Clonag
Atividade de Biotecnologia
   Cordel com o tema Clonagem




Equipe:
Marcelo Tadeu Melo
Robson Soares Espíndola
Meire Regi...
Xerox Humana!

Sentimos satisfação
De falar nesse poema
De um fato tão comentado
Foi bem seleto esse tema
Refiro-me a tal ...
A clonagem é formada
Com a utilização
Da duplicação das células
Ou até do embrião
Copiando do ser adulto
No final tem o pr...
Vai encurtar longa fila
De quem quer fazer
transplantes
Será fácil a formação
Dos órgãos predominantes
Esse mesmo transpla...
Tem gente fazendo gente      Somente o mestre sereno
Lá nos anais da ciência      E senhor da humanidade
Experimentos e te...
Um dengo, depois do ato      Não sei bem como acontece
Na cama da produção          Mas deve ter um botão
O doutor aqui no...
O Sadan sendo clonado         Seu João, seu Belarmino
Eu não quero nem pensar       O povo da minha terra
Uns 105 nazistas...
Também podemos fazer         Tem que se clonar Jesus
Quatro ou cinco "Lampião"    Nordestino de nascência
Para acabar com ...
A clonagem de” Mução”        A ciência do improviso
Tirando o povo do sério      Do cantar sem ser clonado
A poesia de “Ca...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Xerox humana

827 visualizações

Publicada em

Webquest de Biotecnologia referente a CLONAGEM em forma de cordel

Publicada em: Educação, Turismo, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Xerox humana

  1. 1. Clonag
  2. 2. Atividade de Biotecnologia Cordel com o tema Clonagem Equipe: Marcelo Tadeu Melo Robson Soares Espíndola Meire Regina Oliveira Campos
  3. 3. Xerox Humana! Sentimos satisfação De falar nesse poema De um fato tão comentado Foi bem seleto esse tema Refiro-me a tal clonagem Pra falar dessa viagem Não vai ser nenhum problema As células estaminais Têm sua capacidade De fazer a divisão Com muita facilidade De produzir sucessoras Iguais as progenitoras Já é uma realidade.
  4. 4. A clonagem é formada Com a utilização Da duplicação das células Ou até do embrião Copiando do ser adulto No final tem o produto Dessa subdivisão Mas o processo é polêmico Há o contra e a favor Dizem que o homem não pode Mexer no que Deus criou Já foi dito na ficção Que quase toda criação Virou-se contra o criador.
  5. 5. Vai encurtar longa fila De quem quer fazer transplantes Será fácil a formação Dos órgãos predominantes Esse mesmo transplantado Não será mais rejeitado Nos processos como antes. O mundo tá bem mudado Tudo agora é diferente Do tempo da nossa infância Chegando até o presente É tanta coisa seu moço Que às vezes da alvoroço Confundindo a nossa mente
  6. 6. Tem gente fazendo gente Somente o mestre sereno Lá nos anais da ciência E senhor da humanidade Experimentos e testes Pode fazer como fez Para ter mais consistência Com semelhança e igualdade Eu morro e não acredito Um casal de gente igual Juro por são Benedito Mas do jeito natural Gente com a mesma Com amor e fertilidade. aparência Marcelo Tadeu E sem falar na decência Que agora se foi de vez Na minha época a gente Se fazia em nove "mês" Agora tão de "inventagem" Com uma tal de clonagem Que multiplica por seis
  7. 7. Um dengo, depois do ato Não sei bem como acontece Na cama da produção Mas deve ter um botão O doutor aqui no caso A gente fica do lado Não apertou um botão Vem o doutor com o dedão Botou a chave na fenda Aperta o botão direito Deus me livre e me defenda E sai outro do mesmo jeito De se perder a emoção Na esteira da produção Daqui a pouco é só xerox Isso pode ser danoso Que encontramos por aí A depender do exemplar Xerox de gente é facil Imagine uma clonagem Quero ver reproduzir De algum parlamentar O que se leva no peito Desses com a ficha suja Não tem quem clone direito De olhares de coruja Impossível definir Por aí a se clonar.
  8. 8. O Sadan sendo clonado Seu João, seu Belarmino Eu não quero nem pensar O povo da minha terra Uns 105 nazistas Povo decente arretado Nesse mundo a perturbar. Povo de paz, não de guerra Imagine o fabricante Mas um povo decidido Daquela bomba possante! Feliz, leal e aguerrido Deus me livre de clonar. Clonagem no pé da serra Dez arruda, oito sarney Querendo então ser assim Quatro Collor, um Severino Eu prefiro a forma antiga Vinte Jarbas, Maciel De fazer gente com jeito Doze Bush em um destino Uma dança e uma cantiga Um Beluscone e um Serra Um pedido, um relabucho Sendo assim a coisa emperra Um cafuné, um repucho Tem que se clonar menino Um frio no pé da barriga
  9. 9. Também podemos fazer Tem que se clonar Jesus Quatro ou cinco "Lampião" Nordestino de nascência Para acabar com essa máfia Quatro ou cinco "padre ciço" Esse bando de ladrão Varias moças de inocência Que assumiu o congresso Doze Zetos e Patativa Podemos clonar um verso Lourivais em voz ativa De Patativa e o sertão Na verdadeira ciência Imagine novamente Se multiplicasse a célula Outro mestre Vitalino Ou até mesmo o embrião Tecendo nas mãos o barro De um tal dum cangaceiro Dando forma e destino Com o nome de Lampião Aos seus bonecos agrestes Com certeza acabaria Podemos clonar um Prestes Com o auge da covardia E até seu Saturnino Que existe no meu Sertão.
  10. 10. A clonagem de” Mução” A ciência do improviso Tirando o povo do sério Do cantar sem ser clonado A poesia de “Cancão”: Do verso que solta a garganta Seu galope e seu martelo, Sai do peito improvisado A cultura popular, Quero ver alguém clonar Seria até bom clonar Um Galope a beira mar O Coronel “Ludugero”. Por Chudú sendo versado Já pensou um mutirão Mas olhando o lado bom Com os clones trabalhando? Que deve ter essa história Fazendo casa pro povo, Imagine então vocês As escolas reformando, Senão seria uma glória Tirando lá das favelas Clonar 10 Luiz Gonzaga Crianças que vivem nelas Para ver se agente apaga Usando droga e fumando. Essa música da escória

×