Pag.miudos. s.jorge300111

466 visualizações

Publicada em

Página Miúdos 30 de Janeiro de 2011. O Troféu de S. Jorge. Blogue letra pequena online. De Rita Pimenta

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Pag.miudos. s.jorge300111

  1. 1. miúdos Brincar aos reis no castelo de Lisboa Um jogo de tabuleiro para brincar com a história de Lisboa e do Castelo de S. Jorge. Mesmo que os jogadores nunca tenham ouvido falar de D. Afonso Henriques ou do general romano Decimus Junius Brutus, podem transformar-se nessas personagens. E divertir-se. Porque o castelo não é só um miradouro. Rita Pimentadr
  2. 2. A cada mil anos, nossa ideia foi logo acolhida PAULO rICCA as personagens com grande entusiasmo pela históricas que EGEAC [Empresa de Gestão passaram pelo de Equipamentos e Animação Castelo de S. Cultural]”, dirá mais tarde Gil Jorge encontram- d’Orey, da Mesa Board Games.se para um torneio. Quem Estava-se em 2010 e era o anoconquistar o troféu será senhor do centenário da classificaçãodo castelo durante o milénio do castelo como Monumentoseguinte. Esta foi a lenda criada Nacional. Bom momento para“como ponto de partida” para avançar.o jogo O Troféu de S. Jorge, “O que queremos dizer sobre“um veículo privilegiado para o Castelo de S. Jorge?”, eradivulgar a história do castelo e então a pergunta a precisar dede Lisboa”, diz Teresa Oliveira, resposta. À partida, Gil d’Oreydirectora daquele monumento tinha pensado que “serianacional. interessante recriar a conquista Sem dados para lançar, mas do castelo por d. Afonsocom estratégia, os participantesneste jogo de tabuleiro bilingue Henriques”. Mas depois do primeiro encontro com a equipa dos “heróis” que podem calhar em sorte aos jogadores. A sua Na Semana da(Português e Inglês) têm comoobjectivo central recolher três do castelo percebeu o contrário: “Isso não lhes interessava. principal vantagem táctica é a de poder “dar meia volta” Criança (emtroféus “válidos” enquanto Além de considerarem o e mudar de rumo. Uma das Junho), o Castelopercorrem os lugares principais personagens mais curiosas quedo castelo. Mas antes terão de episódio historicamente pouco verdadeiro, digamos tanto a directora como o criativo de S. Jorgesaber quais as figuras históricasem que irão transformar-se. São assim, queriam que o jogo mostrasse que é um castelo referem é o sacerdote secular Bartolomeu Gusmão (sécs. abrirá as portas12. A mais antiga data do séc. IV por onde, em mais de mil anos, XVII-XVIII), que era também gratuitamentea.C. (Chefe da Idade do Ferro) e muitas personagens históricas inventor. “Ficou conhecidoa mais recente dos sécs. XIX-XX importantes passaram.” pelas suas experiências com às escolas(d. Manuel II, o último rei dePortugal). Todas masculinas. É Mentiras do Estado Novo aeróstatos. Em 1709, lançou, da Praça d’Armas, A Passarola, públicasassim a História… diz a directora à Pública: “Falar uma máquina aerostática que se No entanto, os jogadores do castelo não é só falar de d. despenhou no Terreiro do Paçopodem nada saber do passado Afonso Henriques.” Teresa ao fim de alguns minutos.”de Portugal, não desconfiarem Oliveira reforça também que O jogo destina-se a criançasde quem foi d. dinis ou nem o monumento “não é apenas a partir dos sete anos e devesequer conhecerem Lisboa, um miradouro” e lembra “as ser jogado com dois a seis“mas, à medida que vão jogando, mentiras do Estado Novo sobre elementos. “Como no 3.º e 4.ºvão aprendendo e percebendo o passado para não ter de ano do 1.º ciclo, a História dea história do castelo, nas suas reconhecer a História”. Portugal faz parte do programadiferentes facetas”, diz Gil Mas é claro que o “primeiro escolar, tem havido boa aceitaçãod’Orey, autor do jogo e da ideia. rei de Portugal” entra no jogo, por parte dos professores que “Tudo começou com sendo apenas conhecem o jogo”, diz Susanauma proposta que nos mais um repolho Correia, responsávelapresentaram para fazermos pela comunicação e imagemum jogo sobre o castelo. do castelo. Assim, “de umaGostámos imediatamente”, forma lúdica, os miúdos vãoconta Teresa Oliveira. “A aprendendo História”. Com as descrições das cartas que dinamizam o jogo, fica a saber-se mais. E desperta-se também a curiosidade para visitar o castelo “ao vivo”. São as cartas que se vão retirando do baralho que ditam o destino das personagens históricas que se movem no espaço do castelo — o tabuleiro reproduz a planta do c
  3. 3. miúdos monumento. A finalidade é obter e outros pontos históricos Teresa Oliveira, que recebeu a três troféus e as personagens importantes. Porque o jogo Pública no cenário histórico de têm poderes diferentes, algumas inclui também a Alcáçova (área que aqui se fala, encerra assim podem trocar de lugar com de habitação que se encontra na a conversa sobre o Troféu de S. outras e há quem tenha a zona de influência do castelo). Jorge: “As crianças aprendem a vantagem de poder retirar um história do castelo e de Lisboa troféu ao adversário. Mas mesmo Tabuleiro gigante com prazer. É uma forma de o roubo tem regras. Não se pode Na programação do serviço apelar ao convívio em família escolher o troféu a surripiar, educativo do castelo, os últimos e à divulgação do património terá de ser o mais recentemente domingos do mês são chamados nacional. Neste caso, do adquirido pela “vítima” em “domingos em família” e serão monumento nacional.” causa. dedicados ao Troféu de S. Já Gil d’Orey, que gere a “Pensámos num jogo para se Jorge. Há o projecto de criar editora Mesa Board Games em brincar em família, para crianças um tabuleiro gigante, onde os conjunto com Tiago Teixeira e adultos, simples, acessível, que participantes se possam mover de Abreu, termina o contacto tivesse algumas componentes sobre o mapa. Nesta altura da assim: “Queremos fazer jogos de divertimento e estratégia. conversa com a Pública, as duas competitivos, no sentido de Não queríamos fazer um jogo responsáveis (Teresa Oliveira concorrerem com as dezenas de perguntas e respostas, tipo e Susana repolho Correia) de brinquedos que enchem Trivial Pursuit. Não temos nada atropelam-se na explicação, não as prateleiras dos miúdos. Os contra esses jogos, mas têm um por falta de cortesia mas por jogos têm de ser divertidos grande handicap, quem não entusiasmo genuíno. por si só, para que eles vão conhece a história fica de fora Participantes nas discussões recorrentemente jogar. É isso do jogo. Se não souber, não e escolhas desde que a ideia que eu quero. Não quero fazerO Troféu de S. Jorge (bilingue: fica a saber”, diz Gil d’Orey. E surgiu, ambas se identificam um jogo educativo aborrecido,Português e Inglês) explica: “Fizemos um jogo ao muito com o jogo. E jogam. ‘uma seca’. Nem dizer à partida:Para 2 a 6 jogadores, a partir contrário. divertido, apelativo, Está previsto um ensaio ‘Vais ficar a conhecer o castelo’.”dos 7 anos. Mesa Board interessante, mas em que não se prévio para esta experiência do depois do sucesso doGames, €29,90. À venda no fazem perguntas. Por isso é que Troféu de S. Jorge “humano”: jogo Caravelas, sobre osCastelo de S. Jorge, Fnac e cada jogador assume o papel “Se o nosso stand da próxima descobrimentos, preparamwww.mesaboardgames.pt de uma personagem histórica da Bolsa de Turismo de Lisboa agora o Vintage, um jogo de e na carta que lhe corresponde (BTL) tiver espaço suficiente, tabuleiro sobre o vinho do Porto, terá de ler um textinho. Não experimentamos. Caso a apresentar na convenção são regras. Ninguém precisa de contrário, só acontecerá na LeiriaCon 2011. Tal como não é decorar aquilo, mas as pessoas, Semana da Criança, em Junho”, preciso conhecer o Castelo de ao jogar, vão interiorizando.” prossegue a directora. No S. Jorge antes de jogar, também O mesmo para os locais entanto, na BTL, será sempre não é preciso beber. Nem antes por onde os jogadores têm possível conhecer o Troféu nem depois (nem durante). de passear para encontrar porque haverá mesas para quem Por isso, mesmo os miúdos os troféus. Certamente irão quiser jogar. Susana repolho poderão divertir-se com a mais ficar a conhecer o Palácio do Correia informa ainda que, “na prestigiada bebida nacional. Governador, a Praça de Armas, Semana da Criança, o castelo Vai uma partidinha? os Jardins românticos, a Porta abrirá as portas gratuitamente de S. Jorge, o Bairro Islâmico às escolas públicas”. rpimenta@publico.pt

×