SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
PSICOLOGIA
PSICOLOGIA
O que é Psicologia?
Psicologia é uma ciência que estuda o comportamento humano e os processos mentais
(razão, pensamento, emoção e comportamento).
Os primeiros pensadores a se envolver com questões relacionadas à psicologia foram os
filósofos gregos clássicos, por volta de 200 anos A.C. Como marco simbólico, tem-se
1879, ano em que foi criado um laboratório de pesquisas em psicofísica na Alemanha.
No Brasil a psicologia teve dois caminhos de entrada: no início do século XX pelos cursos
de formação de professores e de pedagogia; alguns anos mais tarde pela "psicologia
industrial", como a maior industrialização dos centros urbanos.
O Psicólogo, dentro de suas especificidades profissionais, atua no âmbito da educação,
saúde, lazer, trabalho, segurança, justiça, comunidades e comunicação com o objetivo de
promover, em seu trabalho, o respeito à dignidade e integridade do ser humano.
PSICOLOGIA
Contribui para a produção do conhecimento científico da psicologia através da
observação, descrição e análise dos processos de
desenvolvimento, inteligência, aprendizagem, personalidade e outros aspectos do
comportamento humano e animal; analisa a influência de fatores
hereditários, ambientais e psicossociais sobre os sujeitos na sua dinâmica intrapsíquica e
nas suas relações sociais, para orientar-se no psicodiagnóstico e atendimento psicológico;
promove a saúde mental na prevenção e no tratamento dos distúrbios psíquicos, atuando
para favorecer um amplo desenvolvimento psicossocial; elabora e aplica técnicas de
exame psicológico, utilizando seu conhecimento e práticas metodológicas
específicas, para conhecimento das condições do desenvolvimento da personalidade, dos
processos intrapsíquicos e das relações interpessoais, efetuando ou encaminhando para
atendimento apropriado, conforme a necessidade.
PSICOLOGIA
Participa da elaboração, adaptação e construção de instrumentos e técnicas
psicológicas através da pesquisa, nas instituições acadêmicas, associações
profissionais e outras entidades cientificamente reconhecidas. Realiza divulgação e
troca de experiência nos eventos da profissão e comunidade científica e, à população
em geral, difunde as possibilidades de utilização de seus recursos.
PSICOLOGIA
O psicólogo desempenha suas funções e tarefas profissionais individualmente e em
equipes multiprofissionais, em instituições privadas ou públicas, em organizações
sociais formais ou informais, atuando em: hospitais, ambulatórios, centros e postos de
saúde, consultórios, creches, escolas, associações comunitárias, empresas, sindicatos,
fundações, varas da criança e do adolescente, varas de família, sistema penitenciário,
associações profissionais e/ou esportivas, clínicas especializadas, psicotécnicos,
núcleos rurais e nas demais áreas onde as questões concernentes à profissão se façam
presentes e sua atuação seja pertinente.
PSICOLOGIA
TEORIA DA APRENDIZAGEM
“Nenhum tópico é mais próximo da essência da psicologia que a aprendizagem, uma
mudança relativamente permanente no comportamento de um organismo em
decorrência da experiência (Myers, David 1998)”.
O que é passível de ser aprendido pode, potencialmente, ser ensinado.
A psicoterapia acredita que o que foi aprendido pode ser mudado por uma nova
aprendizagem.
Aristóteles por volta 343 a.C. afirmou que a aprendizagem é o resultado de
associação, ou seja, nossas mentes ligam eventos que ocorrem em sequencia.
PSICOLOGIA
PRINCIPIO DO REFORÇO
Principio do Reforço é um tipo de aprendizagem que consiste em associar
comportamentos com as consequências, a esse tipo de aprendizagem chamamos de
Condicionamento Operante. Nele qualquer evento aumenta a frequência de uma reação
precedente.
A maioria das pessoas pensa no reforço como uma recompensa, mas na verdade há dois
tipos: o positivo e o negativo.
Enquanto o reforço positivo tende a aumentar o comportamento (ex. alimento aos
animais de circo) o negativo fortalece uma reação ao diminuir ou remover um estímulo
aversivo (ex. despertador).
O reforço negativo NÃO é um evento punitivo; é a remoção do evento punitivo.
PSICOLOGIA
PUNIÇÃO
O efeito da punição é o oposto ao do reforço. O reforço aumenta um comportamento
enquanto a punição diminui, ou seja, uma punição é uma consequência aversiva que
diminuí a frequência de um comportamento precedente.
Há psicólogos que acreditam que esse comportamento não se extingue, somente há
uma supressão temporária do mesmo.
PSICOLOGIA
TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL
A Terapia Cognitiva Comportamental é uma abordagem terapêutica desenvolvida
por Aaron T. Beck no início da década de 60.
“É conhecido como uma psicoterapia breve, estruturada, voltada ao presente,
direcionada a resolver problemas atuais e a modificar os pensamentos e os
comportamentos disfuncionais. (Beck, Judith S. 2007)”
PSICOLOGIA
A Terapia Cognitiva Comportamental se baseia em 10 princípios, são eles:
1. Formulação contínua do desenvolvimento do paciente e de seus problemas em
termos cognitivos. (Ex. pensamento momentâneo e comportamentos seguintes).
2. Aliança terapêutica segura, empatia.
3. Colaboração e participação ativa. (Ex. dever de casa)
4. Criação de metas e foco nos problemas.
5. Foco no presente. Volta ao passado em 3 situação, 1. Quando o presente não
funciona, 2. Quando há predileção nessa época pelo paciente, 3. Quando há a
necessidade de se averiguar algo.
6. É uma terapia educativa, ou seja, visa ensinar ao paciente a ser seu próprio
terapeuta e enfatiza a prevenção da recaída.
7. Visa um tempo limitado.
8. As sessões são estruturadas.
9. A TCC ensina o paciente a identificar, avaliar e responder seus pensamentos e
crenças disfuncionais.
10. Utiliza uma variedade de técnicas para mudar pensamento, humor e
comportamento.
PSICOLOGIA
MOTIVAÇÃO
PSICOLOGIA
A motivação é uma necessidade, um desejo que motiva um determinado
comportamento e o orienta para um objetivo.
É uma força interior que se modifica a cada momento durante toda a vida, onde
direciona e intensifica os objetivos de um individuo.
“A motivação é encarada como uma espécie de força interna que emerge, regula e
sustenta todas as nossas ações mais importantes. Contudo, é evidente que motivação é
uma experiência interna que não pode ser estudada diretamente”.(Vernon, 1973,
p.11).
PSICOLOGIA
Segundo Abraham Maslow, o homem se motiva quando suas necessidades são todas
suprimidas de forma hierárquica. Maslow organiza tais necessidades da seguinte
forma:
PSICOLOGIA
MOTIVAÇÃO
Nas salas de aula, no trabalho e nas quadras esportivas, há dois tipos de motivação. A
motivação intrínseca e extrínseca.
A motivação intrínseca, também chamada de motivação pessoal ou inconsciente, é a
motivação que vem do prazer que alguém obtém da tarefa em si, da satisfação
resultante de completar uma tarefa ou simplesmente de trabalhar nessa mesma tarefa.
Por outro lado, a motivação extrínseca, também conhecida por motivação ambiental
ou consciente, são os fatores motivacionais externos, traduzidos em recompensas
como dinheiro ou ganhos em competições (no caso do esporte). Estas recompensas
proporcionam a satisfação ou o prazer que a tarefa em si não proporciona.
No que diz respeito ao comportamento do indivíduo, é difícil distinguir um tipo de
motivação do outro, residindo a diferença essencialmente no motivo que leva a pessoa a
agir.
MOTIVAÇÃO
PSICOLOGIA
DIFERENCIANDO STRESS E ANSIEDADE NA PSICOLOGIA DO ESPORTE E
PSICOLOGIA CLÍNICA
PSICOLOGIA
Stress
Rodrigues (1997) traz uma definição de estresse como "uma relação particular entre
uma pessoa, seu ambiente e as circunstâncias às quais está submetida, que é avaliada
pela pessoa como uma ameaça ou algo que exige dela mais que suas próprias
habilidades ou recursos e que põe em perigo o seu bem-estar" (op. cit., p.24). Esta é uma
visão biopsicossocial do estresse, que considera os estímulos estressores provenientes
tanto do meio externo (estímulos de ordem física ou social, como o trabalho), quanto do
interno (pensamentos, emoções, fantasias e sentimentos, como angústia, medo, alegria e
tristeza).
PSICOLOGIA
Para a Psicologia Clínica o estresse pode ser causado por qualquer situação ou sensação
que o faz se sentir frustrado, irritado ou ansioso. O que é estressante para uma pessoa
pode não o ser para outra.
DIFERENCIANDO STRESS E ANSIEDADE NA PSICOLOGIA DO ESPORTE E
PSICOLOGIA CLÍNICA
A Psicologia do Esporte entende que o estresse ocorre quando há um desequilíbrio
substancial entre as demandas físicas e psicológicas impostas a um indivíduo e sua
capacidade de resposta. O estresse se manifesta no corpo, na mente, no comportamento
e nas emoções do indivíduo. Dores de cabeça, irritações na pele, cansaço, dores
musculares, dificuldade de tomar decisões, pensamentos negativos, pesadelos,
diminuição da confiança, irritabilidade, insônia, diminuição da libido e do apetite são
alguns dos sintomas que podem ser causados pelo estresse. No caso de um atleta, não é
difícil imaginar que isso prejudique e muito o desempenho nos treinos e competições, o
que, por sua vez, aumenta o estresse e a pressão sofrida por ele.
PSICOLOGIA
Ansiedade
A ansiedade é uma sensação de apreensão, nervosismo ou medo. A origem desse
desconforto nem sempre é identificada ou reconhecida, o que pode piorar a angústia.
Gould (1996) acredita que a habilidade de manejar os fatores geradores de ansiedade no
esporte é parte importante do atleta para conseguir apresentar bom rendimento nas
competições. Grande parte dos estudos da ansiedade no esporte está relacionado com a
influencia da mesma sobre o rendimento do atleta (Murphy, 1988).
PSICOLOGIA
A ansiedade é um estado emocional caracterizado por nervosismo, preocupações e
apreensões que se manifestam fisiologicamente, gerando uma agitação no corpo da
pessoa.
Existe a ansiedade-traço, que faz parte da personalidade do indivíduo, e a ansiedade-
estado, que, como o nome diz, é um estado emocional temporário.
No primeiro caso, já faz parte da personalidade da pessoa perceber as circunstâncias
como ameaçadoras ou preocupantes, mesmo que a princípio não sejam.
No segundo caso, são os estímulos ambientais que geram, temporariamente,
sentimentos de apreensão e tensão.
É importante entender que a ansiedade, o estresse e mesmo o medo nem sempre são
negativos para um atleta.
Um certo nível de ansiedade é necessário para que aconteça a ativação física e
psicológica do indivíduo, a qual permite que o atleta esteja preparado para apresentar
um desempenho no nível ótimo.
A ativação é uma mistura de atividades fisiológicas e psicológicas numa pessoa, e
refere-se às dimensões de intensidade de motivação em um determinado momento.
Fisiologicamente, ela varia em um continuum que vai do sono profundo à imensa
agitação.
Há um nível ótimo, ideal de ativação, e uma vez que o corpo e o cérebro da pessoa
continuam recebendo estímulos e ficando mais agitados, passa-se ao estado de fadiga,
no qual o atleta está tão agitado e ansioso que não consegue atuar adequadamente.
PSICOLOGIA
PSICOLOGIA
BIBLIOGRAFIA:
•Angelo, L. F. &Rubio, K. Instrumentos de avaliação em Psicologia do Esporte. São
Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.
• Barreto, J. A. Psicologia do esporte: para o atleta de alto rendimento. Rio de Janeiro:
Shape, 2002.
• Beck, Aaron. Terapia Cognitiva da Depressão. R.J. Ed. Zahar, 1982.
•Beck Judith S. Terapia cognitiva: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 1997.
•Caballo, V. Manual de técnicas de Terapia e Modificação do comportamento. S.P. Ed.
Santos, 1996.
•Myers, David. Introdução à psicologia geral. Rio de Janeiro: LTC, 1995.
•Range, B. Psicoterapia Comportamental e Cognitiva: pesquisa, prática, aplicações e
problemas. S.P.Psy, 1995.
•Range, B. Psicoterapia Comportamental e cognitiva: transtornos psiquiátricos. S.P.
Ed. Psy, 1995.
•Samulski, D.M.Psicologia do esporte: manual para a eduação física, psicologia e
fisioterapia. Barueri, SP: Editora Manole, 2002.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúdeIntrodução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúdeMaria Clara Teixeira
 
Transtorno de personalidade
Transtorno de personalidadeTranstorno de personalidade
Transtorno de personalidadeLuisa Sena
 
Transtornos mentais
Transtornos mentaisTranstornos mentais
Transtornos mentaisjoao hermano
 
História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...
História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...
História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...Caio Maximino
 
Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa MandyNeres7
 
Aula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitosAula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitosFuturos Medicos
 
Introdução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaIntrodução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaCaio Maximino
 
Psicologia aula 7 temperamento
Psicologia aula 7 temperamentoPsicologia aula 7 temperamento
Psicologia aula 7 temperamentoCintia Colotoni
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaRita Cristiane Pavan
 
Transtorno bipolar e transtornos relacionados
Transtorno bipolar e transtornos relacionadosTranstorno bipolar e transtornos relacionados
Transtorno bipolar e transtornos relacionadosCaio Maximino
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaEdgard Lombardi
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introduçãoChrys Souza
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Alexandre Simoes
 
Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial Gizelly
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Cintia Colotoni
 

Mais procurados (20)

Introdução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúdeIntrodução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúde
 
Transtorno de personalidade
Transtorno de personalidadeTranstorno de personalidade
Transtorno de personalidade
 
Transtornos mentais
Transtornos mentaisTranstornos mentais
Transtornos mentais
 
Sindrome do pânico
Sindrome do pânicoSindrome do pânico
Sindrome do pânico
 
História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...
História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...
História da Psicopatologia / Significado e evolução dos conceitos de normalid...
 
Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
 
Aula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitosAula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitos
 
Introdução à psicopatologia
Introdução à psicopatologiaIntrodução à psicopatologia
Introdução à psicopatologia
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Psicologia aula 7 temperamento
Psicologia aula 7 temperamentoPsicologia aula 7 temperamento
Psicologia aula 7 temperamento
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
 
Teorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimentoTeorias do desenvolvimento
Teorias do desenvolvimento
 
Saúde Mental
Saúde Mental Saúde Mental
Saúde Mental
 
Transtorno bipolar e transtornos relacionados
Transtorno bipolar e transtornos relacionadosTranstorno bipolar e transtornos relacionados
Transtorno bipolar e transtornos relacionados
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
 
Origem da Psicologia
Origem da Psicologia Origem da Psicologia
Origem da Psicologia
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
 
Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
 

Destaque

Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaAula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaMarcelo Jota
 
Unidade 0: Visão geral sobre o método científico
Unidade 0: Visão geral sobre o método científicoUnidade 0: Visão geral sobre o método científico
Unidade 0: Visão geral sobre o método científicoAlexandre Duarte
 
Skinner ciência e comportamento humano
Skinner   ciência e comportamento humanoSkinner   ciência e comportamento humano
Skinner ciência e comportamento humanoLidiane Collares
 
Sistema de reconhecimento de expressão facial
Sistema de reconhecimento de expressão facialSistema de reconhecimento de expressão facial
Sistema de reconhecimento de expressão facialFabiano Da Ventura
 
Reconhecimento automático de emoções
Reconhecimento automático de emoçõesReconhecimento automático de emoções
Reconhecimento automático de emoçõesAdilmar Dantas
 
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Rafaela Sampaio
 
Workshop de motivação e psicologia positiva
Workshop de motivação e psicologia positivaWorkshop de motivação e psicologia positiva
Workshop de motivação e psicologia positivaAlfredo Leite
 
Motivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivas
Motivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivasMotivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivas
Motivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivasAlfredo Leite
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivaçãoweronicasdj
 
Apostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacionalApostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacionalGilvane Pereira
 
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIAFisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIANay Ribeiro
 
Etapas do Desenvolvimento Humano
Etapas do Desenvolvimento HumanoEtapas do Desenvolvimento Humano
Etapas do Desenvolvimento HumanoSveikata
 
Comportamento Emocional
Comportamento EmocionalComportamento Emocional
Comportamento EmocionalTiago Malta
 
Cuidados básicos de saúde
Cuidados básicos de saúdeCuidados básicos de saúde
Cuidados básicos de saúdeJose Gonçalves
 

Destaque (20)

1ª aula história da fisioterapia-1
         1ª aula   história da fisioterapia-1         1ª aula   história da fisioterapia-1
1ª aula história da fisioterapia-1
 
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaAula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
 
Unidade 0: Visão geral sobre o método científico
Unidade 0: Visão geral sobre o método científicoUnidade 0: Visão geral sobre o método científico
Unidade 0: Visão geral sobre o método científico
 
Skinner ciência e comportamento humano
Skinner   ciência e comportamento humanoSkinner   ciência e comportamento humano
Skinner ciência e comportamento humano
 
Sistema de reconhecimento de expressão facial
Sistema de reconhecimento de expressão facialSistema de reconhecimento de expressão facial
Sistema de reconhecimento de expressão facial
 
Reconhecimento automático de emoções
Reconhecimento automático de emoçõesReconhecimento automático de emoções
Reconhecimento automático de emoções
 
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
 
Aula cetrata 2
Aula cetrata 2Aula cetrata 2
Aula cetrata 2
 
Workshop de motivação e psicologia positiva
Workshop de motivação e psicologia positivaWorkshop de motivação e psicologia positiva
Workshop de motivação e psicologia positiva
 
EmoçõEs
EmoçõEsEmoçõEs
EmoçõEs
 
Motivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivas
Motivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivasMotivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivas
Motivação, palestra, workshop, psicologia positiva e empresas positivas
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
 
Psicologia organizacional
Psicologia organizacionalPsicologia organizacional
Psicologia organizacional
 
Apostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacionalApostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacional
 
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIAFisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
 
Etapas do Desenvolvimento Humano
Etapas do Desenvolvimento HumanoEtapas do Desenvolvimento Humano
Etapas do Desenvolvimento Humano
 
Comportamento Emocional
Comportamento EmocionalComportamento Emocional
Comportamento Emocional
 
Motivação e auto estima
Motivação e auto estimaMotivação e auto estima
Motivação e auto estima
 
Cuidados básicos de saúde
Cuidados básicos de saúdeCuidados básicos de saúde
Cuidados básicos de saúde
 

Semelhante a Psicologia em

Psicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraPsicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraflaviapv90
 
Psicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraPsicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraflaviapv90
 
Psicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraPsicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraflaviav90
 
Psicologia do desporto
Psicologia do desportoPsicologia do desporto
Psicologia do desportoFlávia Vieira
 
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalhopsicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalhoGraça Martins
 
07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalho07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalhoGraça Martins
 
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate0207psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02Ana Rodrigues
 
Quando devo consultar um psicólogo?
Quando devo consultar um psicólogo?Quando devo consultar um psicólogo?
Quando devo consultar um psicólogo?Tookmed
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02Jordano Santos Cerqueira
 
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O SetorO Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setorr6zvomo671
 
Psicologias[1]
Psicologias[1]Psicologias[1]
Psicologias[1]Rildo45
 
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdfAULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdfMirnaKathary1
 
Pisicologia organizacional e do trabalho unidade i
Pisicologia organizacional e do trabalho unidade iPisicologia organizacional e do trabalho unidade i
Pisicologia organizacional e do trabalho unidade iSandro Moraes
 

Semelhante a Psicologia em (20)

Psicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraPsicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieira
 
Psicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraPsicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieira
 
Psicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieiraPsicologia do desporto flavia vieira
Psicologia do desporto flavia vieira
 
PSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADAPSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADA
 
Psicologia do desporto
Psicologia do desportoPsicologia do desporto
Psicologia do desporto
 
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalhopsicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
psicologia clínica07 psicologia clínica trabalho
 
07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalho07 psicologia clínica trabalho
07 psicologia clínica trabalho
 
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate0207psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
07psicologiaclnica trabalho-150102210503-conversion-gate02
 
Quando devo consultar um psicólogo?
Quando devo consultar um psicólogo?Quando devo consultar um psicólogo?
Quando devo consultar um psicólogo?
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 02
 
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O SetorO Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
O Impacto Da Psicanálise Sobre O Setor
 
Psicologia aplicada
Psicologia aplicadaPsicologia aplicada
Psicologia aplicada
 
Núcleo psicologia
Núcleo psicologiaNúcleo psicologia
Núcleo psicologia
 
Psicologias[1]
Psicologias[1]Psicologias[1]
Psicologias[1]
 
Biopsicologia workshop
Biopsicologia workshopBiopsicologia workshop
Biopsicologia workshop
 
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdfAULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
 
Pisicologia organizacional e do trabalho unidade i
Pisicologia organizacional e do trabalho unidade iPisicologia organizacional e do trabalho unidade i
Pisicologia organizacional e do trabalho unidade i
 
Curso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalhoCurso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalho
 
Introdução Psicologia
Introdução Psicologia Introdução Psicologia
Introdução Psicologia
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
 

Mais de Mundus Esportivus (17)

Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Direito desportivo
Direito desportivoDireito desportivo
Direito desportivo
 
Desenvolvimento da criança por meio do esporte
Desenvolvimento da criança por meio do esporteDesenvolvimento da criança por meio do esporte
Desenvolvimento da criança por meio do esporte
 
Meditação
MeditaçãoMeditação
Meditação
 
Conflitos e resoluções
Conflitos e resoluçõesConflitos e resoluções
Conflitos e resoluções
 
Coaching
CoachingCoaching
Coaching
 
Biofeedback
BiofeedbackBiofeedback
Biofeedback
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Dinâmica de grupo
Dinâmica de grupoDinâmica de grupo
Dinâmica de grupo
 
Liderança no esporte
Liderança no esporteLiderança no esporte
Liderança no esporte
 
Sociologia do esporte
Sociologia do esporteSociologia do esporte
Sociologia do esporte
 
Personalidade e esporte
Personalidade e esportePersonalidade e esporte
Personalidade e esporte
 
Aula gestão esporte
Aula gestão esporteAula gestão esporte
Aula gestão esporte
 
Sobre atletas
Sobre atletasSobre atletas
Sobre atletas
 
Sobre atletas
Sobre atletasSobre atletas
Sobre atletas
 
O que é Psicologia do Esporte?
O que é Psicologia do Esporte?O que é Psicologia do Esporte?
O que é Psicologia do Esporte?
 
Equipe de coordenadores e palestrantes.
Equipe de coordenadores e palestrantes.Equipe de coordenadores e palestrantes.
Equipe de coordenadores e palestrantes.
 

Último

QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 

Último (20)

QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 

Psicologia em

  • 2. PSICOLOGIA O que é Psicologia? Psicologia é uma ciência que estuda o comportamento humano e os processos mentais (razão, pensamento, emoção e comportamento). Os primeiros pensadores a se envolver com questões relacionadas à psicologia foram os filósofos gregos clássicos, por volta de 200 anos A.C. Como marco simbólico, tem-se 1879, ano em que foi criado um laboratório de pesquisas em psicofísica na Alemanha. No Brasil a psicologia teve dois caminhos de entrada: no início do século XX pelos cursos de formação de professores e de pedagogia; alguns anos mais tarde pela "psicologia industrial", como a maior industrialização dos centros urbanos. O Psicólogo, dentro de suas especificidades profissionais, atua no âmbito da educação, saúde, lazer, trabalho, segurança, justiça, comunidades e comunicação com o objetivo de promover, em seu trabalho, o respeito à dignidade e integridade do ser humano.
  • 3. PSICOLOGIA Contribui para a produção do conhecimento científico da psicologia através da observação, descrição e análise dos processos de desenvolvimento, inteligência, aprendizagem, personalidade e outros aspectos do comportamento humano e animal; analisa a influência de fatores hereditários, ambientais e psicossociais sobre os sujeitos na sua dinâmica intrapsíquica e nas suas relações sociais, para orientar-se no psicodiagnóstico e atendimento psicológico; promove a saúde mental na prevenção e no tratamento dos distúrbios psíquicos, atuando para favorecer um amplo desenvolvimento psicossocial; elabora e aplica técnicas de exame psicológico, utilizando seu conhecimento e práticas metodológicas específicas, para conhecimento das condições do desenvolvimento da personalidade, dos processos intrapsíquicos e das relações interpessoais, efetuando ou encaminhando para atendimento apropriado, conforme a necessidade.
  • 4. PSICOLOGIA Participa da elaboração, adaptação e construção de instrumentos e técnicas psicológicas através da pesquisa, nas instituições acadêmicas, associações profissionais e outras entidades cientificamente reconhecidas. Realiza divulgação e troca de experiência nos eventos da profissão e comunidade científica e, à população em geral, difunde as possibilidades de utilização de seus recursos.
  • 5. PSICOLOGIA O psicólogo desempenha suas funções e tarefas profissionais individualmente e em equipes multiprofissionais, em instituições privadas ou públicas, em organizações sociais formais ou informais, atuando em: hospitais, ambulatórios, centros e postos de saúde, consultórios, creches, escolas, associações comunitárias, empresas, sindicatos, fundações, varas da criança e do adolescente, varas de família, sistema penitenciário, associações profissionais e/ou esportivas, clínicas especializadas, psicotécnicos, núcleos rurais e nas demais áreas onde as questões concernentes à profissão se façam presentes e sua atuação seja pertinente.
  • 6. PSICOLOGIA TEORIA DA APRENDIZAGEM “Nenhum tópico é mais próximo da essência da psicologia que a aprendizagem, uma mudança relativamente permanente no comportamento de um organismo em decorrência da experiência (Myers, David 1998)”. O que é passível de ser aprendido pode, potencialmente, ser ensinado. A psicoterapia acredita que o que foi aprendido pode ser mudado por uma nova aprendizagem. Aristóteles por volta 343 a.C. afirmou que a aprendizagem é o resultado de associação, ou seja, nossas mentes ligam eventos que ocorrem em sequencia.
  • 7. PSICOLOGIA PRINCIPIO DO REFORÇO Principio do Reforço é um tipo de aprendizagem que consiste em associar comportamentos com as consequências, a esse tipo de aprendizagem chamamos de Condicionamento Operante. Nele qualquer evento aumenta a frequência de uma reação precedente. A maioria das pessoas pensa no reforço como uma recompensa, mas na verdade há dois tipos: o positivo e o negativo. Enquanto o reforço positivo tende a aumentar o comportamento (ex. alimento aos animais de circo) o negativo fortalece uma reação ao diminuir ou remover um estímulo aversivo (ex. despertador). O reforço negativo NÃO é um evento punitivo; é a remoção do evento punitivo.
  • 8. PSICOLOGIA PUNIÇÃO O efeito da punição é o oposto ao do reforço. O reforço aumenta um comportamento enquanto a punição diminui, ou seja, uma punição é uma consequência aversiva que diminuí a frequência de um comportamento precedente. Há psicólogos que acreditam que esse comportamento não se extingue, somente há uma supressão temporária do mesmo.
  • 9. PSICOLOGIA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL A Terapia Cognitiva Comportamental é uma abordagem terapêutica desenvolvida por Aaron T. Beck no início da década de 60. “É conhecido como uma psicoterapia breve, estruturada, voltada ao presente, direcionada a resolver problemas atuais e a modificar os pensamentos e os comportamentos disfuncionais. (Beck, Judith S. 2007)”
  • 10. PSICOLOGIA A Terapia Cognitiva Comportamental se baseia em 10 princípios, são eles: 1. Formulação contínua do desenvolvimento do paciente e de seus problemas em termos cognitivos. (Ex. pensamento momentâneo e comportamentos seguintes). 2. Aliança terapêutica segura, empatia. 3. Colaboração e participação ativa. (Ex. dever de casa) 4. Criação de metas e foco nos problemas. 5. Foco no presente. Volta ao passado em 3 situação, 1. Quando o presente não funciona, 2. Quando há predileção nessa época pelo paciente, 3. Quando há a necessidade de se averiguar algo. 6. É uma terapia educativa, ou seja, visa ensinar ao paciente a ser seu próprio terapeuta e enfatiza a prevenção da recaída.
  • 11. 7. Visa um tempo limitado. 8. As sessões são estruturadas. 9. A TCC ensina o paciente a identificar, avaliar e responder seus pensamentos e crenças disfuncionais. 10. Utiliza uma variedade de técnicas para mudar pensamento, humor e comportamento. PSICOLOGIA
  • 12. MOTIVAÇÃO PSICOLOGIA A motivação é uma necessidade, um desejo que motiva um determinado comportamento e o orienta para um objetivo. É uma força interior que se modifica a cada momento durante toda a vida, onde direciona e intensifica os objetivos de um individuo. “A motivação é encarada como uma espécie de força interna que emerge, regula e sustenta todas as nossas ações mais importantes. Contudo, é evidente que motivação é uma experiência interna que não pode ser estudada diretamente”.(Vernon, 1973, p.11).
  • 13. PSICOLOGIA Segundo Abraham Maslow, o homem se motiva quando suas necessidades são todas suprimidas de forma hierárquica. Maslow organiza tais necessidades da seguinte forma:
  • 14. PSICOLOGIA MOTIVAÇÃO Nas salas de aula, no trabalho e nas quadras esportivas, há dois tipos de motivação. A motivação intrínseca e extrínseca. A motivação intrínseca, também chamada de motivação pessoal ou inconsciente, é a motivação que vem do prazer que alguém obtém da tarefa em si, da satisfação resultante de completar uma tarefa ou simplesmente de trabalhar nessa mesma tarefa. Por outro lado, a motivação extrínseca, também conhecida por motivação ambiental ou consciente, são os fatores motivacionais externos, traduzidos em recompensas como dinheiro ou ganhos em competições (no caso do esporte). Estas recompensas proporcionam a satisfação ou o prazer que a tarefa em si não proporciona.
  • 15. No que diz respeito ao comportamento do indivíduo, é difícil distinguir um tipo de motivação do outro, residindo a diferença essencialmente no motivo que leva a pessoa a agir. MOTIVAÇÃO PSICOLOGIA
  • 16. DIFERENCIANDO STRESS E ANSIEDADE NA PSICOLOGIA DO ESPORTE E PSICOLOGIA CLÍNICA PSICOLOGIA Stress Rodrigues (1997) traz uma definição de estresse como "uma relação particular entre uma pessoa, seu ambiente e as circunstâncias às quais está submetida, que é avaliada pela pessoa como uma ameaça ou algo que exige dela mais que suas próprias habilidades ou recursos e que põe em perigo o seu bem-estar" (op. cit., p.24). Esta é uma visão biopsicossocial do estresse, que considera os estímulos estressores provenientes tanto do meio externo (estímulos de ordem física ou social, como o trabalho), quanto do interno (pensamentos, emoções, fantasias e sentimentos, como angústia, medo, alegria e tristeza).
  • 17. PSICOLOGIA Para a Psicologia Clínica o estresse pode ser causado por qualquer situação ou sensação que o faz se sentir frustrado, irritado ou ansioso. O que é estressante para uma pessoa pode não o ser para outra. DIFERENCIANDO STRESS E ANSIEDADE NA PSICOLOGIA DO ESPORTE E PSICOLOGIA CLÍNICA A Psicologia do Esporte entende que o estresse ocorre quando há um desequilíbrio substancial entre as demandas físicas e psicológicas impostas a um indivíduo e sua capacidade de resposta. O estresse se manifesta no corpo, na mente, no comportamento e nas emoções do indivíduo. Dores de cabeça, irritações na pele, cansaço, dores musculares, dificuldade de tomar decisões, pensamentos negativos, pesadelos, diminuição da confiança, irritabilidade, insônia, diminuição da libido e do apetite são alguns dos sintomas que podem ser causados pelo estresse. No caso de um atleta, não é difícil imaginar que isso prejudique e muito o desempenho nos treinos e competições, o que, por sua vez, aumenta o estresse e a pressão sofrida por ele.
  • 18. PSICOLOGIA Ansiedade A ansiedade é uma sensação de apreensão, nervosismo ou medo. A origem desse desconforto nem sempre é identificada ou reconhecida, o que pode piorar a angústia. Gould (1996) acredita que a habilidade de manejar os fatores geradores de ansiedade no esporte é parte importante do atleta para conseguir apresentar bom rendimento nas competições. Grande parte dos estudos da ansiedade no esporte está relacionado com a influencia da mesma sobre o rendimento do atleta (Murphy, 1988).
  • 19. PSICOLOGIA A ansiedade é um estado emocional caracterizado por nervosismo, preocupações e apreensões que se manifestam fisiologicamente, gerando uma agitação no corpo da pessoa. Existe a ansiedade-traço, que faz parte da personalidade do indivíduo, e a ansiedade- estado, que, como o nome diz, é um estado emocional temporário. No primeiro caso, já faz parte da personalidade da pessoa perceber as circunstâncias como ameaçadoras ou preocupantes, mesmo que a princípio não sejam. No segundo caso, são os estímulos ambientais que geram, temporariamente, sentimentos de apreensão e tensão. É importante entender que a ansiedade, o estresse e mesmo o medo nem sempre são negativos para um atleta. Um certo nível de ansiedade é necessário para que aconteça a ativação física e psicológica do indivíduo, a qual permite que o atleta esteja preparado para apresentar um desempenho no nível ótimo.
  • 20. A ativação é uma mistura de atividades fisiológicas e psicológicas numa pessoa, e refere-se às dimensões de intensidade de motivação em um determinado momento. Fisiologicamente, ela varia em um continuum que vai do sono profundo à imensa agitação. Há um nível ótimo, ideal de ativação, e uma vez que o corpo e o cérebro da pessoa continuam recebendo estímulos e ficando mais agitados, passa-se ao estado de fadiga, no qual o atleta está tão agitado e ansioso que não consegue atuar adequadamente. PSICOLOGIA
  • 21. PSICOLOGIA BIBLIOGRAFIA: •Angelo, L. F. &Rubio, K. Instrumentos de avaliação em Psicologia do Esporte. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. • Barreto, J. A. Psicologia do esporte: para o atleta de alto rendimento. Rio de Janeiro: Shape, 2002. • Beck, Aaron. Terapia Cognitiva da Depressão. R.J. Ed. Zahar, 1982. •Beck Judith S. Terapia cognitiva: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 1997. •Caballo, V. Manual de técnicas de Terapia e Modificação do comportamento. S.P. Ed. Santos, 1996. •Myers, David. Introdução à psicologia geral. Rio de Janeiro: LTC, 1995. •Range, B. Psicoterapia Comportamental e Cognitiva: pesquisa, prática, aplicações e problemas. S.P.Psy, 1995. •Range, B. Psicoterapia Comportamental e cognitiva: transtornos psiquiátricos. S.P. Ed. Psy, 1995. •Samulski, D.M.Psicologia do esporte: manual para a eduação física, psicologia e fisioterapia. Barueri, SP: Editora Manole, 2002.