Trabalho construção civil II

5.744 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.744
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
203
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho construção civil II

  1. 1. LADRILHO HIDRÁULICO, LAJOTAS DE CONCRETO, PISOS INTERTRAVADOS DE CONCRETO,REVESTIMENTOS TEXTURADOS E ARGAMASSADOS EM GERAL Acadêmicas: Bruna Mendes Chymene Grando Fernanda dos Santos Lindsey Todeschini 2012/01
  2. 2. LADRILHOS HIDRÁULICOS • O ladrilho hidráulico é uma placa de concreto formada em três camadas, formando uma placa porosa ao final do processo, é prensada e deixada em repouso para não desmanchar e depois é imerso em água. • A preparação da massa, que dá a cor a placa, é a mistura do cimento, com minérios e pigmentos.• Um pedido de até10 m² leva em torno de30 dias para produzir e entregar, podendo chegar a até 90 dias para peças mais elaboradas.
  3. 3. LADRILHOS HIDRÁULICOS• É recomendado assentar os ladrilhos hidráulicos no final da obra para não danificar e sujar a peça.• No pós obra, é necessário impermeabilizá-lo com resina e para a manutenção basta lavar com água e sabão neutro e utilizar ceras.
  4. 4. Tipos de ladrilhos hidráulicos• Ladrilhos Hidráulicos Liso• Ladrilhos Hidráulicos Decorado
  5. 5. • Ladrilhos Antiderrapante• Ladrilhos em Faixa• Ladrilhos Florais
  6. 6. • Ladrilhos Centrais• Ladrilhos Contínuos• Ladrilhos Rodapé
  7. 7. Vídeo 1 - Processo de fabricaçãohttp://www.youtube.com/watch?v=8vFOsDqAfH4
  8. 8. Assentamento
  9. 9. Materiais e equipamentos de segurançaLuva, óculos de segurança, máscara, desempenadeira de aço,desempenadeira denteada, régua de alumínio de 1 m, colher depedreiro, uma caixa de massa e trincha. Para o acabamento:rolo de pêlo curto, resina especial e pano úmido alvejado limpo.
  10. 10. Preparação do contrapisoAplicar uma camada de argamassa de aproximadamente 1 cmde espessura com traços 1:4 a 1:5 (cimento e areia, em volume).
  11. 11. Nivelamento das peçasO ladrilho possui de 2 cm a 3 cm de espessura e a diferençatolerável entre as peças é de até 2 mm.
  12. 12. AssentamentoPressione a peça para fixá-la. Caso haja respingos ou sobras,limpe imediatamente com esponja umedecida em água ou panolimpo.
  13. 13. AcabamentoLimpe a peça com um pano úmido e espere secar. Passe lixadágua n° 100 bem de leve e depois com a trincha remova apoeira.
  14. 14. Aplicação da resinaUtilize rolo de lã curto ou rolo de espuma para passar a resina,sempre no mesmo sentido. Serão necessárias três demãos, comintervalos de oito horas entre cada uma.
  15. 15. Cuidados pós assentamentoCertifique-se de que as peças estão niveladas. Libere apassagem sobre o piso após 12 horas.
  16. 16. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)
  17. 17. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)ESPECIFICAÇÃO:• Resistência à compressão do concreto: 35 Mpa• Resistência à tração na flexão da placa: 3,5 Mpa• Espessura das placas: Placas Fixas > 2,5 cm Placas removíveis > 3,0 cm CARACTERÍSTICAS: • Elevada Durabilidade • Conforto de rolamento. Superfície sem ressaltos ou relevos irregulares, dando segurança ao tráfego • Antiderrapante • Cores, texturas e tamanhos variados.
  18. 18. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS) Pisos especiais de orientação ao pedestre Para uma pessoa com deficiência visual, uma das atividades mais difíceis é sua locomoção independente. As placas de concreto pré- moldadas podem ser fabricadascom alertas táteis, para ajudar na locomoção destas pessoas. A sinalização tátil no piso pode ser do tipo de alerta ou direcional e ambas devem ter cor contrastante com o resto do pavimento, e acordo com a norma técnica NBR 9050.
  19. 19. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS) Piso tátil de alerta Piso tátil de alerta é um recurso que auxilia a pessoa portadora de deficiência visual quantoaos seu posicionamento na área da calçada. Ele deve ser instalado em áreas de rebaixamento de calçada, travessia elevada, canteiro divisor de pistas ou obstáculos suspensos.
  20. 20. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS) Piso tátil direcional O piso direcional é instalado formando uma faixa que acompanha o sentido do deslocamento e tem a largura variando entre 25cm a 60cm.Esta faixa deve ser utilizada em áreas de circulação, indicando o caminho a serpercorrido e em espaços muito amplos, sempre que houver interrupção da face dos imóveis ou de linha guia identificável, como por exemplo, nos postos de gasolina.
  21. 21. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)EQUIPAMENTOS:• Martelo de borracha;• desempenadeira denteada;• desempenadeira de borracha;• colher de pedreiro;• escova;• estilete;• raspador de rejunte;• caixa para misturar rejunte;• esponja para limpeza;• fita crepe;• balde para água;• vassoura;• masseira e• EPIs obrigatórios (óculos, luvas, botas e capacete).
  22. 22. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS) EXECUÇÃO DE PLACAS FIXAS:• SUB BASE (solo): deve estar bem compactada. Soquete Placa Rolo vibro vibratório vibratória compactador
  23. 23. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)• BASE (contrapiso):Para pedestres: concreto magro com espessura de 3 a 5 cm.Para veículos leves: concreto traço 1:2:4 com espessura de 5 cm.Para veículos pesados: deve-se consultar o fabricante.Esta camada deve estar nivelada.
  24. 24. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)•Limpar o contrapiso para a argamassa aderir.• Umedecer o contrapiso e as placas a serem assentadas.
  25. 25. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)• Aplicação da argamassa com consistência levemente úmida, com traço de1:6. Para espalhar a argamassa uniformemente, passar o lado liso dadesempenadeira. Só depois passar o lado denteado para fazer os cordões.
  26. 26. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)• Placas com 30 x 30 cm em diante, requerem assentamento por duplacamada. A argamassa deverá ser adicionada tanto na base (contrapiso),quanto na peça. Com o lado liso da desempenadeira, distribuir a massauniformemente por toda a parte de trás da peça.
  27. 27. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)•Assentamento das placas. Pode ser utilizado um martelo de borracha.
  28. 28. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)•Execução das juntas: retirar o excesso de argamassa entre as placas comum raspador de rejunte.• Deve-se esperar 72 horas para iniciar a aplicação do rejunte.
  29. 29. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)• Protejer o piso com fita crepe em volta de todas as juntas.• Aplicar o rejunte com o auxílio de uma desempenadeira de borracha.
  30. 30. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)•Limpar o excesso de rejunte com uma esponja macia umedecida.• Retirar a fita crepe assim que terminar de aplicar o rejunte.
  31. 31. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)• Para evitar fissuras e deslocamentos, não deixar ninguém transitar sobre opiso até que se passem 72 horas de cura.• Manter a superfície protegida com lona plástica ou papel-bolha apenasdurante o dia (quando há tráfego de pessoas). À noite, retirar para que aumidade não fique na proteção.
  32. 32. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)
  33. 33. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS) EXECUÇÃO DE PLACAS REMOVÍVEIS:• SUB LEITO ou SUB BASE (solo): deve estar bem compactada.• SUB BASE (casualmente): Lançamento de 3 a 4 cm de brita graduada oubica corrida compactadas.• BASE: Espalhamento e nivelamento da areia, pó-de-pedra ou pedrisco com oauxílio de uma régua metálica.• Assentamento das placas. Utilizar um saca placas ou um martelo deborracha para compactar.• Execução de cortes, ajustes e alinhamentos.• Liberação imediata para tráfego.
  34. 34. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS)
  35. 35. PLACAS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO (LAJOTAS) MANUTENÇÃO:• Limpeza: Jato de água e sabão neutro• Placas fixas poderão ser danificadas na retirada, sendo necessária a suasubstituição• Placas removíveis são retiradas com saca-placas, sendo totalmentereaproveitadas
  36. 36. PISOS INTERTRAVADOSP
  37. 37. O QUE SÃO PISOS INTERTRAVADOS?São peças de concreto, produzidas de forma manual ou mecânica , de cores e formas variadas, que possuem a capacidade de resistir e transmitir ás peças vizinhas os esforços do tráfego, sejam eles esforços verticais, horizontais ou de rotação, conforme normalização da ABNT.
  38. 38. MODELOS MAIS USADOS Raquete 16 faces Piso GramaOnda Retangular Sextavado Ossinho
  39. 39. PROCESSO PRODUTIVO - mecânico
  40. 40. Vantagens e Benefícios de Pisos Intertravados produzidos mecanicamente • Vantagens: A resistência e a durabilidade das peças são obtidas através de alta pressão e cuidadosa regulagem de vibrações dos equipamentos especificamente projetadas para a produção em maior escala, que necessariamente utiliza concreto com consistência seca. • Benefícios: produção em maior escala e principalmente o controle de homogeneidade das resistências mecânicas, textura e dimensões que pode ser exercido durante a fabricação dos produtos. • Diferença: A grande diferença entre o mecânico e o manual é a textura e sua resistência.
  41. 41. VÍDEO 2 - MAQUINA DE PISOS INTERTRAVADO WIDEBLOChttp://www.youtube.com/watch?v=a4fzt39lMtA
  42. 42. PROCESSO PRODUTIVO - manual
  43. 43. Vantagens e Benefícios de Pisos Intertravados produzidos manualmente Vantagens: Sua aparência é visivelmente mais bonita. Benefícios: Textura e dimensões que pode ser variada conforme o molde já que este é plástico e abre um leque para novas idéias. Diferença: Este é indicado apenas para o trafego de pessoas pois sua resistência baixa, e muitas vezes podem curar de uma forma não plana fazendo com que rachem ao meio.
  44. 44. VÍDEO 3 - Mesa vibratória para pavers e blocos de concretohttp://www.youtube.com/watch?v=jjgpdocfIUE&featur e=player_embedded
  45. 45. RECOMENDAÇÕESTráfego leve 35 PisosMpa Tráfego de intertravados Pedestres 35 Mpa Pisos intertravados 4cm 6cm 3 a 5 cm de areia, 3 a 5 cm de areia, pó de brita pó de brita ou ou pedrisco pedrisco Subleito e sub- Subleito e sub- base base compactada compactada
  46. 46. RECOMENDAÇÕES Tráfego Médio 35 a 50 Pisos Mpa Pisos intertravados intertravados 10 cm 8cm Tráfego pesado 35 3 a 5 cm a 50 Mpa 3 a 5 cm de de areia, areia, pó de pó de brita brita ou ou pedrisco pedriscoSubleito e sub- Base 15base Base 10cm, cm decompactada brita pedrisco graduada ou ou brita pedrisco graduada 30 cm de Subleito e sub- brita base Graduada compactada
  47. 47. PREPARO DO SOLO• Primeiro faz a compactação do subleito e da sub-base, com rolo compactador ou equipamento vibratório. Pode ser necessário aterro ou recorte, conforme a área e o projeto. Rolo Placa compactador vibratória
  48. 48. PREPARO DO SOLO• Segundo confere a altura da caixa de contenção lateral (meio fio) para que seja aplicada a base. Ela varia conforme a altura do bloco utilizado. • Terceiro, a base normalmente feita com bica corrida(graduada) ou brita. Existem casos de tráfego leve que pode ser dispensada. Nesta etapa é feita a compactação da base. Aqui que se avalia o caimento mínimo para a coleta das águas, (recomenda-se 1,5% de caimento)
  49. 49. ASSENTAMENTO MANUAL
  50. 50. ASSENTAMENTO MANUAL • Coloca-se pó de brita, areia ou pedrisco de assentamento. • Passa-se a régua metálica para nivelar.
  51. 51. • Conferência do esquadro da contenção até onde irá a calçada, marcação da calçada fazendoASSENTAMENTO MANUAL taqueamento com a própria peça ou linhas de nilon. • Em áreas pequenas usa-se como referência a linha da parede e a linha do meio fio, para áreas maiores, usa-se uma linha a cada 2 metros, tanto no sentido transversal quanto no longitudinal da peça, para que não se perca o alinhamento das peças.
  52. 52. ASSENTAMENTO MANUAL• Após feito isso, começa-se o assentamento peça por peça sem arrastá-las, apenas colocando uma a uma já na sua posição final. Usa-se um martelo de borracha para melhor assentamento da peça.
  53. 53. ASSENTAMENTO MANUAL Sempre levar a régua ou linha de nilon para garantir o alinhamento das peças. Quando terminada toda a calçada, passa-se a placa vibratória ou rolo compactador para assentar bem as peças.
  54. 54. ASSENTAMENTO MANUALÉ espalhado arreia Então passa-se a placafina ou média para novamente paraselar as juntas. garantir a compactação da calçada e o assentamento das peças.
  55. 55. ASSENTAMENTOMANUAL Cuidados especiais: •O piso não deve ser lavado nos primeiros 7 dias para um melhor selamento da juntas. •Ajustes são feitos após ser acabado todo o piso.
  56. 56. VÍDEO 4 - ASSENTAMENTO MANUALhttp://www.pecpisos.com.br/aplicacao
  57. 57. FORMAS DE PAGINAÇÃO MAIS USADAS
  58. 58. FORMAS DE PAGINAÇÃO MAIS USADAS
  59. 59. FORMAS DE PAGINAÇÃO MAIS USADAS
  60. 60. FORMAS DE ASSENTAMENTO MECÂNICAS• Na forma mecânica usa-se máquinas para assentamento das peças, porém o preparo do solo é o mesmo que o manual. Aqui no Brasil o mais utilizado é o manual, pelo alto custo das máquinas. VÍDEO 5 – ASSENTAMENTO MECÂNICO http://www.youtube.com/watch?v=SJT3X4weECE&feature=related VÍDEO 6 – ASSENTAMENTO MECÂNICO http://www.youtube.com/watch?v=1XNXdFkkwcE&feature=related
  61. 61. LEIS E NORMAS• NBR 13756- Revestimento de piso interno ou externo- Procedimento.• NBR 9780 e 9781- Resistência das peças• NBR 9050- Acessibilidade• Aqui na nossa cidade existe um decreto no qual fala do padrão que tem que ter em cada área da cidade, porém ele está sendo atualizado. A Prefeitura municipal de Chapecó disponibilizou para termos uma noção de como deve ser uma calçada aqui na nossa cidade.
  62. 62. MODELOS FORNECIDOS PELA PREFEITURA
  63. 63. MODELOS FORNECIDOS PELA PREFEITURA
  64. 64. MODELOS FORNECIDOS PELA PREFEITURA
  65. 65. LIMPEZA E MANUTENÇÃO • A exposição do pavimento intertravado de concreto às condições ambientes, como em todos os outros tipos de pavimento, acaba criando uma camada de sujeira na peça, modificando suas cores e sua aparência inicial. • A limpeza do pavimento pode ser feita de maneira convencional, utilizando vassoura de cerdas duras plásticas para esfregar, sabão e água. Caso tenha a possibilidade de usar água quente no processo, facilitará a remoção de sujeiras no material. • O uso de lava-jatos também é permitido, desde que não se direcione o jato às juntas, evitando assim a perda de areia de selagem. • Para a manutenção do pavimento, é importante verificar anualmente se as juntas de selagem estão totalmente preenchidas, pois o travamento adequado do pavimento depende deste fator. Neste caso, é necessário preenchê-las novamente com areia.
  66. 66. ACABAMENTOS TEXTURADOS DE REVESTIMENTOS• Como qualidades essenciais de um revestimento podem ser citadas a resistência ao choque, a esforços de abrasão, a durabilidade, impermeabilidade e a estética.• Os revestimentos das paredes consistem em camadas de chapisco, emboço, reboco e um acabamento, podendo este ser papel de parede, tinta ou efeitos texturizados.
  67. 67. Revestimento Monocamada• O revestimento monocamada é utilizado como revestimento externo de paredes, em alternativa ao reboco tradicional. Consiste em uma argamassa aplicada em uma só camada que cumpre todas as funções de proteção e decoração como um reboco tradicional.• A monocamada é ideal para edifícios em alvenaria estrutural, sistema em que o prumo e a planicidade são os mais precisos possíveis. Ela torna-se antieconômica em bases muito irregulares.
  68. 68. Execução da Monocamada• A maioria das monocamadas pode ser aplicada manualmente e, em alguns casos, usam-se máquinas para se fazer a aplicação.• Para execução da monocamada são necessários os seguintes materiais e ferramentas: Argamassa para RDM, Água,• Tela de Fibra de vidro, tratada com poliéster, com malha 9 x 9 mm
  69. 69. Execução da Monocamada Régua lisa usualmente denominadaPerfis metálicos tipo “U” “penteadeira”, Desempenadeira metálica com cantos virados,
  70. 70. Equipamento de projeção (mistura, transporte e aplicação do material), Misturador de eixo horizontal (se for aplicação manual)
  71. 71. Régua de perfil I e desempenadeira
  72. 72. Aplicação mecânica• A aplicação do revestimento com projeção exige equipamento provido de mangote e bico projetor. Além disso, são empregadas as ferramentas anteriormente apresentadas.• A segunda demão é feita de cima para baixo na forma de filetes contínuos horizontais, formando faixas menores de 2,0 m de largura.• Para o acabamento raspado deixa-se a argamassa endurecer até atingir o ponto de raspagem que varia, dependendo da temperatura ambiente, de 3 a 5 h.
  73. 73. Aplicação manual• Na aplicação manual apenas o equipamento de mistura e projeção não é exigido. Pode-se misturar a argamassa em uma argamassadeira de eixo horizontal. As demais ferramentas são as mesmas empregadas na execução com projeção mecânica.• A aplicação da primeira demão é feita com a régua lisa ou desempenadeira metálica na espessura de 5 a 7 mm sobre o substrato.
  74. 74. Acabamentos• A próxima etapa de aplicação do produto depende do tipo de acabamento que se deseja obter podendo-se ter quatro tipos distintos: raspado, alisado, chapiscado e travertino.
  75. 75. Durante a execução devem ser tomados os seguintes cuidados:• Misturar a argamassa sempre mecanicamente, respeitando-se, a cada nova mistura, o mesmo tempo de mistura e a mesma quantidade de água adicionada ao pó, em função da orientação de cada fabricante específico;• A argamassa não pode ser aplicada sob tempo úmido ou chuvoso, já que a água pode infiltrar pelo revestimento ainda fresco alterando a relação água/materiais secos e, por conseqüência, a coloração;• A aplicação e a raspagem do RDM em uma determinada fachada devem ser feitas sempre de maneira uniforme, ou seja, não se deve, na mesma fachada, raspar um mesmo pano em períodos diferentes. Caso esse procedimento não seja seguido, poderá acarretar diferenças de tonalidade em um mesmo pano.
  76. 76. Execução do Efeito Craquelado ou Craquelê• Os materiais utilizados para este efeito são: rolo de aplicação de textura, texturatto liso, brocha, lixa fina, tinta acrílica com efeito metalizado, rolo de lã de carneiro de pelos baixos e bandeja para tinta.• Primeiro isola-se as paredes laterais com fita crepe, então se aplica na superfície já preparada, sem partículas soltas, uma demão de texturatto liso sobre a superfície com o rolo de aplicação de textura, tomando o cuidado em se deixar a camada fina e homogênea. Com a textura ainda úmida, usa-se a brocha para dar batidas leves sobre a superfície, criando-se uma textura baixa e pontilhada.
  77. 77. Execução do Efeito Craquelado ou Craquelê • Criam-se cada vez mais materiais específicos, para facilitar a vida dos decoradores. Pensando nisso, a Plaid criou o Craquelê de Tintas para paredes, que é capaz de transformar facilmente qualquer ambiente. • O craquelador pode ser utilizado com tintas Glaze, Latex ou Acrílicas. O efeito é duradouro, podendo ser utilizado tanto em paredes internas quanto externas. O produto é vendido em embalagem de 1,42L. Para aplicá-lo, é necessário preparar a parede com tinta acrílica fosca ou latex acetinado, aplicar uma demão de craquelador, esperar secar de três a seis horas e, por fim, aplicar uma nova demão de tinta glaze, acrílica fosca ou latex acetinado. • A aplicação deve ser feita sempre em uma única direção, sem voltar o pincel, pois a tinta vai craquelando quase que instantâneamente.
  78. 78. Efeito Marmoratto• O marmoratto cria um efeito de uma pedra de mármore. O mármore faz parte da antiga história greco-romana, onde já era utilizado na arquitetura, seu brilho espelhado produz um toque de sofisticação e requinte aos ambientes.• Os materiais utilizados para a execução do marmoratto são: desempenadeira de aço com cantos arredondados, espátula de aço, texturatto, cera incolor pastosa, politriz.
  79. 79. Grafiato• Este estilo de pintura texturizada consagrou-se na área de desing de interiores e aos poucos, novas técnicas são criadas para modernizar o grafiato.• A imagem a seguir ilustra a textura deste estilo, que pode ser em qualquer cor.
  80. 80. Execução do Grafiato Os materiais utilizados na execução do grafiato são: lona de plástico, seladora acrílica, textura em lata, desempenadeira de aço, espátula de aço, rolo de espuma, desempenadeira de plástico, fita crepe, pano de algodão, bandeja grande, rolo de espuma grande ou pequeno, lixa e escova.• Os efeitos podem ser variados, vertical, horizontal e inclinado. É importante salientar que o serviço deve ser executado de forma contínua para evitar emendas.• O grafiato tem opções de algumas cores, porém se utilizado na cor branca pode ser pintado da cor desejada.
  81. 81. VÍDEO 7 - Aprendendo a texturizar grafiatohttp://www.youtube.com/watch?v=fdSX8jsqfUg&feature=related
  82. 82. Demais texturas• Com o avanço da tecnologia, empresas voltadas a estética das edificações vem apostando em novas texturas que garantam conforto e elegância aos ambientes.• Desta forma, existem muitas outras texturas já lançadas no mercado, sendo a maioria adquirida com uma massa ou simplesmente tintas específicas, cujas execuções aproximam-se ou igualam-se às citadas anteriormente.• Podem ser citados ainda efeitos como Travertino, Trapeado, Chapiscado, Chapiscado ondulado ou com bandeirola, Repuxado, Casca de Árvore, madeira, efeito aço escovado, metalizado, jeans, esponjado, camurça ou outros tecidos.• Pode-se ainda soltar a imaginação e inventar no momento da aplicação das massas.

×