A roda dos alimentos

477 visualizações

Publicada em

Uma pequena história sobre a alimentação, criada pela minha filha.

Publicada em: Alimentos
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
119
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A roda dos alimentos

  1. 1. Era uma vez uma couve. Uma couve redondinha, verde, tenra, alegre e muito engraçada. Chamava-se Folhinhas. Mas, durante uns dias, a Folhinhas não andava alegre. Estava chateada. Estava muito chateada. E sabem porquê? Um dia, estava a Folhinhas na prateleira dos vegetais no Supermercado, quando uma família passa por ela. A Folhinhas fechou os olhos e desejou que a comprassem. No entanto, a família passou e não a comprou. Em vez disso, compraram bolachas, rebuçados, iogurtes, cereais, chocolate e sumo. A Folhinhas, ao ver o que a família tinha escolhido, ficou muito chateada e deixou de estar alegre.
  2. 2. Finalmente, depois de tanto resmungar, decidiu reunir as irmãs couves e os seus primos, que eram os outros alimentos que estavam na prateleira dos vegetais: os tomates Zé e Tó, o pepino Bernardo, a alface Verdinha, a maçaroca Maria, os cogumelos Tatá, Titi e Tutu, entre outros. Reunidos, saltaram da prateleira e foram até à prateleira vizinha, onde moravam as frutas. Era um espetáculo de cores e sabores: bananas, maçãs, pêras, melancias, melões, uvas, morangos, cerejas, mangas, laranjas e limões. As frutas alinharam no plano. Saltaram da prateleira e foram até à prateleira do pão, que saltou também. Continuaram a viagem pelo Supermercado. Chegaram à prateleira das massas e do arroz. Estes hesitaram, mas acabaram por saltar das prateleiras para se juntar aos outros alimentos.
  3. 3. Seguiam-se o óleo e a manteiga. Eram alimentos gordurosos e foi-lhes um pouco mais difícil saltar, pois tinham medo de escorregar. Mas saltaram. Um pouco à frente, estavam o leite, o queijo e os iogurtes. Desceram as prateleiras do congelador e foram com o resto dos alimentos. Mesmo ao lado, estavam a carne, o peixe e os ovos, que precisaram de uma ajudinha para abrir a tampa da arca congeladora, para depois poderem saltar. A recolha estava quase no fim. Só faltavam os feijões, as ervilhas, o grão, entre outros. Não compreendiam porque é que tinham de saltar da prateleira, mas fizeram-no. Todos os alimentos estavam reunidos. Saíram do Supermercado e, com um lápis e uma folha de papel que tinham levado, começaram a planear.
  4. 4. Já estavam fartos de esperar por uma grande ideia, quando ela surge. - Já sei! – disse Folhinhas, com todo o entusiasmo – Vamos fazer um desenho onde estejamos todos nós. Só precisamos de arranjar um nome. - O círculo de Alimentos – sugeriram os cogumelos. - A Roda dos Alimentos – disse, por fim, a pêra Paula. - Excelente! – conclui Folhinhas – Esse vai ser o nome da nossa obra-prima. Começaram a desenhar e a colorir. Quase acabada, alguém reparou que faltava alguma coisa no centro da Roda. - Que tal se pusermos algo que todos nós temos?
  5. 5. Nisto, a D. Água chega. - Água! - Diga?! - Não, todos nós temos água. É isso que vai ficar no meio! A D. Água, ao ouvir isto, ficou radiante. Ia ser o centro de uma importante roda chamada Roda dos Alimentos, que iria servir para indicar quais os alimentos que as pessoas deviam comer e a quantidade que devem comer desses alimentos por dia. Até deram um nome a cada grupo. E assim, depois da Roda estar feita, levaram-na para a loja e deixaram-na em cima do balcão. De seguida, regressaram todos às suas prateleiras, de onde conseguiam ver o seu desenho afixado na parede, com bastante gente a observar e seguir o que lá indicava.
  6. 6. FIM Matilde Rola Figueiredo N.º 12 7.º A Dia da Alimentação 16/10/2013

×