Planejamento Estratégico de Comunicação Digital para o Setor Público - Brasília, out/2013
about.me/murilopinto
COMUNICAÇÃO PÚBLICA
Ideais de comunicação
Renascimento: mercantilismo, impressão e racionalismo
tornam o livro objeto de comunicação e discuss...
Midatização da mídia
Propaganda. Estados totalitários.
Publicidade surge como forma de independência dos
veículos frente a...
Ideal liberal revisitado
• Reação à supremacia do mercado
• Restabelecimento do debate público autêntico
• Informar cidadã...
Governamental
Prestação de contas, lobby estatal
(convencimento quanto a uma política
pública), propaganda, institucional
...
Singularidades do Poder e da jurisdição
Legitimação indireta de autoridades e decisões
Concursos e leis, não voto
Aspecto ...
Missão, visão e valores
“Promover o conhecimento sobre a atuação do Tribunal e o
exercício esclarecido da cidadania, garan...
STJ já estava no Facebook...
...faltava só saber disso
STF “não tem” página...
fb.com/SupremoTribunalFederal?filter=2
E-gov
TIC domicílios-IBGE, jun/2013
Receita Federal e demais tributos (CPF, IRPF, taxas) 78%
Emissão de documentos (certid...
PARADIGMA DIGITAL
Computador nasce como ferramenta de
armazenamento e processamento de dados (1941,
Alemanha)
Torna-se ferramenta de comunic...
“A informação quer ser livre e gratuita. A informação também
quer ser cara. Essa tensão não vai se dissipar”
Stewart Brand...
Valor institucional estratégico do STJ
Inovação = criatividade + resultados
criatividade aplicada ao trabalho
Inovar
Melho...
Filosofia de desenvolvimento
Evita riscos
Processo lento de testes
Nenhum produto até “pronto”
Grandes lançamentos
Ciclos ...
agregar valor
Aproveite o bom conteúdo já disponível
Governos são usinas de conteúdo
Mão dupla: produto é divulgado e valo...
dlvr.it: RSS  Facebook, Twitter, Tumblr...
ifttt.com: diversas combinações de gatilhos e ações
para dezenas de canais.
ex...
HUMOR
Se fosse preciso escolher uma forma de comunicação para
caracterizar a linguagem da internet, seria, sem dúvida, o humor.
...
via
CDC (equivalente americano da Fiocruz, responsável
pelo controle de epidemias), publicou um post sobre o
assunto em seu bl...
OUTROS PRINCÍPIOS EDITORIAIS
CONTEÚDO INSTITUCIONAL
Página do STJ, não da imprensa ou da comunicação
Livros sorteados são lançados no ou têm algum outr...
APLICANDO AS IDEIAS
Boletim estatístico vs infográfico infogr.am
j.mp/STJestatisticas2012
Google Maps
j.mp/STJmapa
Mapa de decisões
calendário
Google Agenda
Ifttt.com
j.mp/calendariostj
Calendário
Google Drive
Forms + script Flubaroo
Quiz
MEMES
níveis de informação
Meme
Notícia
Decisão
Mesmos critérios de seleção e
relevância
Não necessariamente mesmos
conteúdos
Ad...
Notícia: 21 mil leituras
Notícia: 47 mil leituras 4 mil cliques para o portal
EXEMPLOS
exemplos
interação
Responder
Cumprir promessas
Desenvolver
relacionamentos
atender demandas
resultados gerais da página
Mais de 230 mil fãs
Postagem mais vista (últimos 3 meses):
205 mil pessoas
Alcance por post: 3...
1:1.000
400 interações
8 mil cliques
para o portal
3 mil interações
clicou
curtiu/ compartilhou / comentou
Em geral, fotos...
PDF!?
Nosso público
Planejamento Estratégico de Comunicação Digital para o Setor Público - Brasília, out/2013
murilo.pinto@gmail.com
twitter.c...
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais

1.460 visualizações

Publicada em

Apresentação do caso do STJ no Facebook e outras mídias sociais com foco nos princípios e conceitos que embasam a atuação.
Preparada para palestra no curso Planejamento estratégico de comunicação digital para o setor público do Nino Carvalho.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.460
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Princípios e conceitos para a comunicação pública em mídias sociais

  1. 1. Planejamento Estratégico de Comunicação Digital para o Setor Público - Brasília, out/2013 about.me/murilopinto
  2. 2. COMUNICAÇÃO PÚBLICA
  3. 3. Ideais de comunicação Renascimento: mercantilismo, impressão e racionalismo tornam o livro objeto de comunicação e discussão Democracia representativa e ampliação da esfera pública e estabelecem necessidade de acesso livre à informação Revolução industrial massifica meios de produção e de comunicação: rádio, TV, jornais diários Razão e Ação Comunicativa x Razão e Ação Instrumental diálogo autêntico X manipulação dirigida
  4. 4. Midatização da mídia Propaganda. Estados totalitários. Publicidade surge como forma de independência dos veículos frente a governos Lógica comercial. Índices de audiência influenciam jornais e pautas Jornais influenciam os demais campos, como os sociais e políticos Todo o discurso político e de questões públicas fica submetido à lógica e à sanção do mercado
  5. 5. Ideal liberal revisitado • Reação à supremacia do mercado • Restabelecimento do debate público autêntico • Informar cidadão para tomada de decisões coletivas • Engajamento e inserção do cidadão na vida pública e coletiva nacional Comunicação pública contemporânea
  6. 6. Governamental Prestação de contas, lobby estatal (convencimento quanto a uma política pública), propaganda, institucional Política Promoção de um agente, marketing político, interesse eleitoral PÚBLICA Esclarecimento dos cidadãos sobre temas de interesse público, para deliberação informada sobre questões da coletividade Dialógica e horizontal Comunicação estatal
  7. 7. Singularidades do Poder e da jurisdição Legitimação indireta de autoridades e decisões Concursos e leis, não voto Aspecto contramajoritário Influência da opinião pública vs leis e princípios universais “Que absurdo!” Escopo intrapartes dos processos judiciais Limites legais da participação popular Formulação indireta de políticas públicas Restrições ao ativismo Inércia da jurisdição “Vocês não vão fazer nada?!”
  8. 8. Missão, visão e valores “Promover o conhecimento sobre a atuação do Tribunal e o exercício esclarecido da cidadania, garantindo um relacionamento simétrico e transparente da instituição com seus vários públicos.” “Promover a cidadania, o desenvolvimento humano e social, em uma perspectiva de interlocução com seus públicos internos e externos, com cobertura diferenciada em relação às mídias tradicionais, de decisões e fatos relacionados ao Tribunal, focando na prestação de serviço, na orientação do cidadão e no esclarecimento da sociedade, de modo a contribuir para o debate democrático de temas públicos e o exercício de direitos” minuta Política de Comunicação Institucional - STJ
  9. 9. STJ já estava no Facebook... ...faltava só saber disso STF “não tem” página... fb.com/SupremoTribunalFederal?filter=2
  10. 10. E-gov TIC domicílios-IBGE, jun/2013 Receita Federal e demais tributos (CPF, IRPF, taxas) 78% Emissão de documentos (certidões, licenças etc.) 47% Justiça (processos, direitos de consumidor e trabalhista) 44% Concurso e emprego 38% Educação 26% Previdência e assistência social 23% Saúde 22% Habilitação e veículos 21% Direito do consumidor 14% Boletim de ocorrência 6% Canais de interação e participação 6% % dos usuários de e-gov: serviços usadosBase: 65% do total de usuários ativos de internet
  11. 11. PARADIGMA DIGITAL
  12. 12. Computador nasce como ferramenta de armazenamento e processamento de dados (1941, Alemanha) Torna-se ferramenta de comunicação com a internet, uma rede de redes, sem pontos centrais (1973-1990) Digitalizar é transformar em dígitos Toda informação é transformada em números: 0 e 1 Computadores são máquinas de cálculo  Toda informação é facilmente processável por computadores Edição, cópia, armazenamento e transporte sem perdas, sem custos, sem complexidades técnicas (Photoshop, Word, MP3, YouTube, BitTorrent, Wordpress, prosumer...) Do que falamos quando falamos em digital
  13. 13. “A informação quer ser livre e gratuita. A informação também quer ser cara. Essa tensão não vai se dissipar” Stewart Brand, 1984 – Hacker’s Conference Redes sociais se alinham aos ideais de comunicação pública ao paradigma digital aos ideais liberais de comunicação à lógica comercial às necessidades humanas a interesses estatais Projetos antagônicos Conflitos latentes e explícitos Opções cotidianas da sociedade
  14. 14. Valor institucional estratégico do STJ Inovação = criatividade + resultados criatividade aplicada ao trabalho Inovar Melhor inovação na comunicação do Poder Judiciário em 2012 /STJnoticias namechk.com
  15. 15. Filosofia de desenvolvimento Evita riscos Processo lento de testes Nenhum produto até “pronto” Grandes lançamentos Ciclos longos de desenvolvimento Riscos são parte do processo Testes e correções contínuos Novidades incrementais Pequenos e constantes ajustes Ciclos curtos de desenvolvimento iterativo“waterfall”
  16. 16. agregar valor Aproveite o bom conteúdo já disponível Governos são usinas de conteúdo Mão dupla: produto é divulgado e valoriza o conteúdo Tradicional Aproveitamento Espaço Cultural Sorteios dos lançamentos Informativo de jurisprudência Memes Manual de textos Dicas de português Glossário jurídico Agenda de sessões Google Agenda Site infantil Jogos Estatísticas Infográfico Rádio Soundcloud TV YouTube “arquivo” “Há um ano” Respostas repetidas FAQ, post geral
  17. 17. dlvr.it: RSS  Facebook, Twitter, Tumblr... ifttt.com: diversas combinações de gatilhos e ações para dezenas de canais. ex: Se uma nova imagem é publicada na página do Facebook, então a publique no Twitter ex: Se um evento vai começar, então publique isso no Facebook
  18. 18. HUMOR
  19. 19. Se fosse preciso escolher uma forma de comunicação para caracterizar a linguagem da internet, seria, sem dúvida, o humor. Ele se tornou a principal força que junta pessoas, organiza movimentos, protestos, cria comunidades e, com isso, assume cada vez mais uma importância política. Ronaldo Lemos, CTS/FGV Direito-RJ, na Trip A linguagem da internet As intervenções com apelo de humor não podem ser gratuitas, feitas simplesmente pela exploração da graça. As mensagens relevantes para a instituição precisam ser comunicadas conjunta e primordialmente.
  20. 20. via
  21. 21. CDC (equivalente americano da Fiocruz, responsável pelo controle de epidemias), publicou um post sobre o assunto em seu blog Além de discutir de onde vêm os zumbis e porque gostam tanto de cérebros, a CDC informava como sobreviver a ataques e à expansão da “contaminação” Apocalipse zumbi: como sobreviver Ao tratar dos zumbis, também dava informações sobre como se portar em casos de emergências e epidemias reais Resultado: mais de 1.200 comentários, tanto sobre a “cultura” zumbi quanto sobre a preparação para emergências
  22. 22. OUTROS PRINCÍPIOS EDITORIAIS
  23. 23. CONTEÚDO INSTITUCIONAL Página do STJ, não da imprensa ou da comunicação Livros sorteados são lançados no ou têm algum outro vínculo com o STJ Frases de ministros do STJ em atuação institucional Glossário jurídico, dicas de português e latimextraídos do Manual de Padronização de Textos oficial do STJ ÉTICA Conteúdos de outras entidades podem entrar, compartilhadas expressamente das fontes originais, desde que associadas a valores e papel do Tribunal Não “pirateie” conteúdo alheio e dê crédito onde for devido MODERAÇÃO x CENSURA Página é espaço institucional Públicos de sensibilidades variadas (censura etária livre) Judiciário é imparcial Regras são explícitas Críticas não ofensivas são legítimas e publicadas AUTONOMIA E SENIORIDADE DA GESTÃO Edição de conteúdos tem mesmos critérios que outros canais Fluxos de aprovação simplificados e ágeis Apenas profissionais qualificados publicam e respondem
  24. 24. APLICANDO AS IDEIAS
  25. 25. Boletim estatístico vs infográfico infogr.am j.mp/STJestatisticas2012
  26. 26. Google Maps j.mp/STJmapa Mapa de decisões
  27. 27. calendário Google Agenda Ifttt.com j.mp/calendariostj Calendário
  28. 28. Google Drive Forms + script Flubaroo Quiz
  29. 29. MEMES
  30. 30. níveis de informação Meme Notícia Decisão Mesmos critérios de seleção e relevância Não necessariamente mesmos conteúdos Adaptação da linguagem ao público Fundamentos técnicos, com termos próprios do campo de estudo Explicação simples, prática e geral Atração
  31. 31. Notícia: 21 mil leituras
  32. 32. Notícia: 47 mil leituras 4 mil cliques para o portal
  33. 33. EXEMPLOS
  34. 34. exemplos
  35. 35. interação Responder Cumprir promessas Desenvolver relacionamentos
  36. 36. atender demandas
  37. 37. resultados gerais da página Mais de 230 mil fãs Postagem mais vista (últimos 3 meses): 205 mil pessoas Alcance por post: 30 mil pessoas Visualizações por post: 60 mil
  38. 38. 1:1.000 400 interações 8 mil cliques para o portal 3 mil interações clicou curtiu/ compartilhou / comentou Em geral, fotos geram MUITO MAIS (7x+) interação (“envolvimento”)
  39. 39. PDF!?
  40. 40. Nosso público
  41. 41. Planejamento Estratégico de Comunicação Digital para o Setor Público - Brasília, out/2013 murilo.pinto@gmail.com twitter.com/murilopinto slideshare.net/murilopinto about.me/murilopinto murilo.pinto@gmail.com twitter.com/murilopinto slideshare.net/murilopinto about.me/murilopinto

×