O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 11 - Crenças religiosas

648 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 11 - Crenças religiosas

  1. 1. TEXTO DO DIA "Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens, como o lavar dos jarros e dos copos, e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas." (Mc 7.8)
  2. 2. SÍNTESE Muitas das crenças religiosas ditas evangélicas do nosso tempo não mais reproduzem a cosmovisão do Reino de Deus, por se conformarem com o sistema deste mundo.
  3. 3. TEXTO BÍBLICO Gálatas 1.6-12
  4. 4. 6 Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho, 7 o qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. 8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. 9 Assim como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo: se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. 10 Porque persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo. 11 Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens, 12 porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.
  5. 5. INTRODUÇÃO
  6. 6. INTRODUÇÃO • Na época da igreja primitiva, ser cristão significava viver como Cristo e jamais o negar, ainda que para isso tivessem de morrer! • Os primeiros cristãos não se contaminavam com a cultura do mundo, estavam sempre juntos, vivendo integralmente a contracultura do evangelho. • Esse foi o segredo da Igreja Primitiva: produziu uma revolução cultural, pois quando a pessoa é transformada por Cristo, o mundo ao seu redor é mudado. • O evangelicalismo deste tempo pós-moderno precisa voltar ao Cristianismo puro e simples.
  7. 7. I - CRESCIMENTO EVANGÉLICO E CRENÇAS RELIGIOSAS
  8. 8. 1. Século I • O crescimento vertiginoso do Cristianismo, no Século I, trouxe a necessidade de se fazer alguns ajustes, para acomodar todas as vertentes étnicas e culturais emergentes. • No concílio de Jerusalém (aprox. 50 d.C), os apóstolos se reuniram em assembleia e ali estabeleceram os comportamentos que deveriam ser praticados por todos, (At 15.20-22). • As recomendações apostólicas eram um extrato de amor, santidade e comunhão entre os cristãos (judeus e gentios). • Prevaleceu o bom senso e a prioridade pelo Reino.
  9. 9. 2. Séculos XX e XXI • O Brasil experimentou, ao longo das últimas décadas, um vertiginoso crescimento numérico da igreja evangélica. • Segundo o IBGE: • Em 1980, aprox. 6,6% dos brasileiros eram evangélicos; • em 1991, o percentual passou a 9,0%; • no ano 2000, subiu para 15,4% da população; • no último censo (2010), o índice saltou para 22,2%, um aumento de cerca de 16 milhões de pessoas (de 26,2 milhões para 42,3 milhões). • Talvez hoje os evangélicos brasileiros já totalizem mais de 50 milhões de pessoas!
  10. 10. 2. Séculos XX e XXI • Hoje, entretanto, não se visualiza a existência de uma contracultura produzida uniformemente pelas igrejas evangélicas. • Prova disso é que, não obstante esse impressionante crescimento numérico, os índices de criminalidade, prostituição infantil, trabalho escravo, corrupção, dentre outras mazelas sociais, não têm diminuído. • Numa análise matemática, o crescimento evangélico não está fazendo diferença na cultura nacional. AP – O que fazer para mudar essa realidade?
  11. 11. 3. Sincretismo evangélico • Algumas crenças religiosas evangélicas pós-modernas são eminentemente sincréticas (mistura com elementos cultuais místicos dos católicos, espíritas, dos cultos afros e até das religiões indígenas). • Uma miscelânea de ideias e conceitos antagônicos, que buscam o resultado a qualquer custo. • Uso de amuletos (sal grosso, rosa ungida, a deificação de líderes, poções com ingredientes "mágicos", entre outras práticas). AP – Por que será que essas práticas atraem tanto as pessoas?
  12. 12. PENSE No lugar em que o Cristianismo puro e simples chega há, necessariamente, mudança cultural?
  13. 13. PONTO IMPORTANTE Com a chegada do Cristianismo verdadeiro há, sempre, uma revolução cultural, pois quando uma pessoa é transformada por Cristo, o mundo ao seu redor é
  14. 14. II - OS MALES DO SINCRETISMO CULTURAL E RELIGIOSO
  15. 15. 1. Pregação da cultura do mundo • A Bíblia deve ser a base da pregação cristã. • Todavia, o ensino tem sido distorcido pregações que ensinam e estimulam o amor ao dinheiro e às riquezas. • Igreja utilitarista – mantem o método e a doutrinação se os resultados numéricos (e financeiros) forem positivos. • Nos dias atuais, a teologia da prosperidade tem proliferado, estimulando a busca de bens materiais . • Não foi Jesus quem disse: "Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares", mas o próprio Diabo (Mt 4.9). AP – De que tipo de pregação você tem se alimentado?
  16. 16. 2. Humanismo secular • Consequência do sincretismo evangélico tem sido o aparecimento do humanismo secular (ser humano como centro de tudo). • O humanismo tira a primazia de Deus e faz o ser humano assentar-se soberano: • A obra de Deus se transforma em "ministério" desta ou daquela celebridade; • o púlpito da congregação se transforma em palco e o culto, em show; • são outorgados títulos ufanistas aos líderes (apóstolo, patriarca, sumo-sacerdote, rei ...) para identificá-lo acima dos demais líderes cristãos.
  17. 17. 2. Humanismo secular • Isso é humanismo secular e trata-se de uma apostasia à fé cristã. AP – Quem tem sido o centro de sua vida?
  18. 18. 3. Uma longa história • A história do sincretismo do fenômeno religioso é bastante antiga: • Quando Moisés demorou a descer do monte, os israelitas fizeram um bezerro de ouro "egípcio" e disseram que aquele era o Senhor. • Jeroboão I, ao criar os altares em Dã e Betel, convenceu o povo de que eram os substitutos do Templo em Jerusalém. • Paulo repreendeu os Gálatas devido ao sincretismo. • Paulo recomendou que não aceitassem outro evangelho, nem que fosse pregado por um anjo (Gl 1.6-8). • Qualquer "revelação" que contrariasse a "cosmovisão judaico-cristã" deveria ser considerada uma maldição.
  19. 19. PENSE A sincretização dos rituais e doutrinas religiosas não são importantes para trazerem mais pessoas ao conhecimento da verdade?
  20. 20. PONTO IMPORTANTE Paulo advertiu sobre o perigo do sincretismo religioso, alertando que qualquer "revelação" que contrariasse o Evangelho deveria ser considerada uma maldição.
  21. 21. III - O PERIGO DO ADULTÉRIO ESPIRITUAL
  22. 22. 1. Tempos trabalhosos • Uma vez consolidada a corrupção de uma prática cristã, seja ela cultural, seja doutrinária, aos olhos do Senhor surge um adultério espiritual, o que Deus não tolera. Exemplos bíblicos: • Nadabe e Abiú, os filhos de Eli; • Nação de Israel, conforme a narrativa do profeta Oséias; • Dissimulação – exemplo de Ananias e Safira (At 5.1-7). • "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará" (Gl 6.7). • Alguns cristãos tem deixado de adorar a Deus para adorar coisas, outros têm tomado a adoração para si - “amantes de si mesmo”.
  23. 23. 2. Subcultura • O sincretismo evangélico tende a produzir apenas uma subcultura do mundo, e não uma contracultura do Reino. • Particularidades culturais cristãs, sem, todavia, desprenderem-se do modo de vida dominante no mundo. • Há uma conformação aos moldes sociais (Rm 12.2), uma aceitação tácita da cultura secular. • Práticas que tem se tornado comum em alguns meios evangélicos: prática do sexo antes do casamento, aborto, casamento homossexual, entre outras formas de sensualidade e desejo da carnal. AP – Essas práticas tem se tornado comum para você?
  24. 24. 3. Cristianismo puro e simples • O resultado prático de se viver o cristianismo na sua forma original é o estabelecimento de uma contracultura capaz de responder a “forma” do mundo. • Os crentes primitivos "perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão [...] e a igreja crescia naturalmente (At 2.42,47). • Alguns líderes tem priorizado o crescimento e preterido o cristianismo puro e simples. AP – O que é mais importante para você, o crescimento ou o cristianismo puro e simples?
  25. 25. PENSE As crenças religiosas não devem se atualizar, compatibilizando-se com os avanços sociais e políticos da sociedade contemporânea?
  26. 26. PONTO IMPORTANTE As denominações evangélicas não devem, em nome da liberdade cristã, dar ocasião ao pecado, pois sem a santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).
  27. 27. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  28. 28. CONSIDERAÇÕES FINAIS 1. Os sensos demonstram crescimento admirável da comunidade evangélica, todavia a redução da prática do pecado não tem reduzido na mesma proporção. 2. O sincretismo cultural e religioso tem sido uma das causas da falta de influência positiva da comunidade evangélica na sociedade. 3. O abandono do cristianismo puro e simples e a “conformação” com o mundo é um tipo de adultério espiritual.
  29. 29. REFERÊNCIAS COLSON, Charles; PEARCEY, Nancy. O Cristão na Cultura de Hoje. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. COMENTÁRIO BÍBLICO BEACON. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. DANIELS, Robert. Pureza Sexual. Rio de Janeiro: CPAD, 2001. DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. DICIONÁRIO BÍBLICO WYCLIFF. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. HANEGRAAFF, Hank. Cristianismo em Crise. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.
  30. 30. REFERÊNCIAS LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Tempo para todas as coisas. 3º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017. RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012. RICHARDS, Lawrence. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. SOARES, Reynaldo Odilo Martins. Tempo para todas as coisas. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. SWINDOLL, Charles R. Vivendo Provérbios. Rio de Janeiro: CPAD, 2013.
  31. 31. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)

×