ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ 
Titulo: Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana 
Disciplina: Língua P...
Sumário 
1. Introdução ......................................................................................................
1. INTRODUÇÃO 
A pesquisa proposta como atividade avaliativa do 4º bimestre, pela professora 
Maria Piedade Teodoro da Sil...
2. Machado de Assis: inovador e revolucionário 
2.1 Origens do Realismo 
O Realismo surgiu em meados do século XIX na Euro...
No Brasil o início do Realismo ocorre em duas direções. A primeira é 
relacionada sobre os problemas sociais, ambiente urb...
2.3 Conhecendo um pouco de Machado de Assis 
Segundo o site releituras.com, Machado de Assis nasceu na cidade do Rio de 
J...
2.4 Características do estilo machadiano 
É considerado o maior escritor brasileiro de todos os tempos e reconhecido 
como...
brando com que, uma vez posta, começou a mover as asas, tinha um 
certo ar escarninho, que me aborreceu muito. Dei de ombr...
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS 
Após o término da pesquisa, pode-se dizer que o objetivo foi alcançado, já que 
todas as pergunta...
4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 Adorno, Theodor W.; Horkheimer, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de 
Janeiro: Jorge ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana

477 visualizações

Publicada em

A pesquisa proposta como atividade avaliativa do 4º bimestre, pela professora Maria Piedade Teodoro da Silva, de Língua Portuguesa, visa aprofundar o conhecimento sobre o que representou para o Movimento Literário Realismo no Brasil, Machado de Assis, além de apresentar o seu estilo e suas principais obras. Buscamos atingir esses objetivos, respondendo às seguintes perguntas de pesquisa: Qual a importância de Machado de Assis para o Movimento Literário Realismo no Brasil? Quais as principais obras machadianas? Como se caracteriza o estilo de Machado de Assis?
Espera-se que, no final da pesquisa, todas as perguntas tenham sido respondidas e o conhecimento aprofundado acerca do grande escritor brasileiro Machado de Assis.

Publicada em: Internet
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana

  1. 1. ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ Titulo: Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana Disciplina: Língua Portuguesa Professora: Maria Piedade Teodoro da Silva Alunos: Bruna Stéfani Eugênio nº 3 Murilo Donini nº 25 Natalia Celestino Salgado nº 26 Série: 2º ano C Jacareí 2014
  2. 2. Sumário 1. Introdução ......................................................................................................................... 3 2. Machado de Assis: inovador e revolucionário....................................................................... 4 2.1. Origens do Realismo ....................................................................................................... 4 2.2 Realismo no Brasil .............................................................................................................. 4 2.2.1 Características do Realismo no Brasil ............................................................................... 4 2.2.2 Autores realistas brasileiros ............................................................................................ 5 2.3 Conhecendo um pouco de Machado de Assis ....................................................................... 6 2.4 Características do estilo machadiano ............................................................................... 7 2.5 Principais obras machadianas .......................................................................................... 7 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS ..................................................................................................... 9 4. REFERÊNCIAS ................................................................................................................... 10
  3. 3. 1. INTRODUÇÃO A pesquisa proposta como atividade avaliativa do 4º bimestre, pela professora Maria Piedade Teodoro da Silva, de Língua Portuguesa, visa aprofundar o conhecimento sobre o que representou para o Movimento Literário Realismo no Brasil, Machado de Assis, além de apresentar o seu estilo e suas principais obras. Buscamos atingir esses objetivos, respondendo às seguintes perguntas de pesquisa: Qual a importância de Machado de Assis para o Movimento Literário Realismo no Brasil? Quais as principais obras machadianas? Como se caracteriza o estilo de Machado de Assis? Espera-se que, no final da pesquisa, todas as perguntas tenham sido respondidas e o conhecimento aprofundado acerca do grande escritor brasileiro Machado de Assis.
  4. 4. 2. Machado de Assis: inovador e revolucionário 2.1 Origens do Realismo O Realismo surgiu em meados do século XIX na Europa. Os escritores pertencentes a esse movimento faziam parte de segmentos sociais que tiveram sua origem na burguesia e nas camadas médias nas sociedades. Tal ato reflete a tendência dessa mesma burguesia em assumir o comando das discussões estéticas e políticas de seu tempo. Contrariamente à estética romântica, em que a narrativa de aventura ou o romance de amor contrapunham um herói íntegro às forças sociais instituídas, o texto realista criticava as futilidades da vida burguesa, observando a distância o desempenho de personagens que, muitas vezes, pareciam adaptados à vida social. 2.2 Realismo no Brasil 2.2.1 Características do Realismo no Brasil Segundo o site infoescola.com, na segunda parte do século XIX, três importantes movimentos literários floresceram: o Parnasianismo, o Realismo e o Naturalismo. O Realismo é considerado a pintura objetiva da realidade, uma forma de reação ao excesso e á espiritualidade. Alguns autores consagrados que escreveram obras realistas são: Homero, na tragédia e comedia clássica, Cervantes, Chaucer, Balzac e Dostoiévski.
  5. 5. No Brasil o início do Realismo ocorre em duas direções. A primeira é relacionada sobre os problemas sociais, ambiente urbano e elemento do cotidiano já aconteceu flerte do realismo com o naturalismo. Assumindo uma posição ideológica regionalista, na qual se elevou a cor local, a vida difícil em ambiente rural brasileiro e o determinismo, negando a existência do livre-arbítrio. 2.2.2 Autores realistas brasileiros Os autores realistas brasileiros são Machado de Assis e Raul Pompeia. A obra de Raul Pompeia, composta de poemas em prosas, crônicas, uma novela e narrativas curtas, experimenta, assim como a de Machado, formas diferentes de escrita literária, sem atingir os mesmos resultados. Contudo, seu romance intitulado O Ateneu: uma crônica de saudades, publicado em 1888, conquista o interesse dos estudiosos de literatura em nosso país. Narrada em primeira pessoa, a trama refaz o percurso de Sergio quando este ingressa em um colégio interno chamado Ateneu. O fio condutor não são as lembranças do narrador já adulto que, ao rememorar acontecimentos, pessoas e, é principalmente, conflitos vividos, faz uma espécie de balanço critico e pessimista sobre o seu passado. Estruturado em episódios, o romance não expõe fatos de maneira cronológica, mais explora psicologicamente ações e reações das personagens, em procedimento típico do realismo. Um dos pontos essenciais da obra é o deslocamento entre as figuras do narrador e da personagem. A narração não tenta recuperar a perspectiva infantil dos anos passados no colégio, mas sim combina lembranças e julgamento. Ao fazer isso, o narrador mostra intencionalmente ao leitor um mundo de seres atormentados, muitos dos quais falsos, outros moralmente deformados, todos convivendo em um espaço que deveria edificar pessoas.
  6. 6. 2.3 Conhecendo um pouco de Machado de Assis Segundo o site releituras.com, Machado de Assis nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839, filho de um operário mestiço de negro e português, Francisco José de Assis e de D. Maria Leopoldina Machado de Assis. Sinhá Rita, com a cara em fogo e os olhos esbugalhados, instava pela vara, sem largar a negrinha, agora presa de um acesso de tosse. Damiao sentiu-se compungido; mas ele precisava tanto sair do seminário! Chegou à marquesa, pegou na vara e entregou-a a Sinhá Rita. (Páginas recolhidas) De saúde frágil, epilético, gago, sabe-se pouco da sua infância e inicio da juventude. Criado no morro do livramento, consta que ajudava a missa na Igreja da Lampadosa. Com a morte do pai, em 1851, Maria Inês à época morando em São Cristóvão, emprega-se como doceira num colégio do bairro, e Machadinho, como era chamado, torna-se vendedor de doces. No colégio, tem contato com professores e alunos e até provável assistisse as aulas nas ocasiões em que não estava trabalhando. Mesmo sem ter acesso a cursos regulares, empenhou-se em aprender. Consta que, em São Cristóvão, conheceu uma senhora francesa, proprietária de uma padaria, cujo forneiro lhe deu as primeiras lições de Francês. Contava também com a proteção da madrinha D. Maria José Mendonça Barroso, viúva do Brigadeiro e Senador do Império Bento Barroso Pereira, proprietária da Quinta do Livramento, onde foram agregados seus pais.
  7. 7. 2.4 Características do estilo machadiano É considerado o maior escritor brasileiro de todos os tempos e reconhecido como um dos melhores contistas da língua portuguesa. Oferece ao leitor inúmeras possibilidades de leitura de seus contos. Escreveu romances, peças de teatro, poesias, contos e crônicas, além de ter sido um importante jornalista. Suas primeiras obras de ficção caracterizam-se pela adesão à estética romântica. Machado construiu verdadeiros documentos de época, ao mesmo tempo em que traçou um preciso estudo das profundezas da alma humana, pois, alinhou o olhar atento aos costumes da sociedade do segundo Reinado e dos primeiros anos da republica e a capacidade singular das pesquisas de investigar o caráter e o modo como as pessoas se posicionam no mundo. 2.5 Principais obras machadianas Foi o autor da obra que marcou o início do Realismo literário no Brasil, Memórias póstumas de Brás Cubas, publicada em 1881. A história é narrada por Brás Cubas, que já está morto e conta os acontecimentos, desde o seu nascimento até a sua morte, “sem temer mais nada”. Na dia seguinte, como eu estivesse a preparar-me para descer, entrou no meu quarto uma borboleta, tão negra como a outra, e muito maior do que ela. Lembrou-me o caso da véspera, e ri-me; entrei logo a pensar na filha de D. Eusébia, no susto que tivera, e na dignidade que, apesar dele, soube conversar. A borboleta, depois de esvoaçar muito em torno de mim, pousou-me na testa. Sacudi-a, ela foi pousar na vidraça; e, porque eu sacudisse de novo, saiu dali e veio parar em cima de um velho retrato de meu pai. Era negra como a noite. O gesto
  8. 8. brando com que, uma vez posta, começou a mover as asas, tinha um certo ar escarninho, que me aborreceu muito. Dei de ombros, sai do quarto; mas tornando lá, minutos depois, e achando-a ainda no mesmo lugar, senti um repelão dos nervos, lancei mão de uma toalha, bati-lhe e ela caiu. (Memórias póstumas de Brás Cubas) Ainda no período realista, escreveu Histórias sem datas, em 1884, que narra um desencontro amoroso entre duas personagens. Acompanhando as indecisões e o sofrimento de uma delas, o narrador expõe a inconsistência de caráter e as fraquezas humanas de ambas. Deolindo sorriu. Era assim mesmo, Uma noite de almirante, como eles dizem, uma noite de almirante que o esperava em terra. Começara a paixão três meses antes de sair a corveta. Chamava-se Genoveva, caboclinha de vinte anos, esperta, olho negro e atrevido. Encontraram-se em casa de terceiro e ficaram morrendo um pelo outro, a tal ponto que estiveram prestes a dar uma cabeçada, ele deixaria o serviço e ela o acompanharia para a vila mais recôndita do interior. (Histórias sem data) Em seguida, Dom Casmurro, em 1899, que é narrado em flashback e conta, em primeira pessoa, a história de Bentinho. O protagonista é apaixonado por Capitu, mas sua mãe quer torná-lo padre e encaminha-o ao seminário. Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá ideia daquela feição nova. Traziam não sei que fluído misterioso e energético, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca. (Dom Casmurro) Também, Quincas Borba (1891), Esaú e Jacó (1904) e Memórias de Aires (1908).
  9. 9. 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS Após o término da pesquisa, pode-se dizer que o objetivo foi alcançado, já que todas as perguntas, apresentadas no início, foram respondidas. Conhecemos o estilo literário de Machado de Assis, suas principais obras e sua importância para o Movimento Literário Realismo no Brasil. Machado deu início a esse movimento literário em seu país de origem através da obra Memórias póstumas de Brás Cubas; também produziu Dom Casmurro, Quincas Borba, Esaú e Jacó, Memórias de Aires, Histórias sem data e Páginas recolhidas. Foi pioneiro na descoberta da alma humana e escreveu livros, que são considerados verdadeiros documentos de época, pois relatam como era a sociedade nos séculos XIX e XX. Absurdamente crítico, inovador e revolucionário, Machado é considerado o maior romancista brasileiro de todos os tempos e um dos maiores contistas, além de escrever também poesia, crônicas e ser jornalista. Aderiu a estética romântica em suas primeiras obras de ficção, mas se destacou com suas obras realistas.
  10. 10. 4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  Adorno, Theodor W.; Horkheimer, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.  ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. São Paulo: W. Buch. 2006  LITERATURA: Realismo no Brasil. Disponivel em: <www.infoescola.com/literatura/realismo-no-brasil/>. Acesso em: 1 dez. 2014.  RELEITURAS: Machado de Assis. Disponível em: <www.releituras.com/machadodeassis_bio.asp>. Acesso em: 28 nov. 2014. .

×