Era uma vez uma pequena galinha vermelha que

3.192 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.192
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Era uma vez uma pequena galinha vermelha que

  1. 1. Era uma vez uma pequena galinha vermelhaque vivia na sua casinha, no meio do bosque
  2. 2. Não muito longe, numa colina, morava uma raposa esperta e matreira que, noite e dia, matutava na maneira de apanhar a pequena galinha
  3. 3. Como deve ser tenrinha!- pensava ela. Se conseguisse apanhá-la, havia de me consolar!• Mas nunca conseguia apanhar a pequena galinha vermelha, porque esta era prudente e cautelosa: sempre que saía, fechava a porta à chave…
  4. 4. E, quando voltava para casa, para casa, fechava-se por dentro. Depois, metia a chave no bolso do avental, junto do dedal e da tesoura.• Um dia a raposa saiu logo de manhã e disse à mãe:• - põe o tacho ao lume; esta noite, ao jantar, iremos comer a galinha vermelha.• E, pegando num saco grande, correu até a casa da galinha.
  5. 5. A raposa muito fatifada sentou-se a descansar
  6. 6. Que acabava de sair, mesmo naquele instante, para juntar lenha., mas esqueceu-se de fechar a porta.• A raposa aproveitou-se disso para entrar e esconder-se atrás da porta da entrada. Alguns instantes depois, chegou a pequena galinha, com a lenha.• Mas logo de seguida, sentiu-se melhor. Tirou então a tesoura do bolso e clic, clac, abriu um buraco no saco por oinde meteu a cabeça.
  7. 7. Vou fechar bem a porta, diz ela, e depois ficarei sossegada…• Mas, voltando-se para trás, viu a raposa com um grande saco.• Que susto! Felizmente, não perdeu a cabeça. Largou os paus e voou para cima do armário, e gritou:• -ainda não é desta que me apanhas! – veremos, respondeu a raposa manhosa.
  8. 8. E sabem o que ela fez? Colocou o saco mesmo por baixo da galinha e pôs-se a andar atrás da cauda, sempre á roda cada vez mais depressa. A desgraçada da galinha ficou atordoada que perdeu o equilibrio e caiu mesmo dentro do saco.• A raposa fechou o saco, e levou-o às costas para casa, onde a água já devia estar a fever no tacho,• mas o caminho era longo e íngreme.• A pequena galinha não sabia onde estava e sentia a cabeça à roda!
  9. 9. .• Feito isto safou-se o mais depressa que pôde e correu para a sua casinha, onde se fechou à chave. Entretanto a raposa muito cansada continuou a caminhar, dizendo:- como é pesada esta galinha. Não a julgava tão gorda. Vai dar um otimo jantar.
  10. 10. Por fim, muito cansada chegou ao seu casebre. Logo que a avistou a mãe gritou-lhe: trazes a galinha? Trago sim, respondeu a raposa.• E a água está quente? Ferve em cacho• - então tira a tampa do tacho. Eu deitarei lá para dentro a galinha.• Cuidado, não vá ela fugir!
  11. 11. A mãe raposa tirou a tampa do tacho e afastou as patas, uma paracada lado. A filha abriu o saco sem olhar para dentro , pegou-lhe pelo fundo e sacudiu-o para dentro do tacho.• Pluf! pluf!• O calhau caiu no tacho, que tombou com grande estrondo. A água escaldou a raposa e a sua mãe. Ficaram de tal modo queimadas que morreram logo.
  12. 12. Livre dos seus inimigos, a pequena galinha vermelha viveu feliz econtente, o resto da sua vida, e nunca mais precisou de se fechar em casa com duas voltas à chave.

×