SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Os efeitos da manipulação dos combustíveis para o meio ambiente e para a saú...
Um estudo realizado na cidade de São Paulo com cerca de 69 trabalhadores em 11 postos de combustíveis, aponta os principai...
SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>75% eram do sexo masculino e 25% do sexo feminino </li></ul><ul><li>...
Danos apontados nos trabalhadores  SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>Via oral:  Cardiovasculares, resp...
Danos apontados nos trabalhadores  SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>Desse total avaliado, constataram...
SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>As pesquisas apontam como causa das doenças, o completo descaso ou d...
SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Proteção aos trabalhadores <ul><li>Ainda sobre os EPI’s, observou-se nesses ...
SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Análise dos resultados <ul><li>Assim sendo, conforme resultados aqui obtidos...
SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Uso de celulares em postos de combustíveis Muitas são as controvérsias sobre...
Fontes: Revista CIPA – Edição nº 300 Portal Petrobrás Distribuidora S.A.  Imagens:  www.google.com.br INTEGRANTES DA EQUIP...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Periculosidade em posto abastecimento

20.318 visualizações

Publicada em

Os perigos relacionados aos frentistas

Publicada em: Saúde e medicina
7 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.318
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
638
Comentários
7
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Periculosidade em posto abastecimento

  1. 1. SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Os efeitos da manipulação dos combustíveis para o meio ambiente e para a saúde dos trabalhadores nos postos de abastecimentos
  2. 2. Um estudo realizado na cidade de São Paulo com cerca de 69 trabalhadores em 11 postos de combustíveis, aponta os principais motivos e problemas decorrentes da exposição dos frentistas aos produtos comercializados e da falta da utilização de EPI’s SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>Dentre eles estão: </li></ul><ul><li>Exposição aos gases poluentes, como </li></ul><ul><li>o monóxido de carbono; </li></ul><ul><li>Poluição sonora; </li></ul><ul><li>Manipulação do etanol e derivados </li></ul><ul><li>de petróleo, dentre outros. </li></ul>
  3. 3. SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>75% eram do sexo masculino e 25% do sexo feminino </li></ul><ul><li>75% possuíam nível escolar precário ou inexistente; </li></ul><ul><li>Idade média entre 20 e 40 anos; </li></ul><ul><li>66,5% dos pesquisados eram da região nordeste; </li></ul><ul><li>56% faziam uso de bebidas alcoólicas; </li></ul><ul><li>35% deles fumavam, o que é proibido pela Lei 9.120 de 08/10/1980 neste ambiente de trabalho. </li></ul>Os estudos também levaram em consideração alguns dados particulares dos profissionais:
  4. 4. Danos apontados nos trabalhadores SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>Via oral: Cardiovasculares, respiratórios, gastrintestinais, renais, hepáticos, aparição de câncer e até mesmo a morte; </li></ul><ul><li>Via dérmica(pele): Dermatites, </li></ul><ul><li>escamação e hepáticos; </li></ul><ul><li>Via respiratória: O mais prejudicial de todos, podendo gerar efeitos hematológicos, imunológicos, neurológicos, reprodutivos(impotência e esterilidade), problemas respiratórios, aparição de câncer e até a morte. </li></ul>
  5. 5. Danos apontados nos trabalhadores SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>Desse total avaliado, constataram-se que: </li></ul><ul><li>8% dos empregados tem alguma lesão de pele, </li></ul><ul><li>como a dermatite; </li></ul><ul><li>25% tem alguma deficiência respiratória; </li></ul><ul><li>45% se queixam de dores de cabeça frequentes, </li></ul><ul><li>principalmente após o término de uma </li></ul><ul><li>semana de trabalho; </li></ul><ul><li>E pelo menos alguns deles já ingeriram </li></ul><ul><li>combustível ao tentarem sugá-lo de algum recipiente. </li></ul>
  6. 6. SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO <ul><li>As pesquisas apontam como causa das doenças, o completo descaso ou desconhecimento por parte dos empresários do ramo no que diz respeito ao fornecimento de EPI’s, onde a única proteção encontrada em todos os postos analisados foram os uniformes, que mais parecem tratar-se de um instrumento de propaganda. </li></ul><ul><li>Temendo o desemprego, funcionários preferem não denunciar as empresas aos órgãos competentes e preferem continuar com as irregularidades. </li></ul><ul><li>Conforme rege a NR06, em seu parágrafo 6.3. que segue, a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de </li></ul><ul><li>conservação e funcionamento (...) </li></ul><ul><li>São eles: </li></ul><ul><li>Calçados de segurança; </li></ul><ul><li>Máscaras respiratórias; </li></ul><ul><li>Luvas de borracha; </li></ul><ul><li>Avental impermeável; </li></ul><ul><li>E até mesmo protetores auriculares para minimizar os ruídos advindos do trânsito. </li></ul><ul><li>Para refletir: Você já presenciou algum frentista abastecendo com luvas ou máscaras??? </li></ul>Proteção aos trabalhadores
  7. 7. SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Proteção aos trabalhadores <ul><li>Ainda sobre os EPI’s, observou-se nesses locais uma grande deficiência quanto a educação sanitária dos trabalhadores e também alguns prejuízos ao meio ambiente: </li></ul><ul><li>Falta de treinamento dos trabalhadores por parte da administração; </li></ul><ul><li>Utilização de panos sujos de combustíveis nos bolsos; </li></ul><ul><li>Fazem ingestão de alimentos durante o horário de expediente; </li></ul><ul><li>Verificam os níveis dos tanques sem proteção facial, etc. </li></ul><ul><li>Despejam restos de combustível ao chão; </li></ul>
  8. 8. SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Análise dos resultados <ul><li>Assim sendo, conforme resultados aqui obtidos, pode-se inferir que o contato com os produtos podem ocasionar as mais diversas patologias, sendo mais evidentes em usuários que têm contato direto, do que os utiliza esporadicamente. </li></ul><ul><li>Para a prevenção destas doenças, é válido sugerir: </li></ul><ul><li>A utilização de EPI’s; </li></ul><ul><li>Treinamento adequado para sua utilização através dos representantes sindicais; </li></ul><ul><li>E o mais importante. Maior incentivo pela busca de combustíveis alternativos, com menos riscos à saúde humana e para o próprio meio ambiente. </li></ul>
  9. 9. SAÚDE E SEGURANÇA NOS POSTOS DE ABASTECIMENTO Uso de celulares em postos de combustíveis Muitas são as controvérsias sobre a utilização dos aparelhos telefônicos em postos de combustíveis. Afinal, é perigoso ou não utilizá-lo nestes locais? Segundo o consultor de segurança da Coppe/UFRJ, da Eletronuclear e das Usinas Angra 1 e 2, Moacyr Duarte , revelou que existe apenas uma remota possibilidade de o uso de o celular provocar um acidente. Mesmo sendo as chances de uma ocorrência pequena, é extremamente importante respeitar a proibição. Diz que “é necessário que a mistura de vapor de gasolina e ar, numa proporção entre 1,3% e 6%, penetre no aparelho. Após o preenchimento do espaço interno do aparelho com esta mistura gasoso, o toque da campainha, o alarme ou a bateria mal ajustada pode gerar uma centelha elétrica, servindo de ignição.“ “ Como os aparelhos modernos estão cada vez mais compactos, os espaços internos a serem preenchidos pelo gás são menores e, consequentemente, a possibilidade de um acidente é cada vez mais difícil. Contudo, no posto, o procedimento correto é manter o aparelho desligado durante o abastecimento&quot;, conclui Paulo da Luz , chefe do Setor de Segurança e Meio Ambiente Automotivo Segue vídeo similar ao assunto...
  10. 10. Fontes: Revista CIPA – Edição nº 300 Portal Petrobrás Distribuidora S.A. Imagens: www.google.com.br INTEGRANTES DA EQUIPE E EXECUTORES DO TRABALHO Anderson F. P. da Silva Marcelo da Silva Márcio R. de Mattos Paulo Cesar de Oliveira Rodrigo D. Gaiotto

×