Histórico do Projeto Armazém Digital Maringá

682 visualizações

Publicada em

Histórico do Projeto Armazém Digital de Maringá.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
682
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
275
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Histórico do Projeto Armazém Digital Maringá

  1. 1. Histórico Parque de T.I. de Maringá - Armazém Digital Ano de 2010 O Parque de T.I. é uma demanda antiga dos empresários de Maringá e região e está presente nas discussões dos empresários desde 2009. Mais especificamente, em 02/09/2010 um grupo de empresários que visitavam um congresso no Rio de Janeiro chamado “RioInfo” resolvem, durante um café da manhã, planejar o que seria o “Parque de T.I. de Maringá”. Neste momento estavam presentes: Ilson Rezende, Sergio Yamada, Ademir Faria, Sandro Moles, Joaquim Tavares, Ademir Niero, Erica Sanches, Aline Teixeira, Alisson Ferreira e Ramirez Uliana. O primeiro esboço do Parque de T.I. surgiu de um brainstorming, que segue abaixo (na íntegra): Público-alvo do Parque: - Empresas que prestam serviço na área de Tecnologia da Informação e Comunicação. Conceito: - Qualidade de vida; qualidade da mão de obra; retenção de talentos; alta tecnologia e excelência dos serviços prestados de forma sustentável. Estrutura do Local (inicialmente 5 mil pessoas; expansível para 10 mil): - Datacenter; - Lei de incentivo; - Terreno; - Investidores; - Incubadora Tecnológica; - Centro de Inovação; - Centro de Capacitação; - Centro de Residência; - Centro de Eventos: 1. Salas de reuniões; 2. Sala similar a hotel, com salas que se integram. - Laboratório de Calibração/teste de software; - Restaurante; - Lanchonete; - Hotel; - Área de Lazer e Integração; - Fitness; - Área Google; - Biblioteca; - Museu da T.I.; - Creche; - Enfermagem; - Mini shopping comercial:
  2. 2. 1. Farmácia; 2. Centro de Estética; 3. Conveniência. - Serviço de Segurança; - Área Verde: Mini Jardim Botânico; - Sede e/ou escritório de entidades; - Heliporto; - Centro de Intercâmbio de Negócios Internacionais; - Porto de Embarque (todos que precisam desenvolver um hardware necessitam de um software embarcado. Esse local seria para captar a necessidade e/ou desenvolver este tipo de software). Ano de 2011 No início de 2011, para apresentar a ideia aos demais empresários e entidades da cidade, criou-se uma apresentação do Projeto para materializar a visão dos empresários do setor. Esta apresentação serviu como base para os pedidos de apoio à Prefeitura de Maringá e ao CODEM - Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá. As apresentações ajudaram a compor o documento “Maringá 2030”, onde apresentava o desejo da comunidade em se tornar uma cidade tecnológica. Em abril do mesmo ano, durante reuniões do SindTI e Software by Maringá, o projeto foi discutido e refinado. Ações foram empreendidas para: 1. Identificar uma área para a ocupação do Parque; 2. Solicitar à Prefeitura uma área que pudesse atender as demandas do projeto; 3. Identificar investidores para a compra de uma área privada para a instalação do Parque de T.I. Surgiu a alternativa da instalação do Projeto no Antigo Aeroporto, na área do Jefferson Nogarolli, o qual participou pessoalmente em reuniões do movimento empresarial apresentando seu projeto. Houve uma proposta financeira para a compra da área ou a opção em utilizar o terreno como parte do pagamento do empreendimento. Foram visitados terrenos para compra e locais públicos para avaliar um possível pedido à Prefeitura. O grupo chegou a consultar um documento elaborado pelo CODEM contendo todas as áreas públicas não ocupadas em Maringá. As buscas continuaram. Ano de 2012 Uma alternativa, gerando bastante interesse, foi uma área de 20 alqueires próxima à “Venda 200”, que havia sido recém-adquirida pela Prefeitura. Neste mesmo ano, foi realizado um levantamento da área necessária de cada empresa para avaliar a demanda por áreas no futuro Parque de T.I.
  3. 3. A UEM, através do professor Marcelo Farid, chegou a apresentar um projeto que poderia absorver o Parque de T.I. dentro da Universidade Estadual de Maringá. No entanto, sua implementação ainda seria de longo prazo. Em uma reunião do CODEM foi apresentado pelo Secretário de Indústria e Comercio que o local “IBC III” estaria sendo cedido ao Município. Esse armazém está em uma área de 85 mil m² e possui um barracão de 32 mil m². Estavam presentes na reunião Ilson Rezende e Marco Aurélio Gonçalvez (representante do SEBRAE). Foi, então, sugerida por Ilson Rezende a possibilidade de este barracão abrigar o projeto de Parque de T.I. de Maringá, haja vista a localização e tamanho da área, e que poderia ser dado um nome similar ao “Porto Digital”- projeto de referência, na época, no país. Seria nosso “Projeto Armazém Digital”. Em agosto de 2012 foi elaborado um ofício e entregue ao Prefeito Silvio Barros II, com o pedido de uma área para ocupação na seguinte ordem: 1) Área de 20 alqueires na Venda 200; 2) Área do IBC III. Descartou-se, então, o projeto do Parque Industrial/Tecnoparque: alternativa proposta pelo poder público. No mesmo ano, o Prefeito Silvio Barros II descartou a possibilidade da Venda 200, haja vista que o local é longe e o custo para levar infraestrutura àquele local seria inviável para o poder público naquele momento. A área do IBC III seria mais viável e poderia ter o apoio da Prefeitura de imediato. Assim, em 2012, tínhamos uma definição do “Projeto Armazém Digital”. Ano de 2013 As primeiras atividades do ano foram conquistar novamente o Armazém Digital, uma vez que o Município de Maringá possuía um novo Prefeito e os acordos ainda eram verbais. A condição estabelecida pelo novo Prefeito, Roberto Pupin, era de que não havia recurso para reformar o Armazém e que seria complicado para a Prefeitura custear os projetos preliminares. Caso conseguíssemos o recurso para os projetos preliminares, a prefeitura auxiliaria com a urbanização do espaço externo e daria a posse definitiva ao Setor. Para a arrecadação do recurso, foi realizado um Leilão. A prioridade seria dada às empresas na escolha do espaço do Armazém Digital. Participaram do Leilão 36 empresas e o valor arrecadado foi de R$200.000,00 (duzentos mil reais).
  4. 4. Foto dos empresários que visitaram o Armazém Digital antes do Leilão. Relação dos espaços e lances das empresas para a ocupação do Armazém Digital SALAS MAIORES de 400m2 (área disponibilizada: 16.800m2 ) # Empresa m2 Lance Total 1º GetCard Host DataCenter 400 R$ 21,00 R$ 8.400,00 2º Elotech Informática e Sistemas Ltda 1200 R$ 20,00 R$ 24.000,00 3º Benner 2400 R$ 13,00 R$ 31.200,00 4º WRA Gestão em T.I. 400 R$ 12,50 R$ 5.000,00 5º ACCION LTDA 800 R$ 12,06 R$ 9.648,00 6º DB1 2400 R$ 11,80 R$ 28.320,00 7º PC Help Sistemas 400 R$ 11,14 R$ 4.456,00 8º Walbatroz 400 R$ 11,05 R$ 4.420,00 9º Gumga 400 R$ 11,03 R$ 4.412,00 10º SG Sistemas de Automação Ltda 2000 R$ 11,02 R$ 22.040,00 11º Hnet Websites 400 R$ 10,40 R$ 4.160,00 12º Delta 400 R$ 10,31 R$ 4.124,00 13º VIVAWEB INTERNET LTDA 400 R$ 10,21 R$ 4.084,00 14º SWQuality 1200 R$ 10,03 R$ 12.036,00 15º Cwork Sistemas 400 R$ 9,01 R$ 3.604,00 16º Produtec Informática 400 R$ 8,70 R$ 3.480,00 17º ID BRASIL SISTEMAS LTDA 400 R$ 8,50 R$ 3.400,00 18º Claudio Marcelo Siena 400 R$ 7,50 R$ 3.000,00 19º ZZTech 400 R$ 6,11 R$ 2.444,00
  5. 5. 20º CERPROSOFT INFORMATICA LTDA 400 R$ 6,00 R$ 2.400,00 SALAS MENORES de 50m2 (área disponibilizada: 3.000m2) # Empresa m2 Lance Total 1º admService Inf. e TI 150 R$ 7,50 R$ 1.125,00 2º VERTTI TECNOLOGIA DA INFORMACAO 150 R$ 7,01 R$ 1.051,50 3º Rabassi Informática 250 R$ 7,00 R$ 1.750,00 4º Gileade Sistemas Ltda 100 R$ 6,52 R$ 652,00 5º PROCESS INFORMÁTICA 250 R$ 6,51 R$ 1.627,50 6º TecnoSpeed Ti 150 R$ 6,50 R$ 975,00 7º KTi Tecnologia 200 R$ 6,00 R$ 1.200,00 8º Gold Software 150 R$ 5,52 R$ 828,00 9º Strada Soluções em Tecnologia 200 R$ 5,01 R$ 1.002,00 10º B5S TECNOLOGIA 150 R$ 5,00 R$ 750,00 11º Vsell TI 200 R$ 3,10 R$ 620,00 12º DECIS 100 R$ 2,70 R$ 270,00 13º OSEIAS 100 R$ 2,50 R$ 250,00 14º CENTRAL SOFT INFORMATICA LTDA 300 R$ 2,00 R$ 600,00 15º InovaClick Software 300 R$ 2,00 R$ 600,00 16º Sitae 100 R$ 2,00 R$ 200,00 A partir desse momento, o SEBRAE tornou-se Assessor Técnico do Projeto, estruturando um Termo de Referência: documento necessário para a contratação das empresas de Arquitetura e estabelecimento de uma governança inicial para o Projeto. Ano de 2014 Acompanhe as atualizações do cronograma do projeto no blog http://armazemdigitalmaringa.blogspot.com.br/.

×