbo “apegar-se-á à sua mulher” pressupõe aliança (Dt 11.22; Js 22.5); afeição (Rt 1.14; Pr 18.24) e amor que une homem e mulher (Gn 34.3; 1 Rs 11.2). 2. As Escrituras Sagradas prescrevem o casamento hetero, monogâmico (Gn 2.24)
  • 21. • O primeiro casal estava nu e não tinham vergonha de sua nudez. • O sentimento de culpa e perda da inocência vem com a desobediência. A culpa não veio com o ato sexual em si, mas pela desobediência à Deus. • Aqueles que no namoro, noivado e casamento estiverem dentro do projeto ideal de Deus, respeitando os limites de cada estágio, não haverá sentimento de culpa. 3. O sexo sem culpa (Gn 2.25)
  • 22. • O sentimento que deverá haver é de prazer e de realização. • Tanto o homem como a mulher foram criados para ter prazer durante o ato sexual. • Essa compreensão é fundamental que ocorra enquanto solteiros, para que ao chegar ao casamento desfrute de uma vida sexual sem culpa. 3. O sexo sem culpa (Gn 2.25)
  • 23. Você tem construído seu relacionamento de forma que ao chegar ao casamento possa desfrutar de um sexo sem culpa? Para um casamento feliz e realizado, o jovem precisa compreender antes de se casar, que Deus criou a sexo para o prazer do homem e da mulher! APLICAÇÃO PRÁTICA
  • 24. 1. De acordo com a narrativa bíblica da criação, Deus criou o homem e a mulher tanto para procriarem como para terem prazer sexual; 2. O modelo ideal para o casamento é hetero e monogâmico, com a participação das famílias dos noivos e que os desvios devem ser tratados com bom senso; 3. Para ter um casamento com relacionamento sexual saudável é necessária uma correta interpretação dos textos bíblicos que tratam do assunto. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 26. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br natalino6612@gmail.com Natalino.neves@ig.com.br (41) 98409 8094 (WhatsApp/TIM) Contatos: