Embriologia médica

36.775 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
36.775
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
379
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Embriologia médica

  1. 1. EMBRIOLOGIA MÉDICA Naielly Rodrigues da Silva
  2. 2. DA OVULAÇÃO À IMPLANTAÇÃO OvulaçãoDurante os dias que precedem a ovulação o folículo de Graaf aumenta de tamanho, o ovócito primário que permanecia em estado de diplóteno termina a primeira fase da meiose.O ovócito se liberta do ovário juntamente com as células circundantes que se rearranjam em torno da zona pelúcida formando a corona radiata.Após a ovulação as células da granulosa se transformam em células luteínicas (amareladas, por influencia do LH), essas células formam o corpo lúteo e secretam progesterona.O ovócito é carregado para dentro da tuba pelo movimento de varredura das fímbrias, e pelos cílios do revestimento epitelial.
  3. 3.  Corpo albicansQuando a fertilização não ocorre o corpo lúteo atinge seu desenvolvimento máximo (9 dias após a ovulação). Assim o corpo lúteo diminui de tamanho e forma uma massa de tecido cicatricial fibroso denominada corpo albicans.Simultaneamente a produção de progesterona diminui e ocorre posteriormente a menstruação.Quando o ovócito é fertilizado, o hormônio gonadotrofina coriônica (hormônio produzido e secretado pelas células do trofoblasto) impede a degeneração do corpo lúteo, assim ele continua a crescer formando o corpo lúteo da gravidez e secreta progesterona até aproximadamente o quarto mês de gestação.
  4. 4.  Fertilização Ocorre na ampola da tuba uterina. Os espermatozóides ao chegar no trato genital feminino não são capazes de fertilizar o óvulo. Eles tem que passar pela (a) capacitação (b) reação acrossomica. (a) capacitação: Se dá no trato reprodutor feminino, dura aproximadamente sete horas. Durante esse período, uma capa glicoprotéica e proteínas do plasma seminal são removidas da membrana plasmática que reveste a região acrossomica do espermatozóide. (b) Reação acrossomica: É a fusão da membrana plasmática do espermatozóide com a membrana do acrossoma e posteriormente a liberação de enzimas para atravessar a corona radiata (faz a separação das células da corona) e atravessa a zona pelúcida causando a reação zonal (modifica a estrutura das proteínas da membrana plasmática do ovócito evitando assim a polispermia.)
  5. 5.  Após essas etapas ocorre a fusão da membrana plasmática do ovócito com a membrana do espermatozóide. Com o espermatozóide imerso no ovócito há o termino da segunda fase da meiose, formando o segundo corpúsculo polar. A outra célula filha constitui o ovócito definitivo e seu núcleo passa a ser chamado pró-núcleo feminino e o núcleo do espermatozóide: pró-núcleo masculino. Os dois pró-núcleos se fundem ocorrendo assim a restauração do número diplóide de cromossomos. Após a fusão dos núcleos há a determinação do sexo. Pois é determinada pelo espermatozóide.
  6. 6. CLIVAGEM OU SEGMENTAÇÃO O zigoto passa por uma série de divisões mitóticas que resultam no aumento do número de células. Essas células se tornam menores a cada divisão e são denominadas blastômeros. Aproximadamente 3 dias após a fertilização forma-se a mórula (amora de 16 células). Formação do blastocisto Os blastômeros migram, os menores para as extremidades formando o trofoblasto e os maiores se juntam formando o embrioblasto. Um fluido começa a penetrar os espaços intercelulares formando uma cavidade única: blastocele.
  7. 7. IMPLANTAÇÃO OU NIDAÇÃO (OITAVO DIA) O blastocisto chega ao endométrio e se prende a ele. O trofoblasto se diferencia em sinciciotrofoblasto e citotrofoblasto. No citotrofoblasto as células permanecem com suas delimitações, no sinciciotrofoblasto as células perdem suas membranas.
  8. 8.  As células do embrioblasto também se diferenciam em 2 camadas: Hipoblasto (células cubóides adjacentes a cavidade blastocistica) e epiblasto (células cilíndricas adjacentes a camada amniótica). Estas células de ambas camadas formam o disco germinativo bilaminar. Surge uma cavidade no interior do epiblasto, que aumenta de tamanho formando a cavidade amniótica, as células adjacentes ao citotrofoblasto são chamadas de amnioblastos.
  9. 9.  Nono dia de desenvolvimento O trofoblasto exibe um progresso considerável onde aparecem vacúolos no sincício. Ao se fundirem esses vacúolos formam uma grande lacuna. Esta fase é conhecida como estádio lacunar. Simultaneamente, as células do hipoblasto secretam uma membrana que reveste a superfície interna do citotrofoblasto. Essa membrana constitui o revestimento da cavidade exocelômica ou saco vitelino primitivo.
  10. 10.  Décimo primeiro ao décimo segundo dia de desenvolvimento Células do sinciciotrofoblasto penetram no estroma erodindo o revestimento endotelial dos capilares maternos (conhecidos como sinusóides). Assim o sangue materno começa a fluir através do sistema trofoblastico, estabelecendo a circulação uteroplacentária. Posteriormente ocorre a formação do mesoderma extra embrionário, que é um tecido conjuntivo frouxo com as células vindas do saco vitelínico. Forma-se uma cavidade no mesoderma denominada celoma extra embrionário. O mesoderma ligado ao citotrofoblasto e a cavidade amniótica é chamado mesoderma extra-embrionário somático e o que reveste o saco vitelínico é chamado mesoderma extra-embrionário esplânquico. As células do citotrofoblasto invadem o sincíciotrofoblasto e formam “colunas” chamadas de vilosidades primárias. Simultaneamente o hipoblasto libera células que revestem a cavidade exocelômica formando assim o saco vitelino secundário ou definitivo.
  11. 11. Celoma extra-embrionário eposteriormente cavidade .coriônica Posteriormente, placa coriônica.
  12. 12. O saco vitelino secundário é bem menor que o primário. São liberados partes do celoma extra-embrionário que são denominadas cistos exocelômicos. LEMBRAR: O saco vitelino é primário quando é revestido por uma membrana (membrana exocelômica). O saco vitelino passa a ser secundário quando é revestido por células vindas do hipoblasto. O celoma extra-embrionário se expande e passa a ser chamado de cavidade coriônica. Assim o mesoderma extra–embrionário que reveste o citotrofoblasto chama-se placa coriônica. O único ponto onde o mesoderma extra-embrionário cruza a cavidade é no pedúnculo de ligação (que mais tarde se transformará no cordão umbilical). O disco germinativo é representado por duas placas (epi e hipo blasto). No final da segunda semana de desenvolvimento observa-se um espessamento na parte cefálica do hipoblasto denominado placa pré-cordal.
  13. 13.  Terceira semana – gastrulação Formação do Mesoderma e Endoderma embrionários. A gastrulação se inicia com a formação da linha primitiva na superfície do epiblasto. A extremidade da linha é conhecida como nó primitivo, que tem uma área saliente conhecida como fosseta primitiva. As células do epiblasto migram em direção a linha primitiva, ao chegar na linha elas se destacam do epiblasto e migram para o espaço virtual do embrioblasto (espaço entre o epiblasto e o hipoblasto). Esse processo é conhecido como invaginação. Estas células que estão no espaço virtual formam o mesoderma intra-embrionário. Esse tecido separa o epiblasto do hipoblasto com exceção de regiões que formam a placa pré cordal a membrana cloacal e o processo urocordal. O endoderma intra embrionário se forma pela migração de células do epiblasto em direção ao hipoblasto, passando pelo espaço virtual e deslocando as células do hipoblasto.
  14. 14.  Formação da notocorda: Algumas células se invaginam da fosseta primitiva em direção a placa pré-cordal formando um bastão de células chamada processo notocordal. Posteriormente a placa notocordal dobra-se para formar um tubo: a notocorda. A notocorda tem como função: - definir um eixo primitivo no embrião (futura coluna vertebral) – estimula o ectoderma a desenvolver a formação do tubo neural.
  15. 15.  Período embrionário – organogênese Da terceira à oitava semana Neurulação: Com o aparecimento da notocorda as células do ectoderma se espessam para formar a placa neural. As bordas da placa tornam-se mais elevadas para formar as pregas neurais enquanto a região mediana forma o sulco neural. Com a perca da afinidade epitelial forma-se a crista neural em cima do tubo neural. A crista divide-se em 2 partes que continuam na região dorso-lateral. As cristas formam os gânglios nervosos, enquanto o tubo forma o sistema nervoso central.
  16. 16.  Desenvolvimento do mesoderma: As células próximas a linha média se proliferam e formam uma placa espessada conhecida como mesoderma paraxial. Na lateral a camada mais delgada é conhecia como placa lateral que se divide lateralmente em duas camadas: (a) camada mesodérmica parietal (que recobre o âmnio) (b) camada mesodérmica visceral ou esplanquica que recobre o saco vitelino. No início da terceira semana o mesoderma paraxial se organiza em segmentos denominados somitômeros. Diferenciação dos somitos: na quarta semana as células da parede ventral e medial do somito tornam-se polimorfas e são conhecidas como esclerótomo que formam um tecido frouxo denominado mesênquima. Elas envolvem a medula espinhal e a notocorda para formar a coluna vertebral. A parede dorsal do somito que persiste é denominada dermomiótomo e dá origem ao miótomo que origina a musculatura do seu próprio segmento. Algumas células do dermomiótomo formam a derme. LEMBRAR: Cada somito forma seu próprio esclerótomo (o componente cartilaginoso e ósseo), seu próprio miótomo (fornecendo músculo) e seu próprio dermátomo (componente da pele.
  17. 17.  Camadas do mesoderma parietal e visceral: Forram o celoma intra- embrionário. O mesoderma visceral juntamente com o endoderma formarão a parede do intestino. As células mesodérmicas localizadas no mesoderma visceral do saco vitelino diferenciam-se em células do sangue (angioblastos), enquanto as células da periferia se achatam e formam células endoteliais que forram as ilhotas sanguíneas. As ilhotas se fundem e formam pequenos vasos sanguíneos. LEMBRAR: Consideram-se os seguintes tecidos e órgãos como sendo de origem mesodérmica: (a) tecidos de sustentação (b) músculos estriados e lisos (c) células sanguíneas e linfáticas, paredes do coração e dos vasos sanguíneos e linfáticos. (d) rins, gônadas, e dutos correspondentes (e) porção cortical da adrenal (f) baço.
  18. 18.  Derivados da camada endodérmica: O trato gastrointestinal é o principal sistema de órgãos derivado do endoderma. Dobramento do embrião: O embrião se dobra em direção céfalo caudal. Conseqüências: - Aumento da cavidade amniótica. - Formação da prega cefálica, área cardiogênica será deslocada para uma posição posterior a membrana bucofaríngea. - estrangulamento do saco vitelino, formando o pedúnculo do saco vitelino e o intestino primitivo. - O pedúnculo do embrião é deslocado para uma posição ventral com a formação da prega caudal. - União do pedúnculo do saco vitelino com o pedúnculo do embrião para formação do cordão umbilical.
  19. 19. Anexos embrionários Saco Vitelino: Com cerca de nove semanas o saco vitelino encolhe muito, e fica ligado ao intestino médio. Importância do saco vitelino: (a) Transfere nutrientes ao embrião enquanto a circulação uteroplacentária está se formando. (b) A formação de sangue se inicia na parede do saco vitelino. (c) A porção dorsal do saco vitelino é incorporada ao embrião formando o intestino primitivo. (d) As células germinativas primordiais aparecem na parede do saco vitelino e migram para as gônadas sexuais, formando as espermatogônias ou ovogônias.
  20. 20.  Âmnio- cavidade amniótica: Na quarta semana a cavidade amniótica se expande devido ao dobramento do embrião. Com esse crescimento o celoma extra- embrionário desaparece. Conseqüentemente o âmnio se funde ao cório formando uma membrana denominada âmnio-coriônica. Importância do liquido amniótico: (a) Impede choques mecânicos. (b) Impede aderência da pele do feto ao âmnio. (c) Permite movimentação (desenvolvimento muscular, esquelético..)
  21. 21.  Alantóide: Se forma uma ivaginação no teto do saco vitelino. Serve para orientar a formação de vasos dentro do cordão umbilical. Forma a bexiga.
  22. 22.  Placenta: A placenta tem dois componentes (a) a porção fetal formada a partir do saco coriônico e (b) a porção materna formada pelo endométrio, conhecido como decídua na mulher grávida. A decídua é a parte do endométrio que seria descamado na menstruação. Algumas vilosidades liberam células do citotrofoblasto para a decídua formando uma vilosidade tronco ( é aquela que apresenta uma proliferação de células do citotrofoblasto com inserção na decídua basal)

×