SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
TEXTO DO DIA
"Toda alma esteja sujeita às
autoridades superiores; porque não
há autoridade que não venha de
Deus; e as autoridades que há foram
ordenadas por Deus."
(Rm 13.1)
SÍNTESE
Em tempos de crise moral e
política, a Igreja deve ser
exemplo íntegro de participação
cívica e de combate à
corrupção.
LEITURA BÍBLICA
Romanos 13.1-7
1 Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores;
porque não há autoridade que não venha de Deus; e
as autoridades que há foram ordenadas por Deus.
2 Por isso, quem resiste à autoridade resiste à
ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre
si mesmos a condenação.
3 Porque os magistrados não são terror para as
boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não
temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela.
4 Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas,
se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a
espada; porque é ministro de Deus e vingador para
castigar o que faz o mal.
5 Portanto, é necessário que lhe estejais sujeitos,
não somente pelo castigo, mas também pela
consciência.
6 Por esta razão também pagais tributos, porque são
ministros de Deus, atendendo sempre a isto mesmo.
7 Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem
tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem
temor, temor; a quem honra, honra.
• A palavra "política" deriva do grego politikos, e em
geral refere-se à ciência de governar ou bem
administrar.
• A política envolve todas as áreas da vida em que
haja interação humana, seja em casa, nas
empresas, nas escolas ou nas demais
instituições.
• A corrupção é a prática desonesta que visa à
obtenção de vantagem ilícita.
• Política e corrupção é um assunto bem atual no
nosso país.
INTRODUÇÃO
I - POLÍTICA GOVERNAMENTAL
E CORRUPÇÃO
• Na esfera pública, a política refere-se à forma
como os governantes administram e tomam as
decisões para a nação, estado ou município.
• As Escrituras ensinam que Deus delega certa
autoridade ao homem para governar (Tt 3.1).
• Utilizada de forma correta, portanto, a política
deve servir para aprovar leis justas, refrear o mal
e praticar o bem.
• Proporcionar aos cidadãos uma sociedade onde
haja liberdade, acesso à saúde, segurança e
educação de qualidade.
1. Política governamental
• Infelizmente, nem todos aqueles que ocupam
cargos públicos estão preocupados com a
sociedade e o interesse coletivo.
• A mídia, com frequência, relatam pessoas em
cargos públicos obtendo vantagens ilícitas.
• A corrupção = mal moral que decorre da natureza
decaída e pecaminosa que provoca enormes
prejuízos sociais (2 Pe 2.19).
• A administração sábia e justa traz felicidade para
o povo, enquanto a administração de ímpios traz
miséria e sofrimento (Pv 29.2-4).
2. O mal da corrupção
Pense
Jeitinho" é um eufemismo para a
trapaça.
Ponto Importante
A corrupção é um mal moral que
decorre da natureza decaída e
pecaminosa do homem, provocando
enormes prejuízos sociais.
II - A SEPARAÇÃO ENTRE
ESTADO E IGREJA
• Pensamento cristão acerca do relacionamento
entre cristão e estado: "[...] Dai, pois, a César o
que é de César e a Deus, o que é de Deus" (Lc
20.25).
• Jesus ensina que Estado e Igreja possuem papéis
distintos.
• Isso não significa dizer, entretanto, que a Igreja
não possa colaborar e relacionar com o Estado
em assuntos de interesse social.
• Igreja e Estado partilham da obrigação de
promover o bem daqueles que são feitos à
imagem de Deus.
1. Entre César e Deus
• Na perspectiva cristã, a autoridade dos
governantes provém de Deus (Rm 13.1-4).
• Recomendação bíblica para nos sujeitarmos à
autoridade humana para manter a liberdade
religiosa (1 Pe 2.13).
• Obedecer à Palavra de Deus é prioridade, em
relação ao poder público e do povo (At 5.29).
• Assim, tão errado quanto adorar a César nos
tempos de Jesus, é a lealdade absoluta ao
Estado nos dias atuais.
2. Soberania divina sobre o Estado
• Em nosso país, o modelo atualmente adotado de
relação entre Estado e organizações religiosas é
o da laicidade.
• O poder público não pode adotar ou patrocinar
uma determinada igreja ou religião.
• O modelo historicamente adotado no Brasil
valoriza o fenômeno religioso como tal,
permitindo, inclusive, a colaboração de interesse
público.
• A igreja cristã deve respeitar o princípio da
laicidade e manter-se separada institucionalmente
do governo.
3. Estado laico, não ateu
Pense
"A lealdade ao reino de César é
condicional, mas a lealdade ao Reino
de Deus é absoluta" (Comentário
Bíblico Pentecostal).
Ponto Importante
Deus é a fonte que emana o poder
de onde os governantes retiram a
sua legitimidade para governar, por
isso a recomendação bíblica para nos
sujeitarmos à autoridade humana
por amor ao Senhor.
III - COMO O CRISTÃO DEVE
LIDAR COM A POLÍTICA E A
CORRUPÇÃO
• Não há nada de errado com a participação
política dos cristãos. Enquanto cidadãos, os
crentes também têm direitos e responsabilidades.
• O apóstolo Paulo valeu-se da cidadania romana
para exercer seus direitos e garantias legais (At
16.37-39).
• Se por um lado a aversão à política é uma
conduta equivocada, por outro, o engajamento
inadequado prejudica a vida espiritual da Igreja.
• Nos casos negativos, é a política que corrompe o
cristão ou é o cristão que já entra na política
corrompido?
1. Adotando uma postura
adequada sobre a política
• O caminho para iluminar o mundo político com a
luz de Cristo é o engajamento político socialmente
adequado e teologicamente consistente.
• Isso, sem se perder nos jogos de poder e nas
disputas partidárias e ideológicas.
• A Igreja pode exercer uma influência expressiva
sobre a política e o governo, por meio da
conscientização dos seus membros sobre a
importância do voto.
• Daniel, exemplo de um político que influenciou
positivamente o governo de seu tempo.
2. Influenciando o mundo político
• Por contrariar o sétimo mandamento (Êx 20.15), a
corrupção é severamente condenada aos olhos
de Deus (Lv 19.35,36).
• Advertências bíblicas contra diversos tipos de
corrupção:
• no funcionalismo público (Lc 3.12-14);
• no Judiciário (Dt 16.19,20; Êx 23.8); e
• no Legislativo (Is 10.1,2).
3. A corrupção e o sétimo mandamento
• A fé verdadeira tem um sério compromisso com o
combate à corrupção em todos os níveis.
• Aquele que teve um encontro com o Senhor é
aconselhado a não roubar mais e é também
compungido a devolver o que defraudou (Lc
19.8).
• Não coaduna, portanto, com a prática de atos
desonestos, fraudadores e corruptos, e nem com
aqueles que assim agem (Rm 1.32).
• Não tem como ser abençoado por meio de atos
ilícitos e corruptos.
4. Combatendo a corrupção
Pense
Se nova vida não combina com a
vigarice, é inconcebível que a bênção
de Deus esteja em negócios escusos e
deletérios
Ponto Importante
O caminho para iluminar o mundo
político com a luz de Cristo é o
engajamento político socialmente
adequado e teologicamente
consistente da comunidade cristã
1. A política está presente em todas as áreas e é
necessária, porém as consequências dos atos
políticos dependem de quem a “domina”.
2. O Estado e Igreja possuem papéis distintos, mas
tem atribuições que são convergentes.
3. Política e combate à corrupção também são
"coisas de crente“, porém o envolvimento deve
ser com integridade, moral e ética.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
GEISLER, Norman; MEISTER, Chad V. (Orgs). Razões para
Crer: Apresentando argumentos a favor da fé cristã. 1.ed.
Rio de Janeiro: CPAD, 2013.
LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Seguidores de Cristo:
testemunhando uma sociedade em ruinas. 4º Trim.,
Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017.
NASCIMENTO, Valmir. Seguidores de Cristo:
testemunhando uma sociedade em ruinas. Rio de Janeiro:
CPAD, 2017.
NEVES, Natalino das. Justiça e Graça: um estudo da
Doutrina da Salvação na Carta aos Romanos. CPAD: Rio de
Janeiro, 2015.
REFERÊNCIAS
RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma
análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª
ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012.
RICHARDS, Lawrence. Comentário Histórico-Cultural do
Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
ZUCK, Roy B (ed.). Teologia do Novo Testamento. 1.ed.
Rio de Janeiro: CPAD, 2008
REFERÊNCIAS
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Facebook: www.facebook.com/natalino.neves
Contatos:
natalino6612@gmail.com
(41) 98409 8094 (TIM)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 10 deveres civis morais e espirituais
Lição 10 deveres civis morais e espirituaisLição 10 deveres civis morais e espirituais
Lição 10 deveres civis morais e espirituaisantonio vieira
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2Jose Ventura
 
O cristão e a política (Revista Evangélica)
O cristão e a política (Revista Evangélica)O cristão e a política (Revista Evangélica)
O cristão e a política (Revista Evangélica)Carlos Silva
 
Lição 10 - O poder e os reinos deste mundo
Lição 10 - O poder e os reinos deste mundoLição 10 - O poder e os reinos deste mundo
Lição 10 - O poder e os reinos deste mundoÉder Tomé
 
Lição 12 o jovem e o estado
Lição 12   o jovem e o estadoLição 12   o jovem e o estado
Lição 12 o jovem e o estadoboasnovassena
 
Mudanças dos valores morais
Mudanças dos valores moraisMudanças dos valores morais
Mudanças dos valores moraisboasnovassena
 
Lição 12 - Ética Cristã - Política
Lição 12 - Ética Cristã - PolíticaLição 12 - Ética Cristã - Política
Lição 12 - Ética Cristã - PolíticaÉder Tomé
 
ÉTica cristã slides aula 3
ÉTica cristã   slides aula 3ÉTica cristã   slides aula 3
ÉTica cristã slides aula 3Jose Ventura
 
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e EspirituaisLição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e EspirituaisAndrew Guimarães
 
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e EspirituaisLição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e EspirituaisRegio Davis
 

Mais procurados (20)

Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.
Ebd lições bíblicas 2°trimestre 2016 aula 10 Deveres civis,morais e Espirituais.
 
O que é livre-arbítrio?
O que é livre-arbítrio?O que é livre-arbítrio?
O que é livre-arbítrio?
 
Lição 10 deveres civis morais e espirituais
Lição 10 deveres civis morais e espirituaisLição 10 deveres civis morais e espirituais
Lição 10 deveres civis morais e espirituais
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2
 
O cristão e a política (Revista Evangélica)
O cristão e a política (Revista Evangélica)O cristão e a política (Revista Evangélica)
O cristão e a política (Revista Evangélica)
 
Lição 10 - O poder e os reinos deste mundo
Lição 10 - O poder e os reinos deste mundoLição 10 - O poder e os reinos deste mundo
Lição 10 - O poder e os reinos deste mundo
 
Lição 12 o jovem e o estado
Lição 12   o jovem e o estadoLição 12   o jovem e o estado
Lição 12 o jovem e o estado
 
Mudanças dos valores morais
Mudanças dos valores moraisMudanças dos valores morais
Mudanças dos valores morais
 
20151111.Estudo PGs 28
20151111.Estudo PGs 2820151111.Estudo PGs 28
20151111.Estudo PGs 28
 
Lição 12 - Ética Cristã - Política
Lição 12 - Ética Cristã - PolíticaLição 12 - Ética Cristã - Política
Lição 12 - Ética Cristã - Política
 
ÉTica cristã slides aula 3
ÉTica cristã   slides aula 3ÉTica cristã   slides aula 3
ÉTica cristã slides aula 3
 
PT X CRISTIANISMO
PT X CRISTIANISMOPT X CRISTIANISMO
PT X CRISTIANISMO
 
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e EspirituaisLição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
 
ÉTica cristã aula 02
ÉTica cristã aula 02ÉTica cristã aula 02
ÉTica cristã aula 02
 
O Cristão e a Política
O Cristão e a Política O Cristão e a Política
O Cristão e a Política
 
Teologia do at_texto4
Teologia do at_texto4Teologia do at_texto4
Teologia do at_texto4
 
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e EspirituaisLição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
Lição 10 - Deveres Civis, Morais e Espirituais
 
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristãLBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
 
Lição 8 as mudanças dos valores morais ebd
Lição 8  as mudanças dos valores morais ebdLição 8  as mudanças dos valores morais ebd
Lição 8 as mudanças dos valores morais ebd
 
Aula 1 introdução
Aula 1 introduçãoAula 1 introdução
Aula 1 introdução
 

Destaque

LBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumo
LBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumoLBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumo
LBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumoNatalino das Neves Neves
 
LBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociais
LBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociaisLBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociais
LBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociaisNatalino das Neves Neves
 
Lição 8 - Depressão, um mal do nosso tempo
Lição 8 - Depressão, um mal do nosso tempoLição 8 - Depressão, um mal do nosso tempo
Lição 8 - Depressão, um mal do nosso tempoErberson Pinheiro
 
LBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernética
LBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernéticaLBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernética
LBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernéticaNatalino das Neves Neves
 
LBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicação
LBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicaçãoLBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicação
LBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicaçãoNatalino das Neves Neves
 
LBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbana
LBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbanaLBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbana
LBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbanaNatalino das Neves Neves
 
LBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhosos
LBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhososLBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhosos
LBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhososNatalino das Neves Neves
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioMárcio Martins
 
Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Márcio Martins
 
Lutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestanteLutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestanteErberson Pinheiro
 
A celebração da primeira Páscoa
A celebração da primeira PáscoaA celebração da primeira Páscoa
A celebração da primeira PáscoaAilton da Silva
 
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócioDeus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócioAilton da Silva
 
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na práticaa Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na práticaAilton da Silva
 
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebdRevista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebdHamilton Souza
 

Destaque (20)

LBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumo
LBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumoLBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumo
LBJ LIÇÃO 13 - E agora, como viveremos na sociedade de consumo
 
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graçaLBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
 
LIÇÃO 7 - A SALVAÇÃO PELA GRAÇA
LIÇÃO 7 - A SALVAÇÃO PELA GRAÇALIÇÃO 7 - A SALVAÇÃO PELA GRAÇA
LIÇÃO 7 - A SALVAÇÃO PELA GRAÇA
 
O casamento bíblico
O casamento bíblicoO casamento bíblico
O casamento bíblico
 
LBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociais
LBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociaisLBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociais
LBJ LIÇÃO 10 - Os perigos e as oportunidades das redes sociais
 
Lição 8 - Depressão, um mal do nosso tempo
Lição 8 - Depressão, um mal do nosso tempoLição 8 - Depressão, um mal do nosso tempo
Lição 8 - Depressão, um mal do nosso tempo
 
LBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernética
LBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernéticaLBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernética
LBJ LIÇÃO 9 - Em tempos de violência cibernética
 
LBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicação
LBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicaçãoLBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicação
LBJ LIÇÃO 11 - Sabedoria divina para interargir com os meios de comunicação
 
LBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbana
LBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbanaLBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbana
LBJ LIÇÃO 8 - A resposta cristã para a violência urbana
 
LBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhosos
LBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhososLBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhosos
LBJ LIÇÃO 12 - A educação secular em tempos trabalhosos
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
 
Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
 
Lutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestanteLutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestante
 
A celebração da primeira Páscoa
A celebração da primeira PáscoaA celebração da primeira Páscoa
A celebração da primeira Páscoa
 
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócioDeus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
 
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na práticaa Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
a Verdadeira Sabedoria se manifesta na prática
 
05
0505
05
 
09
0909
09
 
Lição 5
Lição 5Lição 5
Lição 5
 
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebdRevista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
 

Semelhante a LBJ LIÇÃO 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã

LBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituais
LBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituaisLBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituais
LBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituaisNatalino das Neves Neves
 
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de CristoPolítica e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de CristoFrancelia Carvalho Oliveira
 
Lição 8 - A Igreja e sua Influência na Sociedade
Lição 8 - A Igreja e sua Influência na SociedadeLição 8 - A Igreja e sua Influência na Sociedade
Lição 8 - A Igreja e sua Influência na SociedadeÉder Tomé
 
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICAO CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICAMINISTERIO IPCA.
 
A ascensão economica
A ascensão economicaA ascensão economica
A ascensão economicaboasnovassena
 
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 10
Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 10Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 10
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 10Joel Silva
 
2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 10.pptxJoel Silva
 
Tempo de maturidade nov 2014
Tempo de maturidade   nov 2014 Tempo de maturidade   nov 2014
Tempo de maturidade nov 2014 Marcio da Silva
 
Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019Marilene dos Santos
 
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os SuperioresLição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os SuperioresÉder Tomé
 
2014 eleições orientações.versão final 1
2014 eleições orientações.versão final 12014 eleições orientações.versão final 1
2014 eleições orientações.versão final 1ParoquiaStaCruz
 

Semelhante a LBJ LIÇÃO 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã (20)

07ago2016 timoteo
07ago2016 timoteo07ago2016 timoteo
07ago2016 timoteo
 
Deus e a Política
Deus e a PolíticaDeus e a Política
Deus e a Política
 
LBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituais
LBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituaisLBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituais
LBA Lição 10 - Deveres civis, morais e espirituais
 
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de CristoPolítica e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
 
Lição 10 a ascensão econômica ebd
Lição 10 a ascensão econômica ebdLição 10 a ascensão econômica ebd
Lição 10 a ascensão econômica ebd
 
Lição 8 - A Igreja e sua Influência na Sociedade
Lição 8 - A Igreja e sua Influência na SociedadeLição 8 - A Igreja e sua Influência na Sociedade
Lição 8 - A Igreja e sua Influência na Sociedade
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICAO CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
 
A ascensão economica
A ascensão economicaA ascensão economica
A ascensão economica
 
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 10
Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 10Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 10
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 10
 
2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 10.pptx
 
PAZ NA TERRA.pptx
PAZ NA TERRA.pptxPAZ NA TERRA.pptx
PAZ NA TERRA.pptx
 
Tempo de maturidade nov 2014
Tempo de maturidade   nov 2014 Tempo de maturidade   nov 2014
Tempo de maturidade nov 2014
 
Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019
 
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os SuperioresLição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
 
Boletim cbg n°_36_7_set_2014
Boletim cbg n°_36_7_set_2014Boletim cbg n°_36_7_set_2014
Boletim cbg n°_36_7_set_2014
 
Adventistas na política
Adventistas na políticaAdventistas na política
Adventistas na política
 
Lição 12 - O jovem e o estado
Lição 12 - O jovem e o estadoLição 12 - O jovem e o estado
Lição 12 - O jovem e o estado
 
2014 eleições orientações.versão final 1
2014 eleições orientações.versão final 12014 eleições orientações.versão final 1
2014 eleições orientações.versão final 1
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 

LBJ LIÇÃO 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã

  • 1.
  • 2.
  • 3. TEXTO DO DIA "Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus." (Rm 13.1)
  • 4. SÍNTESE Em tempos de crise moral e política, a Igreja deve ser exemplo íntegro de participação cívica e de combate à corrupção.
  • 6. 1 Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus. 2 Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. 3 Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela. 4 Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus e vingador para castigar o que faz o mal.
  • 7. 5 Portanto, é necessário que lhe estejais sujeitos, não somente pelo castigo, mas também pela consciência. 6 Por esta razão também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo sempre a isto mesmo. 7 Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra.
  • 8. • A palavra "política" deriva do grego politikos, e em geral refere-se à ciência de governar ou bem administrar. • A política envolve todas as áreas da vida em que haja interação humana, seja em casa, nas empresas, nas escolas ou nas demais instituições. • A corrupção é a prática desonesta que visa à obtenção de vantagem ilícita. • Política e corrupção é um assunto bem atual no nosso país. INTRODUÇÃO
  • 9. I - POLÍTICA GOVERNAMENTAL E CORRUPÇÃO
  • 10. • Na esfera pública, a política refere-se à forma como os governantes administram e tomam as decisões para a nação, estado ou município. • As Escrituras ensinam que Deus delega certa autoridade ao homem para governar (Tt 3.1). • Utilizada de forma correta, portanto, a política deve servir para aprovar leis justas, refrear o mal e praticar o bem. • Proporcionar aos cidadãos uma sociedade onde haja liberdade, acesso à saúde, segurança e educação de qualidade. 1. Política governamental
  • 11. • Infelizmente, nem todos aqueles que ocupam cargos públicos estão preocupados com a sociedade e o interesse coletivo. • A mídia, com frequência, relatam pessoas em cargos públicos obtendo vantagens ilícitas. • A corrupção = mal moral que decorre da natureza decaída e pecaminosa que provoca enormes prejuízos sociais (2 Pe 2.19). • A administração sábia e justa traz felicidade para o povo, enquanto a administração de ímpios traz miséria e sofrimento (Pv 29.2-4). 2. O mal da corrupção
  • 12. Pense Jeitinho" é um eufemismo para a trapaça.
  • 13. Ponto Importante A corrupção é um mal moral que decorre da natureza decaída e pecaminosa do homem, provocando enormes prejuízos sociais.
  • 14. II - A SEPARAÇÃO ENTRE ESTADO E IGREJA
  • 15. • Pensamento cristão acerca do relacionamento entre cristão e estado: "[...] Dai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus" (Lc 20.25). • Jesus ensina que Estado e Igreja possuem papéis distintos. • Isso não significa dizer, entretanto, que a Igreja não possa colaborar e relacionar com o Estado em assuntos de interesse social. • Igreja e Estado partilham da obrigação de promover o bem daqueles que são feitos à imagem de Deus. 1. Entre César e Deus
  • 16. • Na perspectiva cristã, a autoridade dos governantes provém de Deus (Rm 13.1-4). • Recomendação bíblica para nos sujeitarmos à autoridade humana para manter a liberdade religiosa (1 Pe 2.13). • Obedecer à Palavra de Deus é prioridade, em relação ao poder público e do povo (At 5.29). • Assim, tão errado quanto adorar a César nos tempos de Jesus, é a lealdade absoluta ao Estado nos dias atuais. 2. Soberania divina sobre o Estado
  • 17. • Em nosso país, o modelo atualmente adotado de relação entre Estado e organizações religiosas é o da laicidade. • O poder público não pode adotar ou patrocinar uma determinada igreja ou religião. • O modelo historicamente adotado no Brasil valoriza o fenômeno religioso como tal, permitindo, inclusive, a colaboração de interesse público. • A igreja cristã deve respeitar o princípio da laicidade e manter-se separada institucionalmente do governo. 3. Estado laico, não ateu
  • 18. Pense "A lealdade ao reino de César é condicional, mas a lealdade ao Reino de Deus é absoluta" (Comentário Bíblico Pentecostal).
  • 19. Ponto Importante Deus é a fonte que emana o poder de onde os governantes retiram a sua legitimidade para governar, por isso a recomendação bíblica para nos sujeitarmos à autoridade humana por amor ao Senhor.
  • 20. III - COMO O CRISTÃO DEVE LIDAR COM A POLÍTICA E A CORRUPÇÃO
  • 21. • Não há nada de errado com a participação política dos cristãos. Enquanto cidadãos, os crentes também têm direitos e responsabilidades. • O apóstolo Paulo valeu-se da cidadania romana para exercer seus direitos e garantias legais (At 16.37-39). • Se por um lado a aversão à política é uma conduta equivocada, por outro, o engajamento inadequado prejudica a vida espiritual da Igreja. • Nos casos negativos, é a política que corrompe o cristão ou é o cristão que já entra na política corrompido? 1. Adotando uma postura adequada sobre a política
  • 22. • O caminho para iluminar o mundo político com a luz de Cristo é o engajamento político socialmente adequado e teologicamente consistente. • Isso, sem se perder nos jogos de poder e nas disputas partidárias e ideológicas. • A Igreja pode exercer uma influência expressiva sobre a política e o governo, por meio da conscientização dos seus membros sobre a importância do voto. • Daniel, exemplo de um político que influenciou positivamente o governo de seu tempo. 2. Influenciando o mundo político
  • 23. • Por contrariar o sétimo mandamento (Êx 20.15), a corrupção é severamente condenada aos olhos de Deus (Lv 19.35,36). • Advertências bíblicas contra diversos tipos de corrupção: • no funcionalismo público (Lc 3.12-14); • no Judiciário (Dt 16.19,20; Êx 23.8); e • no Legislativo (Is 10.1,2). 3. A corrupção e o sétimo mandamento
  • 24. • A fé verdadeira tem um sério compromisso com o combate à corrupção em todos os níveis. • Aquele que teve um encontro com o Senhor é aconselhado a não roubar mais e é também compungido a devolver o que defraudou (Lc 19.8). • Não coaduna, portanto, com a prática de atos desonestos, fraudadores e corruptos, e nem com aqueles que assim agem (Rm 1.32). • Não tem como ser abençoado por meio de atos ilícitos e corruptos. 4. Combatendo a corrupção
  • 25. Pense Se nova vida não combina com a vigarice, é inconcebível que a bênção de Deus esteja em negócios escusos e deletérios
  • 26. Ponto Importante O caminho para iluminar o mundo político com a luz de Cristo é o engajamento político socialmente adequado e teologicamente consistente da comunidade cristã
  • 27. 1. A política está presente em todas as áreas e é necessária, porém as consequências dos atos políticos dependem de quem a “domina”. 2. O Estado e Igreja possuem papéis distintos, mas tem atribuições que são convergentes. 3. Política e combate à corrupção também são "coisas de crente“, porém o envolvimento deve ser com integridade, moral e ética. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 28. GEISLER, Norman; MEISTER, Chad V. (Orgs). Razões para Crer: Apresentando argumentos a favor da fé cristã. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2013. LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Seguidores de Cristo: testemunhando uma sociedade em ruinas. 4º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017. NASCIMENTO, Valmir. Seguidores de Cristo: testemunhando uma sociedade em ruinas. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. NEVES, Natalino das. Justiça e Graça: um estudo da Doutrina da Salvação na Carta aos Romanos. CPAD: Rio de Janeiro, 2015. REFERÊNCIAS
  • 29. RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012. RICHARDS, Lawrence. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. ZUCK, Roy B (ed.). Teologia do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008 REFERÊNCIAS
  • 30. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)