MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1

8.896 visualizações

Publicada em

Aula ministrada pelo Ev. Natalino das Neves–
IBADEP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Curso sob a responsabilidade da CIEADEP – Convenção das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus do Estado

Publicada em: Educação
1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.896
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
231
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
412
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1

  1. 1. IBADEPInstituto Bíblico da Assembleia de Deus noEstado do ParanáMISSÕES: a grande comissãoda IgrejaLição 1 - MissiologiaProf. Ms. Natalino das Neveswww.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. INTRODUÇÃO• Necessidade de entender alguns conceitosfundamentais.• Conhecer questões principais e a história damissiologia.• A natureza da tarefa missionária é em parteimutável, em parte mutável. Será apresentado 04aspectos imutáveis de sua natureza.
  3. 3. I. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES
  4. 4. MISSIOLOGIA:ComunicaçãotransculturalTEOLOGIAANTROPOLOGIAHISTÓRIATEORIA DASCOMUNICAÇÕESPSICOLOGIASOCIOLOGIAI. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTESQual é a forçamotriz dainteração entre asdisciplinasMOTIVAÇÃO DO EVANGELHOETNO (CULTURA/RAÇA) +teologia, história, psicologia,...
  5. 5. I. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES• Cultura• A cultura é o conjunto de comportamento, de valores edas crenças culturais de uma sociedade.• Os importantes elementos de uma cultura são osvalores, conhecimento, a crença, arte, moral,alimentação, língua, leis, costumes e quaisquer hábitose habilidades adquiridos pelo homem dentro dasociedade.
  6. 6. I. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES• Etnologia:• É o estudo comparativo das sociedades humanas emsuas diferentes culturas.• A ideia da etnoteologia surgiu de estudos quemostravam a religião como um importante e fortecomponente cultural.• Seu objetivo é o estudo diferencial das culturas dosdiversos grupos étnicos, revelando as variedadesconsideráveis dos comportamentos e dos sistemas devalores.
  7. 7. I. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES• Teologia transcultural:• Como expressar as boas novas do evangelho, de formaque o povo que as recebe tenha uma totalcompreensão, sem prejuízo à mensagem verdadeira?• Bíblia = teologia?• A Bíblia é um documento histórico da revelação deDeus ao homem.• Teologia é uma explicação sistemática e históricadas verdades da Bíblia.
  8. 8. I. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES• Teologia transcultural:• A cultura influencia na formulação das teologias.• As teologias são formadas por seus particulareshistórico e contexto cultural, pela língua que usam epelo questionamento que fazem.• É preciso entender qual é o conceito que determinadopovo tem de Deus, afim de traçar uma teologia bíblica.
  9. 9. I. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES• Teologia transcultural:• Existem pontes culturais comuns entre as diferentesculturas.• A mesma Verdade é compartilhada a todos os povos,línguas, tribos e nações, constituindo uma famíliauniversal de Deus.• A Verdade de Deus transcende os limites de umacultura local.• A ideia que diferentes culturas tem de Deus, e comoelas respondem à teologia cristã.
  10. 10. II. QUESTÕES PRINCIPAIS
  11. 11. II. QUESTÕES PRINCIPAIS1. A prática apostólica2. A estrutura e a Missão da Igreja.3. O Evangelho e as Religiões.4. A salvação e os não-cristãos.5. O cristianismo e a cultura.
  12. 12. II. QUESTÕES PRINCIPAIS• A Bíblia como o mapa cultural do povo de Deus.• A Bíblia é Cristocêntrica, e apresenta Jesus como únicocaminho para Deus.• Estas verdades bíblicas fundamentais precisam sercontextualizadas de acordo com a cosmovisão de umpovo.
  13. 13. II. QUESTÕES PRINCIPAIS• A contextualização e o estilo de comunicação damensagem contextualizada são importantes para o povoentender, visualizar, aceitar a verdade ora comunicada.• Conscientização - a verdade bíblica fundamental éuniversal.• Compreender a cosmovisão de um povo = distinguirperfeitamente o que é uma verdade bíblica absoluta e oque é um aspecto cultural que pode ser contextualizado.• Ser humano e a luta de duas culturas interiores: domundo e a do reino de Deus (contracultura cristã).
  14. 14. III. HISTÓRIA
  15. 15. III. HISTÓRIA• A missiologia é uma disciplina jovem.• Somente, a partir do século XVI surgem teorias maisabrangentes sobre missiologia: o jesuíta José deAcosta(1588) e o carmelita Tomás de Jesus (1613).• Os escritos deles estimularam grandemente uma sucessãode protestantes holandeses do século XVII: HadrianusSaravia, Justus Heurnius, Gisbertus Voetius e JohannesHoornbeeck, em especial John Eliot e William Carey,conhecido como “o pai das missões modernas”.
  16. 16. III. HISTÓRIA• A primeira cátedra referente a este saber foi criada emambiente protestante, na Universidade de Edimburgo, em1867. Portanto, somente no século XIX.• luteranos alemães: Karl Graul, diretor da Missão de Leipzige o primeiro alemão que se qualificou para o ensinoacadêmico superior nesse campo; Gustav Warneck,considerado o fundador da ciência missionáriaprotestante• No campo católico, o primeiro a abordar este estudo foiJoseph Schmidlin (1876-1944).Como resultado de seutrabalho, a Universidade de Münster resolveu a erigir acátedra de missiologia em 1911.
  17. 17. III. HISTÓRIA• Joseph Schmidlin foi influenciado por Warneck.• Depois da I Guerra Mundial várias universidadesprotestantes abriram suas cátedras.• De 1916 a 1974, a Pontifícia UniversidadeUrbaniana de Roma publicou a BibliothecaMissionum, uma coleção contendo vários volumesde estudos sobre missiologia.
  18. 18. III. HISTÓRIA• Os evangélicos e o debate contemporâneo:• Os evangélicos desempenharam um papel de destaque naorganização da Sociedade Americana da Missiologia (ASM),no Scarritt College, em Nashville, estado do Tennessee, emjunho de 1972.• A ASM veio a ser uma comunidade de estudiosos oriundosdo meio de protestantes do CMI (Conselho Mundial deIgrejas), de católicos romanos, ortodoxos e evangélicosnão-membros do CMI.• Ênfase bíblica no centro cristológico: o evangelho tem noseu âmago a afirmação de que somente Jesus Cristo éSenhor e de que Ele Se oferece para entrar na vidadaqueles que cheguem a Ele com arrependimento e fé.
  19. 19. III. HISTÓRIA• Os evangélicos e o debate contemporâneo:• Objetivo principal e insubstituível da missão cristã:proclamar a Cristo e de convencer todos os povos em todosos lugares a se tornarem Seus discípulos e membrosresponsáveis de Sua Igreja.• Incentivam a multiplicação de associações voluntárias(estruturas missionárias) para a realização de grandevariedade de tarefas que Deus tem dado a Seu povo.• Os evangélicos respondem cada vez mais, diante do debatecontemporâneo e dos clamores de angústia dos oprimidos(quanto?).
  20. 20. III. HISTÓRIA• Os evangélicos e o debate contemporâneo:• A justiça social deve ser promovida, e as questões deguerra, racismo, pobreza e desequilíbrio econômico devemtornar-se a preocupação ativa e participativa daqueles quese declaram seguidores de Jesus Cristo.• Os missiólogos católico-romanos e ortodoxos ressaltam oespírito caracteristicamente sacramental, litúrgico e místicoque tem enriquecido a igreja no decurso dos séculos.
  21. 21. III. HISTÓRIA• Os evangélicos e o debate contemporâneo:• As questões que mais lhes interessam são: como a igrejadeve cumprir o mandato do Vaticano II. Como garantir queo Estado, a sociedade, a cultura, e até mesmo a próprianatureza, estejam dentro dos objetos reais da missão.• Os missiólogos dessas três correntes de compreensão daobrigação bíblica comprometem-se a escutar comhonestidade uns aos outros. E esse é um bom sinal para amissiologia como uma “ciência” ainda emdesenvolvimento, uma “disciplina” e um “campo separadode estudo”.
  22. 22. III. HISTÓRIA• O que é o Conselho Mundial de Igrejas (CMI):• O CMI é a principal organização ecumênica em nívelinternacional, fundada em 1948, em Amsterdam(Holanda.• Com sede em Genebra (Suíça), o CMI congregava em 2012,mais de 345 igrejas e denominações em sua membresia,que representa mais de 560 milhões de fiéis presentes emmais de 120 países.• O atual secretário geral do CMI é Olav Fykse Tveit, luteranoda Noruega, e o Moderador do Comitê Central é WalterAltmann, luterano do Brasil (Porto Alegre), eleito emfevereiro de 2006.
  23. 23. III. HISTÓRIA• O que é o Conselho Mundial de Igrejas (CMI):• Entre seus membros estão igrejas protestantes e ortodoxas,também algumas pentecostais e independentes.• A Igreja Católica não faz parte desta organização, mas temcom ela um grupo de trabalho permanente e participacomo membro pleno de alguns departamentos, como naComissão de Fé e Ordem e na Comissão de Missão eEvangelismo.• Tem como objetivo trazer a uma só mesa de diálogo todasas grandes famílias cristãs: ortodoxa, católica, anglicana eprotestante (incluindo esta última aos pentecostais eevangélicos).
  24. 24. III. HISTÓRIA• O que é o Conselho Mundial de Igrejas (CMI):• Atualmente existem mais de 38 mil tipos de denominaçõescristãs diferentes (Revista Enfoque Gospel, Edição 84, jul2008).• O CMI considera missão, diálogo teológico e ação socialcomo partes integrantes da responsabilidade que as igrejastêm (Revista Enfoque Gospel, Edição 84, jul 2008).
  25. 25. GABARITO – Parte 1QUESTÃO RESPOSTA1 A2 B3 C4 D5 B6 C7 C8 C
  26. 26. IV. A NATUREZA DA TAREFA MISSIONÁRIA
  27. 27. IV. A NATUREZA DA TAREFA MISSIONÁRIA• A tarefa missionária, em parte é imutável, emparte é relativa e adaptável.• Serão apresentados quatro aspectos da naturezaimutável da tarefa missionária.
  28. 28. IV. A NATUREZA DA TAREFA MISSIONÁRIA• A tarefa missionária é espiritual:• Comprometida com o Espírito Santo.• ES – administra e efetiva a salvação, bem como as missões.• Tanto um conforto (confiança nEle) como um desafio(comunhão com Ele).• Tarefa espiritual que somente pode ser realizada comauxílio do ES.• Livro de Atos = Atos do Espírito Santo.
  29. 29. IV. A NATUREZA DA TAREFA MISSIONÁRIA• A tarefa missionária é bíblica:• Plano universal de Deus para salvação = atividademissionária.• Professor de Bíblia = missões.• Interpretação bíblica adequada x eficácia da atividademissionária.• Mensagem missionária = conteúdo da Bíblia.• Preparação do missionário (conhecimento bíblico/missão).• Grande Comissão = estrutura básica e elementosfundamentais do desígnio missionário.
  30. 30. IV. A NATUREZA DA TAREFA MISSIONÁRIA• A tarefa missionária é feita por fé:• Cristianismo, uma religião de fé.• Fé = Bíblia como Palavra de Deus e tarefa missionária comopropósito e vontade de Deus.• “Sem fé é impossível agradar a Deus”.• Fé como suporte para aliviar os fardos, frustações edesapontamentos da tarefa missionária.• Missionários = homens de fé.• Fé sendo desenvolvida e cultivada.
  31. 31. IV. A NATUREZA DA TAREFA MISSIONÁRIA• A tarefa missionária é humana:• Deus escolheu instrumentos humanos para a realizaçãomissionária.• Ser humano vive em sociedade, dentro de uma culturaespecífica. Deve ser influenciado dentro de sua própriacultura.• Adaptação cultural necessária para a identificação, muitomais do que o idioma.• Jesus se fez homem para dialogar com o ser humano (Fp2:5-11). Nascido em Israel, viveu como um judeu.• Exemplo de Paulo em 1Co 9:16-23)
  32. 32. CONSIDERAÇÕES FINAIS• Nesta lição aprendemos que:1. Não temos como desconsiderarmos acultura, quando se fala em missões.2. Missiologia é uma disciplina jovem, pois foitratada como tal somente no século XIX.3. A tarefa missionária é espiritual, bíblica,feita por fé e humana.
  33. 33. GABARITO – Parte 2QUESTÃO RESPOSTA9 B10 D11 C12 A13 C14 C15 E16 C
  34. 34. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASCONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS. Disponível em:<http://www.oikoumene.org/es/about-us/faq#-cu-l-es-la-finalidad-del-cmi->. Acesso em 28 mai 2013.ETNOLOGIA. Disponível em: <http://instituto.antropos.com.br/v3/>.Acesso em 28 mai 2013.IBADEP. Missões: a grande comissão da Igreja. Guaíra: IBADEP, 2004.MISSIOLOGIA. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Missiologia>. Acesso em 28 mai 2013.PERRIN, Christine Lenemann. Missão e diálogo inter-religioso. SãoLeopoldo: Sinodal, CEBI, 2005.SILVA, Cácio. Fenomenologia da religião: compreendendo as ideiasreligiosas a partir das suas manifestações. Goânia: Transcultural Editorae Livraria, 2009.

×