2013 3 tri lição 13 - o sacrifício que agrada a deus

7.013 visualizações

Publicada em

Aula ministrada pelo Ev. Natalino das Neves - Programa IEADSJP_EBDTV
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Pr. Vice-Presidente: Eurico Deraldo Santana
Co-Pastor da Sede: Josué Barros Abreu
Sup. EBD-Sede: Ev. Ismael Nascimento de Oliveira

  • boa atarde pastor vc tem esta lição no formato Arquivo PPTX (.pptx) se tiver pode enviar pra mim izaquelacerda@yahoo.com.br paz do senhor e obrigado
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

2013 3 tri lição 13 - o sacrifício que agrada a deus

  1. 1. LIÇÕES BÍBLICAS - CPAD 3º TRIMESTRE DE 2013 Lição 13 29 de setembro de 2013 O SACRIFÍCIO QUE AGRADA A DEUS Prof. Ms. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. ACESSE O VÍDEO COM OS COMENTÁRIOS REFERENTE A ESTE ARQUIVO EM UM DOS ENDEREÇOS ABAIXO: www.redemaoamiga.com.br www.natalinodasneves.blogspot.com.br SUGESTÃO: 1) Assista o vídeo; 2) Baixe este arquivo; 3) Assista novamente o vídeo, acompanhando com este arquivo de slides.
  3. 3. REFERÊNCIA TEXTO/TEMA Texto áureo (Lições bíblicas do professor, p. 89) "Eu te oferecerei voluntariamente sacrifícios; louvarei o teu nome, ó Senhor, porque é bom" (Sl 54.6). Verdade prática (Lições bíblicas do professor, p. 89) Ajudando os nossos irmãos, contribuímos para a obra de Deus, e, ao Senhor, oferecemos a mais pura ação de graças.
  4. 4. LEITURA BÍBLICA – Filipenses 4:14-23 14 - Todavia, fizestes bem em tomar parte na minha aflição. 15 - E bem sabeis também vós, ó filipenses, que, no princípio do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja comunicou comigo com respeito a dar e a receber, senão vós somente. 16 - Porque também, uma e outra vez, me mandastes o necessário a Tessalônica. 17 - Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que aumente a vossa conta. 18 - Mas bastante tenho recebido e tenho abundância; cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus. 19 - O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus. 20 - Ora, a nosso Deus e Pai seja dada glória para todo o sempre. Amém! 21 - Saudai a todos os santos em Cristo Jesus. Os irmãos que estão comigo vos saúdam. 22 - Todos os santos vos saúdam, mas principalmente os que são da casa de César. 23 - A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com vós todos. Amém!
  5. 5. OBJETIVOS PROPOSTOS* Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: 1. Compreender como foi a participação da igreja de Filipos nas tribulações de Paulo.* 2. Explicar o ato de reminiscência entre Paulo e os filipenses.* 3. Analisar a oblação e a generosidade dos filipenses.* 4. Aplicar na sua prática diária o conteúdo aprendido. * Objetivos propostos na revista Lições Bíblicas da CPAD.
  6. 6. INTRODUÇÃO • Paulo foi exemplo de uma vida “sacrificada” e oferecida, que agradou a Deus. • A cumplicidade entre os filipenses e Paulo também serve como exemplo de amor e sacrifício agradável á Deus. • A atitude dos filipenses foi considerada por Paulo como um fruto espontâneo, uma oferta aceita por Deus.
  7. 7. I. A PARTICIPAÇÃO DA IGREJA NAS TRIBULAÇÕES DE PAULO (4.14)
  8. 8. I. A PARTICIPAÇÃO DA IGREJA NAS TRIBULAÇÕES DE PAULO (4.14) 1. Os filipenses tomam parte nas aflições do apóstolo: • Os filipenses acompanhavam Paulo, passo a passo. Tomavam parte de sua missão. • Única comunidade fundada pelo apóstolo que, logo de início, contribuiu para a missão na Europa. • Eles também sofriam com Paulo – empatia. • Paulo se sentia confortado pela atitude dos filipenses.
  9. 9. I. A PARTICIPAÇÃO DA IGREJA NAS TRIBULAÇÕES DE PAULO (4.14) 3. O padrão de amor para a Igreja: • Unidade e amor (At 2:45-47). • Foco no reino de Deus e salvação de almas.
  10. 10. Aplicação prática Você tem participado das aflições de alguém? Você tem sido uma fonte de solidariedade e conforto para alguém em aflição?
  11. 11. II. REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER (4.15-17)
  12. 12. II. REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER (4.15-17) 1. Paulo relembra o apoio dos filipenses: • Havia uma relação de dar e receber entre eles = “contrato missionário” – “apoio logístico”. • A pessoa que recebe apoio no momento de necessidade não esquece. • “No princípio do evangelho, quando parti da Macedônia...” – Primeira missão realmente dirigida por Paulo – antes Barnabé. • Filipos primeira comunidade fundada por Paulo.
  13. 13. II. REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER (4.15-17) 2. O necessário para viver: • Paulo se alegrou em receber o necessário para sua subsistência. • Inclusive, emocionalmente. O fato de ser lembrado. • Havia um troca saudável “dar e receber” entre Paulo e os filipenses. • Paulo ministrava o evangelho aos filipenses, e estes supria o necessário para sua sobrevivência. Ver similaridade com 1 Co 9:11
  14. 14. II. REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER (4.15-17) 3. "Não procuro dádivas": • Paulo era criterioso em aceitar ofertas pessoais (2 Co 11:12-15). • Paulo não ficava incentivando seus seguidores a lhe darem presentes. • Dava oportunidade para os filipenses serem generosos, auxiliando em seu ministério, mas não os explorava. • “Creditado na conta de vocês” = termo da contabilidade comercial da época. • Fruto é algo espontâneo, que Deus faz crescer.
  15. 15. Aplicação prática Qual tem sido a motivação de suas contribuições? Obreiro, como você tem tratado seu rebanho em relação às suas dádivas?
  16. 16. III. A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23)
  17. 17. III. A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23) 1. A oblação (sacrifício) no Antigo Testamento: • Sistema sacrificial levítico. • Ofertas de consagração a Deus (Lv 1:3-17); • Ofertas de manjares (Lv 2; 6:14-23); • Oferta de libação e oferta pacífica (Nm 15:1-10). • Oblação = oferta sacrificial comestível, parte queimada e parte para consumo dos sacerdotes (Lv 2:1-3).
  18. 18. III. A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23) 2. A oblação (sacrifício) e a generosidade dos filipenses: • Paulo considerava como uma verdadeira oblação a assistência que recebia dos filipenses. • “Cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus” (v. 18b) - (Gn 4:4; 8:21; Ex 29:18,25,41). • Linha de pregação dos profetas (1 Sm 15:22; Os 6:6) – prática da justiça e a misericórdia como sacrifício agradável ao Senhor. • Agora o perfume são as obras de evangelização (Rm 12:1s; Cl 3:20; Tt2:9; Fl 2:17; Ef 5:2).
  19. 19. III. A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23) 2. A oblação (sacrifício) e a generosidade dos filipenses: • Paulo considerava como uma verdadeira oblação a assistência que recebia dos filipenses. • “Cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus” (v. 18b) - (Gn 4:4; 8:21; Ex 29:18,25,41). • Linha de pregação dos profetas (1 Sm 15:22; Os 6:6) – prática da justiça e a misericórdia como sacrifício agradável ao Senhor. • Deus “suprirá todas as vossas necessidades” (v. 19) – a fórmula não é “toma lá dá cá”. • O verdadeiro doador de todas as coisas é Deus (Rm 8:32).
  20. 20. III. A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23) 3. Doxologia : • Procede provavelmente de um contexto litúrgico. • Porta voz dos irmãos que se estavam com ele. Paulo gozava de certa liberdade de comunicação durante esta prisão. • Casa de César – não necessariamente em Roma - usado p/ os administradores dos bens do Imperador (funcionários, soldados, escravos, libertos, assalariados, entre outros). • Saudações finais de Paulo: “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com vós todos. Amém” (v. 23) = comum nos finais das cartas de Paulo.
  21. 21. Aplicação prática Você tem contribuído esperando algo em troca? Suas “ofertas” a Deus tem sido recebidas por Deus? Você tem seguido o exemplo dos filipenses?
  22. 22. CONSIDERAÇÕES FINAIS)
  23. 23. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição aprendemos que: 1. A igreja de Filipos participava das aflições de Paulo e nos incentiva a compartilhar mutuamente nossas necessidades com nossa comunidade. 2. Tanto aquele que dá como o que recebe são beneficiados. 3. Temos que fazer o bem com sinceridade para que seja aceito, para que “cheire suavemente às narinas de Deus”.
  24. 24. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 4ª edição. Vol. 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. BARTH, Gerhard. A carta aos Filipenses. São Leopoldo: Sinodal, 1983, 93p. CABRAL, Elienai. FILIPENSES: a humildade de cristo como exemplo para a Igreja. Rio de Janeiro: CPAD, 2013. CALVINO, João. Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses. São José dos Campos – SP: Editora Fiel, 2010. COMBLIN, José. Epístola aos Filipenses. 2ª edição. Petrópolis – RJ, VOZES/SINODAL, 1992.
  25. 25. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS LIÇÕES BÍBLICAS. Filipenses: a humildade de cristo como exemplo para a Igreja. 3º trimestre de 2013. Edição do professor. Rio de Janeiro: CPAD, 2013. MARTIN, Ralph. Filipenses: Introdução e Comentário. São Paulo: Vida Nova, 1985, 186p. RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. WEINGÄRTNER, Lindolfo. A Carta de Paulo aos Filipenses. Curitiba e Belo Horizonte: Editora Encontrão e Missão Editora, 1992. ZUCK, Roy B. Teologia do Novo Testamento. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
  26. 26. IEADSJP – Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais www.adsaojosedospinhais.com.br www.redemaoamiga.com.br Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva Pr. Vice-Presidente: Eurico Deraldo Santana Co-pastor da sede: Josué Barros Abreu Sup. da EBD: Ev. Ismael Nascimento Oliveira Comentários: Ev. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 / 3076 3589

×