Lição 3 (adultos) - E Deus os criou, homem e mulher

1.826 visualizações

Publicada em

Assista ao vídeo referente a este arquivo de slides no meu blog:

http://goo.gl/PPDRnr

Subsídios elaborados pelo Pr. Natalino das Neves
Programa Escola Dominical na WEBTV.
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Pr. Vice Presidente: Elson Pereira

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.826
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
391
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 3 (adultos) - E Deus os criou, homem e mulher

  1. 1. P r. N a t a l i n o d a s N e v e s www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. Demais subsídios: Acompanhe o arquivo de slides referente aos comentários em vídeo desta e outras lições no blog:
  3. 3. Texto Áureo "E de um só fez toda a geração dos homens para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação." (At 17.26)
  4. 4. Verdade Prática Deus nos criou à sua imagem e semelhança, para que o amemos e vivamos para a sua glória.
  5. 5. Leitura bíblica em classe Gênesis 2.7,18-24
  6. 6. INTRODUÇÃO
  7. 7. INTRODUÇÃO • A criação do ser humano, homem e mulher, à imagem e semelhança de Deus. • O casamento/família como primeira instituição divina. • Modelo divino ideal para o casamento.
  8. 8. PONTO CENTRAL Homem e mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus.
  9. 9. I – CRIAÇÃO DO SER HUMANO
  10. 10. I – CRIAÇÃO DO SER HUMANO • Recebeu o fôlego de vida de Deus (2.7); • Criado à imagem e semelhança de Deus – espirito/moral/intelecto (1.26,27); • Amor pelo belo (v. 9); • Prazer pelo trabalho significativo (v. 15); • Capacidade de governar a criação (1.26, 28-30); • Responsabilidade moral (v. 16-17); • Capacidade para criar (v. 19,20); • Possibilidade de se relacionar com Deus.
  11. 11. I – CRIAÇÃO DO SER HUMANO • Homem e mulher criados à imagem e semelhança de Deus (v. 21-23). • Vida social e complementar (homem e mulher). • Mulher/esposa é para ser ajudadora, no sentido companheirismo e cumplicidade, não uma escrava. • A mulher e o esposo devem ser motivo de crescimento e desenvolvimento mútuo, não o contrário (v. 24-25).
  12. 12. II - A INSTITUIÇÃO DO CASAMENTO
  13. 13. • Monogâmico: • Modelo divino para o casamento: monogamia. • Por questões culturais surge e se mantém a poligamia por longo período (Gn 4.19; Gn 29.21-30; Jz 8.30; 2 Sm 3.1; 1 Rs 11.1-7; 1 Sm 1.1-6). • A monogamia foi ratificada por Jesus e pelos apóstolos (Mt 19.4-6; 1 Tm 3.2). • Aplicação prática: como tratar os casamentos poligâmicos em um campo missionário? (assista o vídeo: www.natalinodasneves.blogspot.com.br). II - A INSTITUIÇÃO DO CASAMENTO
  14. 14. • Heterossexual: • Diferenças que permitem a união matrimonial entre o homem e a mulher – complementação. • Compromisso e mútua proteção entre os dois (v. 25-25). • Modelo divino para o casamento: a heterossexualidade (Gn 2.24). • Deus fez a mulher para o homem e o homem para a mulher: ambos se completam (1 Co 11.11,12). • A Bíblia não dá respaldo para o relacionamento homossexual (Lv 18.22; Rm 1.26). II - A INSTITUIÇÃO DO CASAMENTO
  15. 15. • Indissolubilidade : • As pessoas se casam com objetivo de viverem juntas por toda vida. • “O que Deus ajuntou não separe o homem” (Mt 19.6). • Na época da igreja primitiva o casamento só poderia ser dissolvido em três circunstâncias: morte (Rm 7.2,3), infidelidade (Mt 19.9) e abandono (1 Co 7.15). • E hoje, como deve ser tratada a insissolubilidade? (assista o vídeo: www.natalinodasneves.blogspot.com.br). II - A INSTITUIÇÃO DO CASAMENTO
  16. 16. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  17. 17. CONSIDERAÇÕE S FINAIS 1. O ser humano (homem e mulher) foi criado à imagem e semelhança de Deus. 2. O homem e a mulher se complementam. 3. O modelo divino ideal para o casamento e: monogâmico, heterossexual e indissolúvel.
  18. 18. REFERÊNCIAS ANDRADE , Claudionor. O começo d e todas as coisas : estu d os sob re o livro d e Gên esi s . R io de Jan eiro : CPAD, 2 0 1 5 . A R A NA , An d rés Ib añ ez . Para comp ree n d er o livro d o Gên es is . S ão Pau lo : Ed ições Pau lin as, 2 0 0 3. A RCHE R JR . Gleas on . Merece confian ça o Antigo Testamento? S ão Pau lo : V id a Nova, 1 9 9 1 . HE NRY, Matth ew. Comentário B íb lico Matth ew Henr y . R io d e Janeiro : CPAD, 2 0 0 2 . KA ISE R JR , Walter C. Pregan do e en sinan d o a p artir do Antigo Testamento . R io d e Jan eiro : CPA D, 2 0 0 9 . LIÇÕ ES BÍBLICA S . O começo d e tod as as cois as : estu d os sobre o livro d e Gênesis . R io d e Janeiro : CPAD, 2 0 1 5 .
  19. 19. REFERÊNCIAS LOURENÇO, Adauto . Como tudo começou : uma introdução ao c riac ion ismo . S ão José d os Camp os – S P: F iel, 2 0 0 7 . PA LMER , M . D. Panorama d o Pen s amento Cristão . R io d e Jan eiro : CPA D, 2 0 0 1 . RICHARDS , Lawrence O. Guia do Leitor d a Bíblia : Uma an áli se d e Gên esis a Ap ocalips e cap ítu lo por cap ítu lo . 10 . ed . R io d e Jan eiro : CPA D, 2 0 1 2 . V INE , W.E . Dicion ário V I NE . R io d e Jan eiro : CPA D, 2 0 0 3. ZUCK, Roy B. Teologia do Antigo Testamento. Rio d e Jan eiro : CPA D, 2 0 0 9 .

×