2015 3 TRI LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS

1.869 visualizações

Publicada em

Subsídios elaborados pelo Pr. Natalino das Neves
Programa Escola Dominical na WEBTV.
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Pr. Vice Presidente: Elson Pereira

Assista ao vídeo referente a este arquivo de slides no meu blog:

http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.869
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
126
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2015 3 TRI LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS

  1. 1. P r. N a t a l i n o d a s N e v e s www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. Demais subsídios: Acompanhe os comentários em vídeo desta e outras lições no blog: www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  3. 3. Texto Áureo "Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade." (Tt 2.7)
  4. 4. Verdade Prática A Palavra de Deus tem exortações de grande valor para todos os crentes, em todos os lugares.
  5. 5. LEITURA BÍBLICA Tito 2.1-8 1 - Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. 2 - Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, no amor e na paciência. 3 - As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem, 4 - para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, 5 - a serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seu marido, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada. 6 - Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. 7 - Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, 8 - linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.
  6. 6. Objetivos  Explicitar que o líder precisa falar de acordo com sã doutrina.  Explicar os quatro conselhos no tratamento de Tito com os idosos, as mulheres, os jovens e os servos.  Conscientizar a classe de que o líder deve ser bom exemplo em tudo.  Aplicar o conteúdo aprendido à vida pessoal.
  7. 7. INTERAGINDO COM O PROFESSOR LB – Edição professor P r e z a d o p r o f e s s o r, p a r a i n t r o d u z i r a l i ç ã o d e s t a s e m a n a , i n i c i e a a u l a c o m a s s e g u i n t e s p e r g u n t a s : • " C o m o a s p e s s o a s d e v e m s e r t r a t a d a s e m n o s s a i g r e j a l o c a l ? " ; • " O s n o s s o s i d o s o s s ã o t r a t a d o s c o m o m e r e c e m ? " ; " A s c r i a n ç a s r e c e b e m a a t e n ç ã o q u e l h e é d e v i d a ? " ; • " O s j o v e n s e o s a d o l e s c e n t e s r e c e b e m a d e v i d a a t e n ç ã o ? " ; • " P o d e - s e f a l a r c o m o s i d o s o s d a m e s m a m a n e i r a q u e f a l a m o s c o m o s c o l e g a s ? " A g u a r d e a s r e s p o s t a s e i n c e n t i v e a p a r t i c i p a ç ã o d e t o d o s . E m s e g u i d a , f a l e q u e s ã o s o b r e e s t a s q u e s t õ e s q u e o a p ó s t o l o P a u l o e s t á e x o r t a n d o a Ti t o e m r e l a ç ã o a c o m o t r a t a r a s d i f e r e n t e s p e s s o a s n a i g r e j a . Ta l e n s i n o p o d e e d e v e s e r c o n t e x t u a l i z a d o p a r a a n o s s a r e a l i d a d e .
  8. 8. INTRODUÇÃO
  9. 9. INTRODUÇÃO • xx. • xx. • xx.
  10. 10. PONTO CENTRAL O apóstolo exortou a Tito como tratar as pessoas em suas diversas faixas etárias.
  11. 11. I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER
  12. 12. I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER• "Fala o que convém à sã doutrina" (v. 1): • O líder deve ter a sua fala sempre fundamentada na Palavra de Deus, e para isso precisa conhecê-la e nela meditar diariamente. Precisa reconhecer e valorizar a Bíblia, sabendo que ela é especial para a formação de um caráter cristão. O estudo bíblico contribui para que o pastor e o obreiro tenham sempre uma boa mensagem. Jesus certa vez afirmou que falamos do que há em abundância em nosso coração (Mt 12.34). Então um coração cheio da Palavra de Deus vai sempre falar o que convém.
  13. 13. I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER• Saber falar e saber ouvir: • Tiago, apóstolo de Jesus, deixou precioso ensino sobre o saber falar: "Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar" (Tg 1.19). Há pessoas, nas igrejas, que falam demais. E dizem o que não deveriam, causando problemas de relacionamentos. Ser "tardio para falar" e "pronto para ouvir" é sinal de sabedoria, de maturidade emocional e espiritual. Quem lidera tem que desenvolver a capacidade de escutar as pessoas, ainda que não concorde com elas.
  14. 14. I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER• Integridade no fala: • O obreiro deve ter uma linguagem sempre sã e irrepreensível (Tt 2.8). Jesus ensinou: "Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna" (Mt 5.37). Quando alguém, na igreja local, diz uma coisa e faz outra ou, quando mente, torce a mensagem, por motivos pessoais ou para agradar alguém, está sendo usado pelo maligno. É "de procedência maligna". Isso não convém à sã doutrina. Integridade é fazer o que diz (Tg 2.12). O que falamos deve contribuir para edificação de vidas (Ef 4.29).
  15. 15. xx? xx? xx? APLICAÇÃO PRÁTICA
  16. 16. SÍNTESE DO TÓPICO I O líder cristão deve falar o que convém a sã doutrina.
  17. 17. II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS
  18. 18. II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS • Como os idosos devem portar-se: • "Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, na caridade e na paciência" (v. 2). O crente deve permanecer fiel ao Senhor e dar um bom testemunho até os últimos dias de sua vida. Muitos acreditam que, pelo fato de já terem passado dos sessenta anos, podem fazer e falar o que bem entenderem na igreja. Os mais idosos devem ser exemplo para os mais jovens, por isso, Paulo diz que estes devem ser moderados, sérios, prudentes, firmes na fé, no amor e na esperança. Acerca dos velhos crentes, disse o salmista: "Os que estão plantados na Casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes, para
  19. 19. II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS • As mulheres idosas devem ser exemplo para as mais novas: • "As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem" (v. 3). Mulher idosa tem vivência e experiência, seja como mãe e esposa, seja como serva de Deus, por isso podem ensinar as irmãs mais novas. Devem ser mulheres santas, "sérias no viver", que não andem com atitudes e maus exemplos, na igreja, ou fora dela. Não devem ser caluniadoras (gr. diabolos), ou que se deem a costumes carnais de falar dos outros, de criticar, ou murmurar.
  20. 20. II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS • Os jovens cristãos (v. 6): • Paulo chama a atenção para o comportamento juvenil, exortando os jovens a serem "moderados", ou seja, controlados. O jovem cristão precisa ser moderado no falar, no agir e em todas as áreas da sua vida, procurando em tudo exaltar e glorificar o nome do Senhor.
  21. 21. II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS • O comportamento dos servos cristãos (vv. 9,10): • Paulo escreveu em uma época onde havia a escravidão humana. Em Creta, assim como em todo o império romano, havia muitos escravos. Na igreja existia senhores e escravos que se converteram a Cristo, por isso, Paulo mostra como devia ser o relacionamento, a conduta dos servos e dos senhores. O apóstolo mostra que os servos deveriam agradar seus senhores "em tudo", pois um senhor crente não daria ordens que fossem incompatíveis com a fé cristã e com a Palavra de Deus. Os escravos que tinham senhores crentes deveriam manter uma atitude de submissão. .
  22. 22. xx? xx? xx? APLICAÇÃO PRÁTICA
  23. 23. SÍNTESE DO TÓPICO II O apóstolo Paulo exorta a Tito sobre como os idosos, os jovens e os servos devem proceder.
  24. 24. III. O BOM EXEMPLO EM TUDO
  25. 25. III. O BOM EXEMPLO EM TUDO • Bom exemplo (vv. 7,8): • O líder precisa ser exemplo. Se Deus lhe confiou a autoridade e a responsabilidade de um rebanho, você precisa ter uma vida irrepreensível. Ser irrepreensível não significa ser perfeito, dessa forma nenhum ser humano poderia assumir tal posição. Ser irrepreensível significa ter um padrão de conduta elevado e maduro, segundo os princípios bíblicos. A conduta do líder não pode minar a confiança do rebanho.
  26. 26. III. O BOM EXEMPLO EM TUDO • Incorrupção da doutrina: • Tito deveria ter muito cuidado com a doutrina, para que sua pregação e ensino fossem de modo correto, com fundamento na Palavra de Deus, na "doutrina dos apóstolos" (At 2.42). Jesus advertiu seus discípulos a se resguardarem da "doutrina dos fariseus" (Mt 16.6,12). Hoje, temos visto igrejas que "vendem" bênçãos por dinheiro; utilizam manipulação psicológica para arrecadar mais recursos das pessoas; fazem "curas" e milagres, em troca do vil metal.
  27. 27. III. O BOM EXEMPLO EM TUDO • Gravidade e sinceridade: • São atitudes que equivalem à seriedade. Um obreiro deve ser sério, honesto, com postura que honre a Deus e ao seu ministério. Completando a lista de recomendações, Paulo diz que Tito deve ter "linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer". É conduta exemplar, exigida de todos os que querem ser obreiros, dedicados à obra do Senhor.
  28. 28. xx? xx? xx? APLICAÇÃO PRÁTICA
  29. 29. SÍNTESE DO TÓPICO III O líder cristão deve ser bom exemplo, preservar a integridade da doutrina e ser sincero em tudo.
  30. 30. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  31. 31. CONSIDERAÇÕE S FINAIS 1. xx. 2. xx. 3. xx. 4. Xx.
  32. 32. PARA REFLETIR D e a c o r d o c o m a l i ç ã o , c o m o d e ve s e r o f a l a r d o l í d e r ? R ) O l í d e r d e v e t e r a s u a f a l a s e m p r e f u n d a m e n t a d a n a P a l a v r a d e D e u s . S e r " t a r d i o p a r a f a l a r " e " p r o n t o p a r a o u vi r " é s i n a l d e q u ê ? R ) D e s a b e d o r i a , d e m a t u r i d a d e e m o c i o n a l e e s p i r i t u a l . C o m o o c r i s t ã o i d o s o d e ve p o r t a r - s e ? R ) S ó b r i o s , g r a v e s , p r u d e n t e s , s ã o s n a f é , n a c a r i d a d e e n a p a c i ê n c i a . C o m o a m u l h e r c r i s t ã i d o s a d e ve p o r t a r - s e ? R ) S é r i a s n o s e u v i v e r, c o m o c o n v é m a s a n t a s , n ã o c a l u n i a d o r a s , n ã o d a d a s a m u i t o v i n h o , m e s t r a s n o b e m . A s e x o r t a ç õ e s d e P a u l o a Ti t o s ã o i m p o r t a n t e s p a r a o s o b r e i r o s d e h o j e ? R ) R e s p o s t a p e s s o a l .
  33. 33. REFERÊNCIAS BORTOLIN I, José . C omo ler a Primeira C art a a Timóteo. 3ª Reimpres ão . São Paulo : Paulus , 2012 . BORTOLIN I, J os é. C omo ler a Segunda C art a a Timót eo. 3 ª Ediç ão . São Pa u lo : Paulus , 2 0 0 8 . CALVINO, J oão. Pastorais . São Paulo : Ediç ões Parac letos , 1 9 9 8 . GOPPELT, Leonhard . Teologia do N ovo Test ament o . 3ª Ed . Sã o Paulo : Ed ito r a Teológic a, 2 0 0 3 . H ALE, Br oadus D avid . Int rodução a o Est udo d o N o vo Test ament o . São Paulo : H agnos , 2 0 0 1 . LIÇ ÕES BÍBLIC AS . A Igreja e seu Test emunho : a s or denanças d e Cr is to n a s c ar ta s pas torais . R io de J aneir o: C PAD , 2 0 1 5 .
  34. 34. REFERÊNCIAS LIMA , Elin aldo R e n ova to d e . As ordenanças de C rist o nas Cartas Pastorais . Rio de J aneiro : CPAD, 2015 . R IC H AR DS, Law renc e O . Come nt ário H ist órico - C ult ural do N ovo Test ament o . R io d e J aneir o : C PAD , 2 0 1 4 . R IC H AR DS, Lawr enc e O. Guia do leit or da Bíblia : uma anális e de Gênes is a Apoc alips e c apítulo p o r c apítulo . R io d e J aneir o : C PAD , 2 0 0 5 . STOTT, John . A mensagem de 2 Timóteo : Tu, porém. 5ª Ediç ão . São Paulo : ABU Editor a, 2 0 0 1 . Zuck , R oy b . Te ologia d o N o vo Te s ta me nto . R io d e J aneir o : C PAD , 2 0 0 8.

×