O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Design, Psicologia & e-commerce - Natalia Arsand

660 visualizações

Publicada em

Slides da palestra apresentada na UXConfBR 2016.

Publicada em: Internet
  • Seja o primeiro a comentar

Design, Psicologia & e-commerce - Natalia Arsand

  1. 1. DESIGN, PSICOLOGIA & E-COMMERCE: Estamos manipulando nosso consumidor? NATALIA ARSAND UX Designer
  2. 2. PERCEPÇÃO & ESFORÇO 1
  3. 3. PERCEPÇÃO Processo de interpretação e organização de informação sensorial. OBRA DE MC ESCHER
  4. 4. ESTÍMULOS SENSORIAIS
  5. 5. ESTÍMULOS SENSORIAIS PERCEPÇÃO CONTEXTO EXPERIÊNCIA PRÉVIA OBJETIVOS & TAREFAS
  6. 6. ESFORÇO ESTÍMULOS SENSORIAIS PERCEPÇÃO CONTEXTO EXPERIÊNCIA PRÉVIA 1. ATENÇÃO 2. INTERAÇÃO 3. INTERPRETAÇÃO 4. ENTENDIMENTO OBJETIVOS & TAREFAS
  7. 7. ESFORÇO ESTÍMULOS SENSORIAIS PERCEPÇÃO CONTEXTO EXPERIÊNCIA PRÉVIA 1. ATENÇÃO 2. INTERAÇÃO 3. INTERPRETAÇÃO MEMÓRIA LONGO PRAZO 4. ENTENDIMENTO OBJETIVOS & TAREFAS
  8. 8. ESFORÇO ESTÍMULOS SENSORIAIS PERCEPÇÃO CONTEXTO EXPERIÊNCIA PRÉVIA 1. ATENÇÃO 2. INTERAÇÃO 3. INTERPRETAÇÃO MEMÓRIA LONGO PRAZO 4. ENTENDIMENTO OBJETIVOS & TAREFAS
  9. 9. ESFORÇO 1. ATENÇÃO 2. INTERAÇÃO 3. INTERPRETAÇÃO 4. ENTENDIMENTO PREGUIÇA POR ABEL TAN, THE NOUN PROJECT
  10. 10. LEI DO MENOR ESFORÇO Tendemos a optar pelo caminho do menor esforço. CRÉDITO FOTO: BEN SCHUMIN
  11. 11. LEBRE POR AGNE ALESIUTE TARTARUGA POR STEPHEN BORENGRASSER THE NOUN PROJECT MENOR ESFORÇO MAIOR ESFORÇO
  12. 12. LEBRE POR AGNE ALESIUTE TARTARUGA POR STEPHEN BORENGRASSER THE NOUN PROJECT MENOR ESFORÇO MAIOR ESFORÇO RACIOCÍNIO LEVE / INTUITIVO RACIOCÍNIO FOCADO / LÓGICO
  13. 13. PERSUASÃO2
  14. 14. QUANDO O USUÁRIO ENCONTRA O QUE ELE PROCURA E O QUE ELE PROCURA É O QUE NÓS QUEREMOS QUE ELE ENCONTRE
  15. 15. INTERAÇÃO Toda interação é uma troca. CRÉDITO FOTO: ROCIO PRECIADO/REX FEATURE/AP
  16. 16. PERSUASÃO É INTERAÇÃO GANHA-GANHA
  17. 17. O SÁBIO NUNCA DIZ TUDO O QUE PENSA, MAS PENSA TUDO O QUE DIZ.
  18. 18. ETHOS PATHOS LOGOS
  19. 19. ETHOS Apelo à credibilidade PATHOS LOGOS
  20. 20. ETHOS PATHOS Apelo à credibilidade Apelo às emoções LOGOS
  21. 21. ETHOS PATHOS LOGOS Apelo à credibilidade Apelo às emoções Apelo à lógica
  22. 22. CADÊ ISSO NA PRÁTICA?
  23. 23. CADÊ ISSO NA PRÁTICA? ETHOS
  24. 24. CRÉDITO FOTO ESQUERDA: The Winding Rhoades ETHOS Prova Social
  25. 25. CADÊ ISSO NA PRÁTICA? PATHOS
  26. 26. CRÉDITO FOTO ESQUERDA: AUDREY MANGIN CRÉDITO FOTO DIREITA: REUTERS/ANDREW KELLY PATHOS Escassez
  27. 27. CRÉDITO FOTO ESQUERDA: AUDREY MANGIN CRÉDITO FOTO DIREITA: REUTERS/ANDREW KELLY PATHOS Escassez
  28. 28. VIDA INJUSTA! <(`^´)>
  29. 29. CADÊ ISSO NA PRÁTICA? LOGOS
  30. 30. LOGOS Contraste
  31. 31. MANIPULAÇÃO3
  32. 32. MANIPULAÇÃO É UMA FORMA DE PERSUASÃO.
  33. 33. DARK PATTERNS
  34. 34. PADRÕES MALVADOS
  35. 35. LEBRE POR AGNE ALESIUTE TARTARUGA POR STEPHEN BORENGRASSER THE NOUN PROJECT MENOR ESFORÇO MAIOR ESFORÇO RACIOCÍNIO LEVE / INTUITIVO RACIOCÍNIO FOCADO / LÓGICO
  36. 36. CONFIAR ETHOS
  37. 37. DESEJAR CONFIAR ETHOS PATHOS
  38. 38. DESEJAR ACREDITAR CONFIAR ETHOS PATHOS LOGOS
  39. 39. EMPRESA ENGANADORA LUCRO USUÁRIO ENGANADO MISÉRIA SAD BY MUSAVIIR AHMED MONEY BY ANDREA GONZALEZ THE NOUN PROJECT
  40. 40. ETHOS Prova Social
  41. 41. PATHOS Escassez
  42. 42. LOGOS Contraste
  43. 43. MANIPULAÇÃO É CONVENCER ALGUÉM A FAZER ALGO POR VOCÊ, AO INVÉS DE INFLUENCIÁ-LOS POR CAUSA DE ALGO QUE ESTÁ EM JOGO PARA ELES.
  44. 44. RESUMO 4
  45. 45. APELOS ARGUMENTATIVOS ETHOS PATHOS LOGOS Você pode usar para o bem Interação ganha-ganha Você pode usar para o mal Padrões Malvados PERSUASÃO MANIPULAÇÃO Os processos cognitivos são inevitáveisPERCEPÇÃO MENOR ESFORÇO MAIOR ESFORÇO
  46. 46. APELOS ARGUMENTATIVOS ETHOS PATHOS LOGOS Você pode usar para o bem Interação ganha-ganha Você pode usar para o mal Padrões Malvados PERSUASÃO MANIPULAÇÃO Os processos cognitivos são inevitáveisPERCEPÇÃO MENOR ESFORÇO MAIOR ESFORÇO
  47. 47. O OFÍCIO DO DESIGNER PODE MUDAR MUNDOS, OU DESTRUÍ-LOS. SEJAMOS RESPONSÁVEIS.
  48. 48. OBRIGADA @nataliarsand ?
  49. 49. REFERÊNCIAS Ross, L., Greene, D., & House, P. 1977. The false consensus effect: An egocentric bias in social perception and attribution processes. Journal of Experimental Social Psychology, 13(3), 279-301. R. J. Sternberg. & K. Sternberg. 2009. Cognition (6th edition) Wadsworth: Cengage Learning. Norman, D. 2007. Emotional Design: Why We Love (or Hate) Everyday Things. Basic Books; 1 edition. McCloskey, M. 2014. Human Mind and Usability. NNGroup Usability Week Training, New York City. Parkin, A. 2000. Essential Cognitive Psychology. Psychology Press; 1 edition. Plous, S. 2014. Social Psychology Course. Wesleyan University, Coursera. B. Cialdini, R. 2006. Influence: The Psychology of Persuasion. Carnegie, D. 1937. How to Win Friends & Influence People. Kahneman, D. 2013. Thinking, Fast and Slow. Ariely, D. 2010. Predictably Irrational: The Hidden Forces That Shape Our Decisions. Gladwell, M. 2002. The Tipping Point: How Little Things Can Make a Big Difference. Aristotle, Rhetoric.

×