O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Lição 9 - Acerca das últimas coisas - LBJ 1 tr 2018

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Lição 9 - Acerca das últimas coisas - LBJ 1 tr 2018

  1. 1. LEITURA BÍBLICA Mateus 24 e 25
  2. 2. a) Cristo anuncia a destruição do Templo (v1-2): • Os episódios do templo deve ter abalado os discípulos: • a maneira como Jesus tratou os cambistas; • a cura de marginalizados dentro do templo; • os embates com os principais dos sacerdotes, entre outros. • Os discípulos mostram o templo e recebem o anuncio de Jesus: “não ficará pedra sobre pedra”. I - O ANUNCIO DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO E OS SINAIS DO FIM DOS TEMPOS (MT 24)
  3. 3. b) A pergunta escatológica dos discípulos (Mt 24.3): • Depois disso, Jesus vai até o Monte das Oliveiras e se assenta (Mt 24.3). • Os discípulos que estavam intrigados peguntam: “Dize- nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?” • Jesus usa a destruição do Templo e de Jerusalém como parte de um complexo de eventos que leva à sua Segunda Vinda e ao “fim do mundo”. • Tipologia = releitura do fato ocorrido nos anos 70 d.C. como figura de algo que iria acontecer no futuro. • Décadas seguintes os cristãos ainda faziam confusão com relação ao tempo deste evento (1 Ts 4.1ss). I - O ANUNCIO DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO E OS SINAIS DO FIM DOS TEMPOS (MT 24)
  4. 4. a) Fato histórico da destruição de Jerusalém e seu templo (v. 4-26): • Ele começa a falar sobre o que aconteceria nos momentos anteriores e durante a destruição do templo e de Jerusalém; • Em 62 d. C., após a morte de Festo, inicia-se uma grande perseguição aos cristãos, que emigram para Pela. • O levante dos judeus foi influenciado por grupos e líderes que se diziam ser o messias. • Por isso, no discurso de Jesus ele anuncia sobre os falsos messias ou profetas. II. ANÁLISE TIPOLÓGICA DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO (V. 4-36)
  5. 5. b) Eventos futuros: a vinda do Filho do Homem e o fim dos tempos (v. 27-51): • O termo parúsia não aparece nos demais evangelhos, somente em Mateus (Mt 24.3,27,37,39;. • Na sequência o discurso aborda sobre o fim dos tempos; • Uma leitura superficial desses textos pode dar a impressão que a parúsia e o fim dos tempos, segue-se imediatamente à destruição do templo; • Entre a destruição do templo e o fim dos tempos, temos os “tempos dos gentios”, o tempo da Igreja universal (todas as nações) como parte da história da salvação. II. ANÁLISE TIPOLÓGICA DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO (V. 4-36)
  6. 6. b) Eventos futuros: a vinda do Filho do Homem e o fim dos tempos (v. 27-51): • Mateus apresenta dois grupos de pessoas na sua comunidade: • o grupo que aguardavam o fim imediato dos tempos e estabelecimento do reino messiânico; • o grupo acomodado, que não estavam preocupados com o Reino de sua vinda. II. ANÁLISE TIPOLÓGICA DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO (V. 4-36)
  7. 7. a) A parábola das dez virgens (Mt 25.1-13): • O ambiente é de uma festa de casamento. • O ponto alto da celebração era o momento em que o noivo e sua comitiva ia para a casa noiva que também tinha a sua comitiva. • Mensagem central da parábola: a responsabilidade pela preparação é individual. III. A RESPONSABILIDADE HUMANA E O JULGAMENTO DIVINO (MT 25)
  8. 8. b) A parábola dos talentos (Mt 25.14-30): • Um senhor sai em uma jornada e deixa três de seus servos com alguns recursos de acordo com a capacidade de cada um (v. 15); • No retorno do senhor, os dois que receberam mais duplicam os recursos, enquanto o que recebe somente 1 talento enterra e entrega o que recebeu. Aqueles são elogiados e este é repreendido. • Para muitas pessoas esse procedimento pode parecer uma injustiça. • O ponto central da parábola: o dever de zelar pelos talentos e capacidades recebidas por Deus. III. A RESPONSABILIDADE HUMANA E O JULGAMENTO DIVINO (MT 25)
  9. 9. c) A vinda do Filho do Homem e o julgamento (Mt 25.31ss): • Mateus anuncia a chegada do Filho do Homem (figura apocalíptica) em glória e para julgar; • A humanidade é dividida em dois grupos: ovelhas (justos) e bodes (injustos). Como um pastor, o Filho do Homem é que separará os dois (bênção e maldição); • O critério para separação dos dois grupos, um para benção e outro para maldição, é surpreendente; • Critério de avalição: tratamento dados as pessoas excluídas da sociedade (famintos, sedentos, estrangeiros, sem tetos, doentes e presos) - Mt 25.40. • Ovelhas são pessoas que usaram de misericórdia com os excluídos. III. A RESPONSABILIDADE HUMANA E O JULGAMENTO DIVINO (MT 25)
  10. 10. Nesta lição aprendemos que: 1. Enquanto Jesus anunciava a destruição do Templo de Jerusalém que ocorreria em 70 d. C., os discípulos estavam pensando na implantação iminente do reino messiânico e no fim do mundo; 2. Os eventos da destruição do Templo tipificam os sinais da segunda vinda de Jesus e do julgamento final, e os cristãos devem estar atentos para serem pegos de surpresa. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  11. 11. LIÇÕES BÍBLICAS DE JOVENS. Seu Reino não Terá Fim: vida e obra de Jesus, segundo o Evangelho de Mateus. 1 TRI 2018. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. NEVES, Natalino das. Seu Reino não terá Fim: vida e obra de Jesus, segundo o Evangelho de Mateus. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. REFERÊNCIAS
  12. 12. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)

×