Crm

1.831 visualizações

Publicada em

Sistemas de Relacionamento

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Crm

  1. 1. Sistemas de Relacionamento Prof. Mateus Cozer 9/4/2011
  2. 2. <ul><li>Agenda </li></ul><ul><li>Produção de Mercado </li></ul><ul><li>Supply Chain - Cadeia de Suprimentos </li></ul><ul><li>CRM – Personalização Dinâmica </li></ul>
  3. 3. Sociedade Pós-Industrial <ul><li>Produção de Bens -> Economia de Serviços </li></ul><ul><li>Classe dos profissionais e técnicos </li></ul><ul><li>Saber teórico no centro </li></ul><ul><li>Nova tecnologia intelectual (Meritocracia) </li></ul><ul><li>“ A imaginação do homem nunca renunciará a transformar a sociedade em uma obra de arte. (Bell, 1973)” </li></ul>
  4. 4. Supply Chain Cadeia de Suprimentos Soluções de Otimização da Cadeia Produtiva
  5. 5. Visão da Cadeia de Suprimentos OEM Canal OEM parceiro aquisição 3PL cliente 2 cliente 1 Tier 1 forn 1 Tier 1 forn 2 Tier 2 forn.
  6. 6. Gestão da Cadeia de Suprimentos Produção Transporte Estoques Distribuição O SCM (Supply Chain Management) é a gestão da cadeia de fornecimento Ligação e coordenação estreitas das atividades envolvidas na compra, na fabricação e na movimentação de um produto Reduz tempo, esforço redundante e custos de estoque Demanda dos Consumidores Finais Fornecimento de Matérias-Primas Fluxo de Materiais e Serviços Fluxo Tradicional de Informações Logística Reversa Fluxo Colaborativo de Informações
  7. 7. Supply Chain: ineficiências operacionais <ul><li>Altos inventários </li></ul><ul><li>Altos custos de operação </li></ul><ul><li>Longos lead-times </li></ul><ul><li>Serviço pobre aos clientes </li></ul><ul><li>Utilização ineficiente dos ativos </li></ul><ul><li>Transferência imprecisa de informações </li></ul><ul><li>Comunicação não frequente </li></ul><ul><li>Longos períodos congelados </li></ul>
  8. 8. Varejo Distribuidor Manufatura Partes Mat. Prima Planejamento da Cadeia Produtiva Decisões mix de compra e de produção Previsão de Demanda Otimização de Estoques e Programa de Reabastecimento Logística de abastecimento e distribuição. Otimização de transportes Sequenciamento de produção Fornecedores Clientes Otimização na gestão da cadeia de fornecimento SCM (Supply Chain Management)
  9. 9. SCM - Objetivos Clientes Fornecedores <ul><li>Aumento da lucratividade & ROA </li></ul><ul><li>Conquista de mercado </li></ul>Sua Empresa <ul><li>Sinais de demanda </li></ul><ul><li>precisos e confiáveis </li></ul><ul><li>Visibilidade antecipada </li></ul><ul><li>Aumento da velocidade </li></ul><ul><li>de resposta </li></ul><ul><li>Aumento da confiabilidade </li></ul><ul><li>Serviços com valor agregado </li></ul>
  10. 10. Benefícios Quantificáveis faturamento Custos ativos ROA <ul><li>Serviço ao </li></ul><ul><li>Cliente (5-25%) </li></ul><ul><li>Produtividade (5-15%) </li></ul><ul><li>Ciclo de planejamento (95%) </li></ul><ul><li>Despesas de operação (10-50%) </li></ul><ul><li>Inventário- MP, WIP, prod acabados (10-25%) </li></ul><ul><li>Tamanho de frota (5-25%) </li></ul><ul><li>Lead time de produção (10-50%) </li></ul>
  11. 11. A Gestão da Cadeia de Suprimentos suportada por ferramentas de TI Nível de Suporte à Decisão Nível de Colaboração Empresa A Empresa B Empresa C Dados Decisões Informações Informações Decisões Informações Dados Decisões Dados Decisões Nível Transacional EDI EDI SCM APS APS APS Colaboração através da Internet ERP ERP ERP eCommerce eProcurement eCommerce eProcurement eProcurement eCommerce
  12. 12. RFID - IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA ETIQUETAS INTELIGENTES
  13. 13. <ul><li>Tecnologia que permite armazenar e recuperar dados em </li></ul><ul><li>circuito integrado (chip), via ondas de rádio frequência </li></ul><ul><li>Função de efetuar a captura automática de dados em </li></ul><ul><li>objetos (produtos, paletes, veículos, animais, pessoas, etc…) </li></ul><ul><li>Componentes do sistema RFID: </li></ul>Software e Infraestrutura Leitor RFID
  14. 14. Encapsulamento     D do Dime, aproximadamente 1mm
  15. 16. A TECNOLOGIA PODE SER USADA EM APLICAÇÕES QUE NÃO INTERFACEIAM COM OS ELOS DA CADEIA DE SUPRIMENTO EXEMPLO : CONTROLE AÉREO, PEDÁGIO, CONTROLE DE ATIVO, CONTROLE DE ACESSO, ETC… PADRÃO EPC (Código Eletrônico de Produto ) A QUANTIDADE E DISTRIBUIÇÃO DOS BITS DISPONÍVEIS DENTRO DO TRANSPONDER É PADRONIZADA. QUALQUER COMPONENTE DA CADEIA CONSEGUE IDENTIFICAR O PRODUTO. EXEMPLO : IDENTIFICAÇÃO DE BENS DE CONSUMO QUE SE MOVIMENTAM PELA CADEIA DE SUPRIMENTO RFID
  16. 17. <ul><li>Header (tipo do EPC) </li></ul><ul><li>Manager (fabricante) </li></ul><ul><li>Objeto (produto ou lote) </li></ul><ul><li>Número Serial </li></ul>
  17. 19. POTENCIAL DE USO EVOLUÇÃO (Anos) 40 50 60 e 70 80 90 00 2 º Guerra: ínicio do desenvolvimento, Aplicação: Localizar aviões . Ano oficial da invenção da tecnologia: 1948 Inicio da exploração da tecnologia Desenvolvimento de transponders de longo alcance (ativos) As primeiras empresas começam a ser fundadas Outras empresas iniciam desenvolvimento Foco: Identificação de animais Sistemas de baixa frequência e sem padronização Fundado Auto Id Center no MIT Inovações: anti-colisão; tags passivo melhora desempenho; sistemas ficam mais confiáveis; “chaves codificadas”; “smart label”; “Free Tags” Inicio de vários projetos pilotos EPC pelo mundo. Gillette anuncia compra de 500 mil de tags. Wall Mart e DoD exigem padrões de seus fornecedores 04
  18. 20. Etiqueta Futuramente no Supermercado
  19. 21. Vantagens <ul><li>Leituras simultâneas </li></ul><ul><ul><li>Só é possível ler um Código de Barras Por vez </li></ul></ul><ul><ul><li>Informação Dinâmica (leitura/Escrita) </li></ul></ul><ul><ul><li>Depois de impresso as informações do Cod. Barras não podem ser alteradas </li></ul></ul><ul><li>Maior durabilidade das “etiquetas” </li></ul><ul><ul><li>Etiquetas ou Cod. Barras impressos são facilmente danificados </li></ul></ul><ul><li>Possibilidade de novos tipos de aplicações </li></ul><ul><ul><li>Cod. Barras limita-se no fator ativação depende de um “trigger”, visão direta, etc. </li></ul></ul>
  20. 22. O Produto é identificado na saída da linha de produção. Recebe um S/N que o acompanha durante a vida toda Todo o controle de expedição é automático. As baixas são automáticas e o produto certo vai para o cliente certo O recebimento no CD ocorre sem falhas e muito mais rápido. O produto é armazenado no lugar certo. No Varejo, desde o recebimento até a frente de caixa, o produto e rastreado. Recebimento mais rápido e redução de roubos e filas A rastreabilidade chega até a casa do consumidor final. EPC: POR TODA A CADEIA DE SUPRIMENTO
  21. 23. FASES DE IMPLEMENTAÇÃO Paletes Caixas Produtos Fase 1 Fase 2 Fase 3
  22. 24. Oportunidades e Benefícios Baixo Alto 6 meses +5 anos Tempo Pallet Caixa Produto Roubo de caixas Venda a varejo Planejamento de demanda Planejamento de fornecimento Subcontratando / Visibilidade de reempacotador Separa, empacota & envia Conta Fisica & Reconciliação Contas de ciclo Consignação / Inventário seguro BENEFÍCIOS : Redução de estoques, Aumento de produtividade, Aumento do ciclo de inventário, Redução de roubos Produção diversificada Reabastecimento / VMI Planejamento da Produção Recebimento de caixas Expedição Controle de Inventário e armazenagem Inventário em Tempo Real BENEFÍCIOS : Redução de estoques, Diminuição dos prazos de entrega, Aumento do ciclo de Inventários Armazenamento de promoções/precificação Unidade / Artigo contra roubo Pagar-sobre-leituras Compreensão de consumidor Produto R&D Inventory de itens em processo de manufatura Rota Montagem Controle de Qualidade MRP Planejamento de capacidade Sortimentos de produto Recall de Produto / garantia Processo BENEFÍCIOS: Eficiência no reabastecimento automático, Diminuição de roubos, melhora na performance no checkout, redução de vendas falsificadas PROJEÇÃO PARA IMPLEMENTAÇÃO
  23. 25. Unilever EPC Project <ul><li>Piloto </li></ul><ul><li>Primeiro Projeto do Brasil e América Latina </li></ul><ul><li>2 Sites com Etiquetas Inteligentes (EPC ) </li></ul><ul><li>2000 Pallets </li></ul><ul><li>6 Leitores Instalados em Empilhadeiras </li></ul><ul><li>Integração ao Erp </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de Aplicativo </li></ul><ul><li>Consultoria de Processos </li></ul>CASES                         
  24. 26. <ul><li>Pallets, caixas e produtos </li></ul><ul><li>Já iniciou testes pilotos em produtos nas gôndolas </li></ul><ul><li>Assinou contrato de intenção de compra de 500 milhões de tags </li></ul><ul><li>Mostrou iniciativa com a Tesco (varejo) para pacotes Mach 3 </li></ul>Gillete CASES
  25. 27. <ul><li>Pallets e caixas </li></ul><ul><li>Iniciou testes pilotos com P&G e Unilever </li></ul><ul><li>Anunciou que em Jan/2005 começaria a operar </li></ul><ul><li>com a tecnologia com os 100 maiores </li></ul><ul><li>fornecedores </li></ul>Wal Mart CASES
  26. 28. Produto Já iniciou testes pilotos para identificação de bobinas de papel. Tem objetivo a rastreabilidade nas Movimentações International Paper CASES
  27. 29. Klabin CASES
  28. 30. <ul><li>Identificação de Motores para rastreabilidade na produção </li></ul><ul><li>- 320 transponders/month </li></ul><ul><li>5 Leitores </li></ul>Identificação de Hardware para controle de ativo 250 transponders/mês 3 Leitores Software e Serviços FAZENDA ITAOCA <ul><li>Identificacão de Gado para rastreabilidade </li></ul><ul><li>- 1000 transponders </li></ul><ul><li>3 Antenas e Leitores de Brete </li></ul><ul><li>Software e Serviços </li></ul>CASES
  29. 31. <ul><li>Distribuição de Gás </li></ul><ul><li>- 1000 transponders </li></ul><ul><li>8 Leitores </li></ul><ul><li>Software e serviços </li></ul>Identificação de Pessoas no congresso SAP Forum 2003 2000 transponders 5 Gates Softwares e serviços <ul><li>Identificação de Pessoas no 3º congresso </li></ul><ul><li>ECR Brasil </li></ul><ul><li>600 transponders </li></ul><ul><li>3 Gates </li></ul><ul><li>Softwares e serviços </li></ul>CASES                         
  30. 32. <ul><li>Identificação de pessoas para medição de tempos </li></ul><ul><li>- 5000 transponders </li></ul><ul><li>20 antenas de solo </li></ul><ul><li>Software e Serviços </li></ul>76 º São Silvestre CASES
  31. 33. Marketing na Internet <ul><li>Trabalho </li></ul><ul><li>Vida </li></ul><ul><li>Jogo </li></ul><ul><li>A Web é sobre indivíduos usando a rede para acessar produtos digitais. </li></ul>
  32. 34. CRM Sistema de gestão de relacionamento com clientes
  33. 35. CRM – lealdade do consumidor <ul><li>Diálogo interativo </li></ul><ul><li>Campanhas e promoções </li></ul>Ações <ul><li>Qualidade da experiência </li></ul><ul><li>Fidelização </li></ul><ul><li>Dados imediatos para tomada de decisões </li></ul>Resultados <ul><li>Identificação e personalização </li></ul><ul><li>Segmentação e Diferenciação </li></ul><ul><li>Política de relacionamento (opt-in claro) </li></ul><ul><li>Customer tracking </li></ul>Mecanismos
  34. 36. CRM OPERACIONAL Back Office Front Office Interação com o cliente Data Warehouse Data Mart de Clientes Data Mart de Atividades De clientes PROCESSAMENTO CRM ANALÍTICO CRM COLABORATIVO Gerência de pedidos Produção Sistemas legados Automatização de atendimento Automatização de marketing Automatização de vendas Gerência de Categorias Gerência de Campanhas Voz, URA, Call Center Mobile E-mail Internet - Web Atendimento Direto nos restaurantes PROGRAMA CRM
  35. 37. E-mail Marketing <ul><li>% venda gerada pela campanha </li></ul><ul><li>Perfil dos clientes </li></ul><ul><ul><li>Segmentação </li></ul></ul><ul><ul><li>Demografia </li></ul></ul>ROI
  36. 38. <ul><li>Sucess Fee </li></ul><ul><ul><li>Aumento de Satisfação dos consumidores </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento de Retenção dos consumidores </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento do ticket médio </li></ul></ul><ul><li>Encontrar impulsionador econômico por: </li></ul><ul><ul><li>Segmento </li></ul></ul><ul><ul><li>Estágio no funil de decisão do consumidor </li></ul></ul><ul><ul><li>Pontos de influência de cada canal </li></ul></ul><ul><li>Explicitar impulsionadores econômicos por: </li></ul><ul><ul><li>Mensagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Mídia </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de gastos </li></ul></ul>3. Otimizar mensagem e canal <ul><li>Experimentos bem estruturados (20%) </li></ul><ul><ul><li>Diferentes mensagens, mix de mídias, e níveis de gastos </li></ul></ul><ul><ul><li>Protocolos claros de teste </li></ul></ul>4. Determinar gastos e alocação <ul><li>Definir objetivos de crescimento e manutenção </li></ul>1. Clarificar objetivos de negócio <ul><li>Funil de decisão do consumidor por segmento </li></ul><ul><li>Influência da mídia específica em pontos diferentes do processo de decisão do consumidor </li></ul>2. Coletar informações sobre os consumidores <ul><li>Veículos comprovados (80%) </li></ul><ul><ul><li>Mensagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Mídia </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de gastos </li></ul></ul>ABORDAGEM INTEGRADA
  37. 40. Social networks and their impact.
  38. 41. What the Oracle eats.
  39. 42. You be the restaurant critic.
  40. 44. A Regra 80/20 <ul><li>Vilfredo Pareto, economista italiano </li></ul><ul><li>Observador das desigualdades econômicas </li></ul><ul><ul><li>80% da terra da It á lia pertencia a 20% da popula ç ão </li></ul></ul><ul><li>Barabasi, (2002), &quot;Chapter 6: The 80/20 Rule,&quot; in Linked: The New Science of Networks, pp. 65-78 </li></ul>
  41. 45. Networks and Positive Feedback. ” <ul><li>Economia digital é habitada por monop ó lios tempor á rios (hardware e software) </li></ul><ul><li>Economia das redes: Positive Feedback </li></ul><ul><ul><li>Dinâmica de ado ç ão: monop ó lio </li></ul></ul><ul><li>O valor de se conectar a uma rede depende do n ú mero de outras pessoas que j á estão conectadas a esta rede </li></ul><ul><ul><li>Lei de Metcalfe: n x (n – 1) </li></ul></ul><ul><li>Information Rules , “ Ch. 7:   Networks and Positive Feedback. ” </li></ul>
  42. 46. Cooperação. <ul><li>Estrat é gia em mercados de rede </li></ul><ul><li>Padrões propriet á rios </li></ul><ul><ul><li>Lock-in </li></ul></ul><ul><ul><li>Complementador </li></ul></ul><ul><li>Construindo alian ç as: interconexão </li></ul><ul><li>Information Rules , “ Ch. 8:   Cooperation and Compatibility. ” </li></ul>
  43. 47. Vetores e Características Estágio 1 Estágio 2 Estágio 3 Interação com cliente Experiência Remota de produto e serviço Customização Dinâmica Comunidades consumidor Configuração de Ativos “ Sourcing modules” Interdependência de processo Coalizões de recursos Influência de Conhecimento Expertise da força de trabalho Ativos da corporação Expertise da comunidade profissional Local Alvo Unidades tarefa Organização Inter-organização (Venkatraman, 1998)
  44. 48. Interações <ul><li>A busca, coordenação e monitoramento que pessoas e firmas fazem quando trocam bens, serviços ou idéias (Fonte: McKinsey). Exemplo: resolver um problema em um time </li></ul><ul><li>Interatividade: dirigir-se a um indivíduo, reunir e lembrar da resposta daquele indivíduo, depois, dirigir-se ao indivíduo mais uma vez levando em conta sua resposta única (Deighton, 1996) </li></ul>
  45. 49. Interação com Clientes (Modelo adaptado de Venkatraman, 1998) Organização Unidades Tarefa Comunidades Virtuais Organização Inteligência Modularidade Produtos Experienciáveis Customização Dinâmica de produtos e Serviços Comunidades de Clientes Inter-organização Experiência Remota de Produtos e serviços
  46. 51. Fonte: Morgan Stanley, 2000
  47. 52. Fonte: Morgan Stanley, 2000
  48. 53. Agentes e Personalização <ul><li>Minerar Web Sever Logs </li></ul><ul><li>Avatar </li></ul><ul><li>Personalização transforma um produto padrão em uma solução especializada </li></ul><ul><li>Customização online (representação e atributos de produtos) </li></ul>
  49. 54. Arquitetura de Presença C&A Hub de Negócios Parceiros de Negócios Internauta Linhas de produtos: Roupas, calçados, underwear e acessórios MARCA C&A Linhas de serviços financeiros: cartões, seguros de vida, empréstimos <ul><li>Mídia Online </li></ul><ul><li>Veículos Segmentados </li></ul><ul><li>Massa </li></ul><ul><li>Patrocínios </li></ul><ul><li>(seções co-branded) </li></ul><ul><li>Patrocínio de seções em </li></ul><ul><li>portais verticais de </li></ul><ul><li>parceiros </li></ul><ul><li>Diretamente </li></ul><ul><li>URL - Loja </li></ul><ul><li>E-mail marketing </li></ul>
  50. 55. Tendência Spicy: Nonononononono Nonononononono Noononononoono Nononononoonno Nonononononono Clique aqui Busca GO! Home Empresa Cartão C&A Mix da Moda Produtos Dia dos Pais Catálogo Seu vendedor Lembrador <ul><li>FAQ </li></ul><ul><li>Tamanhos </li></ul><ul><li>Fale conosco </li></ul><ul><li>Consultora </li></ul>Os répteis fizeram sucesso no inverno? Estampas de répteis, avestruz, pêlos e penas farão o sucesso das sandálias MIX da Moda no Mundo Cardigã tricô R$35 Calça Nylon R$38 Feminino Camisa social 100% algodão por R$ 25! Masculino Jaqueta R$99 Calça Sarja R$23 <ul><li>Veja as dicas de Regina Guerreiro </li></ul><ul><li>Nesta semana Carolina lança sua linha de Lingeries </li></ul><ul><li>Frio!Inverno! Que tal roupas para serra </li></ul><ul><li>Veja quais são as tendências do inverno: </li></ul><ul><ul><li>Montgomery </li></ul></ul><ul><ul><li>Metropolitan </li></ul></ul><ul><ul><li>Tecno </li></ul></ul><ul><ul><li>.... </li></ul></ul><ul><li>Guia de estilos </li></ul><ul><ul><li>No trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Noite </li></ul></ul><ul><ul><li>...... </li></ul></ul>Casual Saldos Social KIDS Camisa de verão R$29,50 Calçados Bota R$23 Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes
  51. 56. Busca GO! Home Empresa Cartão C&A Mix da Moda Produtos Calça em Lona Seu vendedor <ul><li>FAQ </li></ul><ul><li>Tamanhos </li></ul><ul><li>Fale conosco </li></ul><ul><li>Consultora </li></ul>Estampas de répteis, avestruz, pêlos e penas farão o sucesso das sandálias MIX da Moda no Mundo R$ 25! Calças Blusas Saias Calçados Jaqueta Calçcas Terninho Tailleur Vestidos Calças Blusas Saias Biquini Maios kanbas Camisetas Legging Shorts sias Jovem Casual Social Contemporânea Surf/ Praia Esporte Busca por categoria Ver detalhes blusas Feminino Futura Mamãe Teen Kids Masculino Lingerie Calçados
  52. 57. Busca GO! Home Empresa Cartão C&A Mix da Moda Produtos Calça em Lona Seu vendedor <ul><li>FAQ </li></ul><ul><li>Tamanhos </li></ul><ul><li>Fale conosco </li></ul><ul><li>Consultora </li></ul>MIX da Moda no Mundo R$ 25! blusas Busca por categoria Contemporânea Calça nylon R$35 Camisa R$35 Camiseta tingida R$35 Cardigã tricô R$35 Feminino Futura Mamãe Teen Kids Masculino Lingerie Calçados Vestido em seda R$83 Echarpe R$24 Suéter R$83 Saia R$24 Ver detalhes Blazer R$83 Saia R$24 Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes Ver detalhes GO!
  53. 58. Busca GO! Home Empresa Cartão C&A Mix da Moda Produtos Que tal esta Blusa para combinar? Seu vendedor <ul><li>FAQ </li></ul><ul><li>Tamanhos </li></ul><ul><li>Fale conosco </li></ul><ul><li>Consultora </li></ul>MIX da Moda no Mundo Busca por categoria Comprar R$35 Feminino Futura Mamãe Teen Kids Masculino Lingerie Calçados Cardigã tricô R$35 P M G GG blusas
  54. 59. Global Ad Spend Confidencial
  55. 60. Market Opportunity <ul><li>Criada pela Co.R em 2008 </li></ul><ul><ul><li>Pesquisa de mercado com público </li></ul></ul><ul><ul><li>Jovem e formadores de opinião </li></ul></ul><ul><li>Short list do Young Creative de Planejamento. </li></ul><ul><li>A Oi possui 58 milhões de clientes </li></ul><ul><li>A Oi possui uma estratégia de crescimento por M&A </li></ul><ul><li>A Oi possui os ativos digitais iG e iBest, entre outros. </li></ul><ul><li>A Oi é controlada por AG Telecom e </li></ul><ul><li>La Fonte Telecom </li></ul><ul><li>CEO: Luiz Eduardo Falco </li></ul>Fatos Resumidos Oi FM Confidencial
  56. 61. Market Opportunity <ul><li>Primeiro site de música no mercado português </li></ul><ul><li>Controlada por Grupo Media Capital SGPS SA </li></ul><ul><li>Director-Geral da Média Capital Rádios: </li></ul><ul><li>Jordi Jordà </li></ul><ul><li>Link: </li></ul><ul><li>http://www.mediacapital.pt/ </li></ul>Fatos Cotonete Confidencial
  57. 62. Individualiza ç ão <ul><li>Comunica ç ão Digital </li></ul><ul><li>É importante conhecer a base de clientes. </li></ul><ul><li>Analisando os clientes mais lucrativos </li></ul>
  58. 64. Allow users to allow you to personalize the experience
  59. 66. Today’s Social Network Landscape <ul><li>Facebook </li></ul><ul><li>MySpace </li></ul><ul><li>Hi5 </li></ul><ul><li>Orkut </li></ul><ul><li>Friendster </li></ul><ul><li>Bebo </li></ul><ul><li>Xiaonei </li></ul><ul><li>Mixi </li></ul>
  60. 67. Context is the key to social application conversion Virality / Hyper-targeting Contextual targeting High context Low virality Search is not viral Low context High virality Low context from photo browsing High context High virality Apps add context to social networks. Social apps are viral Social Applications
  61. 68. Fun with funnels <ul><li>Consumer marketing funnel </li></ul>Online marketing funnel
  62. 69. Intelligent Systems
  63. 70. Adote um Produto
  64. 71. BIBLIOGRAFIA <ul><li>COZER, M. T. S. . Interação com clientes na economia digital: um estudo de caso múltiplo,2007 </li></ul><ul><li>KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice-Hall, 2006. </li></ul><ul><li>Internet, Marketing and E-Comerce – Edição International student edition Austrália: Thomson South-Western, c2007 </li></ul><ul><li>TOLEDO, Luciano Augusto , A Internet e o Composto de Marketing: Os casos do Banco do Brasil e Unimed Seguros, São Paulo, 2007 </li></ul>

×