Redes sociais

228 visualizações

Publicada em

Características da redes sociais

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
228
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes sociais

  1. 1. REDES SOCIAIS INFLUENCIAM A OPINIÃO PÚBLICA?
  2. 2. O BRASIL NA REDE MUNDIAL
  3. 3. O BRASIL NA REDE MUNDIAL - DISTRIBUIÇÃO
  4. 4. O BRASIL NAS REDES SOCIAIS
  5. 5. O BRASIL NAS REDES SOCIAIS
  6. 6. O BRASIL NAS REDES SOCIAIS - PROJEÇÃO
  7. 7. COMPORTAMENTO NAS REDES SOCIAS . Mais de 60% dos internautas usuários de redes sociais consideram o Tweeter mais “agressivo” do que o Facebook . 49% dos usuários do Facebook “curtem” publicações mais para agradar aos amigos do que por concordar com ela. . Mais de 70% dos internautas afirmam que usam as redes sociais como fonte de informação . Também consideram as redes sociais mais “livres” do que as mídias tradicionais. . Entretanto, mais de 80% do conteúdo informativo das redes sociais se origina em veículos “tradicionais” . Os mesmo percentual de 70% dos usuários de redes sociais afirma se orientar pela opinião de um grupo reduzido de fontes de informação, tradicionais ou “alternativas” (pessoas ou instituições consideradas “confiáveis” por eles.
  8. 8. OS POLÍTICOS E OS USUÁRIOS DE REDES SOCIAIS Segundo os especialistas, os políticos e os usuários SE CRUZAM nas redes sociais, mas NÃO DIALOGAM. A maioria dos políticos ainda usa as redes como forma de divulgação e não como forma de trocar informações e/ou opiniões. “Verdade seja dita, este equívoco constante é o cerne da desconexão política feita pela web. O espaço virtual que você menciona não é um “espaço público” no sentido mais puro da palavra. Políticos e cidadãos se cruzam, mas raramente se encontram na web. Troca de tweets pode ser uma boa comunicação, mas não faz política. Em essência, criar esse espaço ainda é um trabalho em andamento e nós devemos olhar a evolução geracional ao invés de soluções tecnológicas. Elas são um recurso fantástico para os deputados. Elas são baratas, elas estão livres dos filtros da mídia [tradicional] (e seu baixo nível de interesse nos assuntos europeus) e são muito adequadas para manter o elo com os eleitores, mesmo estando em Bruxelas, Estrasburgo ou em qualquer lugar “ Stanisla Magniant
  9. 9. A DESINFORMAÇÃO PELO EXCESSO . A preocupação dos especialistas em internet, hoje em dia, é que as redes sociais tem se tornado mais superficiais e “espetaculosas” e menos profundas e reflexivas . Com isso, as pessoas são bombardeadas por um enorme volume de informações mas conseguem de fato formar uma opinião . Outras fogem desse bombardeio e se dedicam apenas a conversas e eventos nas redes sociais . Entrevistas com essas pessoas mostram que pouco conhecem dos fatos políticos que a cercam, ouviram dizer apenas, mas não tem opinião formada . A sensação de insegurança quanto a opções políticas permanece, apesar da facilidade de acesso à informação.
  10. 10. AS MÍDIAS TRADICIONAIS O dilema está entre a necessidade de: velocidade e interatividade somada à confiabilidade.

×