ÁFrica do Sul, México e Argentina

1.439 visualizações

Publicada em

ENSINO MÉDIO

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.439
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ÁFrica do Sul, México e Argentina

  1. 1. Escola de Educação Básica Carlos Chagas. Disciplina: Geografia. Professora: Magrid Auler. Alunos: Sabrina Ap. Nogueira da Silva e Wellington Da Costa Chiamolera. Série: 2ªI Matutino. Data:
  2. 2. • O presente trabalho irá abordar o assunto Substituição de Importações em três países da América do Sul. Os países abordados serão África do Sul, México e Argentina, que se industrializaram a partir do século XX. Mostrando também as principais economias dos mesmos.
  3. 3. • Argentina, México e África do Sul foram alguns dos países subdesenvolvidos que se industrializaram a partir da segunda metade do século XX. Como esse processo só ocorreu muito depois da Primeira Revolução Industrial, eles são chamados países de industrialização tardia ou Novos Países Industrializados.
  4. 4. • África do Sul, Argentina, Brasil, Índia e México compartilharam do processo conhecido como substituição de importações, isto é, iniciaram sua industrialização, produzindo internamente o que antes importavam. As empresas transnacionais concluíram que era mais vantajoso fabricar nesses países os bens que teriam como objetivo os mercados consumidores locais. Se os Novos Países Industrializados “substituíram importações”, os países desenvolvidos “exportaram fábricas”.
  5. 5. • Características: Produção dirigida para o mercado interno; Importante participação do Estado na construção de hidrelétricas, e indústrias de base. • As indústrias instaladas nesses países foram, em sua grande maioria, filiais de transnacionais. • Pontos comuns: são antigas colônias, extensos, populosos e ricos em recursos minerais e energéticos.
  6. 6. • A estrutura industrial sul-africana sempre esteve baseada na extração de sua imensa riqueza de recursos minerais e na aliança de capitais britânicos, norte-americanos e estatais. • Maiores produtores de ouro, diamante, platina, urânio, cromo, manganês e níquel, principal pauta de exportações no país.
  7. 7. • Produtos agropecuários, alimentam uma importante agroindústria. • Não tendo o petróleo, o país tem no carvão a sua principal fonte de energia, a África do Sul aperfeiçoou um processo de liquefação do carvão e aposta na energia nuclear da usina de Kroeberg. • Possui indústrias alimentícias, têxteis, siderúrgicas, químicas e automobilísticas que abastecem, principalmente, o mercado interno.
  8. 8. • A população da África do Sul é marcada pela diversidade étnica. • O país conheceu, de 1984 a 1994, o mais radical regime de separação racial que se tem notícia – o apartheid. Extinto oficialmente em 1994.
  9. 9. • Apartheid foi um eufemismo criado para escamotear a ideia original, forte demais. Seu significado real era segregação. • O apartheid começou a ruir no final dos anos 1980. • Na África do Sul, passou a vigorar uma ideia revolucionária: todos os cidadãos são iguais perante a lei.
  10. 10. • Leis da segregação: • Brancos e negros não podiam frequentar os mesmos lugares públicos, como parques, banheiros, hospitais e escolas. • 87% do território sul-africano foi reservado para os brancos, que são 14% da população. • Os grupos raciais tinham de viver em regiões distintas. Aos negros, foram destinados dez territórios, os bantustões, divididos segundo cada etnia africana. • Ao nascer, todos os sul-africanos eram compulsoriamente classificados como brancos, negros, asiáticos e mestiços.
  11. 11. • A Argentina é o país que apresenta atualmente maior instabilidade. • O período entre guerras foi caracterizado pelo processo progressivo de substituição de importações. Entretanto, foi após a Segunda Guerra Mundial que as filiais das transnacionais se instalaram no país. • Buenos Aires e Rosário, na região geoeconômica dos Pampas, forma o principal eixo industrial do país.
  12. 12. • Entre as indústrias, destacam-se: metalurgia, siderurgia, automobilística, têxteis, agroindústrias e alimentares. • O país produz petróleo, principalmente na região da Patagônia. • Recursos minerais destacam-se: chumbo, urânio, prata, zinco, manganês, tungstênio, e outros. • Nas últimas duas décadas, a Argentina vem enfrentando uma grave crise econômica evidenciada por uma queda acentuada de sua produção industrial, pelo sucateamento de suas indústrias e pela defasagem tecnológica. Para agravar a situação, várias indústrias estão se transferindo para outros países.
  13. 13. • A industrialização mexicana passou do processo de substituição de importações no período entre guerras. • As grandes reservas de carvão mineral, ferro, manganês, a produção de ouro, urânio, chumbo, cobre, enxofre, entre outros, e a oferta de mão de obra barata foram fatores fundamentais para que o capital estatal e internacional expandisse a industrialização. • Outro recurso fundamental foram as reservas de petróleo, que colocam o país 14º lugar no mundo. O governo fundou a Pemex (Petróleo do México), estatizando a exploração dessa fonte de energia, e um banco de investimentos, a Nacional Financeira, para apoiar os projetos da indústria privada.
  14. 14. • BP: “GIGANTE DESCOBERTA DE PETRÓLEO” NO GOLFO DO MÉXICO. A BP, a segunda maior companhia petrolífera da Europa. • Atualmente, apresenta um parque industrial amplo e diversificado, concentrado entre a Cidade do México e Guadalajara e, mais recentemente, em Monterrey, Cidade Juarez, Tijuana e Chihuahua, no Norte. • Empresas norte-americanas buscam mão de obra barata, qualificada e próximo a fronteira entre os dois países.
  15. 15. • São empresas chamadas “maquiladoras”, são filiais de empresas dos EUA, que produzem manufaturados que retornarão para o mercado de consumo norte-americano, principalmente automóveis, eletrônicos e autopeças. A tecnologia e os componentes são norte-americanos, cabendo ao México apenas a montagem final, por isso o termo “maquiladora” (de maquilar ou disfarçar). • Essas empresas geram lucros porque reduzem seus custos.
  16. 16. • Chiapas – o problema político mexicano • Localizado na região Sudeste do país, Chiapas é o mais pobre dos estados mexicanos. O grave quadro socioeconômico desse estado contrasta com sua riqueza natural, pois ali há grandes reservas de petróleo e gás natural, equivalentes a 20% da produção nacional bruta mexicana.
  17. 17. • Com o trabalho apresentado que abordou o assunto “Substituindo Importações”, adquirimos o conhecimento de que esse processo foi muito bom para os países participantes (México, Argentina e África do Sul). Pois eram subdesenvolvidos importando o que necessitavam, assim importaram fábricas para produzir para seu consumo reduzindo custos.
  18. 18. • Fronteira da Globalização- volume 2 – editora ática – Lúcia Marina e Tércio, São Paulo, 2012.

×