Impactos fiscais

1.022 visualizações

Publicada em

Sintegra, Sped fiscal e mais... muito mais!

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.022
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
85
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Impactos fiscais

  1. 1. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil
  2. 2. Quem somos nós... <ul><li>A MF Tecnologia e Sistemas trás para o mercado, através de seus Sócios e Executivos, todo o conhecimento e tecnologias adquiridos em mais de 15 anos de experiência na liderança de grandes projetos em empresas como a Unilever Brasil Ltda. </li></ul><ul><li>Através de relatórios, análises precisas e disponibilização de novas tecnologias, a MF interpreta corretamente os fatos econômico-financeiros e dá suporte e apoio gerencial para que o cliente possa planejar, controlar e gerir com sucesso o seu negócio. </li></ul>
  3. 3. Quem somos nós... <ul><li>NOSSA VISÃO : Ser referência no mercado nacional oferecendo produtos e serviços de alta qualidade e tecnologia contribuindo para o crescimento e desenvolvimento do mercado brasileiro. </li></ul><ul><li>NOSSA MISSÃO: Oferecer soluções estratégicas e tecnológicas para empresas de pequeno, médio e grande portes, contribuindo para o seu desenvolvimento e crescimento sustentável, entregando um serviço de alta qualidade por um custo acessível. </li></ul>
  4. 4. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil AGENDA
  5. 5. Agenda <ul><li>A Realidade das Pequenas e Médias Empresas no Brasil (Nascimento, Mortalidade e Capacitação); </li></ul><ul><li>Complexidade Tributária (a realidade...); </li></ul><ul><li>O que ainda vem pela frente; </li></ul><ul><li>Como se preparar? </li></ul>
  6. 6. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil A Realidade das Pequenas e Médias Empresas no Brasil (Nascimento, Mortalidade e Capacitação)
  7. 7. A Realidade atual... <ul><li>Pesquisa SEBRAE conclui o seguinte cenário: </li></ul><ul><li>49,4% de mortalidade para as empresas com até 2 anos de existência; </li></ul><ul><li>56,4% de mortalidade para as empresas com até 3 anos de existência; </li></ul><ul><li>59,9% de mortalidade para as empresas com até 4 anos de existência. </li></ul><ul><li>Fonte: fatores condicionantes e taxa de mortalidade de empresas no Brasil (Agosto/2004 – SEBRAE) </li></ul>
  8. 8. A Realidade atual... <ul><li>Pesquisa VOX POPULI 2007 – MG. Dificuldades no gerenciamento da empresa (espontânea – Empresas ATIVAS). Atualmente, quais são as principais dificuldades encontradas na condução das atividades de sua empresa? </li></ul><ul><li>Carga tributária/encargos/impostos = 43% </li></ul><ul><li>Falta de capital de giro = 19% </li></ul><ul><li>Falta de profissionais/mão-de-obra qualificada = 18% </li></ul><ul><li>Concorrência = 14% </li></ul><ul><li>Maus pagadores/inadimplência = 9% </li></ul><ul><li>Dificuldade financeira = 7% </li></ul><ul><li>Falta de crédito = 6% </li></ul><ul><li>Falta de clientes = 6% </li></ul><ul><li>Obs.: Resposta múltipla: Cada entrevistado podia dar várias respostas </li></ul>
  9. 9. A Realidade atual... <ul><li>Pesquisa VOX POPULI 2007 – MG. Razões para o fechamento da Empresa (espontânea – Empresas EXTINTAS ). Quais são as principais razões para que sua empresa tenha fechado ou paralisado as atividades ? </li></ul><ul><li>Carga tributária/encargos/impostos = 44% </li></ul><ul><li>Falta de conhecimento da área de gestão = 24% </li></ul><ul><li>Falta de clientes = 20% </li></ul><ul><li>Falta de capital de giro = 12% </li></ul><ul><li>Desinteresse na continuação do negócio = 12% </li></ul><ul><li>Burocracia = 12% </li></ul><ul><li>Concorrência = 4% </li></ul><ul><li>Obs.: Resposta múltipla: Cada entrevistado podia dar várias respostas </li></ul>
  10. 10. A Realidade atual... <ul><li>Mais de 50% dos trabalhadores das Micro e pequenas empresas não tem nem ensino médio completo! </li></ul><ul><li>Fonte: DIEESE/Seade, MTE/FAT e convênios regionais. PED - Pesquisa de Emprego e Desemprego. Elaboração: DIEESE </li></ul>Escolaridade Micro e Pequena Média Grande TOTAL Analfabeto 1,1 0,4 0,4 0,9 Fundamental Incompleto 30,6 20,9 16,9 26,1 Fundamental completo + médio incompleto 20,0 20,1 17,5 19,3 Médio completo + superior incompleto 37,1 43,5 50,7 41,3 Superior completo 11,2 15,1 14,5 12,4 TOTAL 100 100 100 100
  11. 11. A Realidade atual... <ul><li>Concluindo... </li></ul><ul><li>Alta carga e complexidade tributária </li></ul><ul><li>+ </li></ul><ul><li>baixa capacitação da mão de obra </li></ul><ul><li>= </li></ul>
  12. 12. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil A Complexidade tributária...
  13. 13. A Complexidade Tributária... SPED fiscal NF-e Sintegra PIS e Cofins Monofásico? Subst. Tributária SPED Contábil ERP Brasil ID E muito mais...
  14. 14. <ul><li>A legislação fiscal do Brasil é imensa. Diariamente, os Diários Oficiais da União, dos Estados e dos Municípios despejam leis, normas, regulamentos, decretos, atos normativos, instruções e outros textos sobre os contribuintes, alcançando os mais de 80 tributos existentes no Brasil. </li></ul><ul><li>O governo pressiona tremendamente os contribuintes e, no afã de arrecadar, despeja sobre ele leis, normas, instruções e outros atos regulamentadores, que tornam extremamente complexa a gestão tributária de uma empresa no Brasil. </li></ul>A Complexidade Tributária...
  15. 15. <ul><li>A Receita com ICMS em MG aumentou em 19,47% comparando o período acumulado de Jan à Maio (2010 X 2009). </li></ul><ul><li>Como esse resultado foi atingido (praticamente o dobro do crescimento do PIB do Estado)? Resp.: Ferramentas de controle e combate à SONEGAÇÃO </li></ul>A Complexidade Tributária...
  16. 16. <ul><li>Cerca de 32% da receita de ICMS de MG são arrecadados pelo regime de substituição tributária (ST). Em maio, foi registrado crescimento de 36% em relação ao mesmo mês do ano passado nos setores que recolhem pela ST. Em 2003, por exemplo, a participação da ST na receita total de ICMS de Minas era de 16,5% ; </li></ul><ul><li>Com a obrigatoriedade da NF-e para novos segmentos a partir deste mês de set/2010, o número de estabelecimentos chegará a 21.412 Com esses novos integrantes, o total de notas emitidas deve se situar na casa de 10 milhões de unidades por mês, representando 43% da arrecadação do Estado. </li></ul>A Complexidade Tributária...
  17. 17. <ul><li>O Governo tem investido recursos e conquistado grandes resultados somente ampliando as ferramentas de controle e combate à sonegação. O problema é que, com essas novas ferramentas, o grau de complexidade do sistema tributário está cada vez maior. </li></ul>A Complexidade Tributária...
  18. 18. <ul><li>SINTEGRA em MG é obrigatório para todos os estabelecimentos que emitem NF por processamento eletrônico de dados... </li></ul><ul><li>O que é o SINTEGRA? É o arquivo digital que registra todas as entradas e saídas do estabelecimento e informa para o governo o quanto você compra, de onde compra, como compra (impostos) e o quanto você vende, para quem vende e como vende (impostos). Informa também, mensalmente ou anualmente, a sua posição de estoque. </li></ul>A Complexidade Tributária...
  19. 19. <ul><li>Você já viu o arquivo SINTEGRA da sua empresa? </li></ul><ul><li>O arquivo SINTEGRA deve ser enviado (em MG) até o dia 15 de cada mês com as informações referentes ao mês anterior. A multa para envio com atraso é de R$10.000 (aproximadamente) por arquivo enviado ... </li></ul><ul><li>Caso o arquivo contenha erros, a multa é de R$10.000 , também por arquivo enviado incorretamente. </li></ul><ul><li>Além das multas, o governo tem bloqueado a Inscrição Estadual de Contribuintes que estão irregulares com o Sintegra (impedindo a emissão de NF-e de e para estes Contribuintes). </li></ul>A Complexidade Tributária...
  20. 20. <ul><li>Se você ainda não viu o SINTEGRA da sua empresa, VEJA, pois o FISCO (seu sócio), com certeza já viu, analisou e está de olho... </li></ul><ul><li>Se o Fisco ainda não viu, pode ser porque você ainda não enviou... Aí, CUIDADO com as multas e bloqueio da sua Inscrição Estadual... </li></ul><ul><li>E TEM MAIS... </li></ul>A Complexidade Tributária...
  21. 21. <ul><li>O SINTEGRA já é passado... </li></ul><ul><li>Agora, a realidade é o SPED Fiscal !!! </li></ul>A Complexidade Tributária...
  22. 22. <ul><li>SPED FISCAL (convênio ICMS 143/06): </li></ul><ul><li>“ Público alvo”: Contribuintes do ICMS e IPI (Secretarias de Fazenda podem dispensar) </li></ul><ul><li>2009: Divulgado lista com 30.000 estabelecimentos </li></ul><ul><li>2010: Calendários estaduais </li></ul><ul><li>2011: Tendência para todos os contribuintes do ICMS e IPI, exceto optantes pelo Simples Nacional... </li></ul>A Complexidade Tributária...
  23. 23. <ul><li>SPED FISCAL – o que é? </li></ul><ul><li>A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos e da Secretaria da Receita Federal do Brasil, bem como de registros de apuração de impostos referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte. RESUMINDO, o SPED é uma evolução do SINTEGRA com maior quantidade de registros e detalhamento das informações... </li></ul>A Complexidade Tributária...
  24. 24. <ul><li>O que o SPED Fiscal tem que o SINTEGRA não tem? </li></ul><ul><li>(somente as principais diferenças) </li></ul><ul><li>Informações sobre o Ativo Permanente (Cadastro de bens e aproveitamento de crédito); </li></ul><ul><li>Prestação de Serviços com suas respectivas informações de ISSQN, IRRF e Contribuições Previdenciárias; </li></ul><ul><li>Maior detalhamento do cadastro dos itens de estoque (informando, por exemplo, o que é matéria-prima, semi-acabado, embalagem,produto acabado, etc...) </li></ul><ul><li>Planos de Conta Contábeis e Centros de Custos; </li></ul>A Complexidade Tributária...
  25. 25. <ul><li>O que o SPED Fiscal tem que o SINTEGRA não tem? </li></ul><ul><li>(somente as principais diferenças) </li></ul><ul><li>Informação da fatura sempre que a compra ou venda da mercadoria for à prazo; </li></ul><ul><li>Detalhes dos volumes, do transportador e veículo utilizado no transporte nas operações de saídas; </li></ul><ul><li>Informações sobre IPI, PIS e Cofins na entrada das mercadorias adquiridas; </li></ul><ul><li>Detalhamento das aquisições de serviços de telecomunicações, energia e transporte; </li></ul><ul><li>Apuração do ICMS e do IPI; </li></ul><ul><li>Detalhamento dos documentos Fiscais de exportação. </li></ul>A Complexidade Tributária...
  26. 26. <ul><li>VOCÊ SABIA? </li></ul><ul><li>Todos os sistemas emissores de cupons fiscais já estão obrigados a gerar automaticamente o Sintegra e o SPED Fiscal para serem homologados na SEF e poderem ser comercializados? </li></ul><ul><li>A imensa maioria dos ERP´s disponíveis no mercado também já está preparado para gerar os arquivos... </li></ul><ul><li>BOM, ENTÃO TÁ TUDO FÁCIL... </li></ul>A Complexidade Tributária...
  27. 27. <ul><li>Fácil? Quem dera... Gerar os registros exigidos por </li></ul><ul><li>lei, não será problema algum para nenhuma </li></ul><ul><li>empresa, pois os próprios sistemas se encarregarão </li></ul><ul><li>disso... Quais os desafios então? </li></ul><ul><li>Garantir que os cadastros estejam corretos; </li></ul><ul><li>Garantir que os usuários registrem corretamente as informações; </li></ul><ul><li>Garantir que o arquivo seja enviado corretamente, evitando multas e fiscalizações desnecessárias (alguém tem que analisar e corrigir os erros antes do envio); </li></ul>A Complexidade Tributária...
  28. 28. <ul><li>OU SEJA, NÃO BASTA ENVIAR O </li></ul><ul><li>ARQUIVO, TEM QUE GARANTIR </li></ul><ul><li>O ENVIO CORRETO! </li></ul>A Complexidade Tributária...
  29. 29. <ul><li>A pergunta que não “quer calar”: -Como conseguir isso com o baixo grau de capacitação da mão de obra disponível no mercado atualmente? </li></ul><ul><li>Resp.: No final dessa apresentação... </li></ul>A Complexidade Tributária... Fisco ...
  30. 30. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil O que ainda vem pela frente...
  31. 31. <ul><li>NF-e 2.0... Principais Mudanças na NFe da Segunda </li></ul><ul><li>Geração (NFe 2.0). Em linhas gerais, as alterações são </li></ul><ul><li>as seguintes: </li></ul><ul><li>Adequação do leiaute da NF-e para registrar as operações praticadas pelos contribuintes optantes do SIMPLES NACIONAL; </li></ul><ul><li>Aperfeiçoamento das regras de validação dos campos da NF-e (Totais da Nf-e tem que fechar com a somatória dos ítens); </li></ul><ul><li>Em casos de cancelamento, o emissor deverá disponibilizar para o destinatário o mesmo conteúdo da NF-e enviada para a SEFAZ, complementada com os dados da homologação do pedido de cancelamento </li></ul>O que ainda vem pela frente...
  32. 32. <ul><li>Inclusão de campos como, por exemplo: </li></ul><ul><li>Data e Hora da entrada em contingência (com a justificativa); </li></ul><ul><li>Regime Tributário do emissor: Simples Nacional, Simples Nacional com excesso de sublimite de receita bruta ou regime normal; </li></ul><ul><li>Informações de tributação do ICMS para operações praticadas por optante do Simples Nacional; </li></ul><ul><li>E-mail do destinatário; CT-e referenciado; Cupom fiscal referenciado; Nota de produtor rural referenciada; </li></ul><ul><li>Campos para identificação do pedido e item de compra; </li></ul><ul><li>Acréscimo do campo cSitTrib para identificação da tributação do ISSQN (Retida, Normal, Substituta, Isenta); </li></ul><ul><li>Aperfeiçoamento da identificação do veículo utilizado no transporte com o acréscimo de novas opções de transporte. </li></ul>O que ainda vem pela frente...
  33. 33. <ul><li>Inclusão de regras de validação como por exemplo: </li></ul><ul><li>Total do IPI difere do somatório dos itens </li></ul><ul><li>Total do Produto / Serviço difere do somatório dos itens </li></ul><ul><li>Total do ICMS difere do somatório dos itens </li></ul><ul><li>Total da BC ICMS difere do somatório dos itens </li></ul><ul><li>Total do Seguro difere do somatório dos itens </li></ul><ul><li>Se CST de ICMS = 00, 10, 20, 51, 70, 90: Valor ICMS difere de Base de Cálculo x Alíquota </li></ul><ul><li>CNPJ do Transportador inválido </li></ul><ul><li>CPF do Transportador inválido </li></ul><ul><li>Registro dos Eventos do Ciclo de Vida da NF-e (Para o pedido de cancelamento, verificar registro de Circulação de Mercadoria . Para o pedido de cancelamento, verificar recebimento da NF-e pelo Destinatário) </li></ul>O que ainda vem pela frente...
  34. 34. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Cuidados com a NF-e ... </li></ul><ul><li>Tenho que enviar o arquivo XML ao destinatário e ao transportador. </li></ul><ul><li>Ajuste SINIEF 07/2005 § 7º </li></ul><ul><li>O emitente da NF-e deverá, obrigatoriamente, encaminhar ou disponibilizar download do arquivo da NF-e e seu respectivo </li></ul><ul><li>Protocolo de Autorização de Uso ao destinatário e ao transportador contratado, imediatamente após o recebimento da autorização de uso da NF-e. </li></ul>
  35. 35. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Cuidados com a NF-e ... </li></ul><ul><li>Tenho que guardar o arquivo XML. </li></ul><ul><li>Cláusula décima </li></ul><ul><li>O emitente e o destinatário deverão manter a NF-e em arquivo digital, sob sua guarda e responsabilidade, pelo prazo estabelecido na legislação tributária, mesmo que fora da empresa, </li></ul><ul><li>Devendo ser disponibilizado para a Administração Tributária quando solicitado. (...) </li></ul>
  36. 36. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Cuidados com a NF-e ... </li></ul><ul><li>Tenho que guardar o arquivo XML. </li></ul><ul><li>Cláusula décima (...) </li></ul><ul><li>§ 2º Caso o destinatário não seja contribuinte credenciado para a emissão de NF-e, </li></ul><ul><li>Alternativamente ao disposto no &quot;caput“, o destinatário deverá manter em arquivo o DANFE relativo a NF-e da operação, devendo ser apresentado à administração tributária, quando solicitado. (...) </li></ul>
  37. 37. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Cuidados com a NF-e ... </li></ul><ul><li>Tenho que guardar o arquivo XML. </li></ul><ul><li>Cláusula décima (...) </li></ul><ul><li>§ 3º O emitente de NF-e deverá guardar pelo prazo estabelecido na legislação tributária o DANFE que acompanhou o retorno de mercadoria não recebida pelo destinatário e que contenha o motivo da recusa em seu verso. (...) </li></ul>
  38. 38. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Cuidados com a NF-e ... </li></ul><ul><li>Tenho que verificar o arquivo XML. </li></ul><ul><li>Cláusula décima (...) </li></ul><ul><li>§ 1º O destinatário deverá verificar a validade e autenticidade da NF-e e a existência de Autorização de Uso da NF-e. </li></ul>
  39. 39. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Cuidados com a NF-e ... </li></ul><ul><li>Só posso cancelar NF-e se a mercadoria não circulou.... </li></ul><ul><li>ATO COTEPE/ICMS Nº 33/2008 (Nova redação dada ao art 1º, pelo ato COTEPE/ICMS 13/10, efeitos a partir de 01.01.11). </li></ul><ul><li>Art.1º Poderá o emitente solicitar o cancelamento a NF-e, em prazo não superior a 24 horas, contado do momento em que foi concedida a respectiva Autorização de Uso da NF-e, desde que não tenha ocorrido a circulação da mercadoria ou a prestação de serviço e observadas às demais normas constantes do AJUSTE SINIEF 07/05, de 5 de outubro de 2005.! </li></ul>
  40. 40. <ul><li>NF-e 2.0 obrigatória para todos em MG à partir de 01/04/2010 </li></ul>O que ainda vem pela frente... Fisco...
  41. 41. O que ainda vem pela frente... <ul><li>CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) -> 5.847.505 autorizados (set/2010). Lista de Obrigatoriedade por faturamento; </li></ul><ul><li>e-Lalur (Livro Eletrônico de apuração do Lucro Real) -> ano calendário de 2010, para ser entregue até o dia 30/06/2011 ; </li></ul><ul><li>EFD – CIAP (Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente) -> vigência a partir de 1º de janeiro de 2011, nos termos do ajuste Sinief nº 02, publicado no D.O.U. de 01/04/2010. Enquadram-se no procedimento legal contribuintes do ICMS e/ou IPI subordinados à entrega da EFD. </li></ul><ul><li>Livro de controle da produção e do estoque -> Previsão para 2011, entrega em 2012 (Resolução 3.884 SEF/MG); </li></ul>
  42. 42. O que ainda vem pela frente... <ul><li>EFD PIS/CONFIS -> 1/1/2011: Acompanhamento Diferenciado; 1/7/2011: Lucro real; 1/1/2012: Lucro presumido e arbitrado. Neste projeto pretende-se eliminar a DACON. Mas, a principal mudança será o modelo proposto pela RFB para o programa validador, pois, será ele que calculará o imposto. </li></ul><ul><li>EFD Folha (e-FOPAG) ->1/1/2011: Acompanhamento Diferenciado; 1/6/2011: Lucro real e Lucro presumido e arbitrado. Trata-se de uma nova visão onde se pretende eliminar a folha de pagamento e o Manad (Manual Normativo de arquivos Digitais) no curto prazo, e no médio prazo pretende-se excuir o CAGED, RAIS, DIRF, GRRF, GFIP,FICHA DE REGISTRO DE EMPREGADO, e o cadastro único de trabalhadores. </li></ul>
  43. 43. O que ainda vem pela frente...
  44. 44. O que ainda vem pela frente... <ul><li>O Brasil ID -> Através de um acordo de cooperação técnica firmado em 31 de agosto de 2009 entre o Ministério da Ciência e Tecnologia, a Receita Federal e os Estados da União por intermédio de suas Secretarias de Fazenda, formalizou-se o início do Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias , denominado “Brasil-ID”, que se baseia no emprego da tecnologia de Identificação por Radiofreqüência (RFID), e outras acessórias integradas para realizar, dentro de um padrão único, a Identificação, Rastreamento e Autenticação de mercadorias em produção e circulação pelo País. </li></ul>
  45. 45. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Objetivo do Projeto -> Desenvolver e implantar uma infra-estrutura tecnológica de hardware e software que garanta a identificação, rastreamento e autenticação de mercadorias produzidas e em circulação pelo Brasil, com a utilização de chips RFID, visando padronizar, unificar, interagir, integrar, simplificar, desburocratizar e acelerar o processo de produção, logística e de fiscalização de mercadorias pelo País. </li></ul>
  46. 46. O que ainda vem pela frente...
  47. 47. O que ainda vem pela frente...
  48. 48. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Rastreamento fiscal e logístico... </li></ul>SINIAV: Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos
  49. 49. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Brasil ID já em testes (implantação prevista para antes da copa de 2014) !!! </li></ul>
  50. 50. O que ainda vem pela frente... <ul><li>Brasil ID (Resultado)... </li></ul>
  51. 51. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil Como se preparar?
  52. 52. Como se preparar? <ul><li>A maior ameaça é acomodar-se, ou você gerencia a sua empresa, ou alguém irá gerenciá-la para você! E adivinhe quem fará isso? </li></ul>Fisco...
  53. 53. Como se preparar? <ul><li>Mistura !!! </li></ul>
  54. 54. Como se preparar? <ul><li>Neste cenário, a MF Tecnologia e Sistemas atua junto ao Empresário mineiro oferecendo ferramentas e serviços de forma a garantir o correto envio das informações ao Fisco e, mais do que isso, interpretando dados e fatos da organização de forma a minimizar o risco das operações. </li></ul>
  55. 55. Como se preparar? <ul><li>Alguns dos serviços que prestamos: </li></ul><ul><li>Elaboração, análise e correção dos registros do SINTEGRA; </li></ul><ul><li>Elaboração, análise e correção dos registros do SPED Fiscal; </li></ul><ul><li>Adequação dos processos internos, treinamento e capacitação dos profissionais para adaptação às novas exigências do Fisco; </li></ul><ul><li>Consultoria de implantação de sistemas (Análise dos sistemas disponíveis no mercado, customizações e ajustes de processos necessários para a implantação, acompanhamento durante e pós implantação) </li></ul>
  56. 56. Como se preparar? <ul><li>A MF Tecnologia e Sistemas acredita que o pequeno e médio empresários, dentro desse novo cenário, terá enormes dificuldades competitivas com relação às grandes empresas. Por isso, ele precisará investir o seu tempo onde realmente faz mais diferença... Ou seja, no Empreendedorismo, na criatividade, na busca de novos canais, novas tecnologias para alavancar as suas vendas... Para isso, ele precisará da retaguarda do seu negócio funcionando de forma excepcional! Aí, nós, da MF Tecnologia e Sistemas entramos, garantindo o correto funcionamento das ferramentas de controle e de Gestão da sua empresa! </li></ul>
  57. 57. As alterações nos processos fiscais e os seus impactos para as pequenas e médias empresas no Brasil

×