Desenvolvimento da criança por meio do esporte

2.674 visualizações

Publicada em

Curso Mundus Esportivus

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.674
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
75
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvimento da criança por meio do esporte

  1. 1. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE  
  2. 2. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   Dentro   da   Psicologia,   diversos   autores   postularam   fases   ou   estágios   do   desenvolvimento;   nas   quais,   cada   fase   destas,   engloba   um   conjunto   de   comportamentos,   cognições   e   sentimentos   que   o   indivíduo   pode   apresentar.   Esses   estágios  são,  geralmente,  agrupados  por:   1)  estruturas  psíquicas  da  personalidade;     2)  estruturas  cognitivas  ou  redes  de  pensamento  possíveis;     3)  idade  cronológica  da  pessoa.  
  3. 3. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   Piaget,   interacionista   das   ideias   nativistas   e   empiristas   trabalhou   durante   muito   tempo   propondo   uma   teoria   cognitiva.   A   construção   teórica   de   Piaget   abarca   principalmente  o  desenvolvimento  humano  até  a  adolescência  (16  anos).     Estágios  de  Piaget:    Sensório-­‐motor  (do  nascimento  aos  2  anos):  o  bebê  modiOica-­‐se,  de  uma  criatura  que   responde   principalmente   através   de   reOlexos,   em   outra   que   é   capaz   de   organizar   as   suas  atividades  relativamente  ao  ambiente.    Pré-­‐operacional   (dos   2   aos   7   anos):   a   criança   começa   a   usar   símbolos,   (função   simbólica)  tais  como  palavras,  imita  o  comportamento  dos  outros,  mas  é  ainda  ilógica   nos  seus  processos  de  pensamento,  dado  o  seu  elevado  egocentrismo.    Operações   concretas   (dos   7   aos   11   anos):   a   criança   começa   a   entender   e   a   usar   conceitos  que  a  ajudam  a  interagir  com  o  ambiente  imediato.    Operações  formais  (dos  12  a  15  anos  até  a  idade  adulta):  o  indivíduo  pode  pensar  em   termos  abstratos  e  a  lidar  com  situações  hipotéticas.  
  4. 4. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   Piaget  credita  a  adolescência  ao  ultimo  estágio  de  desenvolvimento,  pois  atingido  o   grau   de   maturidade   mental   representado   pela   oportunidade   de   realizar   operações   mentais  formais,  esta  será  a  forma  predominante  de  raciocínio  utilizada  pelo  adulto.     Seu   desenvolvimento   posterior,   segundo   ele,   consistirá   numa   ampliação   de   conhecimentos  tanto  em  extensão  como  em  profundidade,  mas  não  na  aquisição  de   novos  modos  de  funcionamento  mental.  
  5. 5. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   POR  QUE  AS  CRIANÇAS  PRATICAM  ESPORTE  ?     A  prática  de  esportes  é  fundamental  para  a  saúde  e  bem-­‐estar  do  ser  humano.  Ela   ensina  valores  fundamentais,  como  a  autoconOiança,  a  inclusão  social,  o  trabalho  em   equipe,  o  respeito  pelo  outro,  etc.     Na  infância  e  na  adolescência,  essas  atividades  ganham  uma  importância  maior  para  o   desenvolvimento  de  meninos  e  meninas.  
  6. 6. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   No  momento  em  que  a  criança  inicia  a  prática  esportiva,  ela  obtém  também  beneOícios   sociais  e  psicológicos,  tais  como:  aprender  a  criar  metas,  a  disciplina,  a  capacidade  de   socializar  com  outras  crianças,  lidar  com  a  derrota  e  a  vitória  de  maneiras  aceitáveis,  a   auto-­‐conOiança  e  auto-­‐estima,  independência,  responsabilidade  e  divisão  de  tarefas.   Por   meio   do   esporte,   meninos   e   meninas   aprendem   tanto   a   reagir   em   diferentes   situações,   como   também   a   se   tornarem   mais   atentos   aos   processos   de   seu   comportamento.   O   despreparo   de   alguns   proOissionais,   muitas   vezes   concorrem   para   a   utilização   inadequada  ou  mesmo  incoerente  das  atividades  esportivas,  aumentando  muitas  vezes  a   agressividade,  deslealdade  e  até  mesmo  a  violência  no  comportamento  das  ciranças  e   adolescentes,  podendo  inOluir  diretamente  sobre  sua  conduta  futura,  como  adulto.  
  7. 7. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   POR  QUE  AS  CRIANÇAS  INTERROPEM  A  PARTICIPAÇÃO  NO  ESPORTE?   Vários   fatores   inOluenciam   para   a   escolha   da   criança   ao   interromper   ou   desistir   do   esporte,  podemos  citar  algumas,  como:    Falta  de  apoio  da  família;    Pressão  familiar;    Falta  de  apoio  Oinanceiro;    DiOiculdade  de  relacionamento  com  o   grupo/  técnico;    Pressão  por  bons  resultados;    Vontade  de  fazer  outras  atividades  que   o  esporte  o  impede;    Prejuízo  nos  estudos;    Intensidade  dos  treinos;    Estresse,  entre  outros...  
  8. 8. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   É  muito  comum  a  criança  escolher  uma  atividade  e  depois  desistir.  Nesse  momento  os   pais   precisam   entender   a   situação   sem   transformar   isso   numa   grande   tragédia.   A   maioria  das  crianças,  apesar  do  entusiasmo  com  que  praticam  o  esporte,  abandona  a   atividade   no   início   da   adolescência,   pois   nessa   fase   ocorrem   muitas   mudanças   corporais  e  psicológicas  e  outros  interesses  também  aparecem.  É  importante  motivar  a   prática   de   atividade   Oísica,   porém,   mais   importante   ainda   é   respeitar   as   escolhas   de   cada  um.  Uma  família  onde  os  pais  já  praticam  esportes  passará  para  os  Oilhos  essa   prática  funcionando  como  exemplo.  
  9. 9. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   STRESS  E  BURNOUT  NO  ESPORTE  COMPETITIVO  INFANTO-­JUVENIL   “O   grande   desaOio   do   homem   moderno   é   obter   o   maior   rendimento   possível   sem   prejuízos  para  a  saúde.”   Hans   Selye,   em   1936,   conceituou   o   stress   como   qualquer   adaptação   requerida   à   pessoa.  Esta  deOinição  apresenta  o  stress  como  um  agente  neutro,  capaz  de  se  tornar   positivo  ou  negativo  de  acordo  com  a  percepção  e  a  interpretação  de  cada  pessoa.   O  stress  positivo,  chamado  de  eustresse,  assim  como  o  negativo,  chamado  de  distresse,   causam  reações  Oisiológicas  similares:  as  extremidades  (mãos  e  pés)  tendem  a  Oicar   suados   e   frios,   a   aceleração   cardíaca   e   pressão   arterial   tendem   a   subir,   o   nível   de   tensão  muscular  tende  a  aumentar,  etc.   Os  aspectos  positivos  do  stress,  o  eustresse,  motivam  e  estimulam  a  pessoa  a  lidar  com   determinada   situação,   mantendo   a   percepção   mais   aguçada,   concentração   focal   e   envolvimento  maior  no  objetivo  proposto  em  busca  da  superação  de  si  próprio;  o  stress   pode  auxiliar  o  homem,  que  é  um  ser  de  natureza  Oluída,  com  tendência  a  crescer  em   um   movimento   de   sair   de   si,   projetar-­‐se   em   um   constante   devir,   a   alcançar   seus   objetivos.  
  10. 10. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   No   esporte   o   burnout   é   caracterizado   como   uma   síndrome   em   que   o   atleta   perde   a   motivação,  o  prazer,  a  vontade  pelas  atividades  esportivas,  qualquer  esforço  lhe  parece   inútil.  Ocorre  um  estado  de  exaustão,  despersonalização  e  baixo  rendimento  pessoal.   Podem  existir  diversas  razões  para  que  os  atletas  desistam  de  praticar  determinada   modalidade   esportiva   e   burnout   é   apenas   um   estágio   que   antecede   a   completa   desistência.     É  importante  saber  que  estudos  recentes  conOirmaram  existir  dois  tipos  de  burnout:   um  em  que  o  indivíduo  não  quer  nenhum  contato  com  o  esporte  e  o  outro  que  ocorre   com  as  pessoas  que  apenas  diminuem  seu  envolvimento  com  a  modalidade  esportiva   (GOULD  et  al.  1996a)    
  11. 11. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   PRÁTICAS  ESPORTIVAS  DE  TREINAMENTO  PARA  ATLETAS  JOVENS   A  criança  deve  praticar  esporte  com  prazer  e  de  forma  pedagógica.  O  aprendizado,   nesse   meio   social,   deve   ser   feito   de   forma   natural   e   gradual   de   acordo   com   a   maturação   da   criança,   respeitando   as   etapas   discutidas   por   Piaget   para   que   não   tenham   transtornos   futuros,   mas   sim   uma   formação   psicopedagógica   útil   para   sua   vida  e  realizadas  com  metodologias  apropriadas.  
  12. 12. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   Crianças   submetidas   a   se   tornarem   superatletas   podem   se   tornar   pessoas   doentes   psicologicamente   caso   elas   não   consigam   atingir   suas   metas   ou   vencer   em   competições,  não  ser  o  melhor  do  time,  etc.  A  criança  então  sofre  com  a  frustração  e   isso  pode  leva-­‐lá  ao  abandono  da  prática  esportiva  como  visto  acima.  
  13. 13. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   O   ideal   é   sempre   trabalhar   o   bem   estar,   sociabilidade,   a   auto-­‐estima   e,   aos   poucos,   inserindo  o  “mundo  competitivo”  a  essa  criança.   Se  compararmos  com  os  adultos,  as  crianças  estão  em  grande  desvantagem,  pois  além   de  não  estarem  preparadas  emocionalmente  e  Oisicamente  para  suportar  altas  cargas   de   treinamento   é   inexistente   o   acompanhamento   de   pessoas   capacitadas   que   poderiam  evitar  ou  amenizar  as  consequências  desta  precocidade  esportiva.  
  14. 14. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   O  PAPEL  DOS  PAIS   A  família  é  a  maior  fonte  de  inOluência  da  vida  do  atleta,  pois  é  com  ela  que  os  jovens   aprendem   e   desenvolvem   competências   de   vida   e   mecanismos   de   confronto   para   lidarem  com  as  exigências  competitivas.  Porém,  a  inOluência  dos  pais  sobre  os  Oilhos  é   mais   forte   nos   primeiros   anos   de   desenvolvimento,   pois   as   crianças   reproduzem   os   seus   comportamentos   e   adaptam   o   seu   sistema   de   crenças   (Bois   ET   AL.,   2002;   Brustrad,   1993)   e,   para   além   disso,   passam   a   maior   parte   do   tempo   com   os   pais,   tomando-­‐os,  com  isso,  como  modelos.  
  15. 15. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   Devemos   respeitar   as   necessidades   e   os   interesses   das   crianças,   saber   que   tipo   de   atividades  que  as  motivam,  o  que  elas  tem  desejo  de  aprender,  enOim  devemos  de  todas   as   formas,   minimizar   as   possíveis   pressões   que   as   mesmas   poderão   sofrer,   onde   na   grande   maioria   das   vezes   já   começam   em   casa,   quando   os   pais   que   não   tiveram   sucesso  esportivo  na  infância  depositam  toda  sua  frustração  em  desejo  de  ver  o  seu   Oilho  como  um  esportista  de  renome.   A  adequada  prática  esportiva  e  competitiva  infantil  vão  depender  de  uma  inOinidade  de   fatores  entre  os  quais  podemos  citar:  a  formação  e  atuação  do  professor/  técnico,  os   meios  e  os  objetivos  propostos,  a  faixa  etária  das  crianças,  o  tipo  de  competição  no  qual   ela  vai  participar  e  a  efetiva  forma  de  participação  da  família  neste  contexto.  
  16. 16. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   BIBLIOGRAFIA:   AEBLI,  H.  A  evolução  mental  da  criança.  Petrópolis:  Editora  Vozes,  1975.   ALENCAR,  E.  M.  L.  S.  (org.).  Novas  contribuições  da  psicologia  aos  processos  de  ensino  e   aprendizagem.  2.ed.  São  Paulo:  Cortez,  1993.  217p.   Angelo,  L.  F.  &  Rubio,  K.  Instrumentos  de  avaliação  em  Psicologia  do  Esporte.  São  Paulo:   Casa  do  Psicólogo,  2007.   AULT,  R.  L.  Desenvolvimento  cogni>vo  da  criança:  a  teoria  de  Piaget  e  a  aprendizagem   de  processo.  Rio  de  Janeiro:  Zahar,  1978.   Barreto,  J.  A.  Psicologia  do  esporte:  para  o  atleta  de  alto  rendimento.  Rio  de  Janeiro:   Shape,  2002.   Beck  Judith  S.  Terapia  cogni,va:  teoria  e  prá>ca.  Porto  Alegre:  Artmed,  1997.   Caballo,  V.  Manual  de  técnicas  de  Terapia  e  Modificação  do  comportamento.  S.P.  Ed.   Santos,  1996.   Myers,  David.  Introdução  à  psicologia  geral.  Rio  de  Janeiro:  LTC,  1995.   Rappaport,  Clara  Regina.  Psicologia  do  Desenvolvimento  –  Teorias  do  Desenvolvimento.   São  Paulo:  EPU,  1981-­‐1982.   Samulski,   D.M.   Psicologia   do   esporte:   manual   para   a   eduação   Gsica,   psicologia   e   fisioterapia.  Barueri,  SP:  Editora  Manole,  2002.  
  17. 17. DESENVOLVIMENTO  DA  CRIANÇA  POR   MEIO  DO  ESPORTE   CONTATO:    aline.vallim@globo.com                                          9987-­‐1980   OBRIGADA  

×