SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
Pare!
Antes de iniciar a lição, favor se inscrever no meu
blog “www.natalinodasneves.blogspot.com.br” e
nos canais do Youtube e Slideshare, que podem ser
acessados pelo próprio blog.
Ao acessar o blog aproveite para assistir o vídeo com
comentários referente a este arquivo de slides.
OBJETIVOS
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
1. MOSTRAR que os judeus e gentios
necessitam de um meio eficaz para
salvação;
2. RECONHECER que a humanidade
necessita encontrar o caminho da paz;
3. EXPLICAR que a humanidade necessita da
solução para o pecado.
4. APLICAR o conteúdo aprendido à sua vida
pessoal.
INTERAÇÃO
INTERAÇÃO
• Caro(a) professor(a), precisamos caminhar lentamente junto
com o apóstolo Paulo.
• Perceba a paciência e o cuidado de um bom mestre nas lições
que estudamos até aqui, o que continuará também nas lições
posteriores. O apóstolo:
• começa com a saudação, apresentando suas credenciais, elogiando o
que os membros da igreja de Roma tinham de positivo, incentivando-
os a continuarem no Caminho.
• Ele demonstra seu carinho e a vontade de estar com eles.
• Testemunha o poder do Evangelho em sua vida e a importância de
perseverar nele, de fé em fé.
• Em seguida, ele começa apresentar a condição de indesculpabilidade
dos gentios e judeus até chegar ao momento desta lição atual.
• Neste estágio do comentário do apóstolo, por meio de forte
argumentação, ele demonstra que todos nós, independente de
raça, cor, gênero, classe social, entre outros, estamos na
mesma situação (mesmo barco) e necessitamos de uma
mesma solução para a justificação diante de Deus.
ORIENTAÇÃO
PEDAGÓGICA
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
• Neste estágio, o apóstolo demonstra que todas as
pessoas, independente de raça, cor, gênero, classe
social estão na mesma situação e necessitam de uma
única solução para a justificação diante de Deus.
• O apóstolo afirma que nem os gentios com seu
conhecimento natural e racional, nem os judeus com
a lei e a circuncisão foram justificados diante de Deus.
• Paulo demonstra que o estado pecaminoso do ser
humano é universal, a insuficiência da lei para
justificação e aponta Cristo como solução.
I – A ALTERNATIVA
PARA SALVAÇÃO DA
HUMANIDADE
(Rm 3.9)
A filosofia humana não apresentou o caminho
da salvação (v.9)
• Os filósofos trouxeram grandes contribuições tanto
para a ciência como para a teologia, basta ver a
influência destes nos pais da Igreja.
• A revelação divina esta acima do raciocínio humano,
que apenas consegue obter “lampejos” da revelação
maior (possível por meio do Espírito Santo).
• Século XX (computadores, penicilina, transplante do
coração, clonagem de mamíferos , estrutura do DNA,
energia nuclear, exploração espacial, fibra ótica,
laser, internet, avião, pílula anticoncepcional, radar,
televisão, entre outras) Vs. 2 guerras mundiais.
A lei e a circuncisão não libertou o povo judeu
(v.9)
• Os rituais judeus e as práticas de purificação e
pretensa santificação não foram suficientes para
alcançarem a tão sonhada justificação diante de Deus.
• A religiosidade e o legalismo não salvam.
• A dificuldade judaica de entender a verdadeira
mensagem do evangelho fica evidente ao lermos nos
relatos dos evangelhos os inúmeros conflitos entre os
principais líderes judaicos com o ensinamento de
Jesus.
Sentença igual para todas as pessoas (v. 9)
• Pergunta interessante dirigida à Igreja: “Somos nós
mais excelentes?”
• Ele mesmo responde: “De maneira nenhuma!”
• Coloca todas as pessoas “no mesmo barco”, debaixo
da mesma sentença (Rm 1.20; 2.1).
• Os conflitos entre os dois grupos da igreja romana,
judeus e gentios, causaram dissenções e prejuízos
para o bom andamento das atividades na igreja.
• Todas as pessoas são indesculpáveis diante de Deus
e totalmente dependentes da graça de Deus.
II – PAZ COM
DEUS (RM 3.10-
18)
Não há nenhum justo sequer (v. 10-12)
• A partir deste verso, Paulo faz vários recortes do AT,
chamando assim, a escritura judaica para
testemunhar a culpa universal.
• Inicia citando Sl 14.1-3 para demonstrar que toda
humanidade estava corrompida pelo pecado.
• Embasado pelo AT = ninguém consegue ser justo por
si mesmo, pois a natureza humana é má.
• O único justo por mérito foi Jesus e ele não se
considerou superior ou desprezou as pessoas por
isso. Tratou as pessoas como iguais, incluindo os que
eram considerados excluídos no seu convívio.
O ser humano, sem Deus, não consegue vencer
o poder da carne (v. 13-16).
• O autor prossegue citando Sl 5.10 e 140.4 para falar
sobre o perigo da língua e das trapaças.
• O ser humano que consegue domar os animais, as
tecnologias, entre outras coisas, não consegue domar
sua língua (Tg 3.1-12).
• O apóstolo continua citando o Sl 10.7 e Is 59.7 para
falar sobre a boca cheia de maldições e de amargor e
os pés velozes para derramar sangue e causar ruina e
desgraça.
• Demonstra que ser humano por si só não consegue
dominar sua língua e nem o poder da carne.
A humanidade não alcança a paz a não ser em
Cristo (v. 17-18).
• Referenciando o AT (Is 59.8; Sl 36,2), destaca a busca
sem sucesso da humanidade pela paz por não terem
aprendido a temer a Deus (Pv).
• Vida de paz somente com a reconciliação com Deus
por meio de Cristo (AT 4.12). O ser humano sem Deus
está na posição de inimigo de Deus.
• Como ter paz sendo inimigo do Soberano e Criador?
• Caminho da paz, apesar dos conflitos e aflições (Jo
16.33).
• Tudo tranquilo? “Tranquilo não, mas em paz!”
III – UMA SOLUÇÃO
DEFINITIVA PARA O
PECADO (RM 3.19-20)
A lei tem a função de mostrar ao ser humano
sua condição de pecador (v. 19)
• A função da lei não era justificar ninguém, mas
tornar o pecador consciente de sua condição de
pecador e merecedor da ira de Deus.
• Paulo estava dizendo aos judeu-cristãos que insistiam
em buscar a justificação mediante a lei, continuavam
na mesma condição anterior.
• Esta afirmação de Paulo serve para calar os judeus
que se vangloriavam por causa da lei.
• Exemplo da pessoa doente que vai realizar exames
médicos. O resultado servirá somente para identificar
a enfermidade.
O ser humano não pode se justificar pelas suas
próprias obras (v. 20a).
• Nenhuma obra humana poderá justificar o ser
humano diante de Deus (Gn 4.1-8).
• Os judeus, como alguns crentes atuais, se dedicam à
oração, jejuns e sacrifícios para “barganhar” com
Deus. Motivação errada!
• Algumas pessoas que fazem a obra de Deus na base
do sacrifício não por amor, mas para compensar
pecados cometidos, geralmente ocultos.
• A redenção do pecado se dá mediante a misericórdia
e graça de Deus, por meio do sacrifício de Cristo.
A lei não liberta, mas serve de tutor para
conduzir a Cristo (v. 20b)
• O apóstolo vem desenvolvendo uma argumentação
para demonstrar a principal função da lei, que ele
explicita na epístola enviada aos gálatas (Gl 3.23-25):
servir de aio para se chegar a Cristo.
• O aio (tutor/pedagogo) tinha uma função transitória
e não definitiva. Mostra o caminho e sai de cena.
• Voltando ao exemplo do doente que realizou os
exames médicos. O resultado possibilitará ao médico
receitar o remédio que será eficiente para a cura.
• A lei identifica a situação de pecador, Paulo
apresenta o “remédio” para a cura: Cristo.
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
Nesta lição nos aprendemos que:
1) toda humanidade esta na mesma situação de
culpabilidade diante de Deus, pois nem a Lei,
a circuncisão nem a filosofia humana pode
justificar o ser humano;
2) devido ao efeito do pecado o ser humano não
tem paz, que é possível somente por meio de
Cristo;
3) que o ser humano não tem como se justificar
com obras, por isso a lei serviu como um
tutor provisório para conduzir até Cristo.
REFERÊNCIAS
BALL, Charles Fergunson. A vida e os tempos do apóstolo Paulo.
Rio de Janeiro: CPAD, 1998.
BARTH, Karl. Carta aos Romanos: Tradução e comentários
Lindolfo K. Anders. São Paulo: Novo Século, 2003.
BRUCE, F.F. Romanos: introdução e comentário. São Paulo:
Editora Vida Nova, 2004.
CABRAL, Elienai. Mordomia Cristã: aprenda como servir melhor a
Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
CABRAL, Elienai. Romanos: o evangelho da justiça de Deus. 7a
edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
CALVINO, João. Romanos. 2a Edição. São Paulo: Edições
Parakletos, 2001.
GABY, Wagner Tadeu dos Santos. As doenças do Século. Rio de
Janeiro: CPAD, 2008.
GILBERTO, Antônio. O fruto do Espírito: a plenitude de Cristo na
vida do crente. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.
HENRY, Matthew. Comentário Bíblico de Matthew Henry. Tradução:
Degmar Ribas Júnior. Rio de Janeiro: CPAD, 2002 JEREMIAS, Joaquim.
A mensagem central do Novo Testamento. São Paulo: Editora
Academia Cristã, 2005
KASEMANN, Ernest. Perspectivas paulinas. 2a edição. São Paulo:
Teológica, 2003.
KÜMMEL, Werner Georg. Sintese teológica do Novo Testamento.
São Paulo: Teológica, 2003.
LOHSE, E. Contexto e Ambiente do Novo Testamento. 2ª ed. São
Paulo: Paulinas, 2004.
LUTERO, Martin. Comentarios de Martin Lutero: Romanos. Volumen
I. Traducción de Erich Sexauer. Barcelona: Editorial Clie, 1998.
MACARTHUR JR., John et all. Justificação pela fé somente: a marca
da vitalidade espiritual da igreja. São Paulo: Editora Cultura Cristã,
2005.
MOODY. Comentário bíblico Moody: Romanos à Apocalipse. V. 5.
São Paulo: Editora Batista Regular, 2001.
• MURRAY, John. Romanos: comentário bíblico fiel. São Paulo:
Editora Fiel, 2003.
• POHL, Adolf. Carta aos romanos. Curitiba: Editora Evangélica
Esperança, 1999.
• REGA, Lourenço Stelio e BERGMANN, Johannes. Noções do Grego
Bíblico: gramática fundamental. São Paulo: Editora Vida Nova,
2004.
• RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo
Testamento. Tradução de Degmar Ribas Júnior. Rio de Janeiro:
CPAD, 2014.
• RICHARDS, Lawrence O. Guia do leitor da Bíblia: uma análise de
Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. Rio de Janeiro: CPAD,
2012.
• RIDDERBOS, Herman. A teologia do apóstolo Paulo: a obra
definitiva sobre o pensamento do apóstolo dos gentios. São
Paulo: Editora Cultura Cristã, 2004.
• RONIS, Osvaldo. Geografia bíblica. 3a Edição. Rio de Janeiro:
SEGRAFE, 1978.
• SANDERS, E. P. Paulo, a lei e o povo judeu. São Paulo: Edições
Paulinas, 1990.
• SCHNELLE, Udo. A evolução do pensamento paulino. São
Paulo: Edições Loyola, 1999.
• STOTT, John. Romanos. São Paulo: ABU editora, 2000.
• SCHRAGE, Wolfgang. Ética do Novo Testamento. São Leopoldo:
Sinodal/IEPG, 1994.
• STUHLMACHER, Peter. Lei e graça em Paulo: uma reafirmação
da doutrina da justificação. São Paulo: Vida Nova, 2002.
• TRASK, Thomas E.; GOODALL, Waide I. Um retorno à Vida
Santificada. In: De volta para a Palavra: um chamado à
autoridade da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, P. 187-205.
• ZUCK, Roy B. Teologia do Novo Testamento. Rio de Janeiro:
CPAD, 2008.
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Contatos:
natalino6612@gmail.com
(41) 8409 8094

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A necessidade universal da salvação em Cristo
A necessidade universal da salvação em CristoA necessidade universal da salvação em Cristo
A necessidade universal da salvação em CristoErberson Pinheiro
 
Lição 2 a necessidade universal da salvação em cristo
Lição 2 a necessidade universal da salvação em cristoLição 2 a necessidade universal da salvação em cristo
Lição 2 a necessidade universal da salvação em cristoCelso Napoleon
 
Aula 4 gálatas e efésios
Aula 4   gálatas e efésiosAula 4   gálatas e efésios
Aula 4 gálatas e efésiosPastor W. Costa
 
A Necessidade Universal da Salvação Em Cristo
A Necessidade Universal da Salvação Em CristoA Necessidade Universal da Salvação Em Cristo
A Necessidade Universal da Salvação Em CristoPr. Andre Luiz
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03Joel Silva
 
Lição 8 cristo e a graça
Lição 8 cristo e a graçaLição 8 cristo e a graça
Lição 8 cristo e a graçaboasnovassena
 
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTOLBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTONatalino das Neves Neves
 
Lição 12 - O governo da igreja local
Lição 12 - O governo da igreja localLição 12 - O governo da igreja local
Lição 12 - O governo da igreja localÉder Tomé
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04Joel Silva
 
Ebd lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016
Ebd   lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016Ebd   lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016
Ebd lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016Joel Silva
 
Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de OrígenesRicardo Gondim
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02Joel Silva
 
Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça
Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e GraçaLição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça
Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e GraçaSolinftec
 
Lição 2 - a necessidade universal dasalvação em Cristo
Lição 2 - a necessidade universal dasalvação em CristoLição 2 - a necessidade universal dasalvação em Cristo
Lição 2 - a necessidade universal dasalvação em CristoAilton da Silva
 
Lição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoLição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoboasnovassena
 

Mais procurados (20)

A necessidade universal da salvação em Cristo
A necessidade universal da salvação em CristoA necessidade universal da salvação em Cristo
A necessidade universal da salvação em Cristo
 
Lição 2 a necessidade universal da salvação em cristo
Lição 2 a necessidade universal da salvação em cristoLição 2 a necessidade universal da salvação em cristo
Lição 2 a necessidade universal da salvação em cristo
 
Aula 3 ii coríntios
Aula 3   ii coríntiosAula 3   ii coríntios
Aula 3 ii coríntios
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
 
Lba lição 5 a maravilhosa graça
Lba lição 5  a maravilhosa graçaLba lição 5  a maravilhosa graça
Lba lição 5 a maravilhosa graça
 
Aula 4 gálatas e efésios
Aula 4   gálatas e efésiosAula 4   gálatas e efésios
Aula 4 gálatas e efésios
 
Lição 5 - A Maravilhosa Graça
Lição 5 - A Maravilhosa GraçaLição 5 - A Maravilhosa Graça
Lição 5 - A Maravilhosa Graça
 
A Necessidade Universal da Salvação Em Cristo
A Necessidade Universal da Salvação Em CristoA Necessidade Universal da Salvação Em Cristo
A Necessidade Universal da Salvação Em Cristo
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
 
Lição 8 cristo e a graça
Lição 8 cristo e a graçaLição 8 cristo e a graça
Lição 8 cristo e a graça
 
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTOLBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
 
Lição 12 - O governo da igreja local
Lição 12 - O governo da igreja localLição 12 - O governo da igreja local
Lição 12 - O governo da igreja local
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 04
 
Ebd lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016
Ebd   lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016Ebd   lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016
Ebd lições séries 04 - 2ºtrimestre 2016
 
Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça
Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e GraçaLição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça
Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça
 
Lição 2 - a necessidade universal dasalvação em Cristo
Lição 2 - a necessidade universal dasalvação em CristoLição 2 - a necessidade universal dasalvação em Cristo
Lição 2 - a necessidade universal dasalvação em Cristo
 
Lição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoLição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecado
 

Destaque

Pesquisas Imortalidade2003
Pesquisas Imortalidade2003Pesquisas Imortalidade2003
Pesquisas Imortalidade2003ADEP Portugal
 
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Helio Cruz
 
O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014grupodepaisceb
 
Módulo II - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo II - Aula IV - Mansão EspíritaMódulo II - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo II - Aula IV - Mansão Espíritabrunoquadros
 
A atualidade dos conselhos paulinos
A atualidade dos conselhos paulinosA atualidade dos conselhos paulinos
A atualidade dos conselhos paulinosMoisés Sampaio
 
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objetoRoteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objetoBruno Cechinel Filho
 
Mediunidade aula 00 inaugural
Mediunidade   aula 00 inauguralMediunidade   aula 00 inaugural
Mediunidade aula 00 inauguralAugusto Luvisotto
 
Eade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreição
Eade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreiçãoEade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreição
Eade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreiçãoJoyAlbanez
 
A Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentososA Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentososEder Freyre
 
Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"Leonardo Pereira
 
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificador
Roteiro 2   allan kardec  o professor e o codificadorRoteiro 2   allan kardec  o professor e o codificador
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificadorBruno Cechinel Filho
 
O KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMO
O KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMOO KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMO
O KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMOJorge Luiz dos Santos
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espíritanelmarvoc
 
Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Roseli Lemes
 
O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!Leonardo Pereira
 
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de EspiritismoApresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de EspiritismoFlávio Darin Buongermino
 

Destaque (20)

Pesquisas Imortalidade2003
Pesquisas Imortalidade2003Pesquisas Imortalidade2003
Pesquisas Imortalidade2003
 
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
 
A codificação espírita
A codificação espíritaA codificação espírita
A codificação espírita
 
O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014
 
Módulo II - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo II - Aula IV - Mansão EspíritaMódulo II - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo II - Aula IV - Mansão Espírita
 
A atualidade dos conselhos paulinos
A atualidade dos conselhos paulinosA atualidade dos conselhos paulinos
A atualidade dos conselhos paulinos
 
A pascoa na visão espírita (2)
A pascoa na visão espírita (2)A pascoa na visão espírita (2)
A pascoa na visão espírita (2)
 
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objetoRoteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
 
Mediunidade aula 00 inaugural
Mediunidade   aula 00 inauguralMediunidade   aula 00 inaugural
Mediunidade aula 00 inaugural
 
Eade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreição
Eade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreiçãoEade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreição
Eade i-ii-10-calvário-crucificação-ressurreição
 
A Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentososA Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentosos
 
Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"
 
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificador
Roteiro 2   allan kardec  o professor e o codificadorRoteiro 2   allan kardec  o professor e o codificador
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificador
 
O KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMO
O KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMOO KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMO
O KARDEC E O TRABALHO DE CODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMO
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 
Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2
 
O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!O centro espírita e nós!
O centro espírita e nós!
 
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de EspiritismoApresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
 
Aula 02 princípios
Aula 02   princípiosAula 02   princípios
Aula 02 princípios
 
Atos dos Apostolos
Atos dos ApostolosAtos dos Apostolos
Atos dos Apostolos
 

Semelhante a Lição 4 - A necessidade universal de salvação

1 2 3 JOÃO Hernandes Dias-Lopes.pdf
1 2 3 JOÃO  Hernandes Dias-Lopes.pdf1 2 3 JOÃO  Hernandes Dias-Lopes.pdf
1 2 3 JOÃO Hernandes Dias-Lopes.pdfWaldianaDeSouza
 
Sinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorir
Sinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorirSinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorir
Sinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorirFreekidstories
 
000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR
000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR
000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGROrdineGesu
 
Aula 02 2ª trimestre
Aula 02 2ª trimestreAula 02 2ª trimestre
Aula 02 2ª trimestreSilva Soares
 
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptxLição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptxCelso Napoleon
 
Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)
Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)
Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)Vilma Sousa
 
A Provisão de Deus em Tempos Difíces
A Provisão de Deus em Tempos DifícesA Provisão de Deus em Tempos Difíces
A Provisão de Deus em Tempos DifícesLuciana Evangelista
 
As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]ayrtonslides
 
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02Rubens Tatekawa
 
Módulo – teologia 1
Módulo – teologia 1Módulo – teologia 1
Módulo – teologia 1Filipe
 
História da Redenção ( pdf ) Jose Borges dos Santos Júnior
História da Redenção  ( pdf ) Jose Borges dos Santos JúniorHistória da Redenção  ( pdf ) Jose Borges dos Santos Júnior
História da Redenção ( pdf ) Jose Borges dos Santos JúniorLucas Ribeiro
 
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososLição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososAndrew Guimarães
 
Predestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da Vontade
Predestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da VontadePredestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da Vontade
Predestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da VontadeRogério de Sousa
 
A identidade de um cristão reformado.pdf
A identidade de um cristão reformado.pdfA identidade de um cristão reformado.pdf
A identidade de um cristão reformado.pdfFabricioFerreira95
 
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOSNatalino das Neves Neves
 

Semelhante a Lição 4 - A necessidade universal de salvação (20)

Tese De Antropologia
Tese De AntropologiaTese De Antropologia
Tese De Antropologia
 
1 2 3 JOÃO Hernandes Dias-Lopes.pdf
1 2 3 JOÃO  Hernandes Dias-Lopes.pdf1 2 3 JOÃO  Hernandes Dias-Lopes.pdf
1 2 3 JOÃO Hernandes Dias-Lopes.pdf
 
Aula 1 romanos
Aula 1   romanosAula 1   romanos
Aula 1 romanos
 
Questões
QuestõesQuestões
Questões
 
Sinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorir
Sinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorirSinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorir
Sinopse dos livros da Bíblia - Novo Testamento - livro para colorir
 
000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR
000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR
000c - Saudação e Índice do site Internet do Catecismo do OGR
 
Aula 02 2ª trimestre
Aula 02 2ª trimestreAula 02 2ª trimestre
Aula 02 2ª trimestre
 
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptxLição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
Lição 03: O perigo do Ensino Progressista.pptx
 
Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)
Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)
Dialnet o deus-desarmadoateologiadacruzdejmoltmanneseuimpact-6342647 (1)
 
A Provisão de Deus em Tempos Difíces
A Provisão de Deus em Tempos DifícesA Provisão de Deus em Tempos Difíces
A Provisão de Deus em Tempos Difíces
 
As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]
 
Lição 7 - Adão e o pecado
Lição 7 - Adão e o pecadoLição 7 - Adão e o pecado
Lição 7 - Adão e o pecado
 
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
 
Módulo – teologia 1
Módulo – teologia 1Módulo – teologia 1
Módulo – teologia 1
 
História da Redenção ( pdf ) Jose Borges dos Santos Júnior
História da Redenção  ( pdf ) Jose Borges dos Santos JúniorHistória da Redenção  ( pdf ) Jose Borges dos Santos Júnior
História da Redenção ( pdf ) Jose Borges dos Santos Júnior
 
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososLição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
 
Predestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da Vontade
Predestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da VontadePredestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da Vontade
Predestinação, Livre Arbítrio e a Escravidão da Vontade
 
A identidade de um cristão reformado.pdf
A identidade de um cristão reformado.pdfA identidade de um cristão reformado.pdf
A identidade de um cristão reformado.pdf
 
LBJ 1 TRI 2016 - Resumo do trimestre
LBJ 1 TRI 2016 - Resumo do trimestreLBJ 1 TRI 2016 - Resumo do trimestre
LBJ 1 TRI 2016 - Resumo do trimestre
 
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 

Último (20)

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 

Lição 4 - A necessidade universal de salvação

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4. Pare! Antes de iniciar a lição, favor se inscrever no meu blog “www.natalinodasneves.blogspot.com.br” e nos canais do Youtube e Slideshare, que podem ser acessados pelo próprio blog. Ao acessar o blog aproveite para assistir o vídeo com comentários referente a este arquivo de slides.
  • 6. Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: 1. MOSTRAR que os judeus e gentios necessitam de um meio eficaz para salvação; 2. RECONHECER que a humanidade necessita encontrar o caminho da paz; 3. EXPLICAR que a humanidade necessita da solução para o pecado. 4. APLICAR o conteúdo aprendido à sua vida pessoal.
  • 8. INTERAÇÃO • Caro(a) professor(a), precisamos caminhar lentamente junto com o apóstolo Paulo. • Perceba a paciência e o cuidado de um bom mestre nas lições que estudamos até aqui, o que continuará também nas lições posteriores. O apóstolo: • começa com a saudação, apresentando suas credenciais, elogiando o que os membros da igreja de Roma tinham de positivo, incentivando- os a continuarem no Caminho. • Ele demonstra seu carinho e a vontade de estar com eles. • Testemunha o poder do Evangelho em sua vida e a importância de perseverar nele, de fé em fé. • Em seguida, ele começa apresentar a condição de indesculpabilidade dos gentios e judeus até chegar ao momento desta lição atual. • Neste estágio do comentário do apóstolo, por meio de forte argumentação, ele demonstra que todos nós, independente de raça, cor, gênero, classe social, entre outros, estamos na mesma situação (mesmo barco) e necessitamos de uma mesma solução para a justificação diante de Deus.
  • 12. INTRODUÇÃO • Neste estágio, o apóstolo demonstra que todas as pessoas, independente de raça, cor, gênero, classe social estão na mesma situação e necessitam de uma única solução para a justificação diante de Deus. • O apóstolo afirma que nem os gentios com seu conhecimento natural e racional, nem os judeus com a lei e a circuncisão foram justificados diante de Deus. • Paulo demonstra que o estado pecaminoso do ser humano é universal, a insuficiência da lei para justificação e aponta Cristo como solução.
  • 13. I – A ALTERNATIVA PARA SALVAÇÃO DA HUMANIDADE (Rm 3.9)
  • 14. A filosofia humana não apresentou o caminho da salvação (v.9) • Os filósofos trouxeram grandes contribuições tanto para a ciência como para a teologia, basta ver a influência destes nos pais da Igreja. • A revelação divina esta acima do raciocínio humano, que apenas consegue obter “lampejos” da revelação maior (possível por meio do Espírito Santo). • Século XX (computadores, penicilina, transplante do coração, clonagem de mamíferos , estrutura do DNA, energia nuclear, exploração espacial, fibra ótica, laser, internet, avião, pílula anticoncepcional, radar, televisão, entre outras) Vs. 2 guerras mundiais.
  • 15. A lei e a circuncisão não libertou o povo judeu (v.9) • Os rituais judeus e as práticas de purificação e pretensa santificação não foram suficientes para alcançarem a tão sonhada justificação diante de Deus. • A religiosidade e o legalismo não salvam. • A dificuldade judaica de entender a verdadeira mensagem do evangelho fica evidente ao lermos nos relatos dos evangelhos os inúmeros conflitos entre os principais líderes judaicos com o ensinamento de Jesus.
  • 16. Sentença igual para todas as pessoas (v. 9) • Pergunta interessante dirigida à Igreja: “Somos nós mais excelentes?” • Ele mesmo responde: “De maneira nenhuma!” • Coloca todas as pessoas “no mesmo barco”, debaixo da mesma sentença (Rm 1.20; 2.1). • Os conflitos entre os dois grupos da igreja romana, judeus e gentios, causaram dissenções e prejuízos para o bom andamento das atividades na igreja. • Todas as pessoas são indesculpáveis diante de Deus e totalmente dependentes da graça de Deus.
  • 17. II – PAZ COM DEUS (RM 3.10- 18)
  • 18. Não há nenhum justo sequer (v. 10-12) • A partir deste verso, Paulo faz vários recortes do AT, chamando assim, a escritura judaica para testemunhar a culpa universal. • Inicia citando Sl 14.1-3 para demonstrar que toda humanidade estava corrompida pelo pecado. • Embasado pelo AT = ninguém consegue ser justo por si mesmo, pois a natureza humana é má. • O único justo por mérito foi Jesus e ele não se considerou superior ou desprezou as pessoas por isso. Tratou as pessoas como iguais, incluindo os que eram considerados excluídos no seu convívio.
  • 19. O ser humano, sem Deus, não consegue vencer o poder da carne (v. 13-16). • O autor prossegue citando Sl 5.10 e 140.4 para falar sobre o perigo da língua e das trapaças. • O ser humano que consegue domar os animais, as tecnologias, entre outras coisas, não consegue domar sua língua (Tg 3.1-12). • O apóstolo continua citando o Sl 10.7 e Is 59.7 para falar sobre a boca cheia de maldições e de amargor e os pés velozes para derramar sangue e causar ruina e desgraça. • Demonstra que ser humano por si só não consegue dominar sua língua e nem o poder da carne.
  • 20. A humanidade não alcança a paz a não ser em Cristo (v. 17-18). • Referenciando o AT (Is 59.8; Sl 36,2), destaca a busca sem sucesso da humanidade pela paz por não terem aprendido a temer a Deus (Pv). • Vida de paz somente com a reconciliação com Deus por meio de Cristo (AT 4.12). O ser humano sem Deus está na posição de inimigo de Deus. • Como ter paz sendo inimigo do Soberano e Criador? • Caminho da paz, apesar dos conflitos e aflições (Jo 16.33). • Tudo tranquilo? “Tranquilo não, mas em paz!”
  • 21. III – UMA SOLUÇÃO DEFINITIVA PARA O PECADO (RM 3.19-20)
  • 22. A lei tem a função de mostrar ao ser humano sua condição de pecador (v. 19) • A função da lei não era justificar ninguém, mas tornar o pecador consciente de sua condição de pecador e merecedor da ira de Deus. • Paulo estava dizendo aos judeu-cristãos que insistiam em buscar a justificação mediante a lei, continuavam na mesma condição anterior. • Esta afirmação de Paulo serve para calar os judeus que se vangloriavam por causa da lei. • Exemplo da pessoa doente que vai realizar exames médicos. O resultado servirá somente para identificar a enfermidade.
  • 23. O ser humano não pode se justificar pelas suas próprias obras (v. 20a). • Nenhuma obra humana poderá justificar o ser humano diante de Deus (Gn 4.1-8). • Os judeus, como alguns crentes atuais, se dedicam à oração, jejuns e sacrifícios para “barganhar” com Deus. Motivação errada! • Algumas pessoas que fazem a obra de Deus na base do sacrifício não por amor, mas para compensar pecados cometidos, geralmente ocultos. • A redenção do pecado se dá mediante a misericórdia e graça de Deus, por meio do sacrifício de Cristo.
  • 24. A lei não liberta, mas serve de tutor para conduzir a Cristo (v. 20b) • O apóstolo vem desenvolvendo uma argumentação para demonstrar a principal função da lei, que ele explicita na epístola enviada aos gálatas (Gl 3.23-25): servir de aio para se chegar a Cristo. • O aio (tutor/pedagogo) tinha uma função transitória e não definitiva. Mostra o caminho e sai de cena. • Voltando ao exemplo do doente que realizou os exames médicos. O resultado possibilitará ao médico receitar o remédio que será eficiente para a cura. • A lei identifica a situação de pecador, Paulo apresenta o “remédio” para a cura: Cristo.
  • 26. Nesta lição nos aprendemos que: 1) toda humanidade esta na mesma situação de culpabilidade diante de Deus, pois nem a Lei, a circuncisão nem a filosofia humana pode justificar o ser humano; 2) devido ao efeito do pecado o ser humano não tem paz, que é possível somente por meio de Cristo; 3) que o ser humano não tem como se justificar com obras, por isso a lei serviu como um tutor provisório para conduzir até Cristo.
  • 28. BALL, Charles Fergunson. A vida e os tempos do apóstolo Paulo. Rio de Janeiro: CPAD, 1998. BARTH, Karl. Carta aos Romanos: Tradução e comentários Lindolfo K. Anders. São Paulo: Novo Século, 2003. BRUCE, F.F. Romanos: introdução e comentário. São Paulo: Editora Vida Nova, 2004. CABRAL, Elienai. Mordomia Cristã: aprenda como servir melhor a Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2003. CABRAL, Elienai. Romanos: o evangelho da justiça de Deus. 7a edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2003. CALVINO, João. Romanos. 2a Edição. São Paulo: Edições Parakletos, 2001. GABY, Wagner Tadeu dos Santos. As doenças do Século. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. GILBERTO, Antônio. O fruto do Espírito: a plenitude de Cristo na vida do crente. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.
  • 29. HENRY, Matthew. Comentário Bíblico de Matthew Henry. Tradução: Degmar Ribas Júnior. Rio de Janeiro: CPAD, 2002 JEREMIAS, Joaquim. A mensagem central do Novo Testamento. São Paulo: Editora Academia Cristã, 2005 KASEMANN, Ernest. Perspectivas paulinas. 2a edição. São Paulo: Teológica, 2003. KÜMMEL, Werner Georg. Sintese teológica do Novo Testamento. São Paulo: Teológica, 2003. LOHSE, E. Contexto e Ambiente do Novo Testamento. 2ª ed. São Paulo: Paulinas, 2004. LUTERO, Martin. Comentarios de Martin Lutero: Romanos. Volumen I. Traducción de Erich Sexauer. Barcelona: Editorial Clie, 1998. MACARTHUR JR., John et all. Justificação pela fé somente: a marca da vitalidade espiritual da igreja. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2005. MOODY. Comentário bíblico Moody: Romanos à Apocalipse. V. 5. São Paulo: Editora Batista Regular, 2001.
  • 30. • MURRAY, John. Romanos: comentário bíblico fiel. São Paulo: Editora Fiel, 2003. • POHL, Adolf. Carta aos romanos. Curitiba: Editora Evangélica Esperança, 1999. • REGA, Lourenço Stelio e BERGMANN, Johannes. Noções do Grego Bíblico: gramática fundamental. São Paulo: Editora Vida Nova, 2004. • RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Tradução de Degmar Ribas Júnior. Rio de Janeiro: CPAD, 2014. • RICHARDS, Lawrence O. Guia do leitor da Bíblia: uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. Rio de Janeiro: CPAD, 2012. • RIDDERBOS, Herman. A teologia do apóstolo Paulo: a obra definitiva sobre o pensamento do apóstolo dos gentios. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2004. • RONIS, Osvaldo. Geografia bíblica. 3a Edição. Rio de Janeiro: SEGRAFE, 1978.
  • 31. • SANDERS, E. P. Paulo, a lei e o povo judeu. São Paulo: Edições Paulinas, 1990. • SCHNELLE, Udo. A evolução do pensamento paulino. São Paulo: Edições Loyola, 1999. • STOTT, John. Romanos. São Paulo: ABU editora, 2000. • SCHRAGE, Wolfgang. Ética do Novo Testamento. São Leopoldo: Sinodal/IEPG, 1994. • STUHLMACHER, Peter. Lei e graça em Paulo: uma reafirmação da doutrina da justificação. São Paulo: Vida Nova, 2002. • TRASK, Thomas E.; GOODALL, Waide I. Um retorno à Vida Santificada. In: De volta para a Palavra: um chamado à autoridade da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, P. 187-205. • ZUCK, Roy B. Teologia do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
  • 32. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094