Obtenção e Recebimento

4.860 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.860
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
110
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obtenção e Recebimento

  1. 1. OBTENÇÃO E RECEBIMENTO
  2. 2. Sumário • Recursos Materiais • Gestão de Compras • Função Compras • Ordem de Compra • Coleta de Preços • Avaliação dos Fornecedores • Contrato de Fornecimento • Comarkeship • Almoxarifado • Recebimento de Materiais • Guarda de Materiais • Métodos de Produção • Sistema Just-in-Time • Sistema de Reposição Periódica • Sistema Duas Gavetas • Sistema Caixeiro-Viajante • Referências Bibliográficas
  3. 3. Recursos Materiais • O que são? • São itens ou componentes que uma empresa utiliza nas suas operações do dia-a-dia, adquiridos regularmente, constituindo os estoques da empresa. Recursos adquiridos pela empresa com a finalidade de gerar riqueza para a mesma • Classificados em: • Materiais auxiliares • Matéria-prima • Produtos em processo • Produtos acabados
  4. 4. Recursos Materiais • Materiais auxiliares • Também conhecidos como materiais indiretos ou não-produtivos não incorporam no produto final, como material de escritório ou de manutenção. • Matéria-prima • Matéria-prima: também conhecida como material direto ou material produtivo é o tudo o que incorpora no produto final, constituem todos os itens iniciais para a produção.
  5. 5. Recursos Materiais • Produtos em processo • Produtos em processo: são os produtos que estão em fase de fabricação, estes ingressaram na empresa em forma de matéria-prima e já sofreram alguma transformação. • Produtos acabados • Produtos acabados são os produtos prontos para serem comercializados, é a fase final do processo produtivo e incluem itens de revenda. Matériaprima Produtos em processo Produtos acabados
  6. 6. Recursos Materiais • Organização • Com o aumento da industrialização e a queda dos custos com mãode-obra em muitos casos os materiais podem chegar a 80% do custo total da produção ou serviço. Com isso os departamentos de compras da empresas estão ficando cada vez mais complexos. • Sinal da demanda • O sinal da demanda é a forma sob a qual a informação chega à área de compras para desencadear o processo de aquisição do bem material.
  7. 7. Gestão de Compras • A função de compras assume papel verdadeiramente estratégico nos negócios de hoje, deixando a visão de que era uma atividade burocrática e repetitiva, além de um centro de despesas. • O valor total gasto nas compras de insumos para a produção varia de 50 a 80% do total das receitas brutas, ou seja, um pequeno ganho na produtividade da função exercerá grande diferença nos lucros. A gestão de compras visa garantir a qualidade dos produtos e diminuir os custos de produção
  8. 8. Gestão de Compras • Objetivos da Gestão de Compras • Essa função é responsável pelo estabelecimento do fluxo de materiais na firma, pelo seguimento junto ao fornecedor, e pela agilização da entrega. • Prazos de entrega não cumpridos podem causar sérias perturbações para os departamentos de produção e vendas, mas a função de compras pode reduzir o número de problemas, além de adicionar lucros.
  9. 9. Função Compras • A função de compras é responsável pelo estabelecimento do fluxo dos materiais nas empresas, pelo segmento junto ao fornecedor e pela agilidade da entrega, além de precisar garantir um estoque para casos emergenciais. • Esta função faz parte do processo de logística das empresas e interage com todos os seus setores.
  10. 10. Função Compras Aprovar fatura para pagamento de forcenedor Receber e analisar requisições de compra Receber e aceitar mercadorias Selecionar fornecedores Acompanhar e garantir cumprimento dos prazos Determinar o preço correto Emitir pedidos de compra
  11. 11. Função de Compras 1. Primeiro são feitas as requisições de compras; 2. É feita a seleção de fornecedores; 3. É enviada uma cotação para a verificação de preços; 4. Departamento de compras negocia e verifica o preço correto junto ao fornecedor; 5. É definido o fornecedor e emitida uma ordem de compra, requisitando o material; 6. O fornecedor deve garantir a entrega pontual dos itens requisitados.
  12. 12. Função de Compras • É sua função: Obter as mercadorias e serviços com qualidade e quantidade necessárias Obter mercadorias e serviços ao menor custo Garantir o melhor serviço possível e pronta entrega por parte do fornecedor Desenvolver e manter boas relações com os fornecedores
  13. 13. Ordem de Compra • Utilizada por uma unidade da organização ou colaborador para manifestar a necessidade de adquirir um item para uso em benefício da empresa. • Esta solicitação é enviada à área de compras que irá providenciar, a compra dos materiais requisitados. • É o comprador ou o setor de compras que determina se realmente vai comprar o material e o período em que irá verificar as ordens abertas e pendentes.
  14. 14. Ordem de Compra
  15. 15. Pedido de Compra • A solicitação interna transforma-se em uma solicitação externa quando a ordem de compra cria um pedido de compra para providenciar o material junto ao fornecedor; • Quando um pedido de compra é gerado com base em uma ordem de compra, o pedido e a ordem ficam relacionados entre si por meio do número do pedido de compra. • Uma ordem de compra relacionada a um pedido não pode ser incluída em outro pedido.
  16. 16. Pedido de Compra
  17. 17. Coleta de Preços • A cotação é o registro do preço obtido da oferta de diversos fornecedores em relação ao material de compra cuja compra foi solicitada. • Não deve ter rasuras e deverá conter preço, quantidade e data de recebimento na seção de compras. • Deverá ainda sempre estar ao alcance de qualquer consulta e analise de auditoria.
  18. 18. Coleta de Preços
  19. 19. Avaliação dos Fornecedores A seleção de fornecedores é uma tarefa difícil e onerosa para a empresa, mais foi demonstrado que cuidados essenciais, quanto ao fornecimento de componentes e serviços, são muito mais vantajosos do que procurar corrigir os defeitos encontrados durante o processo produtivo ou gerenciar problemas sistemáticos de prazos de entrega.
  20. 20. Avaliação dos Fornecedores Alguns passos essenciais que o processo de fornecedores deve seguir: • Pesquisar Fornecedores Potenciais; • Estabelecer Critérios de Avaliação de Fornecedores; • Avaliar e Selecionar os Fornecedores; • Cadastrar os Fornecedores Selecionados; • Acompanhar o Desempenho do Fornecimento; • Fazer parcerias com fornecedores, entre outros.
  21. 21. Tipos de avaliação de fornecedores: a) Avaliação quantitativa pelo histórico –A avaliação é feita analisando os registros de fornecimentos de determinado fornecedor, podendo-se comprovar que durante um período de tempo houve: • Nenhuma ou pequena porcentagem de lotes ou prestação de serviços entregues com problema de qualidade; • Nenhuma ou pequena porcentagem de lotes ou prestação de serviços entregues com atraso.
  22. 22. Tipos de avaliação de fornecedores: b) Avaliação por auto avaliação – nesse caso, a empresa compradora envia um formulário padronizado de avaliação do sistema de garantia de qualidade para a empresa fornecedora, para que esta possa preenchê-lo e desenvolvê-lo. c) Avaliação por certificação – nesse caso, o fornecedor é aceito se possuir uma certificação do seu sistema de garantia de qualidade emitida por uma empresa credenciada, segundo uma norma de referência designada pelo comprador (ISO 9000, QS 9000, VDA 6.1, etc.).
  23. 23. Tipos de avaliação de fornecedores: d) Avaliação por auditoria – esse tipo de avaliação é muito oneroso para a empresa compradora, uma vez que pressupõe a existência de uma equipe de auditores e de um procedimento padronizado de auditoria. Existem três tipos básicos de auditorias: • Auditoria de produto • Auditoria de processo • Auditoria de sistema
  24. 24. Contrato de Fornecimento • Por meio do fornecimento ou abastecimento, o empresário pode atingir finalidades a que se propõe, mantendo estoque e matéria-prima, economizando tempo e despesas, sem necessidade de contratação particularizada. • As partes, sem abrir mão de sua independência, cooperam mutuamente em seu respectivo interesse. • O fornecedor não somente se obriga a entregar coisas durante certo período, como também a prestar um serviço, a fim de desenvolver e manter o funcionamento da empresa ou atividade do fornecido. • O contrato de fornecimento é: • Consensual, bilateral, oneroso, cumulativo, nominado, atípico, informal, de trato sucessivo ou de duração.
  25. 25. Aspectos gerais de um contrato de fornecimento: 1) Delimitação clara do objeto do contrato 2) Obrigações bem definidas 3) Contraprestação pecuniária 4) Correção monetária 5) Multas para inadimplência 6) Perdas e danos . 7) Execução específica da obrigação . 8) Identificação dos representantes de ambas as partes 9) Hipóteses de rescisão contratual 10) Testemunhas
  26. 26. Comakership • Estabelece-se uma parceria cliente e fornecedor, de forma a gerenciar os produtos, processos, qualidade, pesquisas e desenvolvimentos. • O objetivo é obter uma vantagem competitiva através de um fornecimento sincronizado e qualidade assegurada. • As relações do tipo comakership não nascem repentinamente. Requerem um certo tempo de amadurecimento, de conhecimento prévio da capacidade do fornecedor e confiabilidade do cliente. • Nesse processo, o cliente irá procurar atuar nos aspectos que possam trazer- lhe vantagens competitivas. Assim fará uma avaliação dos fornecedores e, se for o caso, o seu desenvolvimento para, finalmente, chegar à fase de negociação de uma parceria.
  27. 27. Fases do relacionamento cliente – fornecedor: O relacionamento cliente-fornecedor passa basicamente por quatro fases: • Abordagem convencional • Melhoria da qualidade • Integração operacional • Integração estratégica
  28. 28. Almoxarifado • O almoxarifado é o lugar destinado à guarda e conservação de materiais que ao mesmo tempo deve garantir: a segurança, a conservação, a inviolabilidade física e o rápido acesso aos mesmos. • As principais operações no almoxarifado são: a) b) c) Recebimento de materiais (entrada). Entrega de materiais (saída). Manter atualizados os dados referentes aos materiais (organização).
  29. 29. Almoxarifado - Recebimento de Materiais O processo de recebimento de materiais (entrada) pode ser dividido em quatro fases: 1) Entrada de materiais 2) Conferência quantitativa 3) Conferência qualitativa 4) Regularização
  30. 30. Almoxarifado - Guarda de Materiais Dependendo das características do material, a armazenagem pode dar-se em função dos seguintes parâmetros: • fragilidade • combustibilidade • volatilização • oxidação • explosividade • intoxicação • radiação • corrosão • inflamabilidade • volume • Peso
  31. 31. Almoxarifado: Tipos de Armazenagem • Armazenagem por tamanho: esse critério permite bom aproveitamento do espaço. • Armazenamento por frequência: esse critério implica armazenar próximo da saída do almoxarifado os materiais que tenham maior frequência de movimento. • Armazenagem especial, onde se destacam: • os ambientes climatizados; • os produtos inflamáveis, que são armazenados sob rígidas normas de segurança; • os produtos perecíveis ( método FIFO).
  32. 32. Material Requirement Planning (MRP) • MRP: Material Requirement Planning • Planejamento das necessidades de materiais • Técnica que permite determinar as necessidades de compras dos materiais que serão utilizados na fabricação de um certo produto • Como funciona? • A lista de materiais (bill of material) é obtida a partir da estrutura analítica do produto e em função da demanda. • Um computador executa o seguinte processo: Não há estoque necessário! Calcular as necessidades de materiais que serão utilizados Verificar se há estoque disponíveis para o atendimento Emitir solicitação de compra ou ordem de fabricação
  33. 33. Material Requirement Planning (MRP)
  34. 34. Material Requirement Planning (MRP) • Vantagens do sistema MRP: • Diminuição de estoques; • Melhor controle de produção e encomendas; • É um processo hierárquico, integra várias áreas funcionais; • É uma estrutura formal de dados e procedimentos e permite serem feitas simulações. • Desvantagens do sistema MRP: • Este sistema não tem a tendência de otimizar o custo de aquisição de materiais. • Visto que os níveis de estoque são estabelecidos ao mínimo possível, os materiais devem ser comprados em quantidades pequenas e de uma forma mais frequente, o que acaba aumentando os custos de produção. • E já que os estoques são mínimos, a compra de materiais em grandes quantidades não é frequente.
  35. 35. Métodos de Produção • Sistema Just-in-time • Método de produção que objetiva disponibilizar os materiais requeridos apenas quando forem necessários para que o custo de estoque seja menor. • Pode ser aplicado em qualquer organização e foca em redução de estoques e custos decorrentes do processo. • Nas fábricas em que estes sistemas são implantados, o estoque de matérias primas é o mínimo suficiente para algumas horas de produção A redução do número de fornecedores é um dos fatores que contribui para alcançar os seus potenciais benéficos
  36. 36. Métodos de Produção • Sistema Just-in-time
  37. 37. Métodos de Produção Sistema de Reposição Periódica • Este sistema consiste em fazer compras periodicamente para repor o estoque. • Após a decorrência de um intervalo de tempo estabelecido previamente, é emitido um pedido de compra para o determinado item. • É feita uma verificação no estoque para ver o quanto se precisa repor. • Neste método pode ocorrer um custo maior de armazenagem ou até falta do produto. • Como os intervalos entre os pedidos são fixos, as quantias requisitadas são variáveis. É um ótimo método para os fornecedores.
  38. 38. Métodos de Produção Sistema de Reposição Periódica As vantagens deste tipo de sistema são: • Redução de falta de produtos nas lojas • Diminuição de estoques • Menores custos logísticos • Previsão de produção (no caso de fornecedores)
  39. 39. Métodos de Produção Sistema Duas Gavetas • Este método é sem dúvida um dos mais simples. • É utilizado principalmente para produtos simples e resistentes ao tempo principalmente no pequeno comércio. • É utilizado tendo-se por base duas "gavetas". Inicialmente armazena-se um estoque capaz de suprir a demanda em uma gaveta. Após o quase total consumo desse estoque, naturalmente faz-se um novo pedido. • Entretanto o tempo de entrega poderia fazer com que o estoque dessa gaveta acabasse. Para que isso não ocorra, haverá outra gaveta com o estoque auxiliar.
  40. 40. Métodos de Produção Sistema do Caixeiro-Viajante • Consiste em um vendedor vender produtos fora de onde são produzidos, visitando clientes para saber se está faltando mercadoria no estoque. • Era muito utilizado quando não se havia a facilidade do transporte entre cidades e os caixeiros-viajantes eram a única forma de transportar produtos entre diferentes regiões fora das grandes cidades.
  41. 41. Referências Bibliográficas MEUS TRABALHOS ACADÊMICOS. Blog pessoal. Disponível em: <http://meustrabalhosacademicos.blogspot.com.br/2009/07/administracao-dos-recursos-materiais.html>.Acesso em 05 out 2013. GRUPO RH 2013. Blog pessoal da plataforma Wordpress. Disponível em: <http://gruporh2013.wordpress.com/2013/02/27/conceitos-recursos-materiais-e-patrimoniais/>. Acesso em: 05 out 2013. WIKIPÉDIA. A Enciclopédia Livre. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Material_Requirement_Planning />.Acesso em: 05 out 2013. __________. A Enciclopédia Livre. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Just_in_time/>.Acesso em: 05 out 2013. __________. A Enciclopédia Livre. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Caixeiro-viajante>.Acesso em: 05 out 2013. __________. A Enciclopédia Livre. <http://pt.wikipedia.org/wiki/Gest%C3%A3o_de_compras/>..Acesso em: 05 out 2013. Disponível TECHOJE. Uma revista de opinião. Disponível <http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/541>. Acesso em 07 out 2013. em: em: ADMINISTRADORES. O portal da Administração. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/producaoacademica/gestao-de-compras/103/>. Acesso em: 23 set 2013.
  42. 42. Referências Bibliográficas ___________________. O portal da Administração. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/administracaoe-negocios/treinamento-basico-para-almoxarife/29226/ >. Acesso em: 23 set 2013. SIGNIFICADOS.COM.BR . Disponível em:<http://www.significados.com.br/just-in-time/>. Acesso em: 27 set 2013. SCRIBD. Disponível em:<http://pt.scribd.com/doc/32528933/118/Reposicao-Periodica>. Acesso em: 30 set 2013. RG9.ORG. Disponível em: <http://www.rg9.org/almoxarifado.php>. Acesso em: 30 set 2013. TERRA. Disponível em:<http://economia.terra.com.br/analise-os-10-principais-pontos-do-contrato-defornecimento,2908c655e276b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html>. Acesso em: 07 out 2013. AMIGONERD.NET. Seu parceiro nos estudos. Disponível em:<http://amigonerd.net/humanas/administracao/just-time-mrprevisoes-periodicas>. Acesso em: 07 out 2013. AMIGONERD.NET. Seu parceiro nos estudos. Disponível em:< http://amigonerd.net/humanas/administracao/just-time >. Acesso em: 07 out 2013. AMIGONERD.NET. Seu parceiro nos estudos. Disponível em:< http://amigonerd.net/humanas/administracao/logistica-ecomercio-exterior >. Acesso em: 07 out 2013.

×