O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Lição 1 - A sobrevivência em tempos de crise

376 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Lição 1 - A sobrevivência em tempos de crise

  1. 1. TEXTO AÚREO "Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo." (Jo 16.33)
  2. 2. VERDADE PRÁTICA As crises podem ser superadas com sabedoria, fé e com a ajuda de Deus.
  3. 3. LEITURA BÍBLICA Habacuque 1.1-17
  4. 4. 1 - O peso que viu o profeta Habacuque. 2 - Até quando, SENHOR, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritarei: Violência! E não salvarás? 3 - Por que razão me fazes ver a iniquidade e ver a vexação? Porque a destruição e a violência estão diante de mim; há também quem suscite a contenda e o litígio. 4 - Por esta causa, a lei se afrouxa, e a sentença nunca sai; porque o ímpio cerca o justo, e sai o juízo pervertido. 5 - Vede entre as nações, e olhai, e maravilhai-vos, e admirai-vos; porque realizo, em vossos dias, uma obra, que vós não crereis, quando vos for contada. 6 - Porque eis que suscito os caldeus, nação amarga e apressada, que marcha sobre a largura da terra, para possuir moradas não suas. 7 - Horrível e terrível é; dela mesma sairá o seu juízo e a sua grandeza. 8 - Os seus cavalos são mais ligeiros do que os leopardos e mais perspicazes do que os lobos à tarde; os seus cavaleiros espalham-se por toda parte; sim, os seus cavaleiros virão de longe, voarão como águias que se apressam à comida.
  5. 5. 9 - Eles todos virão com violência; o seu rosto buscará o oriente, e eles congregarão os cativos como areia. 10 - E escarnecerão dos reis e dos príncipes farão zombarias; eles se rirão de todas as fortalezas, porque, amontoando terra, as tomarão. 11 - Então, passarão como um vento, e pisarão, e se farão culpados, atribuindo este poder ao seu deus. 12 - Não és tu desde sempre, ó SENHOR, meu Deus, meu Santo? Nós não morreremos. Ó SENHOR, para juízo o puseste, e tu, ó Rocha, o fundaste para castigar. 13 - Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal e a vexação não podes contemplar; por que, pois, olhas para os que procedem aleivosamente e te calas quando o ímpio devora aquele que é mais justo do que ele? 14 - E farias os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm quem os governe? 15 - Ele a todos levanta com o anzol, e apanha-os com a sua rede, e os ajunta na sua rede varredoura; por isso, ele se alegra e se regozija. 16 - Por isso, sacrifica à sua rede e queima incenso à sua draga; porque, com elas, se engordou a sua porção, e se engrossou a sua comida. 17 - Porventura, por isso, esvaziará a sua rede e não deixaria de matar os povos continuamente?
  6. 6. INTRODUÇÃO
  7. 7. INTRODUÇÃO • Neste trimestre estudaremos a respeito das crises que nossa nação e o mundo vêm enfrentando: crise espiritual, política e econômica. • Jesus nos alertou que no mundo teríamos aflições, mas prometeu estar conosco todos os dias, até a consumação dos séculos (Mt 28.20). • Vivemos em uma sociedade caótica, porém temos um Deus que cuida de nós.
  8. 8. PONTO CENTRAL A crise espiritual, política e econômica que o mundo enfrenta é consequência do mundo decaído.
  9. 9. I - A CRISE COMO UMA REALIDADE
  10. 10. 1. Deus criou um mundo perfeito. • Deus criou um mundo perfeito e nele colocou o ser humano para cuidar da criação e com ela habitar. • Por um período de tempo, devido à inocência do ser humano, ele viveu sem crise e em harmonia, governando o mundo. • O pecado do ser humano alterou essa realidade, com isso as consequências foram maléficas para os seres humanos e a toda criação (Gn 3.17). • O ser humano em vez de reconhecer as consequências de seus próprios erros, ao longo da história tem preferido achar em quem por a culpa (Gn 3.12).
  11. 11. 2. Uma sociedade em crise • O relato bíblico da queda demonstra que por falha humana vieram os males e as crises. • A sociedade atual tem convivido com o aumento considerável da imoralidade e corrupção. • No entanto, a Bíblia afirma que Deus está no controle e fará justiça. • O cristão no pode se conformar com a sua maneira do “mundo” pensar e agir, mas viver com a mente renovada e sendo testemunha do amor e poder de Deus (Rm 12.2).
  12. 12. SÍNTESE DO TÓPICO I A crise que atinge o mundo é real e é consequência da Queda.
  13. 13. II - A CRISE COMO UMA CONSEQUÊNCIA DO PECADO
  14. 14. 1. A crise na sociedade antediluviana • O pecado se alastrou (Gn 6.5), mas no início a qualidade de vida ainda era boa (Gn 5.27). • O amor a si próprio em detrimento ao bem da coletividade tem deformado a sociedade projetada por Deus desde a época de Noé (Gn 6.13). • O relato do dilúvio demonstra a justiça e a misericórdia de Deus, bem como a responsabilidade do ser humano pelo seu livre arbítrio.
  15. 15. 2. Crise na sociedade pós-dilúvio • O relato do comportamento da família de Noé após o dilúvio demonstra a influência que o meio tem sobre as atitudes da pessoas, mesmo em condições favoráveis (Gn 9). • O relato da Torre de Babel demonstra que a unidade de propósito podem tanto fazer o bem como o mal. O que diferencia é a motivação das pessoas. Por isso, devemos ter em mente o bem comum. • A sociedade pós-diluviana não se tornou melhor do que a antediluviana, pos a iniquidade humana continuou a crescer.
  16. 16. 3. Crise nos tempos de Jesus e na Igreja Primitiva • Jesus nasceu em um tempo de crise política, social, moral e espiritual. Mesmo assim, ele fez a diferença, influenciando sua comunidade. • Jesus dava atenção aos pobres e necessitados, cumprindo o que fora dito pelo profeta Isaías (Is 58.6,7). A fé sem as obras é morta (Tg 2.15-17). • A Igreja Primitiva enfrentou os tempos de crise com a solidariedade (At 4.34,35). • Em meio à crise que temos facilidade de conhecer melhor as pessoas.
  17. 17. SÍNTESE DO TÓPICO II A crise é uma consequência do pecado.
  18. 18. III - A CRISE
  19. 19. 1. A crise política • O governante quando não tem consciência e compromisso com a justiça o povo é explorado e oprimido. A nação sofre as consequências (1 Rs 12.10). • Atualmente, o Brasil está enfrentando uma crise política sem precedentes. A cada dia surge um novo escândalo. • A corrupção tem se alastrado como um câncer, atingindo todos os poderes. • A Igreja do Senhor tem responsabilidade de orar pela nação, mas também agir contra toda a forma de corrupção e ser sábia na hora de colocar as pessoas no poder pelo voto. • Por isso, a importância da consciência política.
  20. 20. 2. A crise econômica • O relato da crise do Egito e atitude de José demonstra que pessoas bem intencionadas e dirigidas pelo temor à Deus, no poder, podem ser solução para a crise econômica (Gn 41). • No Brasil, a crise econômica que estamos enfrentando está diretamente ligada à crise política e ética. • Todavia, as atitudes pessoais também são causas das crises. Cada cristão deve avaliar as verdadeiras causas de sua própria crise econômica. • As negligências de cristãos, em muitos casos, são as causas principais de suas crises.
  21. 21. 3. A crise espiritual • No texto bíblico dessa lição, o profeta Habacuque questionou a Deus a respeito da crise que seu povo estava enfrentando. • A situação que viviam era consequência da crise espiritual que viviam. • O que deixou o profeta inconformado foi a ação divina de corrigir o “seu povo” por meio de um povo estrangeiro, opressor e com comportamento espiritual pior do que Israel (Hb 1.1-12. • Quem vive uma vida espiritual equilibrada tira lições de todos os eventos da vida.
  22. 22. SÍNTESE DO TÓPICO III A crise que a nossa nação está enfrentando é espiritual, política e econômica.
  23. 23. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  24. 24. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nós aprendemos que: 1. As crises são consequências do pecado, principalmente a arrogância e orgulho dos seres humanos, que priorizam seus próprios interesses em detrimento da necessidade da coletividade. 2. Jesus também viveu em tempos de crise, mas não se deixou influenciar pela crise e influenciou positivamente a sua sociedade. 3. A vida espiritual do cristão deve fazer a diferença na atual situação de nosso país.
  25. 25. REFERÊNCIAS ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Dicionário Bíblico Teológico. 8ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999. AYRES, Antônio Tadeu. Reflexos da Globalização sobre a Igreja: Até que ponto as últimas tendências mundiais afetam o Corpo de Cristo? Rio de Janeiro: CPAD, 2001. COMENTÁRIO BÍBLICO BEACON. Vol 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2005 LIÇÕES BÍBLICAS ADULTOS - PROFESSOR. O Deus de toda provisão: esperança e sabedoria divina para a igreja em tempos de crise. Comentarista Elienai Cabral. 4º Trim. Rio de Janeiro: CPAD, 2016. CABRAL, Elienai. O Deus de toda provisão: esperança e sabedoria divina para a igreja em tempos de crise. Rio de Janeiro: CPAD, 2016. RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012
  26. 26. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 (TIM)

×