SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
TEXTO ÁUREO
“O ladrão não vem senão a roubar, a
matar e a destruir; eu vim para que
tenham vida e a tenham com
abundância.”
(Jo 10.10)
VERDADE PRÁTICA
O início e o término de nossa vida são
prerrogativas exclusivas de Deus.
1 Sm 31.1-6
1 – Os filisteus, pois, pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram
de diante dos filisteus e caíram atravessados na montanha de Gilboa.
2 – E os filisteus apertaram com Saul e seus filhos e os filisteus mataram a
Jônatas, e a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul.
3 – E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e muito
temeu por causa dos flecheiros.
4 – Então, disse Saul ao seu pajem de armas: Arranca a tua espada e
atravessa-me com ela, para que, porventura, não venham estes
incircuncisos, e me atravessem, e escarneçam de mim. Porém o seu pajem
de armas não quis, porque temia muito; então, Saul tomou a espada e se
lançou sobre ela.
5 – Vendo, pois, o seu pajem de armas que Saul já era morto, também ele
se lançou sobre a sua espada e morreu com ele.
6 – Assim, faleceu Saul, e seus três filhos, e o seu pajem de armas, e
também todos os seus homens morreram juntamente naquele dia.
• A expressão “suicídio” vem do latim sui (a si
mesmo) e caedere (matar, cortar) = “matar a si
mesmo” ou “morte autoinfligida”.
• Essa prática tem sido um mal silencioso e o
índice de pessoas que se suicidam vem
crescendo assustadoramente.
• Nesta lição, estudaremos o suicídio nas
Escrituras e no mundo, seus tipos e o
posicionamento cristão quanto ao tema.
INTRODUÇÃO
PONTO CENTRAL
Deus é quem deve ter a última palavra a
respeito da vida.
I – O SUICÍDIO NAS ESCRITURAS E NO
MUNDO
• As Escrituras registram seis casos de suicídio:
cinco no Antigo Testamento e um no Novo.
• Em situação de conflito e desespero, como fuga
da realidade, alguns seres humanos tiram a
própria vida.
Introdução ao tópico
• Sansão:
• Ele tinha como principal tarefa derrotar os filisteus (Jz
13.5).
• Ele fracassa em manter o segredo de seu sucesso e é
rendido.
• Decidido a cumprir sua missão, na festa a Dagon,
derrubou o templo sobre si e seus inimigos (Jz 16.30).
• Suicídio ou sacrifício de guerra?
• Sansão aparece na lista dos heróis da fé (Hb 11.32-
34).
1. No Antigo Testamento
• Saul e de seu escudeiro:
• Saul rejeitou o Senhor e buscou o ocultismo (1 Sm
28.7).
• Acuado na peleja contra os filisteus, Saul lançou-se
sobre a própria espada e seu auxiliar fez o mesmo (1
Sm 31.4,5).
• Aitofel, conselheiro de Absalão:
• não suportou ter o seu conselho rejeitado e se
enforcou (2 Sm 17.23).
• Rei Zinri:
• derrotado e apavorado, tirou a própria vida (1 Rs
16.18,19).
1. No Antigo Testamento
• Judas Iscariotes.
• Membro do colegiado apostólico (Lc 6.16);
• Foi tesoureiro do grupo, porém ganancioso e amante
do dinheiro (Jo 13.29; Jo 12.6);
• Traiu jesus, provavelmente, pela frustação ao saber
que o reino e a libertação que seria implantados por
Cristo era diferente do que ele esperava.
• Culpado por trair um inocente, enforcou-se (Mt
27.4,5; At 1.18).
• Cristo já o tinha alertado (Mc 14.21), mas ele
preferiu o suicídio a corrigir o erro.
AP – Você já pensou em suicídio? Já analisou
qual foi a causa?
2. No Novo Testamento
• Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS)
as mortes por suicídio aumentaram 60% nas
últimas cinco décadas.
• Quase um milhão de pessoas tiram a própria vida
todos os anos e cerca de outros vinte milhões
tentam ou pensam em suicídio.
• Para cada suicídio, cerca de seis a dez outras
pessoas são diretamente afetadas.
• Na maioria dos países desenvolvidos, o suicídio é
a primeira causa de morte não natural.
3. O suicídio no mundo
• Desde 2015, as autoridades iniciaram o
movimento “setembro amarelo”, que é estimulado
pela Associação Internacional pela Prevenção do
Suicídio (IASP).
• A Bíblia manda lançar todas as ansiedades sobre
o Senhor e não na morte (1 Jo 1.7; 1 Pe 5.7).
AP- Para você, qual seria a causa do aumento de
suicídio no mundo?
3. O suicídio no mundo
SÍNTESE DO TÓPICO
O suicídio aparece nas Escrituras
Sagradas e reflete-se no mundo de hoje.
II – OS TIPOS DE SUICÍDIO
• Dá-se o nome de “convencional” ao suicídio provocado
pela tradição cultural ou coerção do grupo social.
• Entre os esquimós, por exemplo, é tolerado e esperado o
suicídio de incapacitados e idosos.
• No Japão a prática do hara-kiri expressava o orgulho do
suicida em escapar de alguma situação intolerável e era
visto como um ato de nobreza.
• Em maio de 2007, ao ser investigado por corrupção, o
Ministro da Agricultura do Japão sentiu-se extremamente
envergonhado e cometeu o suicídio por enforcamento.
1. Suicídio convencional
• Em 2014, a taxa média de suicídios no Japão era de 70
pessoas por dia.
• Especialistas costumam citar a antiga tradição de “suicídio
em nome da honra” para explicar que razões culturais
tornaram os japoneses mais propensos à morte
autoinfligida.
1. Suicídio convencional
• Praticado por iniciativa individual, sem a influência
de tradição cultural.
• As motivações são variadas e muitas vezes não é
possível apontar causas aparentes.
• O suicídio é considerado uma fuga radical e
permanente dos problemas da vida, um ato de
desespero contra a própria vida.
• Brasil: 32 pessoas cometem suicídio a cada dia.
Índice superior às mortes causadas pela AIDS e
pela maior parte dos tipos de câncer.
AP – Você já havia refletido sobre essa realidade?
2. Suicídio pessoal
• Também conhecido como “morte em prol dos outros”.
• Exemplos: bombeiro, salva-vidas, policial, entre
outras profissões e pessoas que perdem a vida,
salvando outras.
• Suicídio ou um ato de amor?
• Cristo disse que ninguém tem maior amor do que
este: “de dar alguém a sua vida pelos seus amigos”
(Jo 15.13).
• O próprio Senhor entregou a vida dEle por nós por
meio de um sacrifício amoroso (Jo 10.15).
AP – Você teria coragem de se sacrificar por
alguém?
3. “Suicídio” sacrificial
SÍNTESE DO TÓPICO
Os tipos de suicídios podem ser
denominados “convencional”, “pessoal” e
“sacrificial”.
III – O POSICIONAMENTO CRISTÃO PARA
O SUICÍDIO
• Fudamento no sexto mandamento do Decálogo:
“Não matarás” (Êx 20.13).
• O princípio que proíbe o homem de assassinar o
outro, também o proíbe de “assassinar” a si
mesmo.
• A vida humana é uma dádiva divina e, portanto,
pertence a Deus (Sl 100.3).
• O Criador é quem determina o início e o término
da vida, não a criatura (Ec 3.2). )
• O fim da vida está sob a presciência e soberania
divina.
1. O posicionamento teológico
• A posição da Ética Cristã é contrária ao suicídio
pelos seguintes e principais motivos:
a) banalizar a vida e afrontar a soberania divina;
b) violação do mandamento de amar “o próximo como a
si mesmo”;
c) um ato egoísta de quem pensa em aliviar seu
sofrimento sem se importar com os outros;
d) denota inversão dos valores da vida e falta de
confiança em Deus;
e) gesto de ingratidão que interrompe o ciclo e a missão
da vida outorgada por Deus.
AP - Todavia, até que ponto podemos condenar
um suicída?
2. O posicionamento ético
SÍNTESE DO TÓPICO
O posicionamento do cristão diante do
suicídio tem um aspecto teológico e
outro ético.
Hoje aprendemos que:
1. O aumento do suicídio é resultado da ideologia
que enaltece a criatura em lugar do Criador.
2. O suicídio não é a vontade de Deus, por isso a
igreja deve estar compromissada ajudar as
pessoas com essa tendência.
3. A vida só tem sentido quando está sob o controle
irrestrito de seu Criador (Is 41.13).
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
ANDRADE, Claudionor. As Novas Fronteiras da Ética
Cristã. Rio de Janeiro: CPAD, 2017.
ARRINGTON, French L; ARRINGTON e STRONSTAD, Roger
(Ed). Comentário Bíblico Pentecostal. 4ª ed. Rio de
Janeiro: CPAD, 2006.
BAPTISTA, Douglas. Valores Cristãos: Enfrentando as
questões morais de nosso tempo. Rio de Janeiro: CPAD,
2018.
Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. Rio
de Janeiro: CPAD, 2010.
HOLMES, Arthur. Ética: as decisões morais à luz da Bíblia.
Rio de Janeiro: CPAD, 2000.
REFERÊNCIAS
LIÇÕES BÍBLICAS DE ADULTOS. Valores Cristãos:
Enfrentando as questões morais de nosso tempo. 2 Tri.
2018. Rio de Janeiro: CPAD, 2018.
LIMA, Elinaldo Renovato. Ética Cristã: Confrontando as
Questões Morais do Nosso Tempo. Rio de Janeiro: CPAD,
2012.
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Facebook: Natalino das Neves e Natalino das Neves II
Contatos:
natalino6612@gmail.com
(41) 98409 8094 (TIM/WhatsApp)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DBQ- Os milagres de Jesus .pdf
DBQ- Os milagres de Jesus .pdfDBQ- Os milagres de Jesus .pdf
DBQ- Os milagres de Jesus .pdfKelyAlmeidaKely
 
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADEDISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADEEnerliz
 
Curso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para EvangelistaCurso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para EvangelistaSergio Silva
 
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutórioOs Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutórioViva a Igreja
 
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo
Lição 1 - A Pessoa do Espírito SantoLição 1 - A Pessoa do Espírito Santo
Lição 1 - A Pessoa do Espírito SantoÉder Tomé
 
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamentofaculdadeteologica
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de MateusRODRIGO FERREIRA
 
Orang Kristen Aneh di Sekitar Kita
Orang Kristen Aneh di Sekitar KitaOrang Kristen Aneh di Sekitar Kita
Orang Kristen Aneh di Sekitar KitaJohan Setiawan
 
Pregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento EspiritualPregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento Espiritualsuzyanne2010
 
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoSermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoPaulo Dias Nogueira
 
Lição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e SuicídioLição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e SuicídioÉder Tomé
 
Lição 1 - O que é Ética Cristã
Lição 1 - O que é Ética Cristã Lição 1 - O que é Ética Cristã
Lição 1 - O que é Ética Cristã Éder Tomé
 
Aula02 cristologia
Aula02 cristologiaAula02 cristologia
Aula02 cristologiaDanilo Lemos
 
Educação Cristã 1ª Parte. CETADEB
Educação Cristã 1ª Parte. CETADEBEducação Cristã 1ª Parte. CETADEB
Educação Cristã 1ª Parte. CETADEBDouglasFigueiredo22
 

Mais procurados (20)

DBQ- Os milagres de Jesus .pdf
DBQ- Os milagres de Jesus .pdfDBQ- Os milagres de Jesus .pdf
DBQ- Os milagres de Jesus .pdf
 
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADEDISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
 
Curso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para EvangelistaCurso de Capacitação para Evangelista
Curso de Capacitação para Evangelista
 
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutórioOs Profetas Maiores: estudo introdutório
Os Profetas Maiores: estudo introdutório
 
Genesis o livro da criação divina
Genesis   o livro da criação divinaGenesis   o livro da criação divina
Genesis o livro da criação divina
 
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo
Lição 1 - A Pessoa do Espírito SantoLição 1 - A Pessoa do Espírito Santo
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo
 
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateus
 
Licao 01 - Neemias
Licao 01 -  NeemiasLicao 01 -  Neemias
Licao 01 - Neemias
 
Orang Kristen Aneh di Sekitar Kita
Orang Kristen Aneh di Sekitar KitaOrang Kristen Aneh di Sekitar Kita
Orang Kristen Aneh di Sekitar Kita
 
Pregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento EspiritualPregação crescimento Espiritual
Pregação crescimento Espiritual
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
 
Como o inimigo age em nossas vidas part 1 2
Como  o inimigo age em nossas vidas part 1 2Como  o inimigo age em nossas vidas part 1 2
Como o inimigo age em nossas vidas part 1 2
 
Cristologia
CristologiaCristologia
Cristologia
 
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoSermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
 
Lição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e SuicídioLição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e Suicídio
 
Lição 1 - O que é Ética Cristã
Lição 1 - O que é Ética Cristã Lição 1 - O que é Ética Cristã
Lição 1 - O que é Ética Cristã
 
Aula02 cristologia
Aula02 cristologiaAula02 cristologia
Aula02 cristologia
 
Educação Cristã 1ª Parte. CETADEB
Educação Cristã 1ª Parte. CETADEBEducação Cristã 1ª Parte. CETADEB
Educação Cristã 1ª Parte. CETADEB
 
O Animador Vocacional
O Animador VocacionalO Animador Vocacional
O Animador Vocacional
 

Semelhante a O suicídio: causas, tipos e posicionamento cristão

Lição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e SuicídioLição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e SuicídioHamilton Souza
 
Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito
Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito
Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito Giovanni Palheta
 
Teologia Moral Pessoal
Teologia Moral PessoalTeologia Moral Pessoal
Teologia Moral PessoalJoão Pereira
 
A dignidade humana trabalho de grupo final-1
A dignidade humana   trabalho de grupo final-1A dignidade humana   trabalho de grupo final-1
A dignidade humana trabalho de grupo final-1svicentebranca
 
A dignidade humana trabalho de grupo final-1
A dignidade humana   trabalho de grupo final-1A dignidade humana   trabalho de grupo final-1
A dignidade humana trabalho de grupo final-1svicentebranca
 
Suídicio Temática
Suídicio TemáticaSuídicio Temática
Suídicio Temáticalucena
 
Suídicio Temática
Suídicio TemáticaSuídicio Temática
Suídicio Temáticalucena
 
suicidio setembro amarelo.pptx
suicidio setembro amarelo.pptxsuicidio setembro amarelo.pptx
suicidio setembro amarelo.pptxSergioSamara
 
Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)
Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)
Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)Éder Tomé
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfGabriellaDias35
 
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa SoluçãoAula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa SoluçãoSergio Lima Dias Junior
 
Qual a posição da Bíblia a respeito do suicidio
Qual a posição da Bíblia a respeito do suicidioQual a posição da Bíblia a respeito do suicidio
Qual a posição da Bíblia a respeito do suicidioJuraci Rocha
 

Semelhante a O suicídio: causas, tipos e posicionamento cristão (20)

Lição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e SuicídioLição 6 - Ética Cristã e Suicídio
Lição 6 - Ética Cristã e Suicídio
 
Suicidio
SuicidioSuicidio
Suicidio
 
Suicídio
SuicídioSuicídio
Suicídio
 
Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito
Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito
Guia de orientação ao suicídio com ênfase no exercito
 
Teologia Moral Pessoal
Teologia Moral PessoalTeologia Moral Pessoal
Teologia Moral Pessoal
 
A dignidade humana trabalho de grupo final-1
A dignidade humana   trabalho de grupo final-1A dignidade humana   trabalho de grupo final-1
A dignidade humana trabalho de grupo final-1
 
A dignidade humana trabalho de grupo final-1
A dignidade humana   trabalho de grupo final-1A dignidade humana   trabalho de grupo final-1
A dignidade humana trabalho de grupo final-1
 
Memórias de um suicida
Memórias de um suicidaMemórias de um suicida
Memórias de um suicida
 
suicidio 2020 ok.pptx
suicidio 2020 ok.pptxsuicidio 2020 ok.pptx
suicidio 2020 ok.pptx
 
Palestra o suicidio
Palestra o suicidioPalestra o suicidio
Palestra o suicidio
 
prv.pptx
prv.pptxprv.pptx
prv.pptx
 
Suídicio Temática
Suídicio TemáticaSuídicio Temática
Suídicio Temática
 
Suídicio Temática
Suídicio TemáticaSuídicio Temática
Suídicio Temática
 
suicidio setembro amarelo.pptx
suicidio setembro amarelo.pptxsuicidio setembro amarelo.pptx
suicidio setembro amarelo.pptx
 
Apresentação cuidado, frágil pdf
Apresentação cuidado, frágil pdfApresentação cuidado, frágil pdf
Apresentação cuidado, frágil pdf
 
Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)
Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)
Lição 8 - O Drama do Suicídio (Windscreen)
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
 
Ult+327
Ult+327Ult+327
Ult+327
 
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa SoluçãoAula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
Aula 13 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Suicídio Falsa Solução
 
Qual a posição da Bíblia a respeito do suicidio
Qual a posição da Bíblia a respeito do suicidioQual a posição da Bíblia a respeito do suicidio
Qual a posição da Bíblia a respeito do suicidio
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 

O suicídio: causas, tipos e posicionamento cristão

  • 1.
  • 2.
  • 3. TEXTO ÁUREO “O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância.” (Jo 10.10)
  • 4. VERDADE PRÁTICA O início e o término de nossa vida são prerrogativas exclusivas de Deus.
  • 5. 1 Sm 31.1-6 1 – Os filisteus, pois, pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus e caíram atravessados na montanha de Gilboa. 2 – E os filisteus apertaram com Saul e seus filhos e os filisteus mataram a Jônatas, e a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul. 3 – E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e muito temeu por causa dos flecheiros. 4 – Então, disse Saul ao seu pajem de armas: Arranca a tua espada e atravessa-me com ela, para que, porventura, não venham estes incircuncisos, e me atravessem, e escarneçam de mim. Porém o seu pajem de armas não quis, porque temia muito; então, Saul tomou a espada e se lançou sobre ela. 5 – Vendo, pois, o seu pajem de armas que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada e morreu com ele. 6 – Assim, faleceu Saul, e seus três filhos, e o seu pajem de armas, e também todos os seus homens morreram juntamente naquele dia.
  • 6. • A expressão “suicídio” vem do latim sui (a si mesmo) e caedere (matar, cortar) = “matar a si mesmo” ou “morte autoinfligida”. • Essa prática tem sido um mal silencioso e o índice de pessoas que se suicidam vem crescendo assustadoramente. • Nesta lição, estudaremos o suicídio nas Escrituras e no mundo, seus tipos e o posicionamento cristão quanto ao tema. INTRODUÇÃO
  • 7. PONTO CENTRAL Deus é quem deve ter a última palavra a respeito da vida.
  • 8. I – O SUICÍDIO NAS ESCRITURAS E NO MUNDO
  • 9. • As Escrituras registram seis casos de suicídio: cinco no Antigo Testamento e um no Novo. • Em situação de conflito e desespero, como fuga da realidade, alguns seres humanos tiram a própria vida. Introdução ao tópico
  • 10. • Sansão: • Ele tinha como principal tarefa derrotar os filisteus (Jz 13.5). • Ele fracassa em manter o segredo de seu sucesso e é rendido. • Decidido a cumprir sua missão, na festa a Dagon, derrubou o templo sobre si e seus inimigos (Jz 16.30). • Suicídio ou sacrifício de guerra? • Sansão aparece na lista dos heróis da fé (Hb 11.32- 34). 1. No Antigo Testamento
  • 11. • Saul e de seu escudeiro: • Saul rejeitou o Senhor e buscou o ocultismo (1 Sm 28.7). • Acuado na peleja contra os filisteus, Saul lançou-se sobre a própria espada e seu auxiliar fez o mesmo (1 Sm 31.4,5). • Aitofel, conselheiro de Absalão: • não suportou ter o seu conselho rejeitado e se enforcou (2 Sm 17.23). • Rei Zinri: • derrotado e apavorado, tirou a própria vida (1 Rs 16.18,19). 1. No Antigo Testamento
  • 12. • Judas Iscariotes. • Membro do colegiado apostólico (Lc 6.16); • Foi tesoureiro do grupo, porém ganancioso e amante do dinheiro (Jo 13.29; Jo 12.6); • Traiu jesus, provavelmente, pela frustação ao saber que o reino e a libertação que seria implantados por Cristo era diferente do que ele esperava. • Culpado por trair um inocente, enforcou-se (Mt 27.4,5; At 1.18). • Cristo já o tinha alertado (Mc 14.21), mas ele preferiu o suicídio a corrigir o erro. AP – Você já pensou em suicídio? Já analisou qual foi a causa? 2. No Novo Testamento
  • 13. • Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) as mortes por suicídio aumentaram 60% nas últimas cinco décadas. • Quase um milhão de pessoas tiram a própria vida todos os anos e cerca de outros vinte milhões tentam ou pensam em suicídio. • Para cada suicídio, cerca de seis a dez outras pessoas são diretamente afetadas. • Na maioria dos países desenvolvidos, o suicídio é a primeira causa de morte não natural. 3. O suicídio no mundo
  • 14. • Desde 2015, as autoridades iniciaram o movimento “setembro amarelo”, que é estimulado pela Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio (IASP). • A Bíblia manda lançar todas as ansiedades sobre o Senhor e não na morte (1 Jo 1.7; 1 Pe 5.7). AP- Para você, qual seria a causa do aumento de suicídio no mundo? 3. O suicídio no mundo
  • 15. SÍNTESE DO TÓPICO O suicídio aparece nas Escrituras Sagradas e reflete-se no mundo de hoje.
  • 16. II – OS TIPOS DE SUICÍDIO
  • 17. • Dá-se o nome de “convencional” ao suicídio provocado pela tradição cultural ou coerção do grupo social. • Entre os esquimós, por exemplo, é tolerado e esperado o suicídio de incapacitados e idosos. • No Japão a prática do hara-kiri expressava o orgulho do suicida em escapar de alguma situação intolerável e era visto como um ato de nobreza. • Em maio de 2007, ao ser investigado por corrupção, o Ministro da Agricultura do Japão sentiu-se extremamente envergonhado e cometeu o suicídio por enforcamento. 1. Suicídio convencional
  • 18. • Em 2014, a taxa média de suicídios no Japão era de 70 pessoas por dia. • Especialistas costumam citar a antiga tradição de “suicídio em nome da honra” para explicar que razões culturais tornaram os japoneses mais propensos à morte autoinfligida. 1. Suicídio convencional
  • 19. • Praticado por iniciativa individual, sem a influência de tradição cultural. • As motivações são variadas e muitas vezes não é possível apontar causas aparentes. • O suicídio é considerado uma fuga radical e permanente dos problemas da vida, um ato de desespero contra a própria vida. • Brasil: 32 pessoas cometem suicídio a cada dia. Índice superior às mortes causadas pela AIDS e pela maior parte dos tipos de câncer. AP – Você já havia refletido sobre essa realidade? 2. Suicídio pessoal
  • 20. • Também conhecido como “morte em prol dos outros”. • Exemplos: bombeiro, salva-vidas, policial, entre outras profissões e pessoas que perdem a vida, salvando outras. • Suicídio ou um ato de amor? • Cristo disse que ninguém tem maior amor do que este: “de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (Jo 15.13). • O próprio Senhor entregou a vida dEle por nós por meio de um sacrifício amoroso (Jo 10.15). AP – Você teria coragem de se sacrificar por alguém? 3. “Suicídio” sacrificial
  • 21. SÍNTESE DO TÓPICO Os tipos de suicídios podem ser denominados “convencional”, “pessoal” e “sacrificial”.
  • 22. III – O POSICIONAMENTO CRISTÃO PARA O SUICÍDIO
  • 23. • Fudamento no sexto mandamento do Decálogo: “Não matarás” (Êx 20.13). • O princípio que proíbe o homem de assassinar o outro, também o proíbe de “assassinar” a si mesmo. • A vida humana é uma dádiva divina e, portanto, pertence a Deus (Sl 100.3). • O Criador é quem determina o início e o término da vida, não a criatura (Ec 3.2). ) • O fim da vida está sob a presciência e soberania divina. 1. O posicionamento teológico
  • 24. • A posição da Ética Cristã é contrária ao suicídio pelos seguintes e principais motivos: a) banalizar a vida e afrontar a soberania divina; b) violação do mandamento de amar “o próximo como a si mesmo”; c) um ato egoísta de quem pensa em aliviar seu sofrimento sem se importar com os outros; d) denota inversão dos valores da vida e falta de confiança em Deus; e) gesto de ingratidão que interrompe o ciclo e a missão da vida outorgada por Deus. AP - Todavia, até que ponto podemos condenar um suicída? 2. O posicionamento ético
  • 25. SÍNTESE DO TÓPICO O posicionamento do cristão diante do suicídio tem um aspecto teológico e outro ético.
  • 26. Hoje aprendemos que: 1. O aumento do suicídio é resultado da ideologia que enaltece a criatura em lugar do Criador. 2. O suicídio não é a vontade de Deus, por isso a igreja deve estar compromissada ajudar as pessoas com essa tendência. 3. A vida só tem sentido quando está sob o controle irrestrito de seu Criador (Is 41.13). CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 27. REFERÊNCIAS ANDRADE, Claudionor. As Novas Fronteiras da Ética Cristã. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. ARRINGTON, French L; ARRINGTON e STRONSTAD, Roger (Ed). Comentário Bíblico Pentecostal. 4ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. BAPTISTA, Douglas. Valores Cristãos: Enfrentando as questões morais de nosso tempo. Rio de Janeiro: CPAD, 2018. Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2010. HOLMES, Arthur. Ética: as decisões morais à luz da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2000.
  • 28. REFERÊNCIAS LIÇÕES BÍBLICAS DE ADULTOS. Valores Cristãos: Enfrentando as questões morais de nosso tempo. 2 Tri. 2018. Rio de Janeiro: CPAD, 2018. LIMA, Elinaldo Renovato. Ética Cristã: Confrontando as Questões Morais do Nosso Tempo. Rio de Janeiro: CPAD, 2012.
  • 29. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: Natalino das Neves e Natalino das Neves II Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM/WhatsApp)