Educação a Distância: Panorama e Tendências

2.291 visualizações

Publicada em

Um panorama amplo do debate sobre a introdução a distância no Brasil, apresentando as principais características e justificativas desta modalidade dentro de um cenário de mudança social e tecnológica.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Educação a Distância: Panorama e Tendências

  1. 1. Educação a Distância (EAD)Panoramas e Perspectivas Prof. Dr. Marcelo Sabbatini Centro de Educação Universidade Federal de Pernambuco
  2. 2. Objetivo• O objetivo desta aula é promover uma reflexão no aluno sobre a importância e a necessidade de repensar o ensino superior frente a Educação a Distância (EAD)
  3. 3. Mudando o Ensino Superior • É necessário mudar o foco e as práticas do ensino graduado: – ajudar os estudantes a desenvolverem estratégias para lidarem com o grande e cambiante volume de informação, conceitos, princípios e habilidades; – obter um melhor equilíbrio curricular entre obtenção de informação, formação e socialização
  4. 4. Albert Einstein sobre o Pensador Independente Se uma pessoa domina o fundamental no seu campo de estudo e aprendeu a pensar e a trabalhar independentemente, ela será mais capaz de adaptar- se ao progresso e às mudanças do que a pessoa cujo treinamento consiste principalmente na aquisição de conhecimento detalhado.
  5. 5. A Tecnologia como Paradigma• Como a EAD pode oferecer subsídios para um novo modelo de ensino superior?• Onde está a “educação” da educação a distância?• Substituição de grande parte do ensino presencial por ensino a distância, independente e individualizado• Uso de novas tecnologias para suporte e extensão do ensino presencial• Compartilhamento de conteúdos educacionais entre instituições: o surgimento dos consórcios educacionais
  6. 6. Educação versus Informação • A instrução é oferecida de forma estruturada, e otimizada para facilitar o auto-aprendizado; • Existe intensa interação entre professor e aluno, e entre alunos; • Existe um gerenciamento do processo instrucional, ou seja, o controle da progressão do aluno, e a avaliação do seu aprendizado e do desempenho em curso, etc.
  7. 7. EAD na Educação Superior• São flexíveis quanto ao espaço e ao tempo• Não exigem os custos nem o tempo gasto com viagens e estadias• Podem ser seguidos a partir de qualquer lugar do planeta, bastando possuir um computador portátil e acesso à Internet;• Permitem uma grande individualização do ensino; ao permitir que cada um escolha o que quer aprender, até que nível de profundidade, em quanto tempo, e em que ritmo.• Permitem também o acesso direto ao instrutor, e a avaliação do aluno à distância
  8. 8. O que é a EAD• Possibilidade de combinação com ensino presencial• Comunicação em várias vias: – professor estudante – estudante professor – professor professor – estudante estudante
  9. 9. Evolução das Tecnologias da EAD Geração Textual (1890-1960) EAD Geração Analógica (1960-1980) Geração Digital (desde 1980)
  10. 10. Características da EAD•Tradicional •EAD•Confinamento •Liberdade•Aluno •Aprendiz•Professor •Facilitador•Classe •Projeto•Campus •Crédito•Tempo •Conhecimento
  11. 11. A Mudança de Paradigma: Ensino Aprendizagem•Fornecer instrução • Ajudar a aprender•Transferir conhecimento do •Estimular a descoberta doprofessor para o estudante estudante e a construção do conhecimento•Oferecer cursos e •Oferecer ricos ambientes deprogramas aprendizagem•Modelo Livro-Dependente •Modelo Trabalho/Pesquisa (busca orientada do conhecimento/informação)
  12. 12. Benefícios da EAD• Independência geográfica• Independência temporal•Boa relação custo-benefício• Aprendiz dirige o seu aprendizado• Comunicação aumentada•Material mais estimulante• Caminhos inovadores
  13. 13. Problemas da EAD• Dificuldades de acesso• Custos específicos da tecnologia• Alfabetização digital• Resistência cultural• Formação docente• Pedagogia convencional não se aplica• Direito autoral, privacidade, segurança• Tradicionalismo
  14. 14. Cenário Nacional• Crescimento explosivo• “Arapuca ou mina de ouro”?• Legislação favorável (LDBE), mas ainda com regulamentação incompleta• Ofertas em todos os níveis (graduação, pós-graduação e extensão)• Formação de consórcios públicos e privados
  15. 15. Percepção social• Culturalmente negativa: baixa qualidade• Utopicamente positiva: sem dificuldades, resolução dos problemas educacionais• Conceitualmente equivocada: aprender sem professor?• Politicamente carregada: vide USP
  16. 16. Novas configurações do ambiente educacional• Novos “espaços e tempos” no processo de ensino e aprendizagem – Mais além da sala de aula: recursos de informação e comunicação, laboratórios e atividades externas (experimentais, profissionais e culturais) • Tendências: mobilidade (m-learning), TV digital, personalização – Reorganização dos ambientes presenciais – O presencial “conectado”: telepresença, realidade aumentada – Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs) • Apropriação da tecnologia pelos usuários
  17. 17. Competências e habilidades do educador na EAD• Competência tecnológica – Habilidades técnicas (versus fobia tecnológica) – Conhecimento e uso dos recursos na rede – Experiência na mediação de comunidades online – As questões do acesso à tecnologia e da ubiquidade
  18. 18. • Competências sociais – Gerenciamento de equipes e de pessoas – Empatia e alteridade – Comunição interpessoal – Liderança e motivação – Ética e comprometimento• O “estar junto virtual” como modelo baseado na interação social e construção pessoal do conhecimento (VALENTE, 2008)
  19. 19. • Competências criativas e de planejamento – O professor-autor – Design instrucional • Modelos teóricos e pedagógicos • Definição de público-alvo e objetivos • Criação e adaptação de conteúdos para distribuição online • Previsão das atividades de integração da aprendizagem, interação e avaliação• A centralidade do planejamento em EAD melhora o ensino presencial? (Hipótese Moran)
  20. 20. Novos desafios da práxis pedagógica • Ctrl T, Ctrl C, Ctrl V, Ctrl P...o problema do plágio – A recomendação subversiva de Umberto Eco já não vale mais: Milão e Catania são equidistantes nos nodos da rede mundial de computadores – A cultura da “pesquisa” como cópia e reprodução livresca – Um “jogo de gato e rato” ou mudança de paradigma? – Como estabelecer uma relação de identidade e envolver o aluno-autor na atividade?
  21. 21. • A manutenção dos modelos intrucionistas e a passividade da geração Web: “na rede sim, na escola não”.• A eliminação do especialista na ótica do “prossumo”: a mais-valia revisitada?• Privacidade e controle social no meio digital: novas formas de “vigiar e punir”?• A “escola dualista”: EAD é para “pobre”?
  22. 22. Considerações• O impacto das tecnologias de informação e comunicação não se resumem à “educação à distância”• Cada vez mais os espaço de aulas se virtualizam e os espaços virtuais se “realizam”• Competências e habilidades técnicas, sociais, criativas e de planejamento devem ser desenvolvidas no educador• As mudanças trazem consigo impactos na relação da atividade docente enquanto trabalhador• Estas competências e habilidades se desenvolvem em um quadro mais amplo do educador como transformador de sua realidade
  23. 23. Questões para debate• As competências e habilidades para a EAD são fundamentais na formação do docente ou temas de especialização?• Por que não existe (ainda) o mestrado a distância no Brasil?• O planejamento e concepção de materiais para a EAD pode melhorar o ensino presencial• Os desafios da inclusão digital são técnicos e econômicos ou incluem também o educativo, cultural e social?
  24. 24. Contatomarcelo.sabbatini@ufpe.brhttp://marcelo.sabbatini.com#marsabbatinihttps://www.facebook.com/marsabbatini

×