TRÓPICO en el II FORO DE LA EDICIÓN     “Publicaciones independientes de Arte               en Latinoamérica”             ...
Expediente• Editor-responsável + três editores e  realizadores• Coordenação administrativa + consultores +  colaboradores•...
Seções existentesSeções assinadas• audiovisual (// produção cinematográfica e televisiva), por Esther Hamburger• em obras,...
Torquato Neto• Ocupar espaço, num limite de “tradução”, quer dizer tomar o  lugar. Não tem nada a ver com subterrânea (num...
Autores de Trópico• Carlos Adriano narra encontro com Jean-Marie Straub e  Danièle Hullet, escreve sobre as Cosmococas de ...
Trópico na Pinacoteca                Lisette Lagnado e Esther Hamburger        Parceria da Pinacoteca com a revista eletrô...
Temas abordados revelam Zeitgest1)    Desafios dos museus em tempos neoliberais;2)    documenta 11;3)    politização da ar...
Artigos históricos     Entrevista com Fernando Henrique Cardoso                por Esther Hamburger              President...
Em obras: temas dominantes•   Arte pública•   Novos formatos de Iinstituição artística•   Crítica institucional•   O ético...
Índice de “em obras” 2001-2002•   [7/10/2001] Contra-ataque ao exotismo, por Jens Hoffmann•   [05/11/2001] Arte, século 21...
2003-2005[10/07/2003] Duas revistas (Número e Ars) e os dilemas da arte na USP[18/12/2003] Londres e o fim da “arte sencac...
2006-2010[08/07/2006] Zidane por Philippe Parreno e Douglas Gordon[22/08/2006] Trópico participa da documenta 12 magazine ...
Cinema brasileiro5 x Favela – Agora por nós mesmos [d’après Cinco Vezes Favela, 1962, CPC-UNE], por    Carlos Diegues e Re...
Novo mundo• Evitar a ideia de “novas mídias”, um termo sem sentido já que  toda mídia, quando surge, é nova;• foco na prod...
11/12/2010   15
Hélio Oiticica• O audiovisual na instituição artística• A invenção do Penetrável (morre Jesús Soto)• Longing for the body ...
Artigos pontuais sobre artistas• Daniel Senise, Marina Saleme, Rosângela  Rennó, Edgard de Souza, Claudia Andujar,  Nuno R...
a.r.t.e.. Luz nas trevas, por Denise MotaEm Buenos Aires, o Teatro Ciego apresenta peças no escuro, encenadas por atores c...
Estante dos mais citadosMichael Hardt e Toni Negri, ImpérioJacques Rancière, A partilha do sensívelGiorgio Agamben, Vida N...
livrosFerran Adrià, A Cozinha a NuChico Buarque, Leite DerramadoVladimir Safatle, Cinismo e Falência da CríticaAndré Gorz,...
Tópicos gerais para discutir “em obras”•   Partido editorial: o título “em obras” foi escolhido para sinalizar o caráter e...
Palavras-chavecultura globalização resistência socialismo  sonho Congo silêncio êxtase 11 de setembro  generosidade garra ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tropico lisette lagnado

1.062 visualizações

Publicada em

Presentación de Lisette Lagnado de la revista

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.062
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
192
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tropico lisette lagnado

  1. 1. TRÓPICO en el II FORO DE LA EDICIÓN “Publicaciones independientes de Arte en Latinoamérica” Linhas gerais sobre a revista desde 2001 MUSEO DE ARTE CONTEMPORÁNEADE CASTILLA Y LEÓN, 11/12/201011/12/2010 1
  2. 2. Expediente• Editor-responsável + três editores e realizadores• Coordenação administrativa + consultores + colaboradores• Produção: Dossiê Assessoria e Texto• Provedor: UOL11/12/2010 2
  3. 3. Seções existentesSeções assinadas• audiovisual (// produção cinematográfica e televisiva), por Esther Hamburger• em obras, por Lisette Lagnado• novo mundo (// novas tecnologias), por Giselle BeiguelmanOutras• a.r.t.e.• cosmópolis• dossiê• ensaio• entrevista• estante• livros• política• prosa.poesia• três palavras• leia de novo11/12/2010 3
  4. 4. Torquato Neto• Ocupar espaço, num limite de “tradução”, quer dizer tomar o lugar. Não tem nada a ver com subterrânea (num sentido literal), e está mesmo pela superfície, de noite e com muito veneno. Com sol e com chuva. Dentro de casa, na rua. [...] Ocupar espaço, criar situações. Ocupa-se um espaço vago como também se ocupa um lugar ocupado: everywhere. E agüentar as pontas, segurar, manter. [...] Sem começo e sem fim, mas mesmo assim: pelas brechas, pelas rachas. [...] Ocupar espaço: espantar a caretice: tomar o lugar: manter o arco: os pés no chão: [...]11/12/2010 4
  5. 5. Autores de Trópico• Carlos Adriano narra encontro com Jean-Marie Straub e Danièle Hullet, escreve sobre as Cosmococas de Hélio Oiticica, entrevista Matthew Barney...• Os textos de Vladimir Safatle se caracterizam por tomar posição em momentos políticos e polêmicos da vida pública, por exemplo a favor de Dilma Roussef no segundo turno das eleições presidenciais desse ano no Brasil. Por isso, costumam circular na internet entre grupos organizados (professores, principalmente) que aproveitam para agregar suas opiniões.11/12/2010 5
  6. 6. Trópico na Pinacoteca Lisette Lagnado e Esther Hamburger Parceria da Pinacoteca com a revista eletrônica Trópico, do UOL. Série de encontros durou três anos, de 2002 a 2005. Debates mensais sobre temas da atualidade cultural brasileira e internacional. Sempre no último sábado de cada mês, no auditório do museu. Resumo do encontro editado após a sua realização. Objetivo encontros presenciais permitem fisionomia menos virtual. Primeiro encontro, dia 25 de maio de 2002, reúne o professor de filosofia Celso F. Favaretto e o artista Rubens Mano para discutir: É possível hoje uma crítica institucional?11/12/2010 6
  7. 7. Temas abordados revelam Zeitgest1) Desafios dos museus em tempos neoliberais;2) documenta 11;3) politização da arte;4) “Panorama da arte brasileira” com curadoria de Gerardo Mosqueira;5) (im)pertinência dos salões de arte;6) arte e periferia;7) erotismo na era virtual;8) arte brasileira no mercado global,;9) políticas públicas de incentivo cultural no Brasil;10) pós-modernidade ou hipermodernidade?11) maratona Mathew Barney: estética e êxtase;12) León Ferrari;13) moda e espetáculo;14) políticas culturais para as metrópoles;15) representação da violência na mídia e no cinema;16) o Império de Hardt e Negri;17) reality-shows;18) arte brasileira no mercado internacional: realidade ou ficção?11/12/2010 7
  8. 8. Artigos históricos Entrevista com Fernando Henrique Cardoso por Esther Hamburger Presidente fala sobre medos do Brasil, diz que o PT deveria ter a “sabedoria de não assustar os outros” e que teme “perder a capacidade de inovar ou de, pelo menos, entender a inovação dos outros, porque isso é um envelhecimento”. http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/271,1.shl11/12/2010 8
  9. 9. Em obras: temas dominantes• Arte pública• Novos formatos de Iinstituição artística• Crítica institucional• O ético e o estético11/12/2010 9
  10. 10. Índice de “em obras” 2001-2002• [7/10/2001] Contra-ataque ao exotismo, por Jens Hoffmann• [05/11/2001] Arte, século 21, Brasil e Arte, século 21, Europa• [14/01/2002] Friche contra os espaços massificados, por Marcia Ferran• [12/02/2002] Um tempo sem Picasso, sobre Rosalind Krauss• [04/03/2002] Intervenções em megacidades, por Nelson Brissac• [04/03/2002] 25ª Bienal de São Paulo de Alfons Hug: Iconografias Metropolitanas• [02/04/2002] Só é possível falar em arte pública quando a definição de arte for comum a todos, por Graziela Kunsch• [09/04/2002] Outra enquete de Trópico: O que é arte pública?• [16/04/2002] A instituição artística na obra de Elmgreen e Dragset, por Jens Hoffmann• [30/04/2002] Inaugura a Galeria Vermelho de Eduardo Brandão e Eliana Finkelstein• [07/05/2002] O filme arquitetônico de Matta-Clark, por Corinne Diserens• [29/05/2002] O artigo mais lido: pessoas que posaram nuas para Spencer Tunick contam sua experiência• [29/05/2002] Bienal de Lima enfrenta o isolamento• [31/07/2002] série relata visita à documenta 11 e destaca projeto de Dominique Gonzalez-Foerster• [16/10/2002] Sean Scully sobe o morro da Rocinha• [14/11/2002] Entrevista com Jean Galard sobre a crise dos museus11/12/2010 10
  11. 11. 2003-2005[10/07/2003] Duas revistas (Número e Ars) e os dilemas da arte na USP[18/12/2003] Londres e o fim da “arte sencacionalista”[02/01/2004] O risco dos coletivos, por Luisa Duarte[12/02/2004] Anos 60-70: experimentos pioneiros de Genilson Soares e Francisco Iñarra[18/03/2004] Herkenhoff reconstrói o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro[13/09/2004] Stewart Home: a perspectiva radical[13/09/2004] O Que fazer com o audiovisual no museu?[13/09/2004] MoMA (re)descobre a América Latina[08/10/2004] A ditadura dos produtores culturais, por Fabio Cypriano[10/12/2004] Colapso do Banco Santos, por Nelson Brissac[23/02/2005] Morre Jesús Soto. A invenção do Penetrável.[23/03/2005] Mercado de artes: global e desigual[12/04/2005] Mostra Pan-africana de arte contemporânea em Salvador[07/05/2005] Diário de um artista em residência na Cité, em Paris: Fábio Morais11/12/2010 11
  12. 12. 2006-2010[08/07/2006] Zidane por Philippe Parreno e Douglas Gordon[22/08/2006] Trópico participa da documenta 12 magazine e elabora um dossiê para cada pergunta enviada pelo curador: “A modernidade é nossa Antigüidade?”; “O que é a vida nua?” e “O que deve ser feito?”11/12/2010 12
  13. 13. Cinema brasileiro5 x Favela – Agora por nós mesmos [d’après Cinco Vezes Favela, 1962, CPC-UNE], por Carlos Diegues e Renata Magalhães: “Fontes de Rendimentos”, de Manaíra Carneiro e Wagner Novais; “Arroz e Feijão”, de Rodrigo Felha e Cacau Amaral; “Concerto para Violino”, de Luciano Vidigal; “Deixar Voar”, de Cadu Barcelos; e “Acende a Luz”, de Luciana Bezerra.• Os destaque no panorama cinematográfico brasileiro, nos últimos anos, foi acompanhado de perto pela revista. Um excelente exemplo pode ser conferido na conversa entre dois diretores muito diferentes: Tata Amaral e Fernando Meireles (Cidade de Deus, adaptação do romance homônimo de Paulo Lins). Trata da história do tráfico vista de dentro de uma favela, contada pelo garoto Buscapé. Destaque para o trabalho de oficina de atores: 2 mil entrevistas em várias comunidades do Rio até chegar a 200 garotos convidados para participar. Foi indicado para o Globo de Ouro e o Prêmio Bafta, na Inglaterra.• Link: http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/1605,1.shl•• Artigos de Ilana Feldman, como a entrevista com João Moreira Salles, autor do 1311/12/2010 documentário Santiago; acompanhamento da fabricação de “Big Brother”, programa televisivo que é sucesso de público e incorporou processos ficcionais em
  14. 14. Novo mundo• Evitar a ideia de “novas mídias”, um termo sem sentido já que toda mídia, quando surge, é nova;• foco na produção cultural e artística localizada nos ambientes em rede;• abordagens que apontem ambivalências das ações na internet em todas as suas formas de expressão e apropriação (artísticas, sociais, políticas e tecnológicas);• atenção às estratégias micropolíticas e formas de agenciamento das configurações mediadas pela internet.11/12/2010 14
  15. 15. 11/12/2010 15
  16. 16. Hélio Oiticica• O audiovisual na instituição artística• A invenção do Penetrável (morre Jesús Soto)• Longing for the body e bodywise•11/12/2010 16
  17. 17. Artigos pontuais sobre artistas• Daniel Senise, Marina Saleme, Rosângela Rennó, Edgard de Souza, Claudia Andujar, Nuno Ramos11/12/2010 17
  18. 18. a.r.t.e.. Luz nas trevas, por Denise MotaEm Buenos Aires, o Teatro Ciego apresenta peças no escuro, encenadas por atores com deficiência visual. Selva multimídia. Ianomâmis põem a Amazônia na ópera, por Stella SenraObra multimídia criada por brasileiros e europeus estreia em Munique.. A fascinação dos castrati está de volta, por Alvaro MachadoCantor ucraniano Vitas, com alcance vocal incomum, vira fenômeno musical na Rússia e na China.. O lugar de Gilberto Gil, por Henry BurnettNo recém-lançado “Bandadois”, o compositor e cantor faz uma síntese de sua obra e um balanço de sua vida.. Bossa dissonante, por Carlos AdrianoApós 25 anos de atuação como cantora, Lucila Tragtenberg lança “Voz, Verso e Avesso”, seu primeiro CD.. Nonsense para crianças, por Carlos AdrianoCid Campos faz versões musicais de textos de Edward Lear, Lewis Caroll, Augusto de Campos e Paulo Leminski.11/12/2010 18
  19. 19. Estante dos mais citadosMichael Hardt e Toni Negri, ImpérioJacques Rancière, A partilha do sensívelGiorgio Agamben, Vida NuaMichel Foucault, Le Courage de la VéritéBoris Groys, A Topologia da ArteJulio Garcia Pessanha, A Certeza do AgoraEdward Said, OrientalismoMilton Hatoum, Dois IrmãosLaymert García dos Santos, Aleksandr SokúrovArthur Danto, The Abuse of Beauty: aesthetics and the concept of artSlavoj Zizek, Lacrimae RerumSusan Buck-Morss, Dialética do Olhar – Walter Benjamin e o Projeto das Passagens11/12/2010 19
  20. 20. livrosFerran Adrià, A Cozinha a NuChico Buarque, Leite DerramadoVladimir Safatle, Cinismo e Falência da CríticaAndré Gorz, Carta a D. - Uma História de Amor11/12/2010 20
  21. 21. Tópicos gerais para discutir “em obras”• Partido editorial: o título “em obras” foi escolhido para sinalizar o caráter experimental pretendido na seção. Essa experimentalidade poderia aparecer tanto na escrita dos autores (gênero e estilo dos textos em aberto, podendo ser uma entrevista, um ensaio acadêmico ou uma tradução etc.) como na opção por uma agenda de práticas artísticas não consagradas ou cujo entendimento ainda está em processo, sem garantia de perdurar no tempo.• Forte presença de Hélio Oiticica. Tese não publicada sobre artista que escrevia “textos práticos”.• Dos autores: o pagamento simbólico do fee já determinava a impossibilidade de convidar grandes nomes. Optou-se pela formação, espécie de tutorial para novos autores. Exemplos.• Duas fases, antes e depois do “Trópico na Pinacoteca”, rara parceria a partir do momento que Marcelo Mattos Araújo assume a direção do principal museu da cidade. Objetivos e resultados alcançados. Modelo adotado hoje em profusão.• Para um público especializado? Informações até então inexistentes sobre debates institucionais no plano internacional, restritos a museus hegemônicos: MoMA, Louvre, Pompidou, Jeu de Paume. Inicia com Palais de Tokyo antes da globalização desse formato.• Participação na documenta 12 magazines, 2007 e enquête da Folha de S. Paulo (data?) revela que é o site mais consultado entre críticos, artistas e curadores brasileiros.• Pautas em destaque. Datas históricas (inaugurações, polêmicas etc.).• “Espaço experimental que se destina a narrativas em construção. Aqui, poderão ser encontrados fragmentos, traduções, enquetes, correspondências, migalhas estéticas, isto é, narrativas menores. Um parágrafo poderá valer um ensaio acadêmico, quando for o caso.”11/12/2010 21
  22. 22. Palavras-chavecultura globalização resistência socialismo sonho Congo silêncio êxtase 11 de setembro generosidade garra racionalidade herança11/12/2010 22

×