SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
UNIME UNIÃO METROPOLITANA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA NÁDIA MORAIS TONUSSI NATHANNA LUISA BASTOS PINTO PENFIGÓIDE MUCOSO: RELATOS DE CASOS COM DESTAQUE PARA O TRATAMENTO EMPREGADO. Lauro de Freitas  2011.1
Doenças Autoimunes Doenças causadas por uma produção imprópria de anticorpos específicos pelo paciente, que serão direcionados contra vários constituintes de aparato molecular. Neville, 2009
Exemplo:  	Líquen Plano, Lúpus Eritematoso, Eritema Multiforme, Pênfigo e Penfigóide. Doenças Autoimunes Bylund, 2008
Penfigóide Mucoso Doença autoimune de natureza crônica, inflamatória e  subepitelial. Sinonímias associadas: Penfigóide cicatricial,  Penfigóide benigno da mucosa, Penfigóide oral,  Penfigóide ocular cicatricial, Gengivite descamativa. Chan,  2002
Etiologia:  		Obscura – Caráter Imunológico Epidemiologia: 		Sexo: Feminino 		Raça: Sem predileção 		Idade: Acima de 40 anos, com         	menor prevalência em pessoas mais 	jovens. Penfigóide Mucoso Bonisson, 2007
Penfigóide Mucoso
4. Diagnóstico
4. Diagnóstico
5. Diagnóstico DiferencialClínico    Líquen Plano,  Pênfigo, Lúpus Eritematoso,  Eritema Multiforme,  Herpes Simples,  Herpes Zoster. Neville, 2009
6. Diagnóstico DiferencialHistopatológico
5. Diagnóstico Diferencial  Histopatológico Neville, 2009
CELULAS DA CAMADA BASAL Hemidesmossomos Penfigôide MEMBRANA BASAL Epidermólise Bolhosa Adquirida Fibrilas de ancoragem TECIDO CONJUNTIVO 6. Fisiologia da Doença Neville, 2009
7. Tratamento
O prognóstico é reservado, devido ao caráter crônico e recidivante da doença, sendo assim, quanto mais precoce for o diagnóstico melhor será o seu valor, evitando futuras complicações ao paciente. 8. Prognóstico Freitas, 2008 Kaarthikeyan, 2010
Relato Casos Clínicos
[object Object]
Idade: 50 anos
Queixa:Avaliar lesões gengivais dolorosas, ulceradas e descamativas. CASO CLÍNICO - 1
CASO CLÍNICO - 1 ,[object Object]
Alterações na mucosa gengival - 3 anos atrás,
Forma - episódios de agudização e cronificação.
Realizado exames de imunofluorescência indireta.
O laudo escreveu ser fracamente positiva para penfigóide.,[object Object]
 Exame físico intrabucal:,[object Object]
Biópsia incisional - análise anatomopatológica.
O resultado - lâmina corada em hematoxilina (he) foi de BOLHA SUBEPITELIAL sugestiva de PENFIGÓIDE BENIGNO DE MUCOSA.   CASO CLÍNICO – 1
[object Object]
Protocolo Terapêutico Inicial:
40mg de Prednisona  01 comprimido/dia durante 15 dias
Bochecho de 5mL de Elixir de Dexametasona (0,5mg) 04 vezes ao dia
Clobetasol a 0,05% (Psorex) 03 vezes ao dia, por 20 minutos, uso da moldeiraCASO CLÍNICO – 1Tratamento
[object Object]
Clobetasol a 0,05% (Psorex) 03 a 04 vezes ao dia, durante 20 minutos
Bochecho de 2ml de elixir de Dexametasona (0,5mg) 04 vezes ao dia, com indicação para sistêmico em caso de evolução (múltiplas lesões). CASO CLÍNICO – 1Tratamento ,[object Object]
  Bochecho de 2mL de elixir de Dexametasona (0,5mg).,[object Object]
CASO CLÍNICO – 2 ,[object Object]
Idade: 62 anos
Queixa: “Quero fazer minha prótese e não tô podendo porque minha boca dói”. ,[object Object]
Iniciou a confecção das próteses - 3 meses
Úlceras dolorosas,[object Object]
Exame físico intraoral:,[object Object]
CASO CLÍNICO – 2Diagnóstico Diferencial ,[object Object],Penfigóide Mucoso
[object Object]
 A paciente retornou para reavaliações semanais
15 dias após - desmame do corticosteróide.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)
AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)
AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)Rayssa Mendonça
 
Apostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaApostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaKery Albuquerque
 
Anestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologiaAnestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologiaLucas Almeida Sá
 
Conceitos basicos em ortodontia
Conceitos basicos em ortodontiaConceitos basicos em ortodontia
Conceitos basicos em ortodontiaClodoaldo Lopes
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelCamilla Bringel
 
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIARESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIARayssa Mendonça
 
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e CementoHistologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e CementoRaphael Machado
 
Infecções odontogênicas 2013
Infecções odontogênicas 2013Infecções odontogênicas 2013
Infecções odontogênicas 2013Guilherme Terra
 
Odontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localOdontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localItalo Gabriel
 
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGALAPOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGALRayssa Mendonça
 
Materiais para implantes dentários
Materiais para implantes dentáriosMateriais para implantes dentários
Materiais para implantes dentáriosJuliana Blenda
 
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para OdontologiaDescubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para OdontologiaAndré Milioli Martins
 
Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013
Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013
Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013Guilherme Terra
 
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILATÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILACamilla Bringel
 
Periodontia em Odontologia
Periodontia em OdontologiaPeriodontia em Odontologia
Periodontia em OdontologiaElisabete Arruda
 

Mais procurados (20)

Cistos odontogênicos
Cistos odontogênicosCistos odontogênicos
Cistos odontogênicos
 
AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)
AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)
AV2 Resumo de implantodontia (Autoria João Ricardo)
 
Tecnica radiografica
Tecnica radiograficaTecnica radiografica
Tecnica radiografica
 
Apostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaApostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológica
 
Anestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologiaAnestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologia
 
Conceitos basicos em ortodontia
Conceitos basicos em ortodontiaConceitos basicos em ortodontia
Conceitos basicos em ortodontia
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
 
Implantes
ImplantesImplantes
Implantes
 
Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)
 
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIARESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
 
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e CementoHistologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
 
Infecções odontogênicas 2013
Infecções odontogênicas 2013Infecções odontogênicas 2013
Infecções odontogênicas 2013
 
Implantes dentarios
Implantes dentariosImplantes dentarios
Implantes dentarios
 
Odontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localOdontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia local
 
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGALAPOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
APOSTILA DE ODONTOLOGIA LEGAL
 
Materiais para implantes dentários
Materiais para implantes dentáriosMateriais para implantes dentários
Materiais para implantes dentários
 
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para OdontologiaDescubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
 
Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013
Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013
Traumatologia Buco Maxilo Facial 2013
 
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILATÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
TÉCNICAS ANESTÉSICAS DA MAXILA
 
Periodontia em Odontologia
Periodontia em OdontologiaPeriodontia em Odontologia
Periodontia em Odontologia
 

Destaque

Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccprofguilhermeterra
 
Herpes simples travbalho slide modificado
Herpes simples travbalho slide modificadoHerpes simples travbalho slide modificado
Herpes simples travbalho slide modificadoBrunnaMello
 
Herpes labial e genital
Herpes labial e genitalHerpes labial e genital
Herpes labial e genitalPedro Oliveira
 
Casos ClíNicos Em Dermatologia
Casos ClíNicos Em DermatologiaCasos ClíNicos Em Dermatologia
Casos ClíNicos Em Dermatologiabubuzinhapj
 
Fluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. Robson
Fluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. RobsonFluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. Robson
Fluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. RobsonProfessor Robson
 
Casos Clínicos Dermatología
Casos Clínicos DermatologíaCasos Clínicos Dermatología
Casos Clínicos DermatologíaFri cho
 
Sind stevens johnson
Sind stevens johnsonSind stevens johnson
Sind stevens johnsonGiuliana Seo
 
Herpes (seminário)
Herpes (seminário)Herpes (seminário)
Herpes (seminário)Odontologia
 
Herpes simple
Herpes simpleHerpes simple
Herpes simpleroogaona
 
Trabalho de Herpes
Trabalho de HerpesTrabalho de Herpes
Trabalho de HerpesHevelins
 
Sindrome de stevens jhonson
Sindrome de stevens jhonsonSindrome de stevens jhonson
Sindrome de stevens jhonsonnarcos_88
 
Síndrome steven johnson
Síndrome steven johnson Síndrome steven johnson
Síndrome steven johnson ENFERMERO
 
DERMATO - LESÕES ELEMENTARES
DERMATO - LESÕES ELEMENTARESDERMATO - LESÕES ELEMENTARES
DERMATO - LESÕES ELEMENTARESItalo Pinto
 
Síndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP Med
Síndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP MedSíndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP Med
Síndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP MedLiliana Santiago Sanchez
 

Destaque (20)

Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 
Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tcc
 
Herpes simples travbalho slide modificado
Herpes simples travbalho slide modificadoHerpes simples travbalho slide modificado
Herpes simples travbalho slide modificado
 
Herpes labial e genital
Herpes labial e genitalHerpes labial e genital
Herpes labial e genital
 
Sindrome de stevens johnson
Sindrome de stevens johnsonSindrome de stevens johnson
Sindrome de stevens johnson
 
Casos ClíNicos Em Dermatologia
Casos ClíNicos Em DermatologiaCasos ClíNicos Em Dermatologia
Casos ClíNicos Em Dermatologia
 
Fluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. Robson
Fluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. RobsonFluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. Robson
Fluxograma para diagnóstico das doenças exantemáticas na infância - Prof. Robson
 
Casos Clínicos Dermatología
Casos Clínicos DermatologíaCasos Clínicos Dermatología
Casos Clínicos Dermatología
 
Sind stevens johnson
Sind stevens johnsonSind stevens johnson
Sind stevens johnson
 
Herpes Labial
Herpes LabialHerpes Labial
Herpes Labial
 
Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos
Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos
Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos
 
Patologias dermatologicas
Patologias dermatologicasPatologias dermatologicas
Patologias dermatologicas
 
Herpes (seminário)
Herpes (seminário)Herpes (seminário)
Herpes (seminário)
 
Herpes simple
Herpes simpleHerpes simple
Herpes simple
 
Trabalho de Herpes
Trabalho de HerpesTrabalho de Herpes
Trabalho de Herpes
 
Sindrome de stevens jhonson
Sindrome de stevens jhonsonSindrome de stevens jhonson
Sindrome de stevens jhonson
 
Síndrome de stevens johnson
Síndrome de stevens johnsonSíndrome de stevens johnson
Síndrome de stevens johnson
 
Síndrome steven johnson
Síndrome steven johnson Síndrome steven johnson
Síndrome steven johnson
 
DERMATO - LESÕES ELEMENTARES
DERMATO - LESÕES ELEMENTARESDERMATO - LESÕES ELEMENTARES
DERMATO - LESÕES ELEMENTARES
 
Síndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP Med
Síndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP MedSíndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP Med
Síndrome Stevens Johnson y Necrólisis Epidérmica Tóxica UP Med
 

Semelhante a Apresentação TCC - Penfigoide Mucoso: Relato de casos com destauqe para o tratamento empregado

AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES
AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕESAULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES
AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕESDaviMatos29
 
Tumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdf
Tumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdfTumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdf
Tumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdfedvandroremos
 
TC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptx
TC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptxTC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptx
TC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptxHygor Malheiros
 
Allan artigo 2013 rev ctbmf patologia unit
Allan artigo 2013 rev ctbmf patologia unitAllan artigo 2013 rev ctbmf patologia unit
Allan artigo 2013 rev ctbmf patologia unitAllan Ulisses
 
Demodicidose histopatológico
Demodicidose histopatológicoDemodicidose histopatológico
Demodicidose histopatológicoTainá Peixoto
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxCHRISLAYNESILVA2
 
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxapresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxENFERMAGEMELAINNE
 
40 laserterapia bucal no tratamento oncológico
40   laserterapia bucal no tratamento oncológico40   laserterapia bucal no tratamento oncológico
40 laserterapia bucal no tratamento oncológicoONCOcare
 
40 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp01
40 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp0140 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp01
40 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp01Eliziario Leitão
 
Palestra sobre Eritema- Filipe Gustavo pptx
Palestra sobre Eritema- Filipe  Gustavo pptxPalestra sobre Eritema- Filipe  Gustavo pptx
Palestra sobre Eritema- Filipe Gustavo pptxFilipe Francisco
 
Acompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criança
Acompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criançaAcompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criança
Acompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criançaFundecto
 
Micro endodontia
Micro endodontiaMicro endodontia
Micro endodontiafausto2010
 
Antibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdf
Antibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdfAntibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdf
Antibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdfbrulou29
 

Semelhante a Apresentação TCC - Penfigoide Mucoso: Relato de casos com destauqe para o tratamento empregado (20)

AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES
AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕESAULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES
AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES AULA INFECÇÕES
 
Alterações em boca em pacientes portadores de leucemia
Alterações em boca em pacientes portadores de leucemia Alterações em boca em pacientes portadores de leucemia
Alterações em boca em pacientes portadores de leucemia
 
Tumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdf
Tumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdfTumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdf
Tumor Odontogênico Adenomatoide-Claudio Mulau-Unilurio.pdf
 
TC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptx
TC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptxTC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptx
TC - RELATO DE CASO - ADENOMA PLEOMÓRFICO.pptx
 
Allan artigo 2013 rev ctbmf patologia unit
Allan artigo 2013 rev ctbmf patologia unitAllan artigo 2013 rev ctbmf patologia unit
Allan artigo 2013 rev ctbmf patologia unit
 
Demodicidose histopatológico
Demodicidose histopatológicoDemodicidose histopatológico
Demodicidose histopatológico
 
Lesão Ulcerada em Dorso Lingual
Lesão Ulcerada em Dorso LingualLesão Ulcerada em Dorso Lingual
Lesão Ulcerada em Dorso Lingual
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
 
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxapresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
 
40 laserterapia bucal no tratamento oncológico
40   laserterapia bucal no tratamento oncológico40   laserterapia bucal no tratamento oncológico
40 laserterapia bucal no tratamento oncológico
 
Lesões endo perio
Lesões endo perioLesões endo perio
Lesões endo perio
 
40 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp01
40 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp0140 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp01
40 laserterapiabucalnotratamentooncolgico-121105075120-phpapp01
 
Nevo De Sutton
Nevo De SuttonNevo De Sutton
Nevo De Sutton
 
Palestra sobre Eritema- Filipe Gustavo pptx
Palestra sobre Eritema- Filipe  Gustavo pptxPalestra sobre Eritema- Filipe  Gustavo pptx
Palestra sobre Eritema- Filipe Gustavo pptx
 
Anais - I SPEED
Anais - I SPEEDAnais - I SPEED
Anais - I SPEED
 
Estudo de Caso: Escabiose
Estudo de Caso: EscabioseEstudo de Caso: Escabiose
Estudo de Caso: Escabiose
 
Acompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criança
Acompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criançaAcompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criança
Acompanhamento da PBMF em caso de Carcinoma Epidermóide em criança
 
Micro endodontia
Micro endodontiaMicro endodontia
Micro endodontia
 
Antibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdf
Antibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdfAntibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdf
Antibióticos e antifúngicos na Reabilitação Oral.pdf
 
Nevo De Sutton
Nevo De SuttonNevo De Sutton
Nevo De Sutton
 

Mais de Nadia Morais Tonussi

Mais de Nadia Morais Tonussi (15)

Tratamento de lesoes Cervicais não Cariosas
Tratamento de lesoes Cervicais não CariosasTratamento de lesoes Cervicais não Cariosas
Tratamento de lesoes Cervicais não Cariosas
 
Seminario prótese x mal oclusão
Seminario prótese x mal oclusãoSeminario prótese x mal oclusão
Seminario prótese x mal oclusão
 
Importancia do preparo apical
Importancia do preparo apicalImportancia do preparo apical
Importancia do preparo apical
 
Displasia cleidocraniana
Displasia cleidocranianaDisplasia cleidocraniana
Displasia cleidocraniana
 
Lesoes osseas
Lesoes osseas Lesoes osseas
Lesoes osseas
 
Estagio atual das resinas indiretas
Estagio atual das resinas indiretasEstagio atual das resinas indiretas
Estagio atual das resinas indiretas
 
Dtm slides
Dtm   slidesDtm   slides
Dtm slides
 
Apresenta[1]..
Apresenta[1]..Apresenta[1]..
Apresenta[1]..
 
Dna[1]
Dna[1]Dna[1]
Dna[1]
 
PACIENTES COM COAGULOPATIAS HEREDITÁRIAS
PACIENTES COM COAGULOPATIAS HEREDITÁRIASPACIENTES COM COAGULOPATIAS HEREDITÁRIAS
PACIENTES COM COAGULOPATIAS HEREDITÁRIAS
 
Endodontia Transcirurgica é Possivel?
Endodontia Transcirurgica é Possivel?Endodontia Transcirurgica é Possivel?
Endodontia Transcirurgica é Possivel?
 
Codigo de ética odontologica
Codigo de ética odontologicaCodigo de ética odontologica
Codigo de ética odontologica
 
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosCistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
 
Apresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutriçãoApresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutrição
 
ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTAL
ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTALASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTAL
ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTAL
 

Último

RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxAntonioVieira539017
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................mariagrave
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreLeandroLima265595
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 

Último (20)

RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 

Apresentação TCC - Penfigoide Mucoso: Relato de casos com destauqe para o tratamento empregado

  • 1. UNIME UNIÃO METROPOLITANA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA NÁDIA MORAIS TONUSSI NATHANNA LUISA BASTOS PINTO PENFIGÓIDE MUCOSO: RELATOS DE CASOS COM DESTAQUE PARA O TRATAMENTO EMPREGADO. Lauro de Freitas 2011.1
  • 2. Doenças Autoimunes Doenças causadas por uma produção imprópria de anticorpos específicos pelo paciente, que serão direcionados contra vários constituintes de aparato molecular. Neville, 2009
  • 3. Exemplo: Líquen Plano, Lúpus Eritematoso, Eritema Multiforme, Pênfigo e Penfigóide. Doenças Autoimunes Bylund, 2008
  • 4. Penfigóide Mucoso Doença autoimune de natureza crônica, inflamatória e subepitelial. Sinonímias associadas: Penfigóide cicatricial, Penfigóide benigno da mucosa, Penfigóide oral, Penfigóide ocular cicatricial, Gengivite descamativa. Chan, 2002
  • 5. Etiologia: Obscura – Caráter Imunológico Epidemiologia: Sexo: Feminino Raça: Sem predileção Idade: Acima de 40 anos, com menor prevalência em pessoas mais jovens. Penfigóide Mucoso Bonisson, 2007
  • 9. 5. Diagnóstico DiferencialClínico Líquen Plano, Pênfigo, Lúpus Eritematoso, Eritema Multiforme, Herpes Simples, Herpes Zoster. Neville, 2009
  • 11. 5. Diagnóstico Diferencial Histopatológico Neville, 2009
  • 12. CELULAS DA CAMADA BASAL Hemidesmossomos Penfigôide MEMBRANA BASAL Epidermólise Bolhosa Adquirida Fibrilas de ancoragem TECIDO CONJUNTIVO 6. Fisiologia da Doença Neville, 2009
  • 14. O prognóstico é reservado, devido ao caráter crônico e recidivante da doença, sendo assim, quanto mais precoce for o diagnóstico melhor será o seu valor, evitando futuras complicações ao paciente. 8. Prognóstico Freitas, 2008 Kaarthikeyan, 2010
  • 16.
  • 18. Queixa:Avaliar lesões gengivais dolorosas, ulceradas e descamativas. CASO CLÍNICO - 1
  • 19.
  • 20. Alterações na mucosa gengival - 3 anos atrás,
  • 21. Forma - episódios de agudização e cronificação.
  • 22. Realizado exames de imunofluorescência indireta.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Biópsia incisional - análise anatomopatológica.
  • 26. O resultado - lâmina corada em hematoxilina (he) foi de BOLHA SUBEPITELIAL sugestiva de PENFIGÓIDE BENIGNO DE MUCOSA.   CASO CLÍNICO – 1
  • 27.
  • 29. 40mg de Prednisona 01 comprimido/dia durante 15 dias
  • 30. Bochecho de 5mL de Elixir de Dexametasona (0,5mg) 04 vezes ao dia
  • 31. Clobetasol a 0,05% (Psorex) 03 vezes ao dia, por 20 minutos, uso da moldeiraCASO CLÍNICO – 1Tratamento
  • 32.
  • 33. Clobetasol a 0,05% (Psorex) 03 a 04 vezes ao dia, durante 20 minutos
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 38.
  • 39. Iniciou a confecção das próteses - 3 meses
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44. A paciente retornou para reavaliações semanais
  • 45. 15 dias após - desmame do corticosteróide.
  • 46. 60 dias - regressão total das lesões.CASO CLÍNICO – 2Tratamento A paciente ficou em acompanhamento por 15 meses e não voltou a apresentar lesões.
  • 47. Caso Clínico 1 Caso Clínico 2
  • 48. Discussão Dados epidemiológicos * Cazal, Ojha, Gonzalez-Moles.
  • 50. Discussão Tratamento * Cazal, Lins, Motta, Gonzales-Moles
  • 51.
  • 52. Natureza crônica e inflamatória
  • 55. Baixa Mortalidade / Alta Morbidade
  • 57. Sistêmica - áreas como faringe, mucosa nasal e laringe.
  • 58.
  • 59. Bonisson LA, Andrade BAB, Mila IS, et al. Penfigóide Cicatricial: levantamento epidemiológico e relato de caso. Arq. Bras de Odonto 2007;121-128 Carmo KC, Maffezoli LFCN, Padovani Junior JA, Maniglia JV. Sinéquia nasal e estenose de laringe na cicatrização penfigóide. Arq. Int de Otorrino 1998;2(2): Cazal C, Moraes ES, Costa LJ. Pênfigo vulgar e penfigóide benigno de mucosa considerações gerais relato de casos. Rev. Brasileira de Patologia Oral. 2003;2(3):8-13. Ciarrocca KN, Greenberg MS. A restrospective study of the management of oral mucous membrane pemphigoid with dapsone. Oral surg oral med oral pathol oral radiol endod 1999;88:159-63. Donato WBC, Santos MS, Santos N, Souza LB, Rigueiro MP, Gomes JAP. Imunofluorecência direta do diagnóstico de casos suspeitos de penfigóide cicatricial ocular. Arq Bras Oftalmo, 2003;66:7-11. Referências
  • 60. Freitas VA, Becker HMG, Guimarães RES, et al. Penfigóide cicatricial no trato aerodigestivo superior: relato de dois casos. Rer. Bras Otorrinnolaringol 2008;74(6):941-4. Kaarthikeyan G, Jayakumar ND, Padmalatha O, et al. Management of mucous membrane pemphigoid with dapsone plus weekly steroid injections in a Young patient: a case report. Rev. Odonto ciênc. 2010;25(1):97-99. Lins SA, Castro AL, Miyahara GI, Gaetti-Jardim-Júnior E. Penfigóide Benigno de Mucosa. Salus-vita, Bauru, 2009; 28(2):205-211. Cheng YSL, Rees TD, Wright JM, Plemons JM. Childhood oral pemphigoid: a case report and review of the literature. J oral pathol med 2001:30:372-7. Neff AG, Turner M, Mutasim DF. Treatment strategies in mucosus membrane pemphigoid. Therapeutics and clinical risk management 2008:4(3) 617-626 Referências
  • 61. Lazarova MDZ, Sitaru MDC, Zillikens MDD, Kim B. Comparative analysis of methods for detection of anti-laminin 5 autoantibodies in patients with anti-epiligrincicatricialpemphigoid. J Am AcadDermatol. 2004 Dec;51(6):886-92. Motta ACF, Grisi MFM, Roselino AMF, Komesu MC, Souza CS, Migliari DA. Corticosteróides tópicos oclusivos no tratamento de manifestaçoes gengivais de doenças vesicobolhosas auto-imunes. An Bras Dermatol. 2006,81(3):283-5. Ojha J, Bhattacharyya I, Stewart C, Katz J, Cicatricialpemphigoid with severe gingival and laryngeal involvement in an 18-year-old female. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral RadiolEndod 2007;104:363-7. Gonzalez-Moles MA, Ruiz-Avila I, Rodriguez-Archilla A, Morales-Garcia P, Mesa-Aguado F, Bascones-Martinez A, et al. Treatment of severe erosive gingival lesions by topical application of clobetasol propionate in custom trays.Oralsurg oral med oralpathol oral radiolendod 2003;95:688-92 Referências
  • 62. Yeh SW, Usma AQ, Ahmed AR. Profile of autoantibody to basement membrane zone proteins in patients with mucous membrane pemphigoid: long-term follow up and influence of therapy. Clinical Immunology 2004; 112:268– 272. Shully C, Bagan JV, Black M, Carrozzo M, Eisen D, Escudier M, Farthing P, Kuffer R, Lo Muzio L, Mignogna M, Porter SR. Mucosal Diseases Series: number 1 Epithelial biology. Oral diseases 2005; 11, 58 - 71 Referências
  • 63. Agradecimento Especial AOS NOSSOS ORIENTADORES, um agradecimento carinhoso por todos os momentos de paciência, compreensão e competência. Por sempre acreditarem no nosso potencial, por abrirem tantas portas, vocês foram essenciais nessa longa caminhada. Prof. Jener e Prof. Eugênio... “O educador deve ser não um sábio, mas sim um homem diferenciado para sua educação, pela força de seus costumes, pela maturidade de seus modos, jovial, dócil, acessível, franco, enfim, em quem se encontre muito que imitar e pouco que corrigir." Simon Bolivar Adoramos vocês!!
  • 64. Agradecimento AO SER SUPREMO, pela vida e a possibilidade de empreender esse caminho evolutivo, por propiciar tantas oportunidades de estudos e por colocar em nosso caminho pessoas amigas e preciosas.
  • 65. Agradecimento AOS NOSSOS PAIS pela cumplicidade e apoio incondicional, por tomarem para ti nossas preocupações e inseguranças.
  • 66. Agradecimento AOS NOSSOS NAMORADOS que souberam tão bem compreender nossos momentos de ausência em função deste trabalho.
  • 67. Agradecimento AOS COLEGAS alguns mais próximos, outros nem tanto, que de alguma forma contribuíram para que nós chegássemos até aqui, choramos e nos ajudamos mutuamente.
  • 68. Agradecimento AOS PACIENTES, que com sua confiança nos proporcionaram tantos conhecimentos.
  • 69. Agradecimento A TODOS OS FUNCIONÁRIOS DA UNIME, pela atenção, pela gentileza, sempre nos atendendo com prontidão, por terem tornado nosso dia-a-dia na clínica durante esses quatro anos e meios tão agradáveis. Enfim, a todos aqueles que de uma maneira ou de outra contribuíram para que este percurso pudesse ser concluído. Essa vitória é tão nossa quanto de vocês.
  • 70. Um Muito Obrigada a Todos! Fim! Nádia Tonussi e Nathanna Luisa