2014 2 TRI LIÇÃO 1 - E deu dons aos seres humanos

10.275 visualizações

Publicada em

Subsídios elaborados pelo Ev. Natalino das Neves
Programa Escola Dominical na WEBTV.
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva

9 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
414
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
235
Comentários
9
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2014 2 TRI LIÇÃO 1 - E deu dons aos seres humanos

  1. 1. LIÇÕES BÍBLICAS - CPAD 1º TRIMESTRE DE 2014 LIÇÃO 1 E DEU DONS AOS SERES HUMANOS Prof. Ms. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. ACESSE O VÍDEO COM OS COMENTÁRIOS REFERENTE A ESTE ARQUIVO EM UM DOS ENDEREÇOS ABAIXO: www.natalinodasneves.blogspot.com.br www.redemaoamiga.com.br
  3. 3. TEXTO ÁUREO “Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens" (Ef 4:8).
  4. 4. VERDADE PRÁTICA ”Os dons são dádivas divinas para a Igreja cumprir sua missão até que o Noivo venha buscá-la”. (Lições Bíblicas, p. 3)
  5. 5. LEITURA BÍBLICA
  6. 6. 3 - Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. 4 - Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, 5 - assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. 6 - De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada: se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; 7 - se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; 8 - ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria. Romanos 12:3-8
  7. 7. 4 - Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. 5 - E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. 6 - E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. 7 - Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil. 1 Coríntios 12:4-7
  8. 8. INTRODUÇÃO
  9. 9. INTRODUÇÃO • A importância dos dons para o exercício ministério e no serviço do reino de Deus. • Quais são os tipos de dons? • Porquê Paulo escreveu sobre esse assunto aos Coríntios? • O dom não tem utilidade se não for usado motivado pelo exercício do amor. • O detalhamento dos dons será feito durante as lições do trimestre.
  10. 10. INTRODUÇÃO “As habilidades dadas a cada pessoa pelo Espírito Santo são chamadas de dons espirituais.” RENOVATO, Elinaldo (2014, p.11)
  11. 11. I. OS DONS NA BÍBLIA
  12. 12. I. OS DONS NA BÍBLIA • A palavra hebraica mais usada para se referir ao dom é minchach (209 X), cujo significado é: “oferta”, “presente” “algo dado gratuitamente” (SI 45.12; 72.10). • A palavra grega cháris indica “dom gratuito” ou “graça”. • Os dons divinos estavam presente no Antigo Testamento, todavia no Novo Testamento ocorre de forma ampliada.
  13. 13. I. OS DONS NA BÍBLIA • Após o dia de pentecostes ocorre uma atuação mais ativa dos dons na vida dos discípulos e da Igreja. • Paulo não teve a intenção de exaurir os dons em uma lista, mas deixa claro que o Espírito Santo que os distribui conforme a necessidade. • Os dons tem objetivo de promover o reino de Deus, edificar a Igreja e glorificar a Deus.
  14. 14. Aplicação prática Como você tem utilizado os dons concedidos por Deus? Para a edificação da Igreja ou em seu benefício próprio?
  15. 15. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS
  16. 16. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS • As igrejas primitivas eram “democracias espirituais”, mas ao mesmo tempo assumiram uma forma social e corporativa. • Aplicação da ideia de autoridade carismática de Weber à Paulo: poder como fonte de autoridade; autoridade como a aplicação do poder; e legitimidade como a formalização da autoridade. • A revista das lições bíblicas classifica os dons em três categorias: de serviço, espirituais e ministeriais.
  17. 17. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS • Dons de serviço (Rm 12): • Ministério, exortação, repartir, presidir e exercer misericórdia. • Ênfase para o fortalecimento da unidade (coletividade X individualidade). • Dons de serviço: ação em benefício do próximo. O foco não é o portador, mas sim.. • Deveriam ser exercitados num espírito de amor e auto entrega (Rm 12:9-21). • Sequência paulina ao falar dos dons: a) Compromisso individual com Deus (Rm 12:1-2); b) Compromisso mútuo com o corpo por meio dos dons (12:3-8); c) Por atos de amor (12:9-21).
  18. 18. Lista dos dons em Romanos 12 (PINTO, p. 233) DONS REQUISITO DESCRIÇÃO PROFECIA De acordo com a fé Capacidade de falar em nome de Deus e revelar Sua vontade. SERVIÇO Que sirva Capacidade sobrenatural de se dar para ajudar aos outros. ENSINO Que ensine Capacidade de descobrir e transmitir a verdade de forma convincente. ENCORAJAMENTO Que dê ânimo Capacidade de confortar e motivar outros para Cristo CONTRIBUIÇÃO Com sinceridade, generosidade, sem motivações ocultas Capacidade sobrenatural de levantar e doar bens materiais para a obra do ministério. LIDERANÇA Com diligência Capacidade de coordenar esforços e facilitar o trabalhar de outras pessoas no corpo. MISERICÓRDIA Com um sentimento de alegria Capacidade de perceber e preencher diversas necessidades no corpo
  19. 19. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS • Dons espirituais (1 Co 12): • Palavra da sabedoria; palavra da ciência; fé; curas; operação de maravilhas; profecia; discernimento de espíritos, variedades de línguas, interpretação de línguas. • Paulo promove o uso dos dons, em especial, o de profecia para o benefício da igreja (1 Co 14:1-5). • Cada membro da igreja é dotado com um dom (v.7). • O recebimento do dom é única e exclusivamente por decisão do Espírito Santo (v.11). • Deve haver ordem no culto e julgamento das profecias (v. 29-31). • Paulo insiste na necessidade de diversidade em unidade.
  20. 20. Definição de manifestações do Espírito em 1 Co 12.8-10 (PINTO, p. 266) DONS DESCRIÇÃO Mensagem de sabedoria Aplicação prática de conhecimento espiritual. Mensagem de conhecimento Percepção especial de realidades espirituais. Fé Capacidade de confira em Deus e obter dEle respostas incomuns. Dons de curar Capacidade de curar sem recurso à medicina e sem depender da fé do doente. Realização de milagres Desempenhar ações sobrenaturais no poder de Deus. Profecia Capacidade de predizer o futuro e revelar verdade divina. Discernimento de espíritos Percepção da origem de fenômenos espirituais. Variedade de línguas Capacidade de expressar-se numa língua não aprendida. Interpretação de línguas Capacidade de traduzir de/para uma língua não aprendida.
  21. 21. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS • Dons ministeriais (Ef 4): • Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores. • Dons com propósito de capacitar para o serviço do reino de Deus. • Promover o crescimento da igreja; • Os ministros devem servir a igreja com zelo e amor (1 Pe 5:2-3). • Desenvolvimento da vida espiritual (Ef 4:12-16).
  22. 22. Lista dos dons em Efésios 4 (PINTO, p. 350 - adaptado) DONS INDIVÍDUOS ESPECIALMENTE CAPACITADOS PARA: APÓSTOLOS Para estabelecer a palavra como testemunhas oculares de Cristo. PROFETAS Para revelar a vontade [até então] desconhecida de Deus, encorajar e exortar. EVANGELISTAS Para proclamar a mensagem da salvação em Cristo. PASTORES E MESTRES Para ensinar e guiar rebanhos locais de crentes.
  23. 23. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS • Ridderbos (2004, p.503) faz um resumo dos dons contemplando Rm 12:6-8; 1 Co 12:8-10, 28-30; Ef 4:11 e outros textos. Alguns que se repetem, às vezes em ordem sequencial diferente, e outros que são realmente diferentes: 1. Apóstolos (1 Co 12:28; Ef 4:11); 2. Profetas (Rm 12:6; 1 Co 12:10,28; Ef 4:11); 3. Mestres (Rm 12:7; Co12:28; Ef 4:11); 4. Evangelistas (Ef 4:11; 2 Tm 4:5); 5. Ministério/diakonia (Rm 12:7; 1 Co 12:28) 6. Contribuir/exercer misericórdia (Rm 12:8); 7. Presidir (Rm 12:8; 1 Co 12:28);
  24. 24. II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS 8. Exortação (Rm 12:8); 9. Palavra da sabedoria (1 Co 12:8); 10. Palavra do conhecimento (1 Co 12:8); 11. Poderes (1 Co 12:10,28; 1 Co 12:9; 1 Co 13:2); 12. Dons de curar (1 Co 12:9,28); 13. Glossolalia (1 Co 12:10,28); 14. Interpretação de línguas (1 Co 12:10,28); 15. Discernimento de espíritos (1 Co 12:10); 16. Bispos (Fp 1:1, 1 Tm 3:2; Tt 1:7); 17. Presbíteros (1 Tm 5:17,19; Tt1:5); 18. Diáconos (Fp 1:1; 1 Tm 3:8,12).
  25. 25. Aplicação prática Você tem sido grato pelos dons concedidos por Deus? Você tem utilizado os dons: a) Para edificação da igreja? b) Em benefício do próximo? c) Para glorificar a Deus?
  26. 26. III. A ADMINISTRAÇÃO DOS DONS NA IGREJA DE CORINTO
  27. 27. III. A DIFICULDADE NA ADMINISTRAÇÃO DOS DONS NA IGREJA DE CORINTO • Desinformação era uma das principais causas do problema. • Unidade da igreja e diversidade de dons X Igreja em Corinto com ênfase nas divisões. • Os dons são concedidos pela graça de Deus e não por méritos humanos (Rm 12:6; 1 Pe 4:10). • O uso dos dons não deve visar a glória ou edificação pessoal, mas a edificação do corpo numa atitude de amor (1 Co 12-14). • Paulo usa a ilustração do corpo para ilustrar a diversidade de dons (12:12-26).
  28. 28. III. A DIFICULDADE NA ADMINISTRAÇÃO DOS DONS NA IGREJA DE CORINTO • Inveja dos dons das outras pessoas e o desprezo pelo papel dos outros eram atitudes contraproducentes para a igreja. • Experiência anterior na idolatria certamente contribuía para a ignorância e blasfêmia (12:1- 3). • Dons usados com em amor contribuem para a maturidade espiritual (12:31b-13:13). • Não foi por acaso o tema do capítulo 13, que é o amor, fica entre os capítulos 12 e 14. Veja o exemplo do quadro a seguir:
  29. 29. Relação do amor com os problemas existentes em Corinto (PINTO, p. 267-8) O AMOR... É paciente O problema dos processos judiciais diante de pagãos. É amável O problema de carnes sacrificadas a ídolos. Não é invejoso A busca de superioridade por meio do uso dos dons. Não é arrogante A busca de superioridade por meio de discórdias. Não é orgulhoso Exibir riquezas na Ceia do Senhor; véu. Não é rude Rejeição dos irmãos mais pobres na Ceia do Senhor. Não busca os próprios interesses Uso imaturo da liberdade; carnes; maus líderes. Não se irrita facilmente Invejas e discussões, processos. Não guarda rancor dos erros Processos. Não se alegra com o mal O problema do incesto e da imoralidade. Alegra-se com a verdade Incesto; as chamadas coisas lícitas. Suporta todas as coisas A questão da auto-restrição; processos. Sempre crê Desconfiança mútua; processos. Sempre espera A questão da disciplina na igreja e seu fruto. Sempre persevera Abrir mão de privilégios em favor dos irmãos.
  30. 30. Aplicação prática A igreja em que você congrega sabe utilizar corretamente os dons? Existe ordem no culto? A base é o amor (1 Co 13)?
  31. 31. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  32. 32. Nesta lição nos aprendemos que:
  33. 33. Deus sempre distribuiu seu dom ao seu povo, mas amplia a distribuição após o evento do pentecoste, contribuindo para o crescimento do reino de Deus.
  34. 34. Ter dons, mas não ter amor, o propósito não será atingido, pois os dons são para servir ao próximo e visa a unidade na diversidade.
  35. 35. Uma igreja desinformada sobre a utilidade dos dons terá sérios problemas de relacionamento e será contraproducente para o reino de Deus.
  36. 36. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CARSON, D. A.; MOO, Douglas J.; MORRIS, Leon. Introdução ao Novo Testamento. São Paulo: Vida nova, 1997. DUNN, James D. G. A teologia do apóstolo Paulo. São Paulo: Paulus, 2003. HORTON, Stanley M. A Doutrina do Espirito Santo no Antigo e Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2012. HORTON, Stanley M. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. LIÇÕES BÍBLICAS. Dons Espirituais e Ministeriais: Servindo a Deus e aos homens com poder extraordinário. Rio de Janeiro: CPAD, 2014.
  37. 37. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS RENOVATO, Elinaldo. Dons Espirituais & Ministeriais: Servindo a Deus e aos homens com poderes extraordinários. Rio de Janeiro: CPAD, 2014. RIDDERBOS, Herman. A teologia do apóstolo Paulo: a obra definitiva sobre o pensamento do apóstolo aos gentios. São Paulo: Cultura Cristã, 2004. ZUCK, Roy B. Teologia do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. Velloso, Ary. Foco e desenvolvimento do Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2008.
  38. 38. IEADSJP – Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais www.adsaojosedospinhais.com.br www.redemaoamiga.com.br Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva Pr. Vice-Presidente: Elson Pereira Comentários: Ev. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 / 3076 3589
  39. 39. FAVOR DIVULGAR PARA SUA REDE SOCIAL

×