SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
TRABALHO ELETRICIDADE

Guilherme Waltrick
Fabiano Coelho
José Luciano
Bruno
DIAGRAMAS
O diagrama é a representação gráfica
de todos os equipamentos e suas ligações
à instalação. Dependendo do tipo da
instalação, é possível utilizar três tipos
distintos de esquemas: funcional, multifilar
e unifilar.
Diagrama Funcional
É o diagrama no qual se representa
todos os fios conectados ao equipamento
de forma rápida e clara, não levando em
conta a posição física do equipamento na
instalação, preocupando-se apenas com o
funcionamento e ligação deste.
Diagrama funcional
Diagrama Multifilar
É o diagrama que representa com clareza
todos os componentes, não considerando sua
posição física na instalação, mas considerando
todos os fios utilizados nas conexões de forma
objetiva e resumida. É utilizado somente para
circuitos elementares, pois se o circuito é complexo
sua representação torna-se confusa. Para um bom
entendimento vamos tomar como exemplo o
circuito de uma lâmpada acionada por um
interruptor.
Diagrama Multifilar
Diagrama Unifilar
Representa através de um único traço todos
os fios, seus trajetos e posição física exata, em
escala, porém não é claro na representação da
sequência funcional dos circuitos e do
funcionamento do equipamento. Baseado nesse
circuito apresentado no item acima podemos
desenhar o circuito unifilar, onde os traços de fase
(R1) e neutro (N1) são oriundos de um quadro de
luz. Sempre deve-se interromper a fase do circuito
através do interruptor.
Diagrama Unifilar
Observe abaixo a sequência correta:
Acionamento de duas lâmpadas com
interruptor de duas seções:
- Diagrama Multifilar:
Acionamento de duas lâmpadas com
interruptor de duas seções:
- Diagrama Unifilar:
Acionamento de duas lâmpadas com
interruptor de duas seções:
- Diagrama Unifilar:
Ligação em Série
Com uma tensão de 127V, podemos acionar
uma lâmpada de 100W-127V, ou120V, ou 110V.
Ligação em Série
Com uma tensão de 220V, podemos
alimentar duas lâmpadas de potências iguais.
Ligação em Série
Porém a ligação série não é utilizada, pois
já sabemos que a somatória das quedas de
tensão em cada equipamento, resulta na tensão
aplicada pela fonte, neste caso 127V ou 220V.
Não é possível portanto, montar toda uma
instalação elétrica, como por exemplo de uma
resistência, sabendo que as lâmpadas não
apresentarão luminosidade adequada e
que, caso uma delas queime, as demais
apagarão.
Ligação em Série
Este tipo de ligação é muito utilizada em
iluminação de árvores de Natal, nas quais são
usadas, por exemplo, 20 lâmpadas de 6V. Se
cada uma apresenta uma queda de tensão de
6V então teremos 20 x 6V = 120V, que é a
tensão nominal da tomada.
Entendeu? Então..
Quantos Volts teria cada Lâmpada nessa série?
Ligação Paralelo
É o tipo de ligação utilizado nas
instalações,
pois
apresenta
vários
caminhos para a corrente elétrica e se uma
lâmpada ou qualquer outro aparelho
queimar, não causará influência alguma no
funcionamento dos demais aparelhos.
Ligação Paralelo
Da mesma forma, se a tensão for de 220V, podemos
alimentar várias lâmpadas de igual tensão, ou seja, de
220V.
Exemplos de Instalações
Diagramas multifilar e unifilar de uma instalação com 2
lâmpadas incandescentes 60W-127V, comandadas por
um conjunto de interruptor com duas teclas simples.
Exemplos de Instalações
Um conjunto de interruptor de 3 teclas, 3 lâmpadas
incandescentes, sendo 1de 100W, 1 de 60W e 1 de
40W, todas de 127V.
INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY)
São os interruptores utilizados quando
deseja-se comandar uma lâmpada ou grupo de
lâmpadas de dois pontos diferentes. Por isso são
muito utilizados em edifícios, nos lances de
escadas, pois desta forma é possível acender ou
apagar a(s) lâmpada (s) de pisos diferentes.
Podem ser usados em salas, quartos, corredores
e outros cômodos onde seja necessário
comandar de dois pontos diferentes.
INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY)
Diagrama Funcional:
INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY)
Diagrama Multifilar:
INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY)
Diagrama Unifilar:
INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY)
Exemplo:
Há situações em que encontramos dois pontos de luz
num mesmo ambiente, sendo que os mesmos são comandados
por um único par de interruptores.
INTERRUPTOR INTERMEDIÁRIO
Utilizados em corredores e/ou escadas
onde são necessários mais de dois pontos de
comando para uma ou mais lâmpadas. É
possível usar qualquer número de interruptores
intermediários, dependendo apenas do número
de pontos de comando.
NOTA! É importante observar que sempre será
preciso instalar o interruptor intermediário
entre dois interruptores paralelos.
INTERRUPTOR INTERMEDIÁRIO
Exemplo:
LÂMPADAS DE BAIXA PRESSÃO FLUORESCENTES
A fluorescência é a propriedade que um
material tem de se “auto-iluminar’ quando sob a
ação de uma energia radiante, como por
exemplo a radiação ultravioleta ou raio X. A
partir desta definição é fácil entender o
funcionamento
das
lâmpadas
fluorescentes, pois devemos ter uma fonte de
energia radiante(arco elétrico) e um material
fluorescente (pó de fósforo).
LÂMPADAS DE BAIXA PRESSÃO FLUORESCENTES
RELÉ FOTOELÉTRICO
Utilizado para o controle automático de
iluminação, ou seja, as lâmpadas podem ser ligadas ou
desligadas em função da luminosidade ambiente. Por
isso, são instalados em redes elétricas de distribuição
urbana , para acionamento e desligamento automático
quando anoitece e amanhece, respectivamente.
Exemplo diagramas com relé fotoelétrico:
1 Relé fotoelétrico 127V - 1000W.
1 Lâmpada incandescente 127 V - 60W.
RELÉ FOTOELÉTRICO
RELÉ FOTOELÉTRICO
Duvidas? Perguntas?
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila de comandos elétricos (senai sp)
Apostila de comandos elétricos (senai   sp)Apostila de comandos elétricos (senai   sp)
Apostila de comandos elétricos (senai sp)Antonio Carlos
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoJonatas Ramos
 
Construção de Redes de Distribuição
Construção de Redes de DistribuiçãoConstrução de Redes de Distribuição
Construção de Redes de DistribuiçãoMoisés Gomes de Lima
 
Manual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencialManual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencialallan
 
6.05 _dimensionamento
6.05  _dimensionamento6.05  _dimensionamento
6.05 _dimensionamentoWilson Heck
 
Curso de-eletricista-residencial
Curso de-eletricista-residencialCurso de-eletricista-residencial
Curso de-eletricista-residencialClaudio Arkan
 
2 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 2005
2 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 20052 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 2005
2 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 2005Santos de Castro
 
Levantamento de carga
Levantamento de cargaLevantamento de carga
Levantamento de cargaCarlos Melo
 
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfProjeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfMa Dos Anjos Pacheco
 
Interruptor diferencial residual
Interruptor diferencial residualInterruptor diferencial residual
Interruptor diferencial residualAnderson Silva
 
Comandos elétricos 1
Comandos elétricos 1Comandos elétricos 1
Comandos elétricos 1Ederson Silva
 
Instalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisInstalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisAnderson Rodrigues
 
DET1 Desenho Elétrico Planta Baixa
DET1 Desenho Elétrico Planta BaixaDET1 Desenho Elétrico Planta Baixa
DET1 Desenho Elétrico Planta Baixasinesiogomes
 
Quadro EléCtrico
Quadro EléCtricoQuadro EléCtrico
Quadro EléCtricoefa10d
 
Apostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazer
Apostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazerApostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazer
Apostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazerClaudio Arkan
 

Mais procurados (20)

Apostila de comandos elétricos (senai sp)
Apostila de comandos elétricos (senai   sp)Apostila de comandos elétricos (senai   sp)
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
 
Construção de Redes de Distribuição
Construção de Redes de DistribuiçãoConstrução de Redes de Distribuição
Construção de Redes de Distribuição
 
Manual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencialManual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencial
 
6.05 _dimensionamento
6.05  _dimensionamento6.05  _dimensionamento
6.05 _dimensionamento
 
Curso de-eletricista-residencial
Curso de-eletricista-residencialCurso de-eletricista-residencial
Curso de-eletricista-residencial
 
2 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 2005
2 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 20052 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 2005
2 E Estruturas BáSicas Rede Tradicional 16 11 2005
 
Levantamento de carga
Levantamento de cargaLevantamento de carga
Levantamento de carga
 
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfProjeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
 
Interruptor diferencial residual
Interruptor diferencial residualInterruptor diferencial residual
Interruptor diferencial residual
 
Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1
 
Comandos elétricos 1
Comandos elétricos 1Comandos elétricos 1
Comandos elétricos 1
 
Instalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisInstalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciais
 
DET1 Desenho Elétrico Planta Baixa
DET1 Desenho Elétrico Planta BaixaDET1 Desenho Elétrico Planta Baixa
DET1 Desenho Elétrico Planta Baixa
 
Quadro EléCtrico
Quadro EléCtricoQuadro EléCtrico
Quadro EléCtrico
 
Apostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazer
Apostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazerApostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazer
Apostila com 20 comandos elétricos fáceis de fazer
 
Circitos de iluminação
Circitos de iluminaçãoCircitos de iluminação
Circitos de iluminação
 
Projeto eletrico pdf
Projeto eletrico pdfProjeto eletrico pdf
Projeto eletrico pdf
 
Comutação de escada
Comutação de escadaComutação de escada
Comutação de escada
 
Manual de Instalação Elétrica
Manual de Instalação ElétricaManual de Instalação Elétrica
Manual de Instalação Elétrica
 

Semelhante a Instalações Elétricas Diagramas

Aula 05 - Condutores e Interruptores.pptx
Aula 05 - Condutores e Interruptores.pptxAula 05 - Condutores e Interruptores.pptx
Aula 05 - Condutores e Interruptores.pptxKennedyAlencar2
 
1.2 comutação de lustre2
1.2 comutação de lustre21.2 comutação de lustre2
1.2 comutação de lustre2MartaBCoelho
 
1.3 comutação de escada3
1.3 comutação de escada31.3 comutação de escada3
1.3 comutação de escada3MartaBCoelho
 
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predialProjeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predialRICARDO TAMIETTI
 
Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02
Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02
Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02Carlos Reutymann
 
Eletrônica de potência
Eletrônica de potênciaEletrônica de potência
Eletrônica de potênciaJosihel Silva
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistoresMarcelo Arcanjo
 
Paralelo transf trifásicos
Paralelo transf trifásicosParalelo transf trifásicos
Paralelo transf trifásicosCarolina Romero
 
Tesla electricity copia
Tesla electricity   copiaTesla electricity   copia
Tesla electricity copiasjacques78
 
Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11
Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11
Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11Vertinho Santos
 
Apostila de eletricidade
Apostila de eletricidadeApostila de eletricidade
Apostila de eletricidadeAjaquilante
 
51621752 computer-analysis-of-power-systems
51621752 computer-analysis-of-power-systems51621752 computer-analysis-of-power-systems
51621752 computer-analysis-of-power-systemsTúlio Silva
 

Semelhante a Instalações Elétricas Diagramas (20)

Aula 05 - Condutores e Interruptores.pptx
Aula 05 - Condutores e Interruptores.pptxAula 05 - Condutores e Interruptores.pptx
Aula 05 - Condutores e Interruptores.pptx
 
Comutação de lustre
Comutação de lustreComutação de lustre
Comutação de lustre
 
1.2 comutação de lustre2
1.2 comutação de lustre21.2 comutação de lustre2
1.2 comutação de lustre2
 
1.3 comutação de escada3
1.3 comutação de escada31.3 comutação de escada3
1.3 comutação de escada3
 
Comandos elétricos
Comandos elétricosComandos elétricos
Comandos elétricos
 
Vivi 2
Vivi 2Vivi 2
Vivi 2
 
Vivi 2
Vivi 2Vivi 2
Vivi 2
 
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predialProjeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
 
Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02
Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02
Curso de-eletricista-residencial-130624094012-phpapp02
 
Eletrônica de potência
Eletrônica de potênciaEletrônica de potência
Eletrônica de potência
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Paralelo transf trifásicos
Paralelo transf trifásicosParalelo transf trifásicos
Paralelo transf trifásicos
 
Eletrônica para todos (001)
Eletrônica para todos (001)Eletrônica para todos (001)
Eletrônica para todos (001)
 
16 manual instalador
16 manual instalador16 manual instalador
16 manual instalador
 
Tesla electricity copia
Tesla electricity   copiaTesla electricity   copia
Tesla electricity copia
 
Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11
Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11
Aula 2 acionamentos_eletricos_h3_e_h5_06-11
 
Apostila de eletricidade
Apostila de eletricidadeApostila de eletricidade
Apostila de eletricidade
 
Apostila ete
Apostila eteApostila ete
Apostila ete
 
Eletrodinâmica exercícios
Eletrodinâmica exercíciosEletrodinâmica exercícios
Eletrodinâmica exercícios
 
51621752 computer-analysis-of-power-systems
51621752 computer-analysis-of-power-systems51621752 computer-analysis-of-power-systems
51621752 computer-analysis-of-power-systems
 

Último

A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 

Instalações Elétricas Diagramas

  • 2. DIAGRAMAS O diagrama é a representação gráfica de todos os equipamentos e suas ligações à instalação. Dependendo do tipo da instalação, é possível utilizar três tipos distintos de esquemas: funcional, multifilar e unifilar.
  • 3. Diagrama Funcional É o diagrama no qual se representa todos os fios conectados ao equipamento de forma rápida e clara, não levando em conta a posição física do equipamento na instalação, preocupando-se apenas com o funcionamento e ligação deste.
  • 5. Diagrama Multifilar É o diagrama que representa com clareza todos os componentes, não considerando sua posição física na instalação, mas considerando todos os fios utilizados nas conexões de forma objetiva e resumida. É utilizado somente para circuitos elementares, pois se o circuito é complexo sua representação torna-se confusa. Para um bom entendimento vamos tomar como exemplo o circuito de uma lâmpada acionada por um interruptor.
  • 7. Diagrama Unifilar Representa através de um único traço todos os fios, seus trajetos e posição física exata, em escala, porém não é claro na representação da sequência funcional dos circuitos e do funcionamento do equipamento. Baseado nesse circuito apresentado no item acima podemos desenhar o circuito unifilar, onde os traços de fase (R1) e neutro (N1) são oriundos de um quadro de luz. Sempre deve-se interromper a fase do circuito através do interruptor.
  • 9. Observe abaixo a sequência correta:
  • 10. Acionamento de duas lâmpadas com interruptor de duas seções: - Diagrama Multifilar:
  • 11. Acionamento de duas lâmpadas com interruptor de duas seções: - Diagrama Unifilar:
  • 12. Acionamento de duas lâmpadas com interruptor de duas seções: - Diagrama Unifilar:
  • 13. Ligação em Série Com uma tensão de 127V, podemos acionar uma lâmpada de 100W-127V, ou120V, ou 110V.
  • 14. Ligação em Série Com uma tensão de 220V, podemos alimentar duas lâmpadas de potências iguais.
  • 15. Ligação em Série Porém a ligação série não é utilizada, pois já sabemos que a somatória das quedas de tensão em cada equipamento, resulta na tensão aplicada pela fonte, neste caso 127V ou 220V. Não é possível portanto, montar toda uma instalação elétrica, como por exemplo de uma resistência, sabendo que as lâmpadas não apresentarão luminosidade adequada e que, caso uma delas queime, as demais apagarão.
  • 16. Ligação em Série Este tipo de ligação é muito utilizada em iluminação de árvores de Natal, nas quais são usadas, por exemplo, 20 lâmpadas de 6V. Se cada uma apresenta uma queda de tensão de 6V então teremos 20 x 6V = 120V, que é a tensão nominal da tomada.
  • 17. Entendeu? Então.. Quantos Volts teria cada Lâmpada nessa série?
  • 18. Ligação Paralelo É o tipo de ligação utilizado nas instalações, pois apresenta vários caminhos para a corrente elétrica e se uma lâmpada ou qualquer outro aparelho queimar, não causará influência alguma no funcionamento dos demais aparelhos.
  • 19. Ligação Paralelo Da mesma forma, se a tensão for de 220V, podemos alimentar várias lâmpadas de igual tensão, ou seja, de 220V.
  • 20. Exemplos de Instalações Diagramas multifilar e unifilar de uma instalação com 2 lâmpadas incandescentes 60W-127V, comandadas por um conjunto de interruptor com duas teclas simples.
  • 21. Exemplos de Instalações Um conjunto de interruptor de 3 teclas, 3 lâmpadas incandescentes, sendo 1de 100W, 1 de 60W e 1 de 40W, todas de 127V.
  • 22. INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY) São os interruptores utilizados quando deseja-se comandar uma lâmpada ou grupo de lâmpadas de dois pontos diferentes. Por isso são muito utilizados em edifícios, nos lances de escadas, pois desta forma é possível acender ou apagar a(s) lâmpada (s) de pisos diferentes. Podem ser usados em salas, quartos, corredores e outros cômodos onde seja necessário comandar de dois pontos diferentes.
  • 23. INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY) Diagrama Funcional:
  • 24. INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY) Diagrama Multifilar:
  • 25. INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY) Diagrama Unifilar:
  • 26. INTERRUPTOR PARALELO (OU THREE-WAY) Exemplo: Há situações em que encontramos dois pontos de luz num mesmo ambiente, sendo que os mesmos são comandados por um único par de interruptores.
  • 27. INTERRUPTOR INTERMEDIÁRIO Utilizados em corredores e/ou escadas onde são necessários mais de dois pontos de comando para uma ou mais lâmpadas. É possível usar qualquer número de interruptores intermediários, dependendo apenas do número de pontos de comando. NOTA! É importante observar que sempre será preciso instalar o interruptor intermediário entre dois interruptores paralelos.
  • 29. LÂMPADAS DE BAIXA PRESSÃO FLUORESCENTES A fluorescência é a propriedade que um material tem de se “auto-iluminar’ quando sob a ação de uma energia radiante, como por exemplo a radiação ultravioleta ou raio X. A partir desta definição é fácil entender o funcionamento das lâmpadas fluorescentes, pois devemos ter uma fonte de energia radiante(arco elétrico) e um material fluorescente (pó de fósforo).
  • 30. LÂMPADAS DE BAIXA PRESSÃO FLUORESCENTES
  • 31. RELÉ FOTOELÉTRICO Utilizado para o controle automático de iluminação, ou seja, as lâmpadas podem ser ligadas ou desligadas em função da luminosidade ambiente. Por isso, são instalados em redes elétricas de distribuição urbana , para acionamento e desligamento automático quando anoitece e amanhece, respectivamente. Exemplo diagramas com relé fotoelétrico: 1 Relé fotoelétrico 127V - 1000W. 1 Lâmpada incandescente 127 V - 60W.